Empresas famosas apostam em transportar o happy hour para dentro do ambiente de trabalho.

O ambiente empresarial pode muitas vezes se tornar estressante ou monótono. Além disso, os funcionários de uma empresa podem não possuir o costume de conversar com seus colegas de trabalho devido à correria do dia a dia.

Por esses motivos, surge a ideia do Happy Hour, que apresenta um momento de descontração entre os funcionários e interação que talvez não fosse possível dentro da empresa. Tornou-se basicamente uma tradição, proporcionando um momento em que é possível se aproximar das pessoas, além de conhecer suas histórias de vida ou ambições profissionais. No entanto, algumas empresas passaram a realizar o Happy Hour dentro do escritório, ao contrário do que é de costume.

Há cerca de seis empresas famosas que apostam em transportar o happy hour para dentro do ambiente de trabalho. São elas: Ambev, ContaAzul, Movile, Buscapé Company, Teleperformance e Groupon. Além da “hora feliz” na própria empresa, elas também apostam em um ambiente mais descontraído no escritório contando com menos exigências em relação ao guarda-roupa e horários mais versáteis. É apontado pelos funcionários um grande nível de satisfação com a empresa, sendo que em uma escala de 0 a 5,0 o menor dos níveis apontados foi de 3,7.

Apesar de tornar o ambiente mais confortável e unir mais a equipe, essa medida deve ser tomada com algumas precauções essenciais para evitar prejuízos, especialmente devido aos riscos do álcool para a saúde. Vale ressaltar também que, apesar do ambiente diferenciado, os funcionários deverão cumprir seus deveres de acordo com o solicitado.

Para além disso, há precauções que os próprios trabalhadores devem tomar enquanto estiverem no happy hour da empresa, independentemente se for fora ou dentro do ambiente de trabalho. Não se deve falar mal da empresa ou de seus superiores. Também não é interessante que a vida pessoal seja exposta ou até mesmo assuntos confidenciais de trabalho. Para que essas coisas sejam evitadas, é altamente recomendado que não se exagere no consumo de bebida alcoólica.

Conforme os tempos mudam, as empresas têm seguido uma linha de desenvolvimento que anda mais de acordo com seus novos funcionários da nova geração. Os benefícios dessas mudanças devem ser analisados para que elas sejam postas em prática, sempre com os cuidados necessários.

Por Isabela Palazzo


Saiba aqui quais são os tipos de emprego para trabalhar online.

Trabalhar em casa ou a partir de outros lugares pode ser uma opção interessante para você e para muitas pessoas. Afinal, dependendo do caso, você pode escolher e administrar seus horários do jeito que considerar mais viável. Essa também pode ser uma ótima alternativa para aumentar sua renda.

Por outro lado, estar no regime home office é uma tarefa que exige comprometimento e organização, para que o foco do trabalho não se perca ou se misture com outras atividades. Portanto, se você tem vontade de ter um emprego desse tipo, é necessário que tenha muito foco e saiba cumprir e calcular prazos.

Mas, se você ainda está meio perdido, mostraremos neste artigo alguns trabalhos que podem ser feitos online.

Revisão ou Edição de Textos: O revisor tem como tarefa verificar, analisar e revisar textos de acordo com as normas cultas da língua. Assim, em muitos casos esse trabalho pode ser feito individualmente em um computador. Além disso, quem atua nessa função geralmente é graduado em Letras ou Jornalismo e presta serviços para agências de publicidade, editoras, gráficas, escritores e estudantes.

Designer: O papel do designer é o de desenvolver projetos em diversas áreas, que abrangem os seguintes mercados:

  • Gráfico: Criação de identidade visual, diagramação de livros e revistas.
  • Industrial: Ênfase no desenvolvimento de produtos de consumo.
  • Digital: Produz interfaces de jogos de videogame, de dispositivos móveis e websites.

Esses trabalhos são feitos por meio de softwares, o que possibilita que sejam executados à distância.

Secretariado: Muitas empresas e profissionais autônomos têm contratado assistentes virtuais de modo terceirizado, para controlarem agendas, marcar reuniões, reservar hotéis, comprar passagens para viagens, além de outros serviços administrativos.

Redação de Conteúdos: Essa é uma profissão bastante dinâmica, em que textos para diferentes nichos são desenvolvidos por profissionais de várias áreas. Nesse caso, o trabalho feito inteiramente a distância pode ter foco em conteúdos de marketing, reportagens e matérias, blogs, livros, revistas, comunicados, entre outros.

Tradução: O amplo domínio de outros idiomas permite que você traduza diversos textos para diferentes objetivos e países. Semelhante à profissão do revisor, esta também pode ser feita online, sem a necessidade de encontros ou reuniões pessoais.

Marketing Digital: Com o avanço da tecnologia, abriram-se novas oportunidades para aqueles que trabalham com marketing. Assim, é possível que o profissional dessa área realize planejamento, crie conteúdo, envie relatórios e monitore páginas e redes sociais sem estar dentro de uma empresa ou escritório.

Você trabalha em regime home office? Tem vontade de trabalhar assim?

Camilla Silva


Existem alguns motivos que são bastante conhecidos entre aqueles que já pediram demissão um dia.

Muitas pessoas gostam do seu trabalho e da função que exerce dentro de uma empresa, porém, ainda sim elas podem encontrar alguns motivos que à levarão a procura de uma nova oportunidade, e acabem pedindo demissão.

Existem alguns motivos que são bastante conhecidos entre aqueles que já pediram demissão um dia, e aqui vamos mostrar quais são os principais deles, destacando que boa parte das pessoas alega que não se sentem bem dentro da empresa ou do seu setor.

Conheça os principais motivos para o pedido de demissão:

1- Falta de plano de carreira

Muitas pessoas sabem que possuem um grande potencial e que já estão devidamente qualificados para crescer e alcançar novos objetivos dentro da empresa, porém, às vezes, existe dificuldade na realização do plano de carreira, o que leva a desmotivação e em seguida o pedido de demissão.

2- Falta de respeito

Ninguém gosta de trabalhar com pessoas que não possuem educação ou que faltam com o respeito. Alguns líderes ou até mesmo colegas de trabalho não possuem domínio próprio e acabam tratando os outros mau, o que pode levar alguns funcionários solicitar o desligamento.

3- Não ter reconhecimento

Quando a pessoa entra na empresa, ela normalmente entra feliz e faz muitos planos e projetos, porém, se com o passar dos anos, sua dedicação e dinamismo não forem reconhecidos, isso também gera a frustração e o afastamento de muitos funcionários.

4- Empresa sem igualdade

É necessário que todos os funcionários de uma empresa sejam tratados com igualdade, independente do seu grau de escolaridade ou função exercida. O ser humano necessita ser respeitado. Quando isso não existe os efeitos negativos dentro de um departamento fica em evidência.

5- Falta do aumento de salário

Esse é um dos motivos que pode fazer com que a pessoa procure um novo trabalho. Caso a empresa não reconheça o valor de seu colaborador e outra oferece uma proposta melhor, na maioria dos casos esse fator se torna crucial para o desligamento do mesmo, principalmente se o aumento da remuneração tenha sido negado em uma tentativa de acordo.

Podemos concluir que para manter bons funcionários na empresa é necessário oferecer plano de carreira, manter o respeito, dar o devido reconhecimento, pois sem essas características, a rotatividade tende a aumentar.

Por Yasmin Fernandes Robles


Confira alguns pontos fundamentais sobre o que fazer para se dar bem em uma entrevista de emprego

Em tempos de crise conseguir uma entrevista de emprego é uma grande oportunidade que deve ser bem aproveitada. O que colocar no currículo, o que falar e o que não falar são as dúvidas mais frequentes de quem irá fazer uma entrevista. Então separamos algumas dicas pra te ajudar a se sair bem.

Primeiro, ao ser convidado para fazer uma entrevista pesquise sobre a empresa, acesse o site e as redes sociais, veja o que a empresa faz e tente visualizar no que você pode ser útil para a vaga. Assim você já chega mais preparado.

Atente-se ao dia, horário e principalmente local da entrevista. Pesquise os melhores trajetos para chegar e saia de casa com antecedência para evitar imprevistos. Seja pontual! Nem adiantado demais e nem atrasado, e se for atrasar ligue para a empresa avisando.

Leve sempre um currículo para não ser pego de surpresa. Nele deve conter suas informações pessoais, como nome, endereço, telefone e e-mail, além das suas formações e experiências profissionais. Caso tenha portfólio, leve também.

Exercite a memória, pense nos seus pontos positivos e negativos, nos momentos de desafio e nos quais teve que agir sobre pressão. As empresas sempre fazem esse tipo de pergunta buscando saber como você age em situações difíceis. É nesse momento que você pode se destacar. Tenha essas histórias em mente, conte o desafio e como fez para sair dele.

Aliás, pesquise sobre possíveis perguntas que as empresas costumam fazer como “Por que quer trabalhar aqui?” “O que você pode acrescentar à nossa equipe?” é importante que você saiba o que responder nesses momentos, fazer uma pesquisa prévia da empresa, saber seus pontos positivos e apresentar suas competências é a saída.

Pergunte! O recrutador também QUER ser interrogado, elas são bem-vindas, então tire todas as suas dúvidas. Elabore perguntas antes da entrevista sobre a empresa e a vaga, mostre que está antenado e interessado.

No momento da entrevista tenha postura, não masque chicletes e apresente bom comportamento. Apesar da ansiedade procure ficar calmo, pois isso pode te prejudicar. Aja naturalmente e seja você. Não minta, é importante que você seja sincero com o recrutador, não aumente histórias e não invente habilidades, elas podem ser cobradas.

Então, ao ser chamado para uma entrevista, faça a lição de casa! Pesquise, mentalize e confie em você.

Por Tom Vitor de Freitas


Após as festas de final de ano é preciso voltar ao trabalho com disposição e energia e, para isso, é essencial fazer um bom planejamento.

Como voltar ao trabalho depois de curtir as festas do ano novo? No primeiro dia de trabalho, você preferia estar dormindo ou curtindo uma preguiça? Isso é muito comum, principalmente, depois de um fim de semana prolongado. Porém, é preciso deixar a preguiça de lado e voltar (ou tentar) com energia para retomar o trabalho ou a faculdade, por exemplo.

Para recomeçar as atividades novas do ano, que tal fazer um planejamento? Um passo simples é começar anotando as tarefas pendentes ou que foram deixadas de lado. Você pode fazer isso no computador ou na agenda. Foque nos itens faltantes. Além disso, escreva, também, os projetos que devem ser iniciados no ano e que foram adiados.

Depois de fazer as listas, selecione as atividades que são prioritárias, a fim de estabelecer uma ordem de acordo com os dias e os horários, e sempre respeitando o tempo disponível que você tem. Estabeleça um tempo adequado para fazer cada tarefa. Assim, você vai conseguir se concentrar nas tarefas que devem ser feitas e assumir apenas o que pode cumprir.

Será que há algum assunto novo que deve ser colocado nas suas prioridades? Leia os e-mails para saber e ficar por dentro das tarefas pendentes. Lembre-se de que os e-mails devem ser lidos antes de você focar nos assuntos prioritários que devem ser resolvidos.

Depois desta etapa inicial, é hora de começar a trabalhar e executar cada atividade. Concentre-se no que está fazendo para deixar a preguiça de lado. Nos intervalos, converse com os seus colegas de trabalho, seja amigável e tome um café. No início pode ser difícil, mas nas primeiras horas e com o dia organizado, você vai trabalhar melhor.

No fim do expediente, relaxe. Planeje o que você tem para o dia seguinte através da agenda. Quando chegar em casa descanse e aproveite a família, para recarregar as energias. 

Por Babi


É essencial que o candidato a uma vaga de emprego saiba estruturar e montar um currículo de maneira correta.

O currículo é um dos principais documentos, pois ele é a porta de entrada para muitas empresas do mercado. É fundamental que o candidato saiba estruturá-lo e montá-lo, visando chamar a atenção do recrutador e se destacar no meio de tantos outros.

Que tal conferir algumas dicas para montar um currículo estratégico?

A parte de dados pessoais deve estar completa com informações como nome, e-mail, entre outras. Mas, existem dois tipos de informações que não devem constar: número de documento e pretensão salarial. A informação da posição que deseja ocupar na empresa deve escrita de forma objetiva e clara, ou seja, com o nome do cargo pretendido.

Como você monta a parte de qualificação profissional? Essa fase pode ser montada em tópicos, por exemplo. O profissional pode abordar os conhecimentos adquiridos e as principais realizações ao longo da carreira. Todavia, é importante que o assunto abordado procure ser relacionado com o posicionamento desejado. O foco deve ser sempre visando em resultado, ou seja, é preciso que a pessoa demonstre que quer contribuir para o sucesso da Organização.

Além disso, no currículo devem constar as realizações profissionais do candidato. Procure colocar, pelo menos, duas e foque no que foi desenvolvido, a forma e o resultado gerado para a empresa em vários aspectos.

Você sabe falar algum idioma? Então escreva sobre o seu nível de conhecimento. Lembre-se que o recrutador pode ter perguntar sobre o assunto. Coloque apenas informações que sejam verdadeiras.

Já pensou em fazer um tópico de informações complementares no currículo? Nesta parte, acrescente dados que são relevantes e não foram encaixados em outros locais. Por exemplo, um curso de extensão que tenha sido feito, um congresso ou um projeto que você participou. Mas, acrescente apenas pontos relevantes e focados na área profissional. Cuidado para não colocar informações desnecessárias.

Gostou das dicas? Não deixe de compartilhar com os seus amigos!

Por Babi


Jovens estão mais seletivos e críticos no momento de escolher as empresas onde desejam trabalhar. Empresas que apresentam a possibilidade de um desenvolvimento acelerado são as mais interessantes aos jovens profissionais.

Cada vez mais os jovens estão seletivos quanto às empresas em que querem trabalhar e essa estratégia vem dando certo para que sejam aprovados nos processos seletivos das empresas em que desejam trabalhar. Os jovens têm diminuído as inscrições em processos seletivos, para focar melhor naquelas que realmente desejam, e assim, sem a chance de ser generalizado durante as etapas do processo seletivo, aumentam suas chances de contratação. Se antes os jovens se inscreviam em 10 ou 15 processos seletivos atualmente focam em dois ou três específicos.

Os jovens também estão mais críticos: dentre as principais reclamações dos candidatos em processos seletivos, está a falta de feedback das empresas. Eles desejam mais informações sobre si mesmos, sobre a empresa em que desejam trabalhar e como é o cotidiano de trabalho nesta empresa. Com tanta demanda por informação, as empresas estão investindo cada vez mais em comunicação para mostrar a esses jovens de forma mais transparente o ambiente interno da empresa.

Algumas empresas estimulam os jovens que já são seus funcionários a postarem fotos em redes sociais sobre seu cotidiano de trabalho. Dessa forma, deixam bem claro para os possíveis candidatos, como é o ambiente de trabalho. Ao invés de só utilizar propagandas publicitárias, as empresas têm investido em mostrar a realidade de trabalho, para atrair cada vez mais candidatos certos.

Outra característica muito valorizada pelos jovens são os programas criativos, que deixem claro que a empresa tem um caráter inovador. O jovem de hoje em dia quer um ambiente de trabalho que valorize suas ideias e seu potencial criativo.

Mas definitivamente, o que atrai os candidatos mais jovens é a possibilidade de um desenvolvimento acelerado.  Numa pesquisa realizada pela empresa Seja Trainee, 68% dos jovens indicaram essa opção como a mais valorizada quando pensam em se inscrever para um processo seletivo em uma empresa. Em seguida aparece a possibilidade de passar em diferentes áreas da empresa, que alcançou 41% das respostas dos jovens. A remuneração aparece no oitavo lugar, dentre as respostas, com 17%. O que mostra que o jovem atual busca muito mais que dinheiro, mas uma realização, reconhecimento e crescimento no ambiente de trabalho.

Fazer história também pode ser citado como um interesse dos jovens. Boa parte deles pretende, a médio prazo, chegar a um cargo de liderança para que sua marca pessoal esteja aliada à história da empresa.

Por Patrícia Generoso


Depois de ter uma boa ideia para a empresa, o funcionário deve saber fazer o marketing dela e conquistar aliados.

Nem sempre ter uma boa ideia no trabalho pode ser o suficiente, pois o profissional precisa saber fazer o "marketing" de sua ideia e isso significa conquistar aliados. Esta conquista pode ser feita de várias formas e você vai aprender agora, algumas maneiras de fazer com que as pessoas tenham um interesse maior quando você expor sua ideia no trabalho.

O primeiro passo, é óbvio, é estar preparado. O bom profissional ao ter uma ideia ele não sai contando ela para todos, até porque alguém pode ficar sabendo qual é a sua ideia, trabalhá-la um pouco melhor e apresentá-la novamente com uma nova "roupagem" e, claro, vai ser muito mais interessante do que a sua ideia original.

Então, sempre que tiver uma ideia, uma sugestão, contenha-se! Analise todas as possibilidades, procure "lapidar" sua ideia e após de ter tudo bem definido, aí sim, apresente-a!

Outra dica importante para conseguir que as pessoas tenham mais interesse por sua ideia é saber o momento certo para falar sobre ela. Mesmo que você tenha passado o final de semana inteiro, trancado dentro de casa preparando a apresentação para sua ideia, não significa que a primeira coisa que você tem que fazer na segunda-feira é falar sobre sua ideia. Segunda-feira de manhã é um péssimo horário para isso, então procure analisar bem o momento ideal para expor sua ideia.

Procure verificar, também, para quem a ideia deverá ser apresentada em um primeiro momento, pois há empresas que o funcionário tem um contato direto com a diretoria, mas em outras, primeiro é preciso passar a ideia para seu superior e ele levar esta ideia à diretoria, que se gostar, irá lhe chamar pessoalmente para então mostrar todos os detalhes. É muito importante obedecer a hierarquia dentro de uma empresa, do contrário, você pode desperdiçar uma ótima ideia.

E nunca pense que sua ideia é perfeita e exclusiva! Procure olhar para sua ideia de um ângulo diferente e se for possível, apresente sua ideia para sua família ou amigos mais próximos, ou até mesmo um profissional da área que seja de sua confiança e ouça atentamente as críticas e sugestões, assim você poderá obter novos conteúdos para sua ideia, aprimorar seus projetos e até corrigir falhas que não tinha percebido antes.

Por Russel


Atitudes de alguns chefes podem desanimar e desiludir os bons funcionários da empresa, fazendo-os pedir demissão e ir para outra empresa.

Uma empresa pode vir a perder bons funcionários por vários motivos e um deles, que muitas vezes passa desapercebido, são as atitudes de alguns chefes que, não tendo o espírito de liderança, acabam fazendo com que os melhores talentos da empresa deixem o emprego e vão para outras empresas, geralmente, as concorrentes.

E uma das principais atitudes é sobrecarregar o funcionário! Por melhor que seja o funcionário, quando ele se sente "explorado" pela empresa, ou seja, sente que está trabalhando de mais, ele acaba perdendo a vontade de continuar naquele trabalho e busca por outro. E é muito comum encontrarmos chefes que têm esta atitude e assim, os funcionários acabam se sentindo punidos injustamente, pois eles sentem que, quanto mais trabalham, mais são sobrecarregados, o que acaba comprometendo até o bom desempenho daquele profissional.

Outra atitude dos chefes que fazem bons funcionários pedirem demissão é o não reconhecimento pelos bons serviços prestados. Claro que todo funcionário já está recebendo sua remuneração pelos trabalhos realizados, mas sabemos que há funcionários que fazem muito mais pela empresa do que aquilo que foi combinado. Estes bons funcionários têm prazer em se dedicar mais ao trabalho, mas é claro que querem ser recompensados, seja com um brinde, um aumento de salário, um elogio, uma promoção, enfim, há várias formas de recompensar o bom funcionário e o chefe não pode deixar passar despercebidas estas oportunidades.

Uma outra atitude dos chefes, que praticamente espantam os bons funcionários para bem longe da empresa, é o fato deles promoverem os funcionários errados, ou seja, você se dedica ao máximo no seu trabalho, mas a promoção acaba saindo para um colega seu, que você sabe muito bem, não faz nem a metade do que você faz. Esta promoção "errada" pode ser por vários motivos. Talvez o funcionário é amigo do chefe, ou parente do dono da empresa, ou é o conhecido "puxa-saco" e seja como for, este funcionário não merecia ser promovido.

Quando a promoção não sai para você, mas você vê que ela foi dada a um colega de trabalho que tem se esforçado tanto quanto você, ou até mais que você, é compreensível, porque por mais que a pessoa fique chateada, ela reconhece que foi feita justiça e continua na empresa, trabalhando e esperando a sua hora chegar. Mas dar uma promoção para quem não merece, definitivamente, faz qualquer bom funcionário pedir demissão.

Por Russel


Pesquisa revelou que mais de 1/3 dos profissionais brasileiros não tiraram férias nos últimos 12 meses.

Férias é um direito do trabalhador não é mesmo? Mas para alguns trabalhadores brasileiros esse direito está cada vez mais longe e inalcançável. Segundo uma pesquisa realizada pelo site de recrutamento de empregos Catho, mais de 1/3 dos brasileiros afirmam não terem tirado férias nos últimos 12 meses. O direito a um mês de descanso corridos também não é respeitado pelas empresas segundo a pesquisa. Segundo os dados, cerca de 7,6% dos profissionais pesquisados tiveram somente uma semana de descanso no último ano. Já 15,2% dos pesquisados afirmou ter tido somente 3 semanas e 14,3% tiveram 2 semanas de repouso remunerado.

A pesquisa levantou um perfil do número de dias de descanso do brasileiro: a média nacional fica em torno de 2,4 semanas por ano, independente do sexo dos pesquisados.

Quando o comparativo dizia respeito ao porte da empresa, os funcionários de empresas maiores recebem mais tempo de descanso: 3,1 semanas de férias, tempo bem maior, se comparado à média nacional. As empresas menores oferecem uma média de 1,4 a 1,9 semanas de férias.

O período de férias deveria ser respeitado pelas empresas, para que os trabalhadores possam ter melhores condições de trabalho e um tempo para passar com suas famílias, por exemplo, mas a ameaça do desemprego e de perder o espaço para algum outro colega de trabalho, por exemplo, faz com que alguns empregados "vendam" alguns dias de férias, para que a empresa não perceba que a sua presença possa ser dispensável. O funcionário que age assim acaba prejudicando o seu descanso e rendendo menos por consequência. Isso sem contar as empresas que simplesmente não respeitam os dias de férias estipulados por lei e cortam os mesmos, sem autorização prévia do funcionário, ou adiando a data das férias sucessivamente. Empresas que agem assim devem ser denunciadas, pois a prática é ilegal. 

Férias de 30 dias remuneradas são um direito assegurado por lei, e nenhuma empresa tem a abertura legal de diminuir ou mexer nos dias de direito do trabalhador, salvo se combinado com este previamente.

A pesquisa contou com um total de 26.459 entrevistados por todo o Brasil. Dos respondentes, 65% estão empregados e 35,9% são empregados de empresas de grande porte, com mais de 500 funcionários.

Por Patrícia Generoso


Saber lidar com as tarefas na empresa e ter atitudes assertivas podem fazer a diferença para a sua carreira.

No seu ambiente de trabalho, existem pessoas que inspiram? Elas são vistas como exemplo na Organização? Há profissionais que conseguem se destacar e passam credibilidade para toda a empresa. São pessoas que são reconhecidas com facilidade no ambiente de trabalho, seja por ter uma boa capacidade de liderança, cumprir de forma eficiente as suas tarefas ou se comunicar com facilidade. Que tal conhecer algumas dicas para aumentar a sua credibilidade no ambiente profissional? Isso pode fazer a diferença para a sua carreira.

– Seja verdadeiro com os seus objetivos:

O que você deseja para si? Seja honesto com as suas atitudes e com você mesmo. Lembre-se de que o fingimento afasta as pessoas de você e as suas palavras não serão valorizadas, muito menos as suas habilidades. Portanto, saiba o que você quer e seja verdadeiro consigo mesmo.

– Qual o valor do que você oferece para a empresa?

Você vê o valor que tem a atividade que desempenha? Qual a sua importância para a Organização? Quando você sabe o valor das suas atividades, raramente sentimentos como insegurança surgem. Por isso, conheça as suas melhores qualidades, habilidades e confie no seu potencial para fazer o melhor. Saiba o seu valor para conseguir conquistar a confiança das pessoas no seu ambiente de trabalho.

– Como você aponta as soluções?

Os profissionais devem procurar realizar soluções para as empresas e fazer propostas inovadoras. Mas, tudo deve ser feito de forma argumentada com análise de dados, por exemplo. Para isso, use a internet a seu favor e quando for sugerir alguma proposta nova para a sua empresa, procure fazer uma sugestão que seja baseada em pesquisas.

– Cuidado com a comunicação:

Saiba se expressar e passar as informações que realmente deseja. Não queira tentar se vender para elas, mas, sim, conversar. Desta forma, evite fazer discursos que podem passar a impressão de que você está se vendendo. Saiba usar as palavras e os argumentos corretos. 

Por Babi


Mesmo com a crise que assola o Brasil, alguns profissionais conseguem se destacar na empresa onde trabalham e alcançam boas promoções.

Você conhece alguém que se destaca na empresa por sua competência pessoal? Existem profissionais que são alinhados com a Organização, enfrentam desafios, buscam solucionar problemas e conflitos, e muitas vezes são vistos como líderes. Mesmo com o mercado em crise, há pessoas que se destacam e conseguem uma boa promoção na Organização em que trabalham. Que tal conhecer algumas habilidades destes profissionais?

– A escolha do local certo:

Devido ao autoconhecimento, os profissionais que desejam uma promoção sabem escolher o local certo para desenvolver e mostrar o seu talento. As pessoas conhecem os seus valores, culturas e quando são compatíveis com a Organização se destacam e são reconhecidos pelos seus gestores. Portanto, é fundamental que o profissional esteja alinhado com os valores e culturas do local em que trabalha.

– Qual o objetivo do seu chefe?

Os profissionais estão ligados ao objetivo do superior, do chefe e dos gestores. Como querem crescer na empresa, eles sabem que é fundamental conhecer os objetivos para poder crescer e alcançar os resultados almejados. Assim, os profissionais sabem que é preciso demonstrar interesse, querer conhecer o negócio e fazer a diferença.

– A importância da responsabilidade:

Os profissionais sabem da sua responsabilidade e permanecem fielmente aos seus objetivos pessoais. Eles se concentram nas suas atividades diárias e esforçam-se para conseguir os melhores resultados, porque querem o sucesso. Desta maneira, priorizam as atividades buscam ter um olhar estratégico dentro da Companhia em que trabalham. Além disso, buscam agir de maneiras diferentes, até encontrar a que se adeque melhor aos seus objetivos.

– O gerenciamento do tempo:

É importante estabelecer uma pausa entre uma tarefa e outra, para que a concentração possa ser eficaz e a produtividade. Os profissionais sabem que relaxar e dar um tempo para a mente, além de recarregar as energias, auxilia a produtividade e a encontrar melhores soluções nas atividades do cotidiano da Organização.

Gostou das dicas? Deixe a sua opinião e sucesso! 

Por Babi


É preciso ter motivação para fazer um bom trabalho sempre e buscar ter objetivos para alcançar.

A falta de motivação é capaz de acabar com a carreira de um profissional ou tirar-lhe toda a expectativa de um futuro melhor. Diante de tantas cobranças, da grande pressão por parte das empresas, o que encontramos são profissionais desmotivados que aos poucos vão perdendo a vontade de estarem sempre aprendendo mais, perdendo a capacidade criativa e assim vão se tornando profissionais dispensáveis para o mercado de trabalho.

Não deixe isso acontecer com você, saiba como conquistar a automotivação com dicas simples, que podem ser usadas facilmente no dia a dia e a primeira delas é a mais óbvia: acreditar em você mesmo!
Como você pode querer que a empresa acredite na sua capacidade, em seus projetos, se nem você mesmo está se dando o devido valor? É preciso valorizar suas qualidades e conhecer suas virtudes, pois assim irá começar a se valorizar mais.

O mercado está repleto de desafios e se formos nos apegar às notícias ruins, nem saímos de casa, por isso, a dica é focar no que há de positivo, por menor que ele seja. Se um projeto seu não conseguiu êxito, mas serviu para você aprender algo, é melhor focar-se neste aprendizado e utilizá-lo para um novo e melhor projeto.

Se um produto não conseguiu atingir a meta de venda esperada, é melhor se focar nas vendas que foram conseguidas, ainda que tenham sido baixas, para analisar o que deu certo e trabalhar em cima disso para criar novas campanhas! Não deixe o negativismo tomar conta de você, em nenhum momento.

Procure sonhar mais, porque viver só de realidade é muito duro! Sonhar não significa viver alheio ao mundo, pelo contrário, sonhar é querer coisas boas para sua vida e isso é um combustível muito importante para alimentar nossa automotivação! Então sonhe muito, mantendo um pé na realidade, no trabalho do dia a dia e o outro o pé no caminho que vai te levar a realizar seus sonhos.

Procure ser uma pessoa bem-humorada, de bem com a vida, pois isso vai lhe agregar confiança, um círculo maior de amigos, fazendo-lhe sentir mais motivado para atingir suas metas.

Por Russel


É natural errar no ambiente de trabalho, mas é preciso saber tirar o lado positivo e o aprendizado do erro cometido, para sempre evoluir.

O ditado diz que "errar é humano, mas permanecer no erro é burrice". É um ditado popular muito fácil de ser compreendido, mas muito difícil para ser colocado em prática, principalmente quando nos referimos ao nosso trabalho, onde não são permitidos erros. Não importa se você ocupa o cargo mais simples dentro de uma empresa ou o de mais alto grau, sempre que errar será cobrado por seus erros.

Óbvio que aquele que ocupar um cargo de chefia, de direção, arcará mais com as consequências, seja por seu erro ou pelo erro de um subordinado, mas seja como for, a realidade que nos é imposta é que em local de trabalho não há espaço para erros.

De fato, nenhum profissional quer errar, sabe que isso pode trazer sérias consequências para a empresa e consequentemente para sua carreira, mas os erros acontecem e quando você menos esperar, eles irão surgir!
E nesta hora, quando o erro aparece, não há muito que ser feito, a não ser tentar corrigir o erro e ver o que pode ser feito para que aquele erro não traga consequências desastrosas. Porém, todos nós precisamos descobrir que se pode aprender muito com os erros e que este aprendizado faz parte da vida, faz parte da carreira profissional e vai se tornar um diferencial em nossa vida.

O primeiro aprendizado que temos com o erro é descobrirmos que somos pessoas e, como tal, não somos perfeitos. Porque os profissionais buscam tanto o acerto, a perfeição, que acabam se esquecendo deste detalhe básico.

E como pessoas, nós erramos, nós aprendemos, nós esquecemos, nós precisamos contar com a ajuda de nossos colegas de trabalho, precisamos aprender a trabalhar em equipe, precisamos aprender a respeitar nossos limites e os limites de cada um de nossos colegas.

Outro importante aprendizado que os erros nos trazem é a descoberta dos verdadeiros amigos, aquelas pessoas com as quais realmente podemos contar. Porque quando erramos, muitos aparecem para criticar e condenar, mas quantos aparecem para nos dar o apoio necessário e ficam do nosso lado, nos ajudando a corrigir o erro? Então, da próxima vez que errar, olhe bem para os lados e veja quem, de fato, é seu amigo!
E com os erros, também podemos aprender a conhecer nossas capacidades. Quando erramos precisamos lidar com novos sentimentos, novas pressões para resolvermos o problema gerado pelo erro e neste processo vamos nos descobrindo mais capazes do que realmente achávamos.

Erros devem ser evitados, mas quando acontecem, também trazem aprendizado, crescimento, conhecimento, só precisamos ficar atentos para não deixar tudo isso passar despercebido.

Por Russel


Ter foco é o principal requisito para conseguir otimizar seus resultados.

Se você anda frustrado com os seus resultados, seja na vida profissional ou na vida pessoal, o que falta para você é foco. A vida moderna, às vezes, oferece algumas distrações que acabam desviando nossos objetivos e nos fazendo perder um tempo precioso, saiba como evitar que isso aconteça:

Deixe a TV e as redes sociais de lado: Já parou para pensar quanto tempo você perde nas redes sociais ou vendo TV? Mesmo que a desculpa seja que você não tem tempo para distrações, a verdade é que passamos muito mais tempo em contato com o computador de forma improdutiva. Tempo que poderia ser aproveitado para aprender coisas novas, ou se aperfeiçoar na sua profissão, por exemplo.

Leia mais: Livros, blogs e sites com matérias interessantes, são alguns exemplos de leituras que lhe ajudarão a ter melhores resultados na vida. Ao invés de gastar tempo com as notícias sobre famosos, por que não aproveitar o tempo livre e melhorar sua leitura em outro idioma, por exemplo? Uma mente produtiva é sinônimo de bons resultados.

Foque na solução: Passe tempo elaborando estratégias para que os seus resultados cheguem. Ao invés de focar no problema e no quanto vai ser difícil passar por ele, foque na saída e em como você pode aprender ao passar por esse problema.

Tenha pensamentos positivos: Foque naquilo que você quer e não no que você não quer que aconteça. Uma das melhores formas de otimizar seus resultados é ter pensamento fixo nos resultados positivos, naquilo que você persegue. Evite ficar pensando no que pode dar errado.

Cuide da alimentação e da saúde: Uma boa noite de sono, boa alimentação e exercícios físicos são a receita de sucesso para obter qualquer resultado.  Aquela falta de disposição que às vezes nos atinge, pode ser eliminada se seu corpo estiver preparado para momentos que exijam mais energia. Uma alimentação equilibrada e a prática de exercícios serão um fator diferencial para ter bons resultados nos diferentes setores de sua vida.

Por Patrícia Generoso


Funcionários que recebem a proposta de mudar de cidade para trabalhar devem ficar atentos aos seus direitos.

Para uma empresa transferir um funcionário de estado alguns fatores devem ser levados em conta: em primeiro lugar, o funcionário deve aceitar a transferência, ou então, segundo a legislação, acontecer a extinção do local onde o funcionário trabalhava anteriormente, quando o contrato de trabalho prever transferências, ou ainda quando o funcionário exercer função de confiança no trabalho.

O que o funcionário que recebeu a solicitação de mudança de local de trabalho deve fazer é verificar qual a natureza de sua transferência. Se esta for temporária e decorrer de uma cláusula de seu contrato de trabalho, ou se você ocupa um cargo de confiança no trabalho, a empresa deverá lhe pagar um adicional de deslocamento de no mínimo 25% de seu salário. A empresa também deve arcar com todos os custos de sua transferência, incluindo passagens aéreas ou terrestres e os transbordos até a sua nova residência. Esses custos estão previstos no artigo 470 da CLT.

É importante conhecer seus direitos, para que você não venha a ser transferido  de modo errado, ou então deixe de receber algum benefício.  Vale lembrar que mesmo que a lei preveja benefícios como o deslocamento e o adicional para os funcionários que mudarem de local de trabalho, a última palavra deve ser a do trabalhador. É importante negociar as condições em que a sua transferência se dará.

Conversar com seu empregador e chegar a uma conclusão sobre qual a melhor solução para as duas partes é a melhor opção a se fazer nessas horas. A lei sempre está do lado do trabalhador. Basta buscar na legislação vigente, seus direitos e deveres.  Mudar de residência, mesmo que seja temporariamente deve ser uma decisão bem pensada e todos os possíveis desdobramentos desse acontecimento devem ser levados em conta pela empresa. O funcionário tem todo o direito de recusar a proposta, se esta não for amparada pela lei.

Por Patrícia Generoso


Planejamento e organização são os segredos para lhe ajudar a melhor gerenciar seu tempo no trabalho.

O segredo para gerenciar melhor o seu dia a dia no trabalho é "Planejamento" e "Organização", nestas duas plataformas se resumem todos os métodos hoje disponíveis que vão lhe ajudar a encontrar mais tempo para o seu trabalho, veja só:

– Manter a mesa limpa e organizada é fundamental para que seu dia tenha mais rendimento. E da mesma forma que no trabalho devemos manter organizada a mesa e as gavetas, também precisamos manter organizado o computador que utilizamos na empresa, criando pastas de fácil identificação para salvar os arquivos de forma que possamos encontrá-los rapidamente, quando precisarmos.

– Quem aprende a gerenciar o seu tempo consegue ver o trabalho fluindo melhor, por isso, determine um tempo médio a ser gasto em suas muitas atividades no decorrer do dia, lembrando-se sempre das pendências do dia anterior que ficaram para serem resolvidas hoje e sempre comece por aquilo que é prioridade.
– É normal que no final do dia, estejamos mais cansados, então a dica é fazer primeiro as tarefas mais demoradas, mais difíceis, deixando as mais rápidas e fáceis para o finalzinho do expediente.

– Ficar adiando uma tarefa chata, que você não goste, não resolve nada e você vai ficar com aquela sensação de que tem algo difícil para ser feito ainda e isso pode atrapalhar sua concentração no trabalho. Faça o que tem que ser feito, evite ficar adiando tarefas e quando alguma precisar ser prorrogada estipule um prazo para que ela seja cumprida.

– A tecnologia chegou para facilitar nossa vida, só que vem roubando o tempo dos trabalhadores, mas a culpa não é da tecnologia, é nossa, pois não sabemos gerenciar nossos afazeres. Estipule horários para consultar e responder seus e-mails e acessar redes sociais durante o horário de trabalho, apenas se fizer parte do seu trabalho, do contrário, deixe as redes sociais para o horário de almoço ou após o expediente.

E lembre-se que o cansaço, fadiga, estresse, tudo isso “suga” nossa disposição, rouba nosso ânimo, impede nosso rendimento no trabalho.

Invista em uma boa noite de sono, alimente-se de forma adequada e procure fazer alguma atividade física ou pratique um esporte que goste, pois tudo isso irá resultar em maior disposição para o trabalho, ajudando-lhe a melhor gerenciar o seu dia a dia.

Por Russel


Alguns colegas de trabalho possuem perfis irritantes e acabam atrapalhando o ambiente de trabalho.

O ambiente de trabalho pode te trazer problemas mesmo que você cumpra todas as suas tarefas e possua um chefe muito bom. Existem alguns perfis de colegas de trabalho que são responsáveis por tirar do sério grande parte de seus colegas. Conheça alguns dos mais irritantes:

Barulhentos: Falam alto ao celular, conversam em tom alto e atrapalham a concentração no ambiente de trabalho. Para evitar ser esse tipo de colega, considere conversar em locais reservados e usar fones de ouvido ao conversar ao celular. Fique sempre atento ao tom de sua voz no ambiente de trabalho.

Fofoqueiros: Amigos “leva e traz” além de serem extremamente desagradáveis podem colocar sua carreira em risco. É preciso estar atento quando conversar com esse perfil, para não fornecer material para as fofocas.

Ritmistas e cantores: Todos estão concentrados em suas tarefas e de repente um colega de trabalho começa a batucar na mesa e cantar alto. Nada mais irritante e antiprofissional. Manifestações de alegria no ambiente de trabalho não devem ser tão enfáticas  a ponto de irritar os outros colegas.

Bagunceiros: Sua mesa de trabalho é invadida por itens do colega ao lado, de repente ele está ocupando toda a sua estação de trabalho com seus itens pessoais e o seu espaço acaba reduzido a praticamente nada. Se perceber que seu vizinho de mesa está invadindo seu espaço, seja educado e peça para que ele retire seus pertences de cima da sua mesa.

O rei do bullying: Piadinhas sem graça, preconceituosas e ofensivas são sua especialidade. É preciso estar atento para não ir na onda do engraçadinho e acabar ofendendo um outro amigo de trabalho sem querer. É melhor evitar dar ouvidos aos gracejos, para um bom relacionamento no ambiente de trabalho.

Reclamões e ranzinzas: Colegas pessimistas, que reclamam de tudo e nunca estão satisfeitos com qualquer mudança. Esse tipo de colega além de irritante é um perigo para o andamento do trabalho. Tenha cuidado para não se contaminar com o “vírus do pessimismo” desses perfis.

Por Patrícia Generoso


Tendo algumas atitudes é possível evitar ser um procrastinador e executar as tarefas de maneira satisfatória.

Nem sempre fazer alguma atividade desperta o interesse e acabamos deixando para depois. Outras coisas parecem ser mais interessantes do que os estudos ou o trabalho e é aí que a procrastinação toma conta. Para evitá-la é importante entender o motivo de determinadas coisas que tiram a vontade de desempenhá-las e só aí procurar uma forma de desenvolver suas tarefas ou resolver seus problemas de forma mais eficiente.

Para evitar a procrastinação o ideal é dividir o tempo em períodos menores, principalmente quando tem o hábito de aumentar o prazo das tarefas quando tem muitas. É um erro comum, sobretudo quando temos um prazo longo para terminá-lo e só nos preocupamos com ele quando falta pouco tempo para resolver as questões que o envolvem. Quando o período é menor, a tendência é nos vermos obrigados a concluir tudo o quanto antes. Se possível seja mais rigoroso com os prazos, determinando horários mais curtos para completar as tarefas.

Seja organizado, colocando todas as tarefas e prazos em um só lugar, como agenda, mural, aplicativo para celular ou computador. O que não pode é deixar de transcrever as tarefas e o prazo para concluí-la. O ideal é ser sempre sensato, determinar prazos que pode cumprir se esforçar um pouco mais, contudo deve estar dentro das suas aptidões e possibilidades. Objetivos difíceis de realizar no tempo determinado podem desencorajá-lo.

Elimine as distrações. Pode parecer vago, mas é algo que funciona, sobretudo quando você sabe identificar o que lhe distrai. O último passo é determinar recompensas para quando conseguir concluir suas tarefas e elas podem estar ligadas às distrações. Exemplo: se costuma passar muito tempo nas redes sociais, determine ver um perfil ou as novidades da timeline apenas quando concluir partes da tarefa ou ela toda. Classifique as tarefas e as recompensas para ter resultados mais favoráveis.

Sempre que possível, modifique seus ares, mude de ambiente, principalmente quando o lugar cria um ambiente favorável à procrastinação. Quando as tarefas permitirem, procure um novo lugar, como biblioteca ou mesmo ao ar livre. Se puder, adote sistemas de parceria para conseguir concluir a tarefa ou fique próximo a pessoas proativas, que tendem a vencer a procrastinação. Tome essas pessoas como exemplo e se puder, pergunte como elas fazem para manter as tarefas em dia. 

Por Ana Rosa Martins Rocha


Ser prestativo e procurar ajudar quando puder são dicas para manter uma boa relação com sua networking.

Quando vamos criar ou ampliar nossa networking sabemos que entre outras coisas, teremos que ter um sorriso no rosto, ser simpáticos e até elogiar se for preciso, para conseguirmos nos aproximar de colegas de trabalho, superiores, fornecedores e outros profissionais de um modo geral.

Querendo ou não, a construção de nossa networking é feita com segundas intenções, afinal, é para isso que funciona uma networking, para nos socorrer quando precisarmos.

Acontece que este conceito não é 100% correto, porque de fato, a networking é uma ótima forma de obtermos ajuda quando precisamos, mas também é um excelente meio de ajudarmos, por isso, a principal dica para se fazer uma networking sem culpa é procurar ajudar, sempre que possível, a sua rede de contatos.
E mesmo que, no momento, ninguém esteja precisando de uma ajuda específica, você deve manter sua networking viva, com informações constantes. Isso não significa que você tenha que enviar dicas e sugestões o tempo todo, isso não é o certo e pode até incomodar seus contatos, mas se você ficou sabendo de um bom emprego que possa interessar alguém de sua rede de contatos, divulgue esta oportunidade em sua networking informando tudo a respeito do cargo.

Desta forma, você será visto por todos como um profissional prestativo, atencioso, que está sempre buscando ajudar e compartilhar informações, assim, quando precisar, você poderá recorrer sem culpa à sua networking.

A networking funciona como uma troca de gentilezas, de informações, de oportunidades. Quem fica “enchendo” sua networking de contatos na esperança de ter uma garantia quando o pior acontecer em sua carreira, certamente vai ter este sentimento de “culpa” quando recorrer aos contatos em busca de um auxílio.
Mas o profissional que está sempre doando um pouco de si para ajudar os membros de networking, mesmo que seja com informações sobre cursos profissionalizantes ou palestras, sabe que no momento que mais precisar, sua networking estará pronta para lhe ajudar e com imenso prazer, pois ele já  é visto há um bom tempo por todos, como um profissional digno que se lembra dos colegas não apenas nos momentos de dificuldade.

Por Russel


Falta de equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, pressão em excesso e chefes mal preparados tiram a qualidade de vida dos profissionais no ambiente de trabalho.

Não há a menor dúvida de que o que mais estraga a qualidade de vida dos profissionais brasileiros são os chefes, mas isso não significa que são aqueles chefes que pegam no pé do funcionário e não lhe dão folga para nada, pelo contrário, os profissionais reclamam dos chefes que são "fracos", que não trazem novidades para a empresa, não buscam novos mercados, não reúnem a equipe para um plano estratégico, ou seja, os profissionais reclamam do chefe hoje em dia, porque querem trabalhar, crescer, ver a empresa prosperar, mas o chefe acaba travando todo este processo.

Quando se tem um chefe focado no crescimento da empresa como um todo, os funcionários poderão fazer planos, traçar metas, sonhar com novas possibilidades e claro, garantir uma qualidade de vida melhor.
Mas não são apenas os chefes fracos que têm tirado o sono dos bons profissionais, há outras causas impedindo a busca por uma melhor qualidade de vida, por exemplo, a falta de um equilíbrio entre a vida profissional e pessoal.

Levar serviço para casa não é nenhuma novidade, aliás, é uma prática muito antiga, mas com o avanço da tecnologia, atualmente as empresas se fazem presentes na vida do funcionário quase que em tempo integral. Fora do horário de trabalho os profissionais precisam ficar conectados o tempo todo para conferirem e-mail ou mensagens no celular, pois a empresa pode estar lhes enviando algum comunicado mais urgente.

E tem o fato ainda de que com concorrência cada vez maior, os profissionais estão tendo que se dedicar cada vez mais ao trabalho e isso, claro, tem roubado o tempo que antes era dedicado ao descanso, convívio com a família, um futebol com os amigos, uma ida ao supermercado, ao salão, ao shopping, algum reparo na residência, maior convivência com os filhos, tudo isso tem dado lugar ao trabalho e a qualidade de vida, claro, vai caindo em disparada.

Por último, um dos fatores que mais contribuem para a queda de qualidade de vida dos profissionais é a pressão em excesso.

No atual cenário, nenhum profissional espera que seja diferente no ambiente de trabalho, a pressão faz parte do dia a dia de todos, mas tudo em excesso é prejudicial e quando este excesso é uma pressão feita no trabalho por mais e melhores resultados, tende a desmotivar o profissional e o resultado pode ser justamente o contrário para a empresa.

Sempre que o profissional detectar algo no trabalho que o impeça de crescer profissionalmente, contribuir com o crescimento da empresa e compromete sua qualidade de vida, o melhor caminho é o do diálogo, pois esperar que as coisas mudem sem levar ao conhecimento dos seus superiores a sua insatisfação com a empresa, poderá gerar prejuízos para ambos, patrões e empregados.

Por Russel


As mulheres não devem ter medo de ser ambiciosas, devem se conhecer bem, e saber que também estão sujeitos a falhas.

As mulheres conquistaram seu espaço no mercado de trabalho, mas muitas ainda não se sentem confiantes e isso é prejudicial tanto para a empresa quanto para ela mesma que acaba perdendo a chance de aprender cada vez mais e crescer profissionalmente.

Mas, com estas dicas abaixo, certamente as mulheres se sentirão muito mais confiantes no ambiente de trabalho!

O primeiro passo é não ter medo de ser ambiciosa. Até hoje existe aquele pensamento que no trabalho, o homem é que deve ser audacioso, se arriscar, buscar novos mercados, tentar novidades, tudo isso é uma grande bobeira e até uma forma de manter as mulheres longe das boas oportunidades, por isso, não tenha medo de se mostrar uma mulher audaciosa, que se arrisca, que tem atitude e sabe se posicionar para defender seus argumentos.

A ambição é um dos principais requisitos para todo profissional crescer profissionalmente, então não se deixe convencer do contrário, seja ambiciosa sim, pois isso não é nenhum defeito, muito pelo contrário, é uma qualidade que encontramos nos melhores profissionais.

Outra dica para toda mulher se sentir mais confiante no trabalho é se conhecer bem, sabendo quais são seus pontos fortes e também os seus pontos fracos, assim a mulher sempre estará confiante quando der um passo dentro da empresa, pois sabe qual é o seu limite, até onde ela pode ir e até quando é possível arriscar.

Geralmente, as mulheres são mais seguras, sabem lidar melhor com os problemas, principalmente aquelas emergências que surgem quando menos esperamos. Mas é preciso que você se conheça melhor, tenha noção de todas as suas qualidades, suas capacidades, para aí sim, assumir uma postura de confiança em suas tarefas diárias.

O perfeccionismo é uma meta que todo profissional tenta alcançar e isso é bom para ajudá-lo a melhorar sempre, mas o perfeccionismo não existe, pois somos seres humanos e como tais, estamos sujeitos às falhas e imperfeições. Se você for uma profissional muito perfeccionista vai acabar se decepcionando com você mesma, pois vai se cobrar além da sua capacidade. Por isso, conheça seus limites, busque sempre fazer o melhor, mas sabendo que erros acontecem, que você não é perfeita, pois isso ajudará você no dia a dia a se sentir mais confiante, pois continuará buscando sempre oferecer o melhor de si à empresa, mas sabendo que como todas as pessoas, você também tem suas limitações.

Procure se superar sempre, mas quando não conseguir, relaxe, faça um balanço de sua vida profissional com humildade, mas também valorizando seus pontos fortes, suas qualidades, isto faz bem para o ego e dá uma boa reforçada na confiança!

Por Russel


O momento certo pode ser considerado aquele em que seus pensamentos sobre o assunto já estão maduros o suficiente para saber se está feliz ou não com suas atividades atuais e se tem vontade de procuras novas atividades.

Para muitos, procurar novas atividades pode ser considerado uma coisa perigosa, uma mudança drástica que pode fazer tudo em sua vida mudar. Mas até que ponto isso é negativo ou positivo? A primeira coisa a se pensar é se você costuma refletir sobre isso, você sente vontade de procurar novas atividades? E se sim, por quê? Está feliz ou infeliz com suas atividades atuais?

Essas perguntas são essências para chegarmos a alguma conclusão sobre qual o momento certo de procurar novas atividades. O momento certo pode ser considerado aquele em que seus pensamentos sobre o assunto já estão maduros o suficiente, quando as duas perguntas acima já estão claramente respondidas em sua cabeça.

O grande problema é perceber se você realmente precisa de mudanças ou só quer fugir do que não está gostando em sua vida. Mudar de área no mercado de trabalho ou apenas trocar um emprego pode ser considerado uma loucura para alguns, mas para outros pode ser a salvação. Reflita sobre o momento em que está vivendo e se você precisa procurar novas atividades.

A motivação para isso pode estar em seus objetivos, se você já conquistou tudo que podia em determinada área e quer novas atividades para ter novas metas e objetivos, isso é um bom sinal, diferente de alguém que deixa suas atividades pela metade apenas por não conseguir progredir com suas metas.

Não há problemas em mudar se você não está satisfeito com que está fazendo, na verdade, nesses casos as mudanças são mais do que positivas e com certeza você será apoiado por quem está ao seu redor, ninguém quer ver alguém que gosta infeliz. Apenas saiba responder as perguntas que faz para você mesmo e seja sincero, para ter de forma clara na sua mente, quais são seus verdadeiros objetivos e o que você realmente quer fazer de sua vida.

Por Tom Vitor de Freitas


Segundo os autores Curt Coffman e Marcus Buckingham, habilidades são aprendidas, enquanto talento não pode ser ensinado.

A sociedade moderna se utiliza de muitas ferramentas de aprendizado, algumas passíveis de classificação e outras apenas adquiridas por conta da vivência. Basicamente dividimos as qualificações humanas em habilidade, conhecimento e, porque não, talento? São aspectos diferentes que complementam as características de um indivíduo e que são determinantes para sua vivência no contexto de sociedade em que está inserido. Segundo os autores Curt Coffman e Marcus Buckingham no livro "FIRST BREAK ALL THE RULES" habilidades são aprendidas, enquanto talento não pode ser ensinado.

O conhecimento diz respeito ao que o indivíduo sabe, podendo ser algo tangível, como conhecer as praias do Rio de Janeiro, as regras da Trigonometria (regra da Matemática que estuda os triângulos) ou menos tangível, como as tarefas que se aprende com a experiência. O conhecimento é algo que se aprende, que se acumula durante o tempo, podendo este ser adquirido pelo contato com os pais, escolas, por meio de livros, internet e outras fontes.

O conceito de habilidade envolve tarefas, ou seja, algo que o indivíduo tem a capacidade de realizar. Geralmente ligada ao conhecimento, as habilidades dizem respeito ao que o indivíduo sabe fazer, ou seja, quais tarefas ele consegue desempenhar que são frutos do conhecimento prévio mais a experiência. O indivíduo pode até ter o conhecimento em determinada área, mas se não tiver contato com ela, ter uma vivência, dificilmente terá a habilidade de realizar a tarefa com perfeição. Um exemplo de habilidade é a de um músico que aprende as notas e depois aprende a tocar. Aprender as notas é conhecimento e a prática de tocá-lo é a habilidade.

O talento já é algo que define o padrão de ideias, de sentimento ou como o indivíduo age. É a facilidade e a possibilidade dele se destacar por conta de uma habilidade maior ou maior facilidade em aprender. Partindo o exemplo do músico: existem diferentes músicos, mas apenas alguns conseguem alcançar notas mais difíceis e tocar músicas mais complicadas. O talento será a capacidade de sintetizar o conhecimento com a habilidade, garantindo um resultado surpreendente. 

Por Ana Rosa Martins Rocha


O cérebro precisa ser estimulado e exercitado, fazendo isso é possível ter ótimos resultados no trabalho.

Exercitar a mente é uma ótima forma de garantir um melhor desempenho para o seu cérebro e a boa notícia é que isso pode ser feito facilmente, no seu dia a dia, bastando que você tenha algumas novas atitudes.

Mas, primeiro, é bom saber que há várias formas de estimular o cérebro para conseguir melhor desempenho e o que é ideal para uma pessoa pode não funcionar em outras, então é bom conhecer todas as possibilidades e ir testando-as para ver qual delas vai lhe ajudar de fato.

Um bom exemplo está na afirmativa de que o relaxamento estimula o cérebro. Muitos são os casos de pessoas que tentaram por um bom tempo resolver um problema e não conseguiram. Quando deixaram o problema de lado e saíram, ou seja, quando relaxaram o cérebro, a solução veio como que por um passe de mágica. Então, uma dica é não se descuidar do descanso. Uma boa noite de sono, uma vida menos estressada e o lazer diário devem ser prioridade.

Mas tem as pessoas que parecem funcionar justamente ao contrário. Tem profissional ou empreendedor que passa anos tentando encontrar uma forma de crescer na carreira, mas não consegue. Subitamente este profissional perde o emprego, as dívidas vão se acumulando, a pessoa está quase se desesperando e então encontra uma solução que vai lhe garantir muito sucesso, vindo a ganhar até mais do que recebia antes. Bastou fazer um pouco mais de "pressão" para o cérebro mostrar do que é realmente capaz.

Outra dica interessante para melhorar o desempenho do seu cérebro é fazer coisas diferentes. Basta sairmos da rotina para que nosso cérebro se encontre diante de vários desafios e seja estimulado de várias formas. E veja como é simples:

– Mude o caminho na hora de ir para a escola ou para o trabalho;

– Aprenda a jogar um jogo diferente: dama, xadrez, dominó ou mesmo um game;

– Pratique um esporte diferente do que você gosta;

– Leia livros de temas variados: romance, suspense, biografia, entre outros;

– Converse com pessoas diferentes, faça novas amizades;

– Visite lugares que ainda não conhece: museus, zoológico, parques, bibliotecas, pontos turísticos, praças, etc.

Procure observar quais são os momentos do dia em que você costuma ter as melhores ideias. Algumas pessoas pensam melhor de “barriga cheia”, ou seja, depois do almoço e isso é comprovado cientificamente, pois o cérebro funciona melhor quando estamos bem nutridos.

Tenha uma alimentação saudável, viva a vida com menos estresse, faça atividade física e busque sempre novidades, mantendo o seu cérebro sempre ativo para garantir o melhor desempenho possível na hora que precisar.

Por Russel


Para ter uma carreira bem sucedida é preciso investir na inteligência emocional.

Investir na sua inteligência emocional não é nada fácil, mas é possível e necessário. Pode ser um ponto bastante importante para construir uma carreira bem sucedida. Suas emoções podem ajudar você no trabalho, mas também podem atrapalhar. Então foque naquilo que pode te ajudar a subir na carreira e não o contrário. Controle suas emoção e suba mais degraus de reconhecimento.

Controlar as emoções é pensar antes de agir, antes de falar. Elaborar estratégias antes de impulsos. Ponderar os pós e os contras de determinadas atitudes antes de executá-las. É estar preparado para quando as coisas não saem exatamente conforme planejamos, e ter discernimento para pensar rápido, sem perder o foco da situação.

As emoções são nossos guias, até mesmo quando priorizamos o uso da razão, nesse momento temos a frieza de deixar as emoções de lado. Frieza? Isso não seria um tipo de emoção?

Desenvolver sua inteligência emocional facilita também o entendimento das emoções alheias, dos seus colegas de trabalho.

Não Sabe como fazer isso, vejamos alguns pontos importantes para serem pensados:

– Atente-se para suas reações, raiva, impulso, choro, frieza, entre tantos outros.

– Desenvolva algum método para acalmar-se a si mesmo, evitando conflitos ou apaziguando-os.

– Ensaiar situações mentalmente pode ajudar, em apresentação em público, por exemplo. Ensaiar na frente do espelho, por exemplo, ajuda, não é lenda.

– Fale de forma clara, pausadamente, em um tom agradável para seus ouvintes, sejam eles um único colega de trabalho ou uma plateia inteira. Curso de como falar em público, ou teatro ajudam no desenvolvimento desse tipo de comportamento.

Se você é um líder, é mais importante ainda controlar suas emoções. Passar confiança e conhecimento para seus subordinados lhe dão respeito, credibilidade e, consequentemente, autoconfiança, motivação.

Por fim, educação, ser educado, independente do nível hierárquico que você ocupa, é fundamental em todas as áreas da vida, não somente na carreira. Assim, você pode crescer profissionalmente e pessoalmente.

Por Vivian Schetini


Evitar se envolver em fofocas demonstra maturidade profissional.

A fofoca no ambiente de trabalho pode acabar com sua carreira profissional, por isso, tome muito cuidado! O que parece ser uma simples fofoca, algo inofensivo, pode vir a se tornar um grande problema.
E até um comentário negativo, feito com terceiros, pode se transformar em uma grande fofoca, com proporções inimagináveis, por isso, é bom tomar cuidado e fazer de tudo para se livrar da fofoca.

É claro que o primeiro passo para se livrar da fofoca é não ser um fofoqueiro, mas isso só não basta porque no ambiente de trabalho você está cercado por pessoas que vão te procurar para fofocar um pouco e muitas vezes a fofoca chega disfarçada de comentários sem maldade, por isso, tão importante quanto não fofocar é evitar se envolver com fofocas.

Se viu um grupo falando mais baixo, cuidado, é fofoca! Não se aproxime, mantenha-se concentrado no seu trabalho. Faça de tudo para não ouvir as fofocas que rondam pelos corredores da empresa e se ouvi-las não as passe adiante.

Não passar a fofoca adiante é algo muito importante que devemos aprender no ambiente de trabalho, porque por mais que você tente, uma fofoca ou outra sempre vai chegar aos seus ouvidos. Nesta hora você deve ter duas atitudes:

1º) Não se renda o assunto, procure cortar a conversa com delicadeza, educação, mas com firmeza, deixando bem claro que isso não faz parte de sua personalidade.

2º) O que quer que tenha ouvido, guarde só para você e se alguém lhe perguntar o que fulano estava comentando com você, diga que é apenas uma conversa sem muita utilidade e o melhor a ser feito é esquecê-la.
Dependendo da gravidade da fofoca que chegar aos seus ouvidos, claro que você terá que tomar uma atitude, mas não sem antes procurar conversar com as pessoas envolvidas e ouvir todas as partes.
Isso não é fofoca e muito menos se envolver onde não é chamado, isso é maturidade profissional. Alguém lhe diz algo grave, que envolve o desenrolar do trabalho dentro da empresa, você faz uma averiguação, ouve todos envolvidos e toma uma atitude.

Procure agir desta forma quando perceber que a fofoca está afetando o trabalho, que o objetivo da empresa está sendo deixado de lado ou sendo prejudicado.

Seja transparente em suas conversas, evite segredinhos e haja como um profissional sério, capaz de lidar com os problemas, sem precisar recorrer às fofocas que envenenam o ambiente de trabalho.

Por Russel


É preciso ter discernimento para saber quando dizer Não no ambiente de trabalho. Algumas situações devem ser bem analisadas antes.

No ambiente de trabalho, geralmente é bem mais fácil dizer “sim” ou concordar com as pessoas do que dizer “não”. Sabemos que responder positivamente ou concordar com algo que no fundo não é passível de acordo revela uma das nossas facetas mais evidentes: somos dotados da capacidade estranha de fingir. Fingimos estar bem, quando não estamos; fingimos gostar quando não gostamos; fingimos amar quando sequer suportamos o próximo; fingimos até mesmo parecer, quando parecemos fingir.  

Mas o fato é que necessitamos cada vez mais exercitar nas relações de trabalho aquele importantíssimo dom, que é o de saber dizer NÃO. Ou pelo menos tentar dizê-lo nos momentos em que mais se precisa.   

Não se trata de uma tarefa confortável, ainda mais quando nos receamos muito em deixar uma má impressão nas pessoas.  Contudo, entre permanecer acobertando para nós mesmos o nosso lado “menos gentil” e ser sincero conosco e com os outros, a preferência mais acertada é pela última opção. Afinal, aprender a equilibrar a nossa franqueza nas relações interpessoais é uma grande oportunidade que temos de ser mais éticos.   

Como fazer para dizer “não”, então?  

A primeira dica é aprender a dizer não para os seus superiores imediatos. Sabe aquele momento em que um dos seus chefes insiste em querer que você trabalhe no fim de semana?  Use essa oportunidade para convencê-lo de que seu fim de semana estará preenchido com afazeres inadiáveis, como por exemplo, visitar a mãe, fazer aquele passeio já prometido há semanas para a esposa ou os filhos. O objetivo aqui não é simplesmente inventar mentiras para não fazer horas extras, mas aprender a aproveitar e valorizar seus momentos de folga.

A segunda orientação está direcionada para aquelesprofissionais aos quais certos colegas insistem em pedir favores, tais como trocas de turnos e trocas de folgas. A mesma estratégia anterior ainda é válida: o trabalhador pode alegar que está estudando para um concurso, por exemplo, em um cursinho, ou mesmo que já tinha compromissos programados para aquele dia ou folga, junto com a família. O problema nesse caso é que determinadas negativas entre colegas de trabalho acabam se tornando muitas vezes um “tiro no pé”, pois um dia quem precisará de certos favores será a pessoa que disse “não”. Portanto, aja com prudência quando precisar dizer que não pode atender ao pedido.  Por isso, não se deve abusar dos subterfúgios. A melhor forma de contornar isso é falando a verdade.   

Em terceiro e último lugar, é preciso conhecer com relativa precisão para qual tipo de colega de trabalho estamos dizendo “não”. Não seja ingrato com companheiros que já lhe ajudaram em momentos  de apuros. Há pessoas, por exemplo, que indicam outras para ocupar vagas de empregos, mas quando aquelas precisam daquelas que foram ajudadas, recebem um NÃO desconsolador! Saiba reconhecer o valor que as pessoas têm ou não têm para a sua vida. Saiba também que o “não” não deve ser a única resposta que sai de sua boca, sob pena de se acabar adquirindo uma imagem negativa que com certeza lhe prejudicará lá na frente.

Por Alberto Vicente


Tendo autoconhecimento e descobrindo qual o seu talento, é possível se transformar e mudar as coisas ao seu redor.

Qual é o seu talento? Já parou para pensar nisso? Descobrir o que você faz de melhor pode mudar a sua vida, sabia? Conhecendo o seu talento, você tem a capacidade de se transformar e mudar as coisas ao seu redor. Todos nós temos talentos diferentes, que tal ficar por dentro de algumas dicas para descobrir os seus?

– Experimente o seu sonho!

Como saber se você tem talento para a música, por exemplo? Cantando! Desta forma, experimente e vivencie o que você gosta. Desta forma, vai saber se tem talento ou se precisa aperfeiçoá-lo, ou, talvez, mudar de direção. Acrescente experiências na sua vida e vivencie os seus sonhos.

– O que você faz com facilidade?

Existe alguma tarefa que você realiza com facilidade? Que tal começar a prestar atenção nas coisas ao seu redor? Faça uma observação de si mesmo no trabalho ou realizando pequenas atividades do cotidiano. Ao descobrir uma tarefa que faz com facilidade, pode significar que você descobriu um talento.  

– Na infância, o que você queria ser?

Quando era criança o que desejava ser quando crescer? Bombeiro, astronauta ou veterinário? Os seus valores podem estar ligados nas coisas que sonhava durante a infância. Desta forma, você pode tentar descobrir algum talento que esteja ligado nas profissões, por exemplo. Que tal fazer uma reflexão para descobrir?

– Pratique e vivencie!

Descobriu o seu talento pessoal? Independente de tudo é preciso praticar e vivenciar. O sucesso é conseguido com muito empenho, determinação e força de vontade. Por isso, se você descobriu algum talento, que tal investir nele? A excelência pode ser conseguida e só depende de você e do seu esforço pessoal para atingi-lo.

Portanto, coloque o seu talento em prática e tenha a oportunidade de vivenciá-lo. A vida ficará muito mais prazerosa. Não tenha medo de lutar pelos seus sonhos e objetivos. Confie em si e dedique-se dando o seu melhor, sempre.

Você tem algum talento especial? Conte para a gente!

Por Babi


Todos os funcionários de uma empresa devem ter etiqueta empresarial e para isso é preciso saber tudo o que a engloba.

A Etiqueta Empresarial reúne formas de relacionamento entre as pessoas que trabalham em uma empresa ou empresas diferentes, para que o convívio possa ser saudável e todos possam ajudar na construção favorável ao convívio profissional.

Infelizmente são poucas as empresas que levam o assunto a sério, mas naquelas onde a etiqueta empresarial foi implantada, existe a certeza de que todos contam com um bom relacionamento e a empresa pode pensar de forma mais concreta no seu crescimento e também no crescimento de seus colaboradores.
Boa parte das demissões que ocorrem nas empresas se dá pela dificuldade de relacionamento entre os funcionários e isso é prejudicial tanto para a empresa que acaba perdendo bons profissionais como também para o próprio funcionário que terá que buscar uma nova oportunidade no mercado de trabalho.

A etiqueta empresarial deve ser uma realidade para todos, desde os diretores executivos até o office boy, a recepcionista, o setor comercial, o marketing, a produção, enfim, todos devem estar envolvidos neste propósito de adotar determinadas posturas para o bom convívio social no ambiente de trabalho.

Mas se engana quem pensa que etiqueta social está restrita à forma como nos dirigimos às outras pessoas, claro que é preciso aprender a conversar com nossos superiores e subordinados na empresa, mas a etiqueta profissional abrange vários outros fatores, por exemplo:

– é preciso ser pontual em tudo, tanto para chegar ao trabalho, como para entregar os projetos, comparecer a uma reunião, no horário do cafezinho, pois a pontualidade faz com que a empresa funcione melhor;
– o vestuário também faz parte da etiqueta social e cada funcionário deve se vestir conforme o seu cargo, mas independente da função que ocupa na empresa, todos deve cuidar do cabelo, unhas, roupas e calçados limpos, além de tomar os devidos cuidados com a higiene pessoal;

– pedir licença sempre que chegar a um local seja qual for e cumprimentar a todos ali presentes;

– conversar educadamente com todos os funcionários, sempre olhando nos olhos, prestando atenção na conversa, evitando distrações;

– ter uma boa postura no seu local de trabalho, não se sentar de qualquer forma, nem sentar-se à mesa;

– manter o ambiente de trabalho sempre limpo e organizado.

Essas são apenas algumas das etiquetas empresariais, mas as empresas que adotam esta postura têm seu código de ética e este deverá ser seguido.

Então, procure saber se na empresa onde trabalha ou vai trabalha, há uma relação indicando as principais e mais valorizadas posturas pela empresa e siga-as à risca.

Mesmo que outros não sigam a etiqueta empresarial, você deve fazer sua parte e quem sabe, a partir do seu exemplo, outros adotaram novas posturas e isso irá beneficiar a todos.

Por Russel


Ser resiliente significa encarar o problema de frente, com confiança, tirando os ensinamentos positivos dele.

Competitividade, instabilidade econômica e tantas cobranças no ambiente de trabalho fazem com que o emocional dos profissionais seja testado a todo momento. Por isso, uma competência tem sido cada vez mais cobrada no meio organizacional: a resiliência. Você sabe o que significa esta palavra?

Um profissional resiliente é aquele que identifica o problema, encarando de frente a situação com confiança. É aquele que tem uma postura proativa diante das dificuldades, e consegue ainda  se fortalecer a partir das experiências vividas nesses momentos de crise. Alguns comparam a resiliência a uma mola: o profissional é pressionado e dali tira o impulso para crescer profissionalmente. 

A coisa mais importante atualmente no mercado é obter bons resultados, e por isso o profissional resiliente é tão procurado. Conseguir fazer “mais com menos”, explorar diferentes possibilidades para solucionar um mesmo problema e estar sempre antenado com os acontecimentos da empresa fazem com que o profissional seja uma peça essencial para a empresa. Por esses motivos a resiliência tem sido uma das maiores exigências nas seleções de emprego.

Um profissional que foca não no problema, mas na resolução deste, e põe a mão na massa para que esta solução seja viável, com certeza vai ser muito mais valorizado do que os demais. É preciso estar atento para desenvolver essa capacidade.

Se você tem dúvidas se é um profissional com esse perfil, basta analisar sua postura diante de problemas. Se você se abala diante deles e não consegue trabalhar para sair da situação difícil precisa ainda trabalhar essa qualidade profissional.  Ser um profissional resiliente não é difícil, é questão de boa vontade e de entrega ao trabalho.

Algumas características devem ser trabalhadas para que você se torne um profissional resiliente, como a sociabilidade, a reflexão, o otimismo e a independência, mas o maior formador de um perfil resiliente ainda é a experiência: passar por momentos de crise, tirando o melhor proveito desses momentos.

Por Patrícia Generoso


O que o recrutador quer saber é se o candidato se conhece bem, se é coerente e se sabe de seu potencial.

Conseguir êxito em uma entrevista de emprego é sempre um desafio para qualquer profissional e para a grande maioria, o grande problema está quando o recrutador pede para que o entrevistado aponte seus defeitos. Nesta hora, o candidato se sente acuado, com medo de falar sobre seus pontos fracos e assim ser reprovado.

Mas o problema pode estar justamente quando ocorre o contrário, ou seja, quando o recrutador pede que o entrevistado fale dos seus pontos positivos. E a situação pode piorar ainda mais, quando o candidato à vaga acha que esta é a hora em que ele tem a oportunidade de garantir a vaga desejada e aí dispara a falar e começa a aumentar e em alguns casos, até inventar qualidades as quais não possui.

Toda empresa valoriza o autoconhecimento, o recrutador quer saber se você conhece a si mesmo, se tem noção do seu potencial e o que seria capaz de fazer dentro da empresa.

Na hora de falar dos seus pontos positivos, basta uma palavra em falso para colocar tudo a perder, por exemplo, não adianta você dizer na entrevista que sabe trabalhar em equipe e na hora de falar suas qualidades, dizer apenas o que você é capaz de fazer sozinho.

Ao falar de seus pontos positivos é preciso, acima de tudo, coerência!

Geralmente, o entrevistador procura te conhecer um pouco, saber onde trabalhou, porque deixou o emprego, pergunta sobre sua experiência profissional e mais para o final da entrevista ele pedirá a você para citar seus pontos positivos justamente para ver se há coerência entre o que você diz.

Então, tome muito cuidado quando for solicitado a falar de suas qualidades! Você não pode perder esta oportunidade, afinal estará fazendo o seu marketing e isso é importantíssimo, mas tenha muita cautela com o que vai falar, evite os exageros e jamais minta!

Ao questionar sobre suas qualidades, o entrevistador só quer saber quais são os seus limites e todas as pessoas têm limitações. Algumas não conseguem falar em público, outras não dominam um segundo idioma, então não queira se mostrar perfeito, porque isso não existe.

Lembre-se que você já incluiu no seu currículo as suas qualidades, sua capacidade, então tudo o que você tem a fazer é ser natural, sincero e citar com suas palavras o que já foi colocado no currículo, assim o entrevistador verá que você está sendo verdadeiro e que seu currículo está de acordo.

Então, a dica é ler e reler seu currículo várias vezes, para ficar bem familiarizado com o que ele consta e assim, durante a entrevista, poderá agir naturalmente, sem omitir dados, mas também sem exagerar.

Por Russel


Para encarar o novo desafio, é preciso saber lidar com os colegas de trabalho e com as novas responsabilidades, para mostrar que será capaz de enfrentá-lo.

Não existe uma regra que você possa seguir para lidar bem com a mudança de cargo, mas há algumas dicas que certamente vão lhe ajudar a enfrentar este novo desafio, por exemplo, estar preparado para esta mudança. É importante que você saiba que isso não acontece somente com você, qualquer profissional que for colocado diante de um novo desafio terá que se mostrar capaz de enfrentá-lo.

A questão se agrava quando um funcionário é promovido a chefe do seu setor, ou seja, antes ele recebia ordens, juntamente com seus colegas, agora será ele quem dará as tais ordens e isso, em um primeiro momento, vai lhe afastar dos antigos colegas de trabalho porque a grande maioria vê isso como uma "traição" e tem ainda aqueles colegas que se sentirão injustiçados, pois se consideram mais preparados do que você para assumir o posto de chefe.

Agora é hora de você aprender a lidar com cada um destes colegas.

Para isso não existe nada melhor que o diálogo e o tempo. Com o diálogo você irá transmitir aos seus colegas de trabalho que a amizade criada ali não terminou. Agora é diferente porque você assumiu um novo posto, tem novas responsabilidades, terá um contato mais direto com a diretoria, mas continua sendo a mesma pessoa solidária e amiga de todos. E com o tempo, você mostrará a eles que estas suas palavras não são apenas um discurso bonito, mas que de fato, você está ali para somar, para que todos possam formar uma equipe que consiga os melhores resultados possíveis.

É bom você compreender logo que, ao mudar de cargo dentro de uma empresa, sua função não será apenas a de delegar ordens, mas também de saber ouvir os seus colegas que por terem uma convivência maior e melhor com você, poderão ter mais liberdade também para lhe passarem as reclamações e sugestões. Mostre-se pronto para ouvir a todos e se interesse pelo que cada um tem a dizer.

Ao assumir um novo cargo, nada de querer tomar atitudes precipitadas só para mostrar que colocar você ali foi a escolha certa! Claro que você está motivado a trabalhar ainda mais, agora que conquistou um novo posto na empresa, mas cuidado para não acabar se prejudicado ao agir por impulso.

Ao chegar a um novo cargo, você estará diante de novos colegas de trabalho e justamente por isso não saberá ainda em quem pode ou não confiar, não conhece as características pessoais de cada um, então o melhor a fazer é tratar a todos de forma igual, pois só com o tempo você poderá ir descobrindo aos poucos como lidar com cada pessoa que agora faz parte do seu novo círculo de amizades dentro da empresa. Dar tempo ao tempo e ficar 100% focado na nova função é o melhor a ser feito, assim você poderá lidar com muito mais segurança nesta nova etapa profissional.

Por Russel


As empresas estão, cada vez mais, aderindo ao coaching para obter os melhores resultados de seus profissionais.

"Coaching" é uma palavra importada do idioma dominante no mundo – o inglês – que significa tão somente "treinamento", em bom português. Nada mais do que isso. "Coaching Empresarial", portanto, é a tão propalada "inovadora forma de treinamento exclusivamente voltada para profissionais do setor empresarial" (empresários, para sermos mais precisos). A intenção dessa forma de consultoria moderna é contribuir para a criação e difusão de novas competências e habilidades no ambiente empresarial, por meio da aplicação de técnicas próprias, de ferramentas de gestão e, por fim, de práticas propriamente ditas (métodos aplicáveis do cotidiano das empresas).

O fato é que o trabalho de coaching empresarial tem ganhado espaço no mundo corporativo, tanto é assim, que hoje, sua importância não pode ser negada. Empresas que necessitam remodelar a mentalidade dos seus colaboradores prescindem dessas técnicas de coaching. Suas principais linhas de ação são as seguintes:

– Produção de novas condutas que conduzam a novos resultados;

– Ênfase no relacionamento interpessoal;

– Diminuição ou extinção de conflitos internos de relacionamento entre pessoas e entre grupos de trabalho;

– Foco na produtividade, tanto em nível operacional quanto no plano da gestão superior, como por exemplo: aumento das vendas, otimização do tempo para execução de tarefas, aumento da satisfação financeira de uma equipe ou funcionário;

– Promover o bem-estar entre os colaboradores, principalmente por meio de técnicas/ferramentas/eventos de motivação, que estimulem a busca da felicidade.

Como se pode perceber, o coaching empresarial tem como meta preparar profissionais para a compreensão do quanto é relevante o seu crescimento e o alcance da excelência. Os empresários têm cada vez requisitado esse serviço para as suas companhias, inclusive por viverem um processo de conscientização a respeito do que seja a verdadeira liderança.

O Brasil, apesar das limitações, tem acompanhado as tendências do resto do mundo, algo que se reflete na demanda crescente por profissionais especializados na prestação de serviços de coaching, embora alguns especialistas do setor reconheçam que os valores cobrados por tais serviços ainda estão além do compatível. 

Por Alberto Vicente


Saber ouvir ajuda o profissional a se relacionar e a resolver problemas que possam surgir no dia a dia do trabalho.

Muitos ditados dizem sobre saber ouvir o que os outros dizem, mas essa expressão vai além da cultura popular, no mercado de trabalho, por exemplo, é extremamente importante saber ouvir todos que estão à sua volta. Seja você chefe, funcionário ou até mesmo estagiário, ouvir os outros sempre vai te ajudar a se relacionar com os outros e com certeza te ajudar a resolver os problemas que aparecem no dia a dia.

Na condição de chefe, você tem que ouvir todos os seus funcionários para saber como vai sua equipe, tem que saber quais são as dificuldades e de que modo a equipe está produzindo, assim poderá ter uma visão clara e mais facilidade na hora de resolver problemas. É importante também abrir os ouvidos para ouvir reclamações dos funcionários, saber como anda o humor de sua equipe também é muito importante. Outro ponto que é importante destacar é que sempre vai existir alguém superior a você, que te faça exigências, como um chefe ou cliente, é sempre bom ouvir o que todos têm a dizer.

Se você é funcionário de uma equipe, seja ela grande ou pequena, deve saber que a comunicação é uma das armas mais importantes para o sucesso do trabalho em conjunto e para todo o processo de comunicação obter êxito, precisamos saber nossa vez de falar e principalmente ouvir. Ouça seus colegas e as dificuldades que estão passando, talvez algum tenha superado alguma que você está passando nesse momento, também ouça funcionários que estão abaixo de você, como estagiários e aprendizes, eles podem te ensinar e te despertar um espírito de mentor, que pode te ajudar a ser um ótimo líder.

Se os velhos ditados dizem “temos duas orelhas e uma boca para ouvir mais e falar menos”, essa prática funciona bem em situações de trabalho, o que não significa que você deva se calar e apenas ouvir o que os outros têm a dizer, mas saber a hora certa de falar, tendo uma noção do que todos os outros já comentaram, para poder construir uma argumentação melhor, além de melhorar suas relações interpessoais com os outros funcionários.

Por Tom Vitor de Freitas


É preciso identificar e analisar quais os fatores que pesam na hora de concluir as tarefas sem desprender muito tempo e energia.

Estudo, trabalho tarefas do lar, tudo isso pode acumular se não forem executadas no tempo adequado, fazendo com que possamos perder algumas oportunidades. Muita gente tem dificuldade em desenvolver suas tarefas diárias e isso ocorre por diferentes motivos. O ideal é tentar identificar e analisar quais os fatores que pesam na hora de concluir as tarefas sem desprender muito tempo e energia.

– Pelo mais fácil ou mais difícil:

Você tem duas opções iniciais: começar pelo mais difícil com o pensamento que depois de realizar a tarefa mais complicada as restantes serão mais fáceis ou pelas tarefas mais simples. Quem prefere começar pelas mais fáceis pode colocar em mente que irá diminuir a lista e aumentará a força de vontade para concluí-las. Não importa se é um pequeno passo, mas é imprescindível começar e ter um ritmo de trabalho.

– Não se sinta culpado:

Sentir-se culpado por não conseguir atingir os objetivos não vai ajudar muito e por essa razão não é uma boa alternativa se cobrar demais. Não se sinta derrotado por conta da produtividade abaixo do que espera. Por essa razão seja gentil consigo mesmo e tenha otimismo para estimular melhores resultados.

– Força de vontade:

Para ter mais força de vontade para lidar com as adversidades do cotidiano é importante se esforçar. Para isso tente realizar algo que está adianto há algum tempo, mas que sempre deixa para depois. Dessa forma é possível criar um hábito e ser mais eficiente nas tarefas. Se for necessário divida uma grande tarefa em menores e tente se sentir mais feliz ou realizado a cada conclusão.

– Faça exercícios e divirta-se:

Quem faz exercícios regularmente tem mais força de vontade, são mais eficientes e proativas. Além de revigorantes, as atividades físicas são capazes de aumentar a quantidade de oxigênio no cérebro e isso ajuda muito na produtividade. Se não der para ir à academia, uma caminhada nas horas livres já ajudam.

Estabeleça também pequenas recompensas pessoais pelas tarefas, como um chocolate ou um passeio pelas menores, compras, viagens e outras para as maiores. Assim será estimulado a sempre fazer o que precisa e com uma boa autoestima. 

Por Ana Rosa Martins Rocha


A chave do sucesso profissional é o conjunto de habilidades e qualidades que o profissional deve ter para atingir seus objetivos.

Não importa se você tem seu próprio negócio ou se é funcionário de uma empresa, o que todos buscam é o sucesso profissional, mas a grande maioria não consegue e muitos nem conseguem chegar perto deste objetivo.

O que se comenta é que o segredo é ter a chave do sucesso profissional para atingir sua meta, mas afinal, do que se trata esta chave?

A chave do sucesso profissional nada mais é do que um conjunto de habilidades e qualidades que o profissional deve ter para conseguir êxito em sua carreira. Todos nós temos habilidades, mas nos destacamos mais por uma ou outra, por exemplo, há pessoas que são mais determinadas e batalham com determinação para conseguirem realizar o seu sonho.

Outras pessoas são mais autoconfiantes e por mais difícil que seja a situação, não se deixam abater.
Há aqueles profissionais que se destacam pela criatividade, outros chamam a atenção por serem capazes de lidar com os problemas, por piores que possam ser, com sangue frio e muita calma.

Mas diante da crise que assola o país, o pessimismo das empresas em relação à economia e a falta de investimento, a chave do sucesso profissional está justamente no conjunto destas e outras habilidades.

Mas um fator determinante para conseguir o sucesso profissional, é que não basta ficar sonhando, fazendo projetos, se programando, chega um momento em que é preciso avançar para a parte prática.
Claro que o planejamento é indispensável para o sucesso de todo profissional, mas é preciso ter muita cautela para não ficar se programando demais, pois há profissionais que acabam perdendo uma excelente oportunidade para sua carreira, simplesmente porque consideraram muito cedo para aceitarem um novo desafio, não se considerando ainda preparado para assumir tal responsabilidade.

Querer alcançar o sucesso profissional, todos querem, a questão é: quantos realmente fazem algo para atingir seu objetivo?

Não adianta ficar esperando que a empresa lhe dê uma promoção, você precisa fazer sua parte e ser determinado para atingir o sucesso e caso a empresa não reconheça sua capacidade, uma outra poderá reconhecer, mas para isso, é preciso realmente estar qualificado.

Você domina bem um segundo idioma? Está sempre procurando fazer cursos de aprimoramento em sua área de atuação? É um profissional atualizado com o mercado? Está por dentro das últimas tecnologias?

A chave do sucesso está com você, é preciso investir em sua carreira, se qualificar profissionalmente e ficar atento às oportunidades que vão surgindo, pois a chave sozinha não abre nenhuma porta, é preciso que alguém, neste caso você, comece a agir!

Por Russel


Tradução e Intérpretes e área de produção de materiais de especialidades hospitalares são as profissões que prometem estar em alta até 2019.

Escolher um Curso de Graduação, a cada dia torna-se um desafio maior entre os milhões de jovens estudantes de nosso país.

As carreiras estão concorridas ao extremo e a graduação está se tornando algo comum. Pós-Graduação e mestrado já são requisitos essenciais aos profissionais que querem se destacar no mercado de trabalho.

Nesse intuito, hoje, descreveremos as carreiras que estarão em alta no ano de 2019.

Para começar, instantaneamente, o leitor irá se surpreender com a profissão que mais promete para o ano de 2019. Aqueles que pensam que Medicina, Direito e Engenharias diversas estão nas mais promissoras carreiras para o ano de 2019 se enganam. Segundo levantamento da Carrer Builder, o setor de profissões que mais deve crescer até o ano de 2019 é o de Tradução e Intérpretes.

Almeja-se que, nos Estados Unidos da América, até o ano de 2019, essa área deve oferecer 10 mil postos de trabalho a mais.

Outra área que surpreende pelo sua impulsão no mercado de trabalho é a área de produção de materiais de especialidades hospitalares que obteve um crescimento de 29% nos últimos anos.

É notável dizer que a pesquisa levou em consideração o mercado norte-americano. Contudo, com os efeitos da globalização é possível mensurar os efeitos desses crescimentos em todo o mundo.

É importante que, os jovens da atualidade larguem mão de vaidades e aspirações de familiares em troca de uma futura carreira promissora. Áreas como Engenharia, Medicina e Direito, atualmente, possuem um excesso de profissionais e o mercado está a cada dia mais concorrido e, muitas vezes, injusto. Buscar carreiras novas e inovadoras podem trazer benefícios a médio e longo prazo. Carreiras não devem se resumir em vontade e aspirações de familiares e, sim, em estudos de mercado e vontades e aspirações daqueles que irão executá-las.

Estude, analise e faça seu próprio caminho e faça de sua profissão sua maior realização e alegria!

Por Daniel Alves


Ter organização e saber estabelecer prioridades no dia a dia de seu trabalho trazem resultados positivos e maior produtividade.

A organização é uma palavra fundamental na rotina de qualquer um que deseja crescer profissionalmente, isso porque saber organizar sua tarefa e estabelecer quais são suas prioridades são atitudes que podem fazer toda a diferença na hora do trabalho. Mas como saber o que é mais importante para priorizar? Essa é a grande questão e que pode tanto te ajudar quanto te deixar mais confuso, mas existem algumas coisas que você deve considerar e colocar na ponta do lápis antes de definir de vez o que sua prioridade.

– Pense sobre o quais são as tarefas em que você tem mais dificuldade de fazer:

Procrastinar é um mau sinal, por isso esse tipo de tarefa tem que ser colocada no topo da sua lista de prioridades, deixando as coisas mais fáceis para o final, você provavelmente não atrasará prazos e não terá problemas se tiver trabalho acumulado, pois são coisas mais simples de serem feitas.

– Pense na sua função:

Se você conhece bem a função que exerce e as prioridades da empresa onde trabalha, provavelmente deve saber o que costuma atrasar ou não, por isso o autoconhecimento é tão importante e necessário para saber se organizar e estabelecer prioridades.

– Aprenda a recusar:

Ajudar os outros é uma atitude nobre e que pode enriquecer a alma, mas não podemos esquecer das nossas prioridades para fazer as coisas para os outros. Lembre-se de que é um ambiente de empresa, onde você será cobrado se atrasar, por isso, saiba dizer não de vez em quando se necessário.

– Administre seu tempo:

Saber administrar o tempo pode ser a chave para se organizar melhor e, consequentemente, estabelecer com clareza suas prioridades. Conheça os prazos e a importância de suas tarefas, tente calcular também quanto tempo cada uma delas demanda. Depois de feito isso, você terá uma lista organizada e clara sobre o que deve ser feito com prioridade ou não.

Por Tom Vitor de Freitas


O relacionamento interpessoal faz parte do dia a dia das pessoas no trabalho, por isso é preciso ter uma boa convivência para que o ambiente fique o mais saudável possível.

Quando se fala em relacionamento interpessoal no mercado de trabalho, muitas pessoas acham que apenas a gentileza nas relações sociais é o bastante. Mas enganam-se bastante! Se fosse uma qualidade do indivíduo, o relacionamento interpessoal estaria entre os valores mais nobres, tais como o senso de ética, a honestidade (principalmente para consigo mesmo) e até o mesmo o “bom testemunho” (não se trata de religiosidade, mas de praticar o que pensamos).

O ser humano é um ser social, por excelência. Lembremos agora do título de um romance de Hermam Hesse, que traduz bem o que somos: “Ninguém é uma Ilha”. Isso é a mais pura verdade: embora a contemporaneidade tente nos impor que o individualismo e o “cultivo da solidão” são nossas marcas mais patentes, cada vez mais as corporações caminham na direção contrária. Ou seja, ficará de fora do mercado de trabalho aquele profissional que não entender de uma vez que é sua obrigação manter serenidade nas relações interpessoais.

Nas empresas, lidamos com pessoas diuturnamente, muitas vezes com interesses diversos, apesar de se buscar o “bem comum”. O relacionamento interpessoal é uma das engrenagens mais importante para a “saúde” de um grupo de trabalhadores, independentemente do nível intelectual exigido pelas atribuições laborativas. Afinal de contas, quantas pessoas que você conhece adoecem por ter enfrentado “dias de cão” no trabalho?

Isso não significa dizer que o patronato é o responsável direto pelo bom convívio entre os colaboradores. Trata-se de uma rotina educativa que deve ser buscada por cada funcionário. Assim como trazemos valores positivos do nosso lar para o mundo exterior, também necessitamos aprimorar a cultura da boa convivência no trabalho.

Se uma pesquisa for feita a este respeito, será constatado o óbvio: profissionais bem entrosados são mais produtivos e tendem a valorizar ou promover melhor a marca da empresa.

Relacionamentos saudáveis em uma empresa extrapolam aquelas boas amizades existentes em grupos isolados (“panelinhas”). A busca por convivência e não por competição deve ser a tônica desse ambiente. Isso inclui, por exemplo, evitar conflitos e evitar se prolongar em determinados assuntos para os quais existe uma resistência muito forte.

Para encerrar, precisamos lembrar que um ambiente de convivência deve estar livre de preconceitos. Se um colega é de uma opção sexual diferente da sua, não entre em “choque cultural” com ele. Se outro é ateu e você possui algum tipo de religiosidade, saiba que os opostos podem se atrair e isso até enriquecerá a ambos. O importante no relacionamento interpessoal é sempre acreditar no ser humano, respeitar seus limites e promover uma filosofia de paz, mesmo em meio a interesses aparentemente tão conflitantes.

Por Alberto Vicente


Ter um colega de trabalho grosseiro é incômodo, mas se este for o seu caso, procure conversar com a pessoa sempre buscando o bem-estar dele e o bom funcionamento da empresa.

Dentre todos os perfis que podemos encontrar numa empresa, com certeza o que mais pode ocasionar problemas são os grosseiros. Esse tipo de colega de trabalho pode causar além de desconfortos no ambiente de trabalho, problemas pessoais, que afetarão a produtividade de toda a esquipe.

É preciso ter em mente que, às vezes, a pessoa é rude porque esse é um traço de sua personalidade. É importante analisar o companheiro, para ter a certeza de que não é um problema pessoal. Caso seja, o ideal é uma conversa em tom informal para que o colega não se sinta ofendido.

Ao propor uma conversa com o colega em questão, tome o cuidado para que este não leve a questão para o lado pessoal. Deixe bem claro que você está interessado com o bem-estar dele e o bom funcionamento do ambiente de trabalho. Encare a conversa profissionalmente e tente não levar o tom da conversa para um nível mais elevado. Se isso acontecer, encerre a conversa e tente abordá-lo em outra oportunidade.

Caso você não tenha a oportunidade de conversar com a pessoa, tente analisar os pontos chave que desencadeiam os momentos de comportamento excessivo. Ao identificar esses pontos chave, você poderá evitá-los e também aconselhar os colegas de trabalho a evitá-los.

Por último, é necessário analisar se a reação ríspida de seu colega de trabalho não é desencadeada por alguma reação grosseira sua. Esteja aberto a opiniões e peça para que os outros colegas de trabalho também lhe avaliem.  Tenha em mente que uma reação ríspida é aceitável e que todos somos humanos, mas quando essas reações viram um fato constante é que o incômodo é instalado no ambiente de trabalho.

Caso nenhuma das opções apresentadas surta efeito, considere evitar um pouco mais o colega de trabalho, para pelo menos, evitar problemas para você. Fale somente o necessário e seja cuidadoso em dobro ao tratar com a pessoa. 

Por Patrícia Generoso


Ter algumas habilidades fazem a diferença para o profissional que quer se destacar no ambiente de trabalho.

Em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo, destaca-se o profissional que possuir mais habilidades, pois são estes que realmente interessam às empresas. Por isso, saiba quais são as principais habilidades que um profissional precisa ter para se destacar no mercado de trabalho!

– Inovação:

Hoje o mercado está saturado e isso vale para todas as áreas. Dificilmente uma empresa consegue lançar uma novidade no mercado, que seja realmente interessante para os consumidores. Por isso a inovação tem sido tão procurada nos candidatos às vagas de emprego.

É importante ressaltar que para um profissional ter inovação, não significa apenas que ele deve criar um produto inédito e sensacional, a inovação está presente também ao executar uma tarefa onde o profissional descobre uma forma de fazer o mesmo serviço, porém mais rápido ou gastando menos recursos da empresa.

Gastar menos energia elétrica, gastar menos matéria prima, produzir produtos com mais qualidade, o profissional inovador está sempre trazendo novidades para dentro da empresa.

– Trabalho em Equipe:

Todas as empresas praticamente, na hora de contratar um profissional, querem ter certeza que ele sabe trabalhar em equipe, do contrário, a contratação é cancelada e procuram por um outro candidato.
Saber trabalhar em equipe é de fundamental importância nos dias de hoje. Não há mais espaço para o funcionário que pretende ser o centro das atenções, acumulando todas as tarefas sobre si, como se ele fosse insubstituível na empresa!

Hoje em dia, as empresas valorizam os funcionários que sabem delegar tarefas, que compartilham conhecimento e colaboram com os demais funcionários, tendo o bem coletivo sempre como prioridade.

– Atualização Tecnológica:

Você não vai ficar o dia todo acessando as redes sociais, aplicativos, nem navegando pela internet ou trocando e-mail, muito menos conferindo o seu WhatsApp o tempo todo, mas todo profissional deve ter conhecimentos básicos sobre as novas tecnologias, as ferramentas online, como elas funcionam e caso seja preciso, colocá-las em uso para favorecer o seu trabalho dentro da empresa.

É preciso ter habilidade com a tecnologia que temos disponível no mercado, para usá-la a favor da empresa, isso com certeza vai lhe trazer destaque profissional.

– Tomada de Decisões:

Esta é outra habilidade que faz com que um profissional se destaque no mercado de trabalho. É preciso saber tomar as decisões certas, principalmente quando acontece um imprevisto e também nos momentos de crise.

O profissional que sabe ter sangue frio nas situações mais difíceis para tomar decisões que vão contornar a situação para resolver ou ao menos, amenizar o problema, certamente são os que mais se destacam no mercado de trabalho.

Por Russel


A imagem pessoal está relacionada ao autoconhecimento do próprio profissional. Ela pode impactar tanto positivamente quanto negativamente na vida profissional das pessoas.

A imagem pessoal de alguém pode afetar diretamente sua vida profissional das mais variadas formas, tanto positivamente quanto negativamente. Afinal, essa “imagem pessoal” geralmente é a primeira visão que as pessoas têm uma das outras.

Dificilmente um ser humano não possui algum tipo de desejo de se realizar naquilo que faz, de obter sucesso e de se destacar. Nesse ponto o principal responsável pelo sucesso é a própria pessoa. A mesma lógica pode ser aplicada para a imagem pessoal. Cabe à pessoa trabalhar nela mesma.

Como a imagem pessoal pode impactar na vida do profissional?

O mercado de trabalho atualmente conta com uma competição que chega a ser exaustiva. Nesse cenário qualquer ponto é considerado para se conquistar uma vaga, manter-se no emprego e etc. O principal impacto que a pessoa que não trabalha para melhorar sua imagem pessoal vai perceber é a dificuldade de ingressar ou de se manter no mercado.

Mas por que a imagem pessoal é tão importante para a vida profissional? Isso se torna bem simples de compreendermos quando observamos o fato de que a imagem pessoal não se restringe apenas a uma roupa adequada, uma boa aparência dentre outros aspectos físicos. Ela vai um pouco mais a fundo já que trabalha com o autoconhecimento do próprio profissional.

Melhorar a imagem pessoal não é algo rápido. É um processo que pode ser lento, pois vai envolver o desenvolvimento do profissional visando valorizar cada vez mais suas próprias potencialidades.

O processo de construção de uma imagem pessoal é algo que precisa ser diário. É interessante destacar que a pessoa precisa se melhorar com prazer e com certa dose de espontaneidade.  Não adianta em nada querer mudar a imagem pessoal e ser fingido. Em um momento ou outro todos vão perceber que se trata apenas de uma máscara e não do “EU” da pessoa.

Para quem sabe do impacto que a imagem pessoal causa na vida profissional e quer mudar isso de forma positiva o ideal é ir direto a um especialista. Hoje em dia existem diversos cursos, seminários e palestras sendo realizadas em todos os cantos sobre o tema. Para quem não dispõe de tempo ou de disponibilidade para locomoção uma boa saída são as opções sobre o tema encontradas na internet.

Por Denisson Soares


Alguns fatores podem auxiliar os novos contratados a se adaptarem mais rapidamente e se sentirem melhor no novo emprego.

Muitas vezes é difícil se adaptar a um novo ambiente, nova casa, nova cidade, e principalmente um novo trabalho. O local onde você trabalha é um lugar onde irá passar muito tempo de sua vida, convivendo com as mesmas pessoas na mesma rotina e, por mais que seja difícil, é necessário se adaptar a tudo isso. Separamos algumas dicas para você aprender a se adaptar mais rápido e se sentir melhor no seu novo trabalho.

– Conheça e entenda o novo ambiente:

Dificilmente você terá experiências traumatizantes em seus primeiros dias no novo trabalho, relaxe e aja como sempre agiu, não tente falar demais para tentar mostrar que você é uma pessoa sociável, também não seja tímido demais, o segredo é a média, fale nos momentos em que sentir que tem algo a dizer e preste atenção para não acabar atrapalhando outros funcionários.

– Tenha iniciativa:

Tomar a frente das cosias é uma ótima forma de começar, além de mostrar que você tem iniciativa, ainda te dá a chance de mostrar para muitos como você realiza seus trabalhos, isso faz com que você se acostume com o ambiente e que todos em sua nova empresa também se acostume com você. Além disso, ter iniciativa logo no início faz os seus superiores olharem para você com outros olhos, possibilitando muito suas chances de crescimento lá dentro.

– Consulte o RH:

Eis um setor que pode se tornar uma grande ajuda na hora de se adaptar à nova empresa, dirija-se aos Recursos Humanos sempre que tiver alguma dúvida sobre o funcionamento da empresa, com certeza você terá a ajuda que precisa para se adaptar o mais rápido possível.

Nem sempre conseguimos nos adaptar rapidamente, pode levar meses até que nos sintamos totalmente confortáveis no novo ambiente, porém nunca se deve esquecer que isso não é impossível e é uma fase positiva de evolução e mudanças na sua vida profissional.   

Por Tom Vitor de Freitas


Algumas atitudes podem ser incorporadas no seu dia a dia e auxiliam a manter a disciplina e tornar seu trabalho mais produtivo.

Você planeja o seu dia a dia no trabalho? Usa uma planilha para controlar as suas atividades, relatórios e reuniões? Tem o hábito de entregar tudo dentro do prazo ou deixa tudo para última hora? Sabia que existem atitudes simples, que podem ser incorporadas no seu cotidiano, que contribuem para manter a disciplina e tornar o seu dia ainda mais produtivo?

– Mantenha o ambiente limpo:

A mesa do seu trabalho deve estar sempre limpa e arrumada. Tenha próximo a você uma lixeira e separe sempre os materiais que vai usar no dia a dia. Além disso, evite acumular papeis, rascunhos e itens que são desnecessários e só ocupam espaço. Separe um dia na semana para separar tudo o que você não usa para jogar fora.

– Quais atividades são prioritárias?

O que você costuma fazer no seu ambiente laboral? Defina as prioridades do seu dia como, por exemplo, a entrega de um relatório importante, e dedique-se a elas. Qual a parte do dia você costuma ser mais produtivo? Se for pela manhã, faça as atividades mais complexas e deixe as tarefas simples para o período da tarde. Mantenha o foco nas atividades que são mais importantes, e inicie o seu trabalho por elas.

– Guarde os objetos nos lugares corretos!

Tenha o hábito de guardar cada coisa no seu lugar. Armazene os documentos no lugar correto e mantenha as pastas do seu computador organizadas, também. Coloque data nos arquivos e use gavetas, envelopes ou pastas para deixar o ambiente organizado.

– Seja pontual nas atividades:

Tenha o hábito de ser pontual na entrega de um relatório ou nas tarefas que devem ser entregues em curto prazo. Mantenha tudo anotado em uma agenda, e a cada atividade cumprida risque-a do seu cronograma. Organize-se durante o seu dia e lembre-se de que imprevistos podem acontecer. Outra dica é usar adesivos, alarmes, entre outros recursos que podem ser muito úteis. 

Por Babi


Os líderes têm papel fundamental no processo de motivação dos funcionários. Eles devem estar atentos às situações e utilizar artifícios que motivem a equipe.

O sucesso de uma equipe está relacionado à motivação. Por exemplo,  entrega de relatórios fora do prazo, pouco comprometimento com a Organização e baixa produtividade são fatores que indicam que os funcionários não estão motivados, e isso é muito comum no ambiente corporativo.

A falta de motivação pode acontecer por vários motivos e um dos principais é a falta de desafio para as equipes, assim como, a falta de transparência. Por isso, é fundamental que os líderes proporcionem feedback positivo ou negativo para as equipes, demonstre preocupação com os funcionários, saiba escutar as angustias e os problema e também estabeleçam metas e objetivos para os colaboradores.

Além disso, também é importante que a empresa elabore planos de avaliação de desempenho e planos de cargos e carreiras, que tenham regras e competências bem claras e objetivas, para que o profissional se sinta motivado e tenha o reconhecimento do seu trabalho. As pessoas devem procurar trabalhar em empresas que se sintam bem e que o seu trabalho é útil para o sucesso da Organização, assim, elas se sentirão motivadas e buscarão desempenhar as suas atribuições com comprometimento.

Desta forma, o empreendedor deve evitar climas de incerteza no ambiente laboral entre os colaboradores. Além disso, o líder da equipe deve estar perto dos colaboradores, e ele pode realizar atividades por meio de palestras, por exemplo, para orientar os trabalhadores.

Outra dica é fornecer novos desafios e metas para a equipe de trabalho. Mas, devem ser projetos que, realmente, poderão ser cumpridos se as pessoas se esforçarem.  O empreendedor também pode dar flexibilidade de horário de trabalho para os colaboradores, assim, eles podem desempenhar as atividades de acordo com o seu próprio ritmo.

Também é importante fazer pesquisas sobre o clima no ambiente corporativo e fazer a busca de feedbacks, para que fatores que provoquem desmotivação possam ser descobertos e assim poderão ser corrigidos.

Gostou das dicas? Deixe a sua opinião! 

Por Babi


Algumas vagas de emprego ficam em aberto, pois há falta de profissionais qualificados para a função.

Enquanto para algumas áreas há excessos de profissionais, outras estão em falta. Por exemplo, há determinados processos seletivos que sobram vagas, porque não há profissional habilitado ou com os conhecimentos exigidos para a função. Que tal conhecer sobre essas áreas?

Supervisor de Produção – Conheça a função!

O profissional que atua na função age na cadeia de suprimentos da Organização, fazendo análise, por exemplo. O tempo de recrutamento para esse cargo é, em média, de 30 a 60 dias. Ideal para quem gosta de trabalhar fazendo mapeamento de processo.

– Entende de máquina? Conheça a função de Técnico de Campo, Manutenção de Eletromecânica.

A área é uma das principais dentro da empresa e há falta de profissionais. O profissional deve gostar de trabalhar em Organizações que envolvem máquinas, equipamentos e serviços. Em média, o tempo de recrutamento dessa área é de 30 dias.

– Marketing: Analista de Inteligência do Mercado.

O marketing é uma das principais áreas em expansão e o Analista de Inteligência está em falta. O profissional deve ter experiência e também conhecer muito sobre vendas, além de saber elaborar levantamento e análise de situações. O tempo médio de recrutamento para a função varia de 60 a 90 dias.

– Elaboração de projetos.

A função de Projetos Logísticos está em falta no varejo e indústria. Para trabalhar na área, a pessoa deve ter vivência em processos logísticos de diversos segmentos na Companhia. O tempo médio de recrutamento para a função é em torno de 90 dias.

– Gosta de marketing digital? Saiba mais sobre a função de Analista!

A função de Analista de Marketing Digital está em falta e o profissional deve conhecer bem sobre desenvolvimento e administração de conteúdo. Também é importante ter experiência em campanhas que estejam relacionadas à mídia online em website. O tempo médio de recrutamento do Analista? Varia de 60 a 90 dias.

– Área de vendas: Vendedor Técnico.

A área de vendas técnicas é muito solicitada por empresas de cosméticos. É importante que o profissional tenha formação em Química ou Engenharia Química. Dependendo o tempo de recrutamento para a área pode demorar até 120 dias.  

Por Babi


Algumas atitudes simples podem influenciar positivamente no seu trabalho.

Muitas vezes nos percebemos entediados enquanto trabalhamos e sofremos de crises existenciais em pleno horário de expediente com questionamentos sobre nossa vida, nossa família, nossas condições financeiras, psicológicas e sobre o nosso futuro e a verdade é uma só: nessa vida temos hora para tudo, até para pensarmos negativamente, quem não é capaz de controlar a hora de refletir tampouco será capaz de afastar o pessimismo.

O trabalho bem realizado gera resultados satisfatórios e gera um ambiente mais leve, mas até que ponto a felicidade depende apenas do exercício direto de seu trabalho? Não adianta nada fazer um ótimo trabalho e agir como se mais nada naquele ambiente dependesse de você.

Algumas atitudes muito simples têm o poder de esclarecer mentes e abrir oportunidades, tornando o dia a dia do trabalho mais claro e mais gostoso de se viver:

1. Cumprimente as pessoas durante seu dia de expediente, todas elas, afinal elas dividem o mesmo ambiente que você na maior parte do seu dia.

2. Motive seus colegas, motivar os outros é combustível para felicidade.

3. Tenha metas pessoais, nosso maior inimigo somos nós mesmos.

4. Alimente-se bem, quando nosso organismo tem suas necessidades básicas atendidas ele consegue produzir mais, evite alimentos pesados e gordurosos, pois o corpo tende a demorar muito para fazer a digestão.

5. Pratique exercícios físicos fora das horas de trabalho, eles ajudam a aliviar a tensão e te deixam mais enérgico.

6. Durma bem e não minimize as horas de sono, elas são essências para sua disposição no dia seguinte.

7. Organize suas coisas, seu computador, sua mesa, sua agenda e evite o estresse de ter que procurar por algo em cima da hora.

8. Evite o negativismo, por mais que as coisas estejam difíceis não se torne aquela pessoa mal humorada e ranzinza que só sabe criticar, ser otimista em situações difíceis é o primeiro passo para encontrar soluções.

9. Busque sempre novas alternativas para dinamizar suas atividades, a criatividade é muito bem vista nos ambientes de trabalho de hoje em dia.

10. Evite a morosidade e aposte na celeridade, quando nos ocupamos pensamos menos no ambiente externo.

E lembre-se: quando nos empenhamos por algo de verdade, a vida começa a dar certo, portanto nunca se deixe dar por vencido, pois quem faz as regras do seu caminho, é você!

Por Beatriz Duarte


Pessoas admitem que usam a internet para assuntos pessoais no trabalho e se sentem culpadas por isso, porém, estão dispostas a deixar o trabalho caso a empresa proíba essa prática.

Assim que a internet começou a se popularizar no Brasil, empresas dos mais diversos setores começaram a enfrentar um sério problema: os funcionários utilizavam os computadores das empresas para acessar a internet e, com isso, além de gastarem tempo no trabalho com assuntos pessoais, infectavam os computadores com pragas virtuais e os prejuízos eram enormes. Mas as empresas investiram em tecnologia, firewall e conseguiram formas de impedir que os computadores fossem utilizados para acesso pessoal à internet.

Agora, com a popularização dos smartphones, os funcionários acessam a internet do trabalho, várias vezes ao dia, através do próprio celular, para consultar os e-mails, acessar as redes sociais e conversar com os amigos pelo WhatsApp.

São raros os profissionais que não utilizam o smartphone, no horário de trabalho, para acessar a internet e tratar de assuntos pessoais.

A empresa de segurança móvel MobileIron, realizou uma pesquisa recentemente justamente para ter números reais sobre o assunto e o resultado foi surpreendente! Das mais de 3.500 pessoas entrevistadas no Japão, Estados Unidos, Reino Unido, França, Alemanha e na Espanha, 56% utilizam a internet no horário de serviço para enviar e receber e-mails. E isso sem mencionar aquelas que acessam as redes sociais como o Facebook e Twitter, além daquelas que conversam com os amigos através dos aplicativos, como o WhatsApp.

Mas o que mais chamou a atenção nesta pesquisa, é que estas pessoas se sentem culpadas por estarem utilizando a internet, ao invés de estarem trabalhando.

Esta "culpa" vem do fato de que nenhuma empresa quer o seu funcionário navegando na internet em pleno horário de trabalho e os números apontam que a grande maioria dos trabalhadores tem esta prática. Mas, apesar da sensação de culpa que estes trabalhadores têm, por acessarem a internet durante o expediente, eles não estão dispostos a mudar seu hábito e revelam que vão sim, continuar utilizando smartphone durante o horário de trabalho para acessarem a internet, mesmos admitindo que vão ficar se sentindo culpados.

E esta mesma pesquisa apontou que metade dos entrevistados estão dispostos até a deixar o emprego, caso a empresa lhes proíba de continuar com esta prática.

As empresas, mais uma vez, se veem diante de um problema que merece muita atenção, pois é um comportamento novo dos funcionários e proibir não tem se mostrado a melhor solução.

Cada empresa deve estudar junto com seus funcionários, as melhores práticas, para que o trabalho não seja prejudicado, mas sem querer proibi-los de se manterem conectados.

Por Russel


Algumas análises podem ser feitas para saber se você está progredindo na sua carreira profissional.

Você está feliz na sua carreira? Você sente que precisa sair da sua zona de conforto? Como está a sua vida profissional? Já parou para refletir sobre essas questões? Há profissionais que são acomodados e estão felizes na posição em que se encontram, no geral, não ocupando nenhuma posição de destaque dentro da empresa e ganhando o suficiente para o seu sustento e o da sua família. Porém, há àqueles que querem crescer e progredir na carreira, querem assumir responsabilidades e desafios, ou seja, saem da zona de conforto. Mas, como saber se você está realmente progredindo na carreira? Quais os sinais? Veja as dicas!

Normalmente, os seus superiores te pedem opinião sobre os assuntos do trabalho ou até solicitam a sua ajuda para tomar alguma decisão. Assim, independente do cargo que ocupa na empresa – mesmo não sendo uma posição compatível – as pessoas gostam de ouvir.

Como estão as suas relações pessoais no trabalho? No geral, os superiores demonstram amizade por você e consideração? Se a resposta for positiva, é sinal que você está progredindo, assim, as suas relações pessoais são positivas.

Além disso, as sua gestão de desempenho tem sido positiva e os seus pontos fracos têm melhorado com o tempo, ou seja, demonstram uma evolução constante.

Como é o seu relacionamento com as pessoas que ocupam a mesma hierarquia que você? Seus colegas de outras funções respeitam a sua opinião, personalidade e apresentação.

Outro sinal de progressão, é que você percebe que a sua cultura está crescendo, ou seja, você começa a estudar sobre a sua área, faz novas leituras, investe em novos projetos e o seu campo de autodesenvolvimento aumenta. Assim, como consequência o seu nível profissional e cultural se eleva.

Você é uma pessoa assertiva e consegue ter opiniões firmes, mas sem ser arrogante. Desta forma, essas são algumas dicas que você está progredindo. Portanto, que tal fazer uma análise da sua vida profissional? Mude o que achar necessário, para alcançar o sucesso.

Por Babi


Algumas situações podem fazer o profissional perceber que chegou o momento de procurar outras experiências em um novo emprego.

Você está feliz no seu emprego? Será que este é o momento para você buscar por novas oportunidades e desafios? Não é fácil jogar tudo para o alto e encarar o novo, mas pode ser necessário para você ser mais feliz na sua vida profissional.

Confira abaixo algumas situações onde pode ser melhor buscar um novo emprego:

Ninguém valoriza as suas ideias:

Você contribui com soluções, usa a criatividade para encontrar novos resultados e dedica-se ao máximo. Entretanto, ninguém escuta as suas opiniões na empresa, e sente que você já não faz mais diferença. Além disso, quando expõe novos fatos, percebe que o seu chefe ri de você ou tenta te desmotivar? Se está passando por essas situações, que tal encontrar outras oportunidades?

Você recebe crítica na presença de outras pessoas:

Receber feedbacks é extremamente importante na vida profissional. Desta forma, você fica sabendo em que pontos precisa melhorar ou aperfeiçoar. Críticas construtivas também são muito bem-vindas. Mas, é preciso saber conversar com as pessoas, assim como escutar. O seu chefe chama a sua atenção na frente de outros? Faz críticas públicas sobre você? Então, às vezes, é melhor começar a pensar em pedir demissão e procurar trabalho em outro local, no qual eles valorizam mais os profissionais.

Ninguém nota o que você faz:

Você entrega os relatórios pontualmente ou até antes, cumpre as suas tarefas e ainda ajuda os seus colegas. Mas, ninguém nota a sua presença e nem te agradece pelos trabalhos realizados na empresa. A longo prazo isso tende a ser desmotivador, porque é preciso saber reconhecer o que você faz pela empresa.

Cadê os seus propósitos?

Qual é o seu propósito na empresa? Você sente que está trabalhando apenas por obrigação, ou seja, para pagar as suas contas? Não se sente mais feliz? Que tal criar coragem e encarar novos desafios em outros lugares?

Se você não está feliz no seu local de trabalho, mude. Tenha coragem para assumir o que deseja e boa sorte nas suas escolhas!

Por Babi


Falar demais e ouvir pouco, ser estressado, não saber se comunicar com a equipe mostrar arrogância são as características que podem destruir um líder.

Uma das tarefas mais difíceis na vida profissional é liderar. A pessoa que ocupa essa posição é a principal responsável por motivar a sua equipe, administrar o trabalho, gerir conflitos e problemas que venham a ocorrer e direcionar tudo de uma forma que traga um desempenho positivo para a empresa.

As empresas buscam cada vez mais esse profissional, que tenha essa característica – de liderar. Uma pesquisa feita em 2012 por uma empresa especializada em recrutamento, a Roberto Half, mostrou que no Brasil, 9 em cada 10 empresas têm um profissional com esse perfil.

Mas há um ponto a considerar, segundo os especialistas em recrutamento, que é o fato de que mesmo o profissional tendo essa característica nata, ele precisa ser treinado e preparado para assumir uma posição, um cargo de liderança. Não tendo essa preparação ele pode se tornar, apesar de líder nato, um problema para a empresa.

Há formas de identificar se o profissional é despreparado e se for assim, pode ser prejudicial à empresa. Veja 4 características que podem destruir um líder.

1. Fala demais e ouve pouco:

Tão importante quanto falar com seus liderados é saber ouvi-los, estar atento às necessidades da equipe, bem como às críticas. Um prova de que se é um bom líder é saber ouvir o que seus colaboradores têm a dizer, mesmo que seja uma crítica negativa e ter discernimento, saber que não pode levar a crítica para o lado pessoal. Lembrar sempre da máxima: "Há o momento de ouvir e o momento de falar". Tentar achar o equilíbrio, não exigir demais e não elogiar demais – tanto um quanto o outro cansa.

2. Ser estressado:

Pessoas estressadas, principalmente líderes, desanimam o seu grupo de colaboradores. O estresse faz com que as pessoas fiquem atrás e obcecadas por coisas sob as quais não conseguem ter controle e dessa forma se sobrecarregam, pois pegam tudo para si.

3. Não saber se comunicar com a equipe:

Ponto primordial, uma vez que saber comunicar-se vai fazer com que tenha o controle sobre os acontecimentos. Há que se saber comunicar tanto as coisas boas quanto as ruins e saber equilibrar o tom, não ser nem tão emotivo nem tão rude.

4. Mostrar arrogância:

A humildade é o que vai aproximar um líder de sua equipe, já a arrogância só prejudicará esse relacionamento. Pessoas arrogantes são, normalmente, mandonas – e isso destrói qualquer sinal de liderança de equipe, considerando que os colaboradores terão medo ou não simpatizarão com o seu líder.

Por Elia Macedo


Liderança emergente e habilidades cognitivas são algumas características diferenciadas que a empresa busca em candidatos.

O Google é considerado a melhor empresa para se trabalhar no mundo e está entre as mais admiradas pelos jovens, porém, a empresa é bastante exigente e procura características especiais naqueles que desejam se tornar seus colaboradores que devem ser pessoas que gostam de se divertir, que sejam pessoas conscientes e, principalmente, que tenham humildade.

Outra característica muito estranha que o Google procura em seus colaboradores é que eles tenham um amplo conhecimento da empresa, pois o Google não procura especialistas em uma ou outra área, pois julga que estes profissionais chegam com soluções prontas para problemas antigos. O Google gosta de inovação, então, é claro, que seus colaboradores devem ser profissionais inovadores.

O Google busca ainda, uma característica muito incomum que é a "liderança emergente". Enquanto outras companhias tentam identificar profissionais que sejam líderes, o Google já prefere buscar por aqueles profissionais que no momento certo, no momento de precisão, tornem-se líderes que vão assumir sua responsabilidade e trabalhar junto com sua equipe para resolver o problema e depois, se afastar da liderança dando lugar novamente ao trabalho de colaboração em equipe.

Ter "habilidades cognitivas" é outra característica muito procurada pelo Google em seus colaboradores, pois a empresa espera que estes profissionais apresentem uma solução inédita, algo que o mundo ainda não viu, algo que ninguém havia pensado antes e esta é a característica principal para o Google, de

inovar sempre.

Para ser um colaborador do Google, também é preciso ter garra, mas muita garra mesmo, porque o Google está sempre enfrentando novos desafios, tem sempre algo brilhante para ser criado, há sempre uma forte concorrência para ser superada e o colaborador vai conviver com esta pressão no seu ambiente de trabalho todo o tempo, então é preciso ser uma pessoa muito determinada, um profissional de garra, para não desistir no primeiro desafio e, muito menos, depois de vários desafios.

Por isso que na hora da entrevista, o Google abusa das perguntas difíceis, porque ele precisa saber quais os candidatos trazem estas características. São feitas também, perguntas sobre a experiência de vida do candidato, as dificuldades já enfrentadas e as soluções encontradas para resolvê-las, assim o Google pode avaliar como o candidato interage com as dificuldades do mundo real e pode avaliar ainda, o que é difícil para o candidato.

Por Russel


Mais de 70% dos entrevistados na pesquisa estão insatisfeitos no trabalho por acharem que estão aptos a exercerem cargos superiores, porém, são mantidos nos mesmos postos onde estão. Grande parte dos profissionais entrevistados pertencem à Geração Y.

O IPOM – Instituto de Pesquisa e Orientação da Mente – entrevistou entre os meses de fevereiro e março do ano passado um total de 1.340 pessoas na cidade de São Paulo para saber se os profissionais estavam ou não satisfeitos com o trabalho. O resultado foi impressionante, pois mais de 70% dos entrevistados revelaram que estavam insatisfeitos no trabalho.

De cada 10 profissionais que foram ouvidos, 7 revelaram que estão insatisfeitos com o seu emprego e que só não deixam o trabalho por não terem outra opção ou devido ao salário recebido ser compensador e não conseguir uma renda igual, caso abandone o emprego para procurar outra oportunidade.

A pesquisa comprovou o que há muito tempo já se suspeitava, que há uma quantidade enorme de profissionais que estão insatisfeitos com suas carreira, mas que continuam trabalhando quase que exclusivamente pelo motivo financeiro.

E o que mais chamou a atenção nesta pesquisa foi o fato de que boa parte desses profissionais insatisfeitos pertencem à Geração Y, considerada uma geração que não tem muita paciência para ficar esperando e que vão atrás dos seus sonhos.

Mas isso é explicado pelo fato de que esta geração tem muita pressa em crescer profissionalmente, alcançar novas conquistas na carreira e que se acham preparados para uma nova etapa em sua vida profissional, quando na verdade ainda têm muito o que aprender. Estes profissionais querem ver as coisas acontecendo em sua carreira profissional, sem precisarem fazer um grande esforço pessoal e como nada acontece, vem a insatisfação.

E a pesquisa comprovou que a insatisfação no trabalho, na maioria das vezes, é porque o profissional já se considera apto a exercer cargos superiores, onde o salário é maior, porém são mantidos nos mesmos postos de trabalho. A pesquisa apontou este motivo para 68% dos entrevistados, que chegaram a se classificarem como "vítimas do chefe" e de uma empresa que não reconhece o trabalho de seus funcionários.

Outro dado preocupante foi apontado pela pesquisa, que é o fato de 40% dos entrevistados não fazerem nenhum planejamento sobre sua carreira e ficarem esperando que alguém faça isso por eles. Quando um profissional está insatisfeito com o cargo, com a profissão ou com a empresa, ele precisa buscar os seus sonhos, trabalhar para que isso aconteça e muitas vezes é preciso retornar à sala de aula, fazer cursos e até se arriscar em um novo emprego, em uma nova atividade profissional, mas por medo ou insegurança, os profissionais preferem continuar insatisfeitos no cargo, esperando que a empresa resolva esta questão para eles.

Por Russel


Presente nas empresas mais do que se pode imaginar, o coletivismo pode abrir caminhos na trajetória laboral das pessoas.

A maioria das pessoas vive o cotidiano como se estivesse ligado no piloto automático, dificilmente prestando atenção aos mínimos detalhes e às mudanças que vêm ocorrendo no dia a dia corporativo.

No geral, as pessoas estão tão ocupadas com os seus afazeres que não possuem muito tempo para pensar nas diferenças sutis que vêm causando grandes mudanças no mundo dos negócios.

Hoje em dia, fala-se no termo coletivismo, embora pareça ser algo bem diferenciado do que estamos vivendo nas empresas, este termo está mais vivo que nunca nas ações e projetos que muitas delas empreendem.  

Ter empatia poderia ser um bom adjetivo para considerar, já que por diversos motivos as companhias e empresas com especial importância no mercado como para formar opinião estão fundamentando muitas das usas decisões na valorização do coletivo, isto é, uma visão mais holística e integrada à parte externa da organização. Estas mudanças na vida e na sobrevivência dos negócios e das empresas têm tido reflexo nos sentimentos que estão aflorando nos trabalhadores, sendo muito mais fácil de ver o altruísmo, a inteligência emocional, a motivação, se comparado com os sentimentos e atitudes dominantes em outras épocas.  

A questão de ter outra visão além do lucro virou uma forma de mostrar que a empresa não está presa aos antigos conceitos e que está pronta para evoluir e fazer com que as pessoas também se desenvolvam. O uso do coletivismo na vida profissional das pessoas é fantástico para que elas possam ficar mais abertas às mudanças, possam ser mais empáticas entendendo melhor os outros e colocando-se no lugar de seus colegas, ficar por dentro das inovações em diferentes áreas, enfim, o coletivismo pode abrir caminhos na sua trajetória laboral.  

Além das empresas, o simples fato da colaboração mútua que vem embutida no coletivismo, transforma meras ações singelas em possibilidades de crescimento e fomentam a evolução da sociedade como é o caso do Social Good Brasil que ocorre em Florianópolis, o Cajuína Valey na cidade de Teresina (PI).

Fora do país um evento que reúne muitas startups é o Hereeast, este é um ótimo projeto em que as empresas que estão iniciando a sua aventura inovadora podem mostrar o seu trabalho para a comunidade.  

Por Melina Menezes


Candidatos a vagas de emprego podem investir em características que estão sendo mais procuradas por empresas de recrutamento e aumentar suas chances de serem contratados.

Conseguir uma oportunidade no mercado de trabalho está cada vez mais difícil, as empresas estão rigorosas e os candidatos precisam ficar atentos, pois cada mínimo detalhe pode fazer toda a diferença. E como a concorrência é grande, com muitos candidatos para uma mesma vaga de emprego, o que fazer para conseguir se destacar?

Você pode, e deve, investir nas características que estão sendo mais procuradas pelas empresas de recrutamento, assim você conseguirá aumentar a chance de ser convocado para uma vaga de emprego.

Uma das características mais procuradas pelas empresas de recrutamento é saber trabalhar em equipe. Toda empresa atualmente valoriza o trabalho em equipe e, claro, quer contratar funcionários que saibam compartilhar seus conhecimentos, fazer seus trabalhos em conjunto com outras pessoas e assim garantir melhores resultados.

Um profissional que fica se valorizando o tempo todo e tenta mostrar que ele pode vir a ser um funcionário "insubstituível" dentro da empresa dificilmente será convidado por uma empresa de recrutamento para um processo seletivo.

Mas há outras características que as empresas de recrutamento estão buscando nos candidatos às vagas, confira as principais:

– Ética, inovação, comprometimento, engajamento, cooperação, empatia, multifuncional, segurança, objetividade, bom relacionamento, boa comunicação, foco em resultados, visão estratégica, bom humor e entusiasmado.

São muitas as características que o candidato deve apresentar ao recrutador para ser considerado um forte candidato à vaga de emprego, mas se você observar bem, notará que as características são relativamente fáceis de serem adquiridas e tudo depende única e exclusivamente de você!

As empresas querem funcionários que gostem de desafios, que sejam otimistas, mas ao mesmo tempo realistas, que trabalhem em equipe e consigam manter um bom relacionamento com todos os colegas de trabalho.

As empresas de recrutamento procuram por profissionais que sejam motivados, objetivos e que trabalhem focados nos bons resultados para a empresa. É o que eles chamam de “vestir a camisa da empresa”.

Com um pouco de persistência, você poderá mudar alguns de seus hábitos e adquirir estas características e aí sim, você será um profissional disputado no mercado, tendo muito mais chances de conseguir o tão sonhado emprego.

Por Russel


Saiba perceber os sinais de uma possível demissão e o que fazer se ela acontecer

O profissional pode trabalhar em uma determinada empresa há anos, não ter problemas com os colegas de trabalho e também dar conta das suas tarefas. Mas em um momento ou outro ele certamente vai pensar: “Será que vou ser demitido?”. Esse pensamento pode se tornar ainda mais recorrente quando a situação econômica não vai bem e o mercado de trabalho começa a “expulsar” profissionais. Por isso, selecionamos alguns sinais que podem indicar se o profissional está na linha de frente da demissão e o que fazer para passar por essa fase nada fácil. Confira:

– A saúde financeira da empresa:

Em muitos casos o corte de pessoal é a primeira saída que a empresa vê quando sua saúde financeira não vai bem. Nesse caso, não há um padrão adotado por todas as empresas para demissão. Algumas mandam embora quem tem mais tempo de casa outras quem tem menos. De qualquer forma é bom ficar de olho.

– A empresa foi vendida:

Muitas vezes com a troca de donos o novo tende a usar seus próprios profissionais e descartar os da empresa comprada. Afinal de contas é mais fácil trabalhar com quem já se conhece.

– Seu chefe está diferente:

A mudança de comportamento do superior em relação ao seu subordinado pode indicar que algo não vai bem. Quando o chefe passa a atribuir funções suas a outros profissionais, deixar sua opinião de lado dentre diversas outras coisas o mais indicado – além de saber o que está fazendo de errado – é colocar o currículo em dia e se preparar para procurar um novo emprego.

Fiquei desempregado… E agora?!!

– Saia da zona de conforto:

Ao ser demitido o profissional fica, em muitos casos, chateado. Pode ser pelo salário que não vai ter mais ou por gostar a empresa em que trabalhava. Porém, no lugar de ficar se lamentando a dica é voltar o foco para empresas que tenham características semelhantes ou até melhores. Talvez essa seja uma boa chance para crescer profissionalmente.

– Vá para fora do país:

É estranho pensar que alguém demitido pode simplesmente fazer as malas e ir viajar. Entretanto, caso o profissional tenha uma reserva financeira ou ainda uma outra fonte de renda talvez seja um bom momento para investir em um intercâmbio e adquirir vivência internacional. Fazer cursos e conhecer novas modalidades ou outras profissões também se enquadram nesse ponto.

– Não perca tempo:

Muita gente espera ser demitido para começar a procurar um novo emprego. A dica é começar a distribuir currículos assim que souber da demissão. Aí vale de tudo: Entrar em contato com amigos que estão na ativa, ver se sua antiga concorrente não está precisando de um profissional como você e por aí vai.

O certo é que não há sinais determinados para saber se o profissional vai ou não ser demitido. De qualquer forma, durante o período em que estiver na empresa ele deve sempre se preparar para isso. Seja fazendo uma reserva financeira, se qualificando tanto quanto puder ou simplesmente mantendo bons contatos profissionais.

Por Denisson Soares


Confira as estratégias para manter o foco nas atividades do trabalho

Não há dúvidas que manter o foco no trabalho é uma missão muito difícil. Com tantas coisas acontecendo em nossa volta, o foco às vezes parece se perder e sentimos como se fossemos o próprio vilão de uma carreira bem sucedida.

Infelizmente, a falta de foco no trabalho não é uma questão que acomete poucas pessoas, ao contrário, nas empresas o que mais se vê é justamente isso. O reflexo dessa falta de interesse contínuo não está somente nas redes sociais e na sua ansiedade em contar para "o povo" tudo o que está acontecendo no seu dia, ele também está presente nos mais pequenos detalhes ou ações que muitas vezes parecem insignificantes, mas que podem minar o seu futuro profissional numa empresa.

Nessa batalha diária pelo foco nas atividades do trabalho, mesmo não contando com uma solução rápida e pronta, podem-se usar uma série de dicas que podem alentar você nessa etapa complicada.

O primeiro a ter em conta é a sua autocrítica, faça uma análise das coisas que podem estar fazendo você perder o foco, seja objetivo. Reconheça e tente eliminar os vilões da produtividade, evite o uso de celulares durante o horário de serviço, não deixe aberta as janelas das redes sociais como o Twitter e Facebook. Estas páginas podem ser checadas em 10 minutos após o almoço. Pense numa tática para responder e-mails, estabeleça horários para esta atividade, senão passará o resto do dia verificando a sua caixa de entrada e tendo que encaminhar as respostas e documentos a qualquer momento, inclusive naqueles mais complicados. Para encurtar a realização das atividades, faça uma lista das tarefas que deverá fazer durante o período de trabalho, você vai fazendo e marcando as atividades, outra dica é pensar e anotar quanto tempo deverá ocupar para a realização de cada uma.

Controle a sua ansiedade, não pense em fazer várias coisas ao mesmo tempo para terminar as suas obrigações antes, geralmente quem faz isso acaba por deixar as tarefas sem terminar. 

Por último e não menos importante, após um período de meia hora, aproximadamente, muito concentrado em uma determinada atividade, reserve um tempinho para você, tanto para tomar um cafezinho quanto para conversar com o colega de trabalho, qualquer uma delas será extremamente eficaz para que você volte ao posto com força total e com a sensação de estar descansado.

Por Melina Menezes


Dados da Pinad Contínua (Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílio Contínua) divulgados esta semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou que 77% dos 92,9 milhões de trabalhadores que integram a população ocupada no 4º trimestre do ano passado no setor privado do país tinham carteira de trabalho assinada. Isso mostra um crescimento de 0,6% em relação ao mesmo trimestre de 2013.  

A Pesquisa revelou que, entre os trabalhadores domésticos, 32,1% tinham carteira de trabalho assinada no quarto trimestre de 2014, registrando um crescimento de 1 ponto percentual em relação aos 31,1% registrados no mesmo trimestre de 2013.

Já os militares e os servidores estatuários correspondem a 68,2% dos empregados do setor público. As regiões Norte e Nordeste, com 64,8% e 63,4%, respectivamente, apresentam os menores percentuais nesse indicador. No mesmo período, com exceção da região Sudeste, que registrou estabilidade, a proporção dos empregados que possuem carteira assinada no setor privado aumentou em todas as regiões. Esse indicativo mostra que os profissionais estão deixando a informalidade em outros centros do Brasil.

O estudo verificou que o índice da ocupação apresentou leve queda em relação ao quarto trimestre de 2013. No último trimestre de 2014 a taxa de ocupação ficou em 56,9%, enquanto no mesmo período do ano passado este número representou 57,3%. Isso indica que a queda na taxa de desocupação, que fechou 2014 em 6,8%, contra 7,1% de 2013, se deu muito mais pela contratação da população em busca de emprego do que pela geração de novos postos de trabalho.

No quarto trimestre de 2014, as regiões que apresentaram os maiores percentuais de pessoas empregadas entre aquelas em idade de trabalho foram Centro-Oeste (61,5%) e Sul (61,2%). No Nordeste foi verificado o menor nível de ocupação entre as demais regiões do Brasil, apresentando 52,2%.  

Na Pesquisa também foi possível avaliar as diferenças no nível da ocupação entre homens e mulheres, ou seja, a proporção de homens com 14 anos ou mais de idade trabalhando era superior a de mulheres desta mesma faixa etária. No Brasil, no último trimestre de 2014, o nível da ocupação dos homens chegou a 68,2%, enquanto no sexo feminino foi de 46,7%.  

Como era de se esperar, as análises mostram que nos grupos com níveis de educação e instrução mais altos, o nível da ocupação apresentou índices mais elevados.

Por William Nascimento


Ser um empreendedor é algo que muita gente deseja, mas por falta de coragem acaba deixando a ideia para trás. Em algumas situações o emprego não agrada, mas mesmo assim algo não dá ânimo para largá-lo, afinal é por meio dele que pagamos as contas. Os incentivos também são atraentes, principalmente com a criação do MEI – Micro empreendedor Individual.

Conheça quatro sinais que é hora de abrir o próprio negócio.

– Falta de propósito:

Vencer desafios é algo necessário para tornar o emprego interessante. É claro que não haverá situações de cinema, mas algo que ajudará a se animar com o trabalho. Por isso é importante ter um motivo para acordar cedo e encarar a rotina. Caso não haja esse estímulo o funcionário perde o interesse, principalmente se não notar que causou um impacto positivo no cotidiano das pessoas. Se começar a achar que o tempo na empresa é um grande desperdício e não há crescimento pessoal ou profissional, o ideal é já buscar uma alternativa.

– Valorização das ideias:

Mesmo aquelas ideias inovadoras, que irão contribuir muito e com pouco esforço não são aceitas? Lembre-se que inovação é o que dá base a muitos negócios, contudo algumas ideias podem não ser bem aceitas pelos superiores e os demais colegas de trabalho. A situação pode desestimular o colaborador, mas há uma alternativa: empreenda.

– Duras criticas:

Se você passa por críticas, muitas vezes negativas e não construtivas, o ideal é saber o motivo delas. Se a pessoa não sabe ou não quer te dizer o porquê, talvez você não é mais querido naquele ambiente. O pior é se as críticas forem feitas em público, acabando com a autoestima do funcionário. Nesses casos o melhor é sair, afinal a vida é curta para sermos criticados ou humilhados publicamente.

– Gratidão:

Elogios são fundamentais para motivar uma equipe. Um simples obrigado já é suficiente para demonstrar a gratidão aos empregados, mas se até isso está faltando pode ser que os superiores acreditem que você não faz nada mais do que a obrigação. E da mesma forma que era com os nossos pais por conta das boas notas, esse comportamento não estimula ninguém. Mostre que pode fazer melhor fora desse ambiente. 

Por Ana Rosa Martins Rocha


Uma das principais circunstâncias que levam ao sucesso, tanto pessoal quanto de toda uma corporação, é a motivação. É indiscutível o fato de que pessoas motivadas produzem mais e melhor.

Mas como se manter motivado diante de tantos problemas e desafios? Essa questão não é fácil de responder. A motivação é elemento interior e subjetivo, presente dentro de qualquer ser humano. Ela é um motor que leva as pessoas a fazerem alguma coisa. Por isso, muitos usam o trocadilho “motivo para ação” para definir motivação.

Uma confusão muito comum é pensar que entusiasmo é o mesmo que motivação. Na verdade, a motivação existe em qualquer atitude de uma pessoa. Ela pode ser motivada a fazer algo, mesmo contra sua vontade, bastando que haja um motivo para fazê-lo. Um exemplo comum nos dias atuais é o caso do trabalhador desmotivado, que continua trabalhando porque necessita do salário para pagar as contas no final do mês. Neste caso, o salário é que o motiva.

O entusiasmo, por sua vez, depende de uma “inflamação emocional”, ou seja, de uma somatória de sentimentos positivos como alegria, prazer e satisfação contagiantes que geram boas expectativas. Este estado é passageiro, mas pode ser estimulado, controlado ou manipulado.

A motivação também pode ser estimulada, controlada ou manipulada. Algumas medidas como um prêmio de produtividade, a concessão de recompensas, melhores condições de trabalho e expectativas de promoção são exemplos de situações que podem interferir muito na motivação para o trabalho. Por outro lado, o nível de entusiasmo oscila bastante e para entusiasmar uma equipe, o líder tem que conquistar a confiança e credibilidade das pessoas ao ponto de fazê-las se sentirem importantes e fundamentais para o grupo. Neste caso, o líder deve exercer uma exaustiva tarefa de injetar, diariamente, doses de entusiasmo na equipe, o que é um desafio.

É muito comum as empresas investirem nas chamadas “palestras motivacionais” que, na verdade, são para entusiasmar a equipe de colaboradores, já que todos já são motivados, independente da circunstância motivadora, a fazerem parte da empresa. A dinâmica e a quebra da rotina dessas palestras, normalmente trazem bons resultados, mas, como o entusiasmo é um estado passageiro, é muito comum as empresas investirem regularmente nesses eventos. Os grandes vilões da perda de entusiasmo são a rotina, o estresse, a correria, a ansiedade, as metas intangíveis, dentre outros.

Nesse sentido, se substituirmos o termo motivação pelo termo entusiasmo, estaremos desmistificando uma situação que pode tornar mais claro para muitos gestores de onde pode estar vindo o problema na empresa. Assim, os gestores, por sua vez, terão condições de direcionar os esforços e investimentos de forma correta para manter um bom clima organizacional dentro da empresa, tendo em vista que é natural a um indivíduo ou equipe reforçar sua motivação quando se sentir entusiasmado.

Por Allan Carlos Marques


O Brasil é um dos países que mais contrata profissionais recém-formados, este é o resultado encontrado pelo Linkedln, a famosa rede social que ajuda os profissionais a conseguirem se recolocar no mercado de trabalho.

Ainda de acordo com os resultados obtidos pelo Linkedln, 87% das empresas buscam novos talentos para integrar o seu quadro de funcionários. Este resultado seria perfeito se não fosse que muitas empresas até podem estar contratando estes jovens profissionais, no entanto, não conseguem mantê-los por muito tempo na organização. Isso porque, as empresas ainda não reconhecem as suas falhas no que se refere às motivações que fidelizam esses trabalhadores.  

Os tempos mudaram, por isso aquela velha ideia de que bastava o salário ser atraente para manter o funcionário trabalhando na empresa, já não surte mais efeito. Hoje em dia, os profissionais que recém estão ingressando no mercado buscam priorizar outros aspectos. Um bom relacionamento entre a equipe de trabalho e o seu líder é uma questão mais considerada na hora de decidir se o profissional continua apostando no plano de carreira dentro da empresa ou busca outros horizontes.

A questão relativa ao reconhecimento dentro da organização é outro aspecto que é considerado fundamental e para que o profissional seja reconhecido pelo gestor e por consequência pela empresa, é necessário que o gestor possua capacidade de liderança.

Você deve estar se perguntando qual a relação entre liderança, bom relacionamento, reconhecimento. A liderança é uma característica preciosa em um gestor que tem aos seus cuidados uma equipe de trabalho. A sua capacidade de liderar influenciará na motivação de todos porque ao ser um líder nato a pessoa mostra que o cumprimento dos objetivos é possível e que juntos tudo fica mais fácil. No que se refere ao bom relacionamento, deve-se extirpar a ideia de que um líder é um chefe que ordena e não pede, ao contrario, um bom líder é aquele que tem humildade e solicita a colaboração dos seus funcionários, que ouve suas queixas e que busca o melhor para a equipe.   

No campo do reconhecimento de trabalho, o líder deve sempre mostrar que as atividades realizadas por cada um dos seus colaboradores são imprescindíveis para que o trabalho da equipe seja realizado com sucesso.  

Considera-se então, que a capacidade de liderança é fundamental para que exista um bom ambiente de trabalho, para que as pessoas trabalhem em harmonia e principalmente, para que os profissionais recém-formados possam desenvolver suas habilidades de forma eficaz.  

Por Melina Menezes


Muitas pessoas parecem ficar tomadas pelo medo quando precisa tratar algo em particular com o chefe, seja porque ele representa uma figura punitiva ou simplesmente pela ansiedade que a situação pode causar. Se você é um desses, então preste atenção nas dicas a seguir:

1. Tenha sempre em mente o que quer falar:

Não basta apenas precisar falar em particular com o seu chefe, é preciso ter em mente o assunto claramente sobre o que quer falar. Nesse momento, você deve ser o mais claro e objetivo possível. Não tente contornar a situação se algo não sair como planejado, por exemplo. Fale sobre o que pretende sobre algo e passe todos os detalhes sobre ele. É importante que você vá por etapas, como se estivesse em uma reunião. Diga quais são as vantagens e desvantagens do assunto que estiver tratando com ele, afinal, você o chamou para conversar, então precisa ser importante.

2. Aproveite o momento para resolver assuntos pendentes:

Aproveite essa conversa que você estiver com ele para tratar de alguns assuntos pendentes, caso você tenha. Não é preciso falar de coisas particulares, mas se for assuntos relacionados à empresa ou ao seu trabalho, esse pode ser o melhor momento. Fale sobre as suas expectativas a respeito da sua função, da sua carreira, e diga o que precisa ser acrescentado para melhorar sua performance no trabalho e nas atividades. Coloque em ênfase a sua produtividade e o trabalho em equipe, caso essa última opção for viável a você.

3. Marque horário:

Jamais entre sem bater na sala do seu chefe, por exemplo. Marque um horário em que ele possa estar à sua inteira disposição. De preferência, marque do meio da semana em diante, e nunca às segundas-feiras, por exemplo, pois no início de semana, é comum ele estar cheio de tarefas para resolver. Preze sempre por sua disponibilidade, e sempre pergunte também sobre qual dia da semana seria melhor para vocês conversarem.

Por Daniela Almeida da Silva


Você está fazendo tudo o que pode pelos seus sonhos? Ou eles estão engavetados, em algum lugar? Que tal começar a refletir sobre a sua vida e o rumo para onde ela esta indo? Você está satisfeito onde está ou sabe que precisa melhorar? O que está fazendo para tornar os seus sonhos em realidade?

Os seus sonhos não podem ficar engavetados. A vida vai passar, e você pode se arrepender de não ter lutado pelo o que queria e desejava. Que tal recomeçar e criar coragem para lutar pelos seus sonhos novamente?

Inicialmente, verifique o que precisa ser feito para torná-los eles realidade. Lembre-se de que você pode precisar de coragem e tempo. Inicie os primeiros passos, mas comece. Você tem ao seu lado um recurso muito precioso: o tempo! Portanto, nada de desperdiçá-lo. Ao retirar os seus sonhos da “gaveta” a sua vida vai mudar para melhor, porque você vai começar a lutar pelo o que realmente quer e te faz feliz. Não dê ouvido a pessoas negativas e pessimistas, acredite em si para lutar pelo o que almeja e te faz feliz. A vida passa rápida demais e você merece sempre o melhor.

Comece cuidando de você e anotando todos os seus sonhos, que estavam guardados. Se precisar mudar a carreira, mude! Mas, faça o que for necessário para tornar seu sonho em realidade, e tudo começa pela sua coragem e vontade de fazer acontecer.

Se quiser começar uma faculdade nova, vá e faça a sua matrícula. Que tal uma viagem de intercâmbio para treinar o seu inglês? Que tal conhecer novas culturas? Qual o seu sonho? Torne-o realidade por meio das suas atitudes. Não tenha medo de encarar o novo e o desconhecido, porque a sua felicidade esta onde você menos espera. Por isso, que tal começar a encarar as mudanças e a lutar por seus objetivos?  

Por Babi


Bem, você conseguiu cumprir a primeira meta do ano: Ano novo, emprego novo. Agora, vem o período de você se adaptar à empresa e o pessoal da empresa se adaptar ao novo colega. Com certeza esta é uma fase um tanto complicada, já que é logo nela que você será avaliado pelo seu comportamento, aparência, conhecimento, enfim, é uma etapa que obviamente precisa ser cumprida, mas que gera um pouco de desconforto para ambas as partes. 

Não adianta nada você ficar imaginando o que os seus colegas pensam de você, nem querer surpreendê-los com looks interessantes, geralmente essa etapa de análise é cheia de imprevistos e pequenas confusões. Por essa razão, você deve buscar o seu espaço de forma discreta, qualquer movimento que manifeste ansiedade ou desejo de reconhecimento imediato pode passar uma imagem errada de você. 

O primeiro dia em um novo emprego costuma ser o dia mais difícil, pelo simples motivo que na maioria das vezes você não conhece ninguém que trabalhe ali, por isso a sua chegada deve ser feita com discrição, isso implica cuidados na hora de se vestir e no comportamento. Passando as primeiras 24 horas, mantenha uma postura discreta, não comece a falar da sua trajetória brilhante na outra empresa nem tente falar mal do seu antigo emprego, qualquer uma dessas situações poderá servir para que o pessoal faça uma ideia errada de você. No lugar de falar do passado, foque nas suas ideias para o futuro. Ser discreto não significa ser tímido, isto é, seja confiante e apresente-se aos seus colegas com calma, tudo acontecerá no tempo certo. 

Outras dicas importantes são: não faça fofocas e fuja de quem começa os rumores, como você é o novo empregado elas podem cair sobre você. Não emita opinião sobre assuntos polêmicos, humildade sempre é bem-vinda independentemente do cargo que se ocupa, cuide da sua postura corporal gestos, linguagem verbal e excesso de intimidade.

Por último, mas não menos importante está a questão relacionada aos hábitos, seja observador e verifique quais são os hábitos dos seus colegas e superiores, eles podem dar boas dicas para que você saia bem dessa etapa. 

Por Melina Menezes


Ser uma pessoa otimista nos ajuda a enfrentar melhor a vida e a enxergar as coisas de uma outra maneira. Isso de certa forma contribui para a evolução da nossa consciência e de nossas emoções. Está difícil se manter uma pessoa otimista? Então, atente-se às dicas a seguir:

1. Mude sua forma de pensar e de agir. Às vezes, nos comportamos de forma imatura diante de alguns problemas, transformando-os em obstáculos difíceis de serem seguidos, e isso impede a nossa evolução. Portanto, encare seus problemas como uma fase temporária que veio apenas para te transformar e para te ensinar muito. Você só precisa acreditar em você mesmo e que tem capacidade suficiente para enfrentar tudo.

2. Aceite-se como você é. Aceitar-se como realmente somos implica em deixar de lado todas as crenças e valores que nos foram repassados através da sociedade e do meio social em que estamos inseridos, e isso inclui família, amigos, religião, etc. Pense apenas em como você gostaria de ser aceito. Olhe todos os dias no espelho e eleve apenas as suas qualidades, aquelas que só você tem, e diga-se única e sortuda por estar ali, bem e com saúde o suficiente para conseguir o que quer. Isso, com certeza, irá elevar a sua autoestima com o tempo. Enfim, faça o possível para investir em sua autoestima.

3. Tire um tempo exclusivo para você. Depois que você investiu em sua autoestima, agora é hora de tirar algum tempo para você cuidar de seus interesses pessoais, e, claro que isso inclui você em primeiro lugar. Saia mais com seus amigos, vá a museus, concertos, teatros, faça leitura, cursos, etc. Nessa hora, vale também dar aquela mãozinha na aparência, do jeito que você achar melhor e se sentir confortável. Para ser otimista, é preciso desenvolver a compreensão, o autoconhecimento e a empatia, pois são sentimentos que levam você a se conhecer melhor.

Por Daniela Almeida da Silva


Alguns ambientes de trabalho hoje em dia possuem uma certa flexibilidade, proporcionando aos funcionários ocasiões de lazer e conforto durante o cumprimento de suas tarefas no dia a dia.

Com o tempo, muitas empresas foram percebendo o valor que isso tem para os funcionários, e foram acrescentando em seus ambientes, alguns espaços de lazer, como salas de TV, mesas de sinuca, salas de jogos e leitura, sessões de massagem, entre outras alternativas de lazer. E claro que isso ainda é raro, e a competitividade para entrar nessas empresas ficou até maior. Por um lado isso ajuda muito os funcionários, mas por um outro, sempre tem gente que aproveita demais. É aí que mora o problema. Portanto, para aproveitar melhor a oportunidade numa empresa dessas, o funcionário deve:

– Separar momentos de distrações de momentos de trabalho:

Quando você estiver no trabalho e tiver que aproveitar essas alternativas, prefira deixar para o horário de almoço ou do café da manhã ou da tarde. Caso você puder aproveitar entre momentos de trabalho, prefira fazê-lo apenas quando não tiver muita demanda no seu dia e tome muito cuidado para que essa rotina não atrapalhe sua produtividade.

– Evite ficar muito tempo em lazer:

Lembre-se sempre de que você está no seu trabalho e que está sendo sempre observado, portanto, procure agir de bom senso nele. Saiba aproveitar seus momentos de distrações em um curto prazo de tempo para que não isso não interfira na sua boa conduta na empresa.

– Cuidado com atrasos:

Quando estamos em momentos de distração, é comum não vermos o tempo passar, e muitas vezes podemos perder a hora. É o caso de funcionários em horário de almoço, por exemplo. Ficam tanto tempo na sala de jogos ou no pátio da empresa conversando que muitas vezes perdem a hora de volta do trabalho. Evite isso colocando seu celular para despertar e faça alguma coisa que não tome muito o seu tempo.

Por Daniela Almeida da Silva


Podemos estar felizes, realizados, amados, restaurados, estruturados, equilibrados, saudáveis, sortudos, enfim, tudo quanto é tipo de qualidade, porém, parece que a grama do vizinho sempre será mais verde do que a nossa. Será mesmo isso ou pura ilusão?

É evidente que, para estarmos em constante transformação na vida precisamos nos sentir completos e exclusivos, e assim, a natureza humana parece não se ater a seus próprios limites, negando às vezes a si mesmo em prol da ganância alheia e da inveja pelos demais e pelo o que ainda não é seu. Isso infelizmente é praticamente uma tragédia da vida humana, infelizmente. Para vivermos em paz com nós mesmos, é preciso respeitar o espaço e a vida das outras pessoas, pois o que é nos dado nunca é faltado e jamais será de menos.

A insatisfação alheia reside no fato de as pessoas terem a voracidade de conquistas constantes e de competições alarmadas, as quais muitas vezes acabam levando-as para um abismo de medo, solidão, arrependimento e consciência pesada, pois a liberdade é um fator extremamente importante para cada um de nós e não devemos infligi-la de modo algum, seja por vontade própria de alguém ou por vaidade nossa. É isso que nos causa angústias intermináveis.

Saiba, antes do mais nada, que para se sentir bem com alguma conquista na vida, você precisa antes se sentir bem com você mesmo, pois caso contrário, você pode conquistar o mundo, o céu e as estrelas, mas se não souber conquistar a si mesmo e a se reconhecer humildemente como um ser humano em transformação com suas fraquezas, não valerá de nada. Se você não souber se questionar todas as vezes que se achar melhor ou pior que alguém, certamente sentirá falta do seu íntimo, de quem sempre deveria estar ao seu lado: a sua consciência.

Enfim, seja honesto com você mesmo, pois assim sendo, saberá ser honesto com os outros também.

Por Daniela Almeida da Silva


Sempre quando chega o final de ano surgem as promessas de ano novo e os votos de bondade para todos seguirem. Muitos cumprem o que prometem, mas nem todos ficam na mesma vibração, pois assim que começa o próximo ano e a rotina voltar a cobrar as mesmas tarefas, normalmente as pessoas acabam se esquecendo do que havia prometido na virada do ano passado, naquelas sete ondinhas que havia pulado ou na cor daquela roupa que havia usado.

Comece o ano novo com boas vibrações, para se certificar disso, atente-se às dicas a seguir:

– Cuidado com muitas promessas:

As promessas só devem ser feitas de você para você. Portanto, não prometa um elefante se você ainda nem ao menos pode sair do lugar no momento, ou seja, não prometa nada além do que você já havia planejado durante o ano. Seja sincero com você mesmo, faça as promessas que tiverem ao seu alcance e não envolva outras pessoas no seu desejo, pois ele tem que ser pessoal e intransferível. Outra dica também é não sair falando de suas promessas para impressionar as outras pessoas, pois isso pode ser muito constrangedor. Pense que se você não conseguir cumprir suas promessas, a cobrança não virá somente de você, mas principalmente daquelas pessoas para as quais você falou de suas promessas.

– Permita-se mudar:

Para que as coisas possam dar certo para você é preciso se permitir. Às vezes não temos consciência dos bloqueios que criamos em nossa mente e isso pode atrapalhar muito. Quando iniciar o ano novo, a primeira coisa que você tem que fazer é ter uma atitude positiva. Seja uma pessoa proativa e comece a entrar em ação para que as coisas deem certo para você.

Faça uma lista do que precisa mudar no momento, esqueça todos os sentimentos ruins e todas aquelas pessoas que te fizeram mal, e mão na massa!

Por Daniela Almeida da Silva


Em sua vida de trabalho, como você se consideraria, uma formiga ou uma cigarra? Quem já ouviu a célebre fábula da cigarra e da formiga narrada por La Fontaine, que dizia que cigarras e formigas trabalham em times opostos, deve saber o quanto ela se encaixa na nossa vida. Na verdade, as duas espécies se odiavam por serem exemplos de fraqueza alheia.

A cigarra, apesar de gostar do que fazia, não tinha senso de profissionalismo para garantir a ela uma sobrevivência digna, era gananciosa acima de tudo. Já a formiga trabalhava sol a sol e encontrava na dificuldade, uma oportunidade de mostrar sua excelência, mesmo vivendo sobrecarregada de trabalho e trabalhando sem parar um segundo. No entanto, mesmo com diferenças, as duas tinham algo incomum: as frustrações.

Essa fábula na verdade se torna uma metáfora se pararmos para pensar na forma que agimos com as nossas emoções quando precisamos lidar com nosso profissionalismo no trabalho. Independente de termos um estilo parecido com o da cigarra ou o da formiga, temos que aprender a articular nosso prazer de trabalhar ao profissionalismo. Um exemplo disso seria os profissionais que sentem inveja do sucesso alheio. Esquecem-se de que quem tem profissionalismo não precisa sentir inveja, pois aprendem com o outro.

É preciso criar uma nova geração de profissionais, onde formigas e cigarras convivam harmonicamente, para que ambas não convivam somente profissionalmente, mas que sejam profissionais também. Enquanto uma carrega as folhas, a outra trabalha na transformação e resignificação do trabalho.

Na nossa sociedade, por exemplo, uns dos problemas mais comuns são empresários e executivos bem sucedidos, as formigas, terem inveja das cigarras, trabalhadores disciplinados, que ganham pouco, mas curtem a vida e o que ela tem de bom a oferecer, sem pressões ou frustrações. Mas, por lado, existem também as cigarras que têm inveja das formigas por poderem desfrutar do que elas desfrutam, já que subiram de vida batalhando. O melhor que essas pessoas têm a fazer é integrar competência com habilidade e dar o melhor de si, não para competir, mas para se superar cada vez mais.

Por Daniela Almeida da Silva


Sabia que você pode ser feliz no trabalho? Para conseguir trabalhar com motivação e ânimo, é preciso que os seus projetos estejam alinhados com os seus sonhos. É preciso encarar as situações com maturidade, porque nem sempre você vai receber um feedback positivo e vai ter que realizar tarefas chatas como a entrega de um relatório.

Para começar a ser feliz no trabalho, é preciso que você escolha uma carreira apaixonante, ou seja, tenha plena convicção do que faz. Mesmo que esteja em um cargo que não gostaria, é preciso saber lidar com a situação. O que você teria que fazer para alcançar o cargo almejado?

Qual o seu objetivo? Aonde quer chegar? É fundamental que faça um planejamento assertivo da sua carreira e saiba que trajetos vai percorrer para alcançar o seu objetivo. É preciso que o profissional tenha planos, metas e saiba onde está indo. Em outras palavras, é preciso que ele tenha foco.

O profissional precisa apresentar resultados. Assim, quando eles são positivos a pessoa se sente reconhecida pelo seu trabalho. Desta forma, é importante que a pessoa se sinta parte de uma equipe. Outra dica para tentar ser feliz no trabalho é saber lidar com os seus conflitos internos e externos. Nem sempre o clima no ambiente vai estar positivo, mas é preciso saber lidar com isso. Ou seja, os atritos não podem interferir nos resultados. Por isso, procure ter conhecimento e domínio de si próprio, porque nem sempre é fácil lidar no ambiente.

Tenha uma postura otimista com as coisas da vida. Não fique se lamentando e ocupe o seu tempo e pensamento com coisas positivas. Acredite no seu potencial, na sua carreira e descubra o seu verdadeiro caminho. Tenha pensamentos bons e confie no seu potencial.

É possível ser feliz no trabalho e em todos os setores da sua vida. Que tal acreditar nisso? Só depende de você. Comece mudando as suas atitudes.

Boa sorte!

Por Babi


De acordo com pesquisas a respeito de assuntos políticos, sociais e econômicos, o Brasil é um dos países onde mais existem doenças emocionais desencadeadas pelo estresse.

Uma das principais causas que levam a esse problema é o fato de a maioria das pessoas não se sentirem satisfeitas com o trabalho, ou seja, elas não estão felizes com o que fazem. Quem insiste em continuar dessa maneira coloca não só sua saúde em risco, mas também a sua carreira.

Ainda se tratando de pesquisas, em meados do ano de 1998, foi constatado mais de 159 milhões que morreram decorrentes de distúrbios psiquiátricos associados ao estresse. Dentre os principais distúrbios estavam: depressão, alcoolismo, desordem afetiva, drogas, esgotamento profissional, entre outras desordens, sem contar as doenças cardiovasculares que atingiram (e continua atingindo cada vez mais em grande escala) mais de 143 milhões da população (Fonte: Relatório Mundial da ONU, 1999).

Diante dessa realidade, podemos refletir se vale a pena conviver com certos desgostos do cotidiano, por mínimos que eles sejam, pois nos tiram a alegria de viver. Muitas pessoas se submetem a isso apenas por status ou por um salário que elas acham justo e significativo para manter despesas altas. Mas o quê e quem nos limita a ser livres para fazer escolhas, que por menores que sejam podem ajudar a contribuir com uma vida mais equilibrada e saudável? Nós e nossas crenças baseadas em valores construídos.

Se você se encontra em um momento de decisão na sua vida, a qual está te obrigando a fazer escolhas certas, é hora de parar o que você está acostumado a fazer e analisar os ganhos e as consequências que você pode vir a ter, caso permaneça nesse ritmo. Adquira um significado único para sua existência e para tudo aquilo que você considera como prioridade. Às vezes, estar numa maré onde somente você rema pode não resolver seus problemas, mas sim ajudar a criá-los mais ainda.

Por Daniela Almeida da Silva


Quem vê o trabalho somente como uma fonte de conseguir dinheiro, geralmente desperdiça energias produtivas. É mais comum vermos pessoas pensando o que vão ganhar com alguma coisa do com o que têm a oferecer ou a aprender com algo.

Por exemplo, quando você recebe uma proposta de emprego, qual é a sua primeira expectativa? Saber se o salário vale a pena, ou se é bom, obviamente. Mas, você jamais vai perguntar, por exemplo, a respeito da vaga, se você realmente não estiver interessado nela. Alguns querem saber quais as oportunidades de crescimento numa empresa, enquanto outros só querem saber a respeito de cargos e salários, pois estão presos a uma maioria que só pensa em benefícios a curto prazo, não querem gastar tempo se aperfeiçoando para atingir resultados que exigem esforços, mas que são duradouros e a longo prazo.

Um profissional bem instruído deve tomar cuidado para não deixar que o dinheiro vire uma obsessão na sua carreira profissional, pois isso pode atrapalhar a sensibilidade de valorizar pequenos detalhes, que podem fazer grande diferença na carreira. É claro que a sensação de autonomia é uma coisa muito boa, só que pode vir a se tornar orgulho. Tenha o prazer de curtir e valorizar cada ação que você pratica na sua profissão. Não perca os sabores de cada batalha que você teve para chegar aonde chegou. Se limitar a curtir somente o pagamento na carreira é o mesmo daquelas pessoas que se alimentam pensando apenas nos nutrientes dos alimentos, e não nos sabores que eles podem proporcionar ao paladar. Um dos maiores prazeres de ter uma profissão bem sucedida é a oportunidade que temos de nos aprimorarmos como seres humanos cada vez mais, e de amadurecer para poder assumir nossos talentos, que são cada dia mais descobertos.

Lembre-se que é ótimo ter consciência na hora de fazer suas escolhas, mas, melhor ainda, é ter o prazer de saborear suas escolhas da melhor forma.

Por Daniela Almeida da Silva


É chocante a quantidade de pessoas que adoecem por causa de distúrbios adquiridos do estilo de vida moderno, incapacitando-as de serem felizes. Não adianta viver como máquina se você não tem resiliência para isso. Quem vive longe de sua própria essência morre aos poucos, por isso tem "baixa imunidade" contra as mazelas da vida. É preciso criar resistência se a escolha for essa.

Os anos 90 foram considerados como uma das épocas mais estressantes da história da humanidade, e nem por isso sua essência quebrou depois da virada do milênio. Há quem ainda viva de nostalgia daquele tempo, onde as descobertas estavam à mil.

Conforme vão se passando os anos, as pessoas vão perdendo a verdadeira essência da vida, essência essa que precisa ser nutrida de trabalho com sentido, vida afetiva equilibrada, amor, compreensão, autoconhecimento ou valores espirituais. A humanidade está sendo destruída silenciosamente por conta de desequilíbrios tanto na natureza quanto na vida.

O que poderíamos fazer para reverter esse processo?

É claro que a mudança tem que vir de cada um, de dentro da gente, mas é preciso querer que isso aconteça. É preciso também ajudar o próximo a mudar. Talvez nesse exato momento você esteja tendo alguns dos sintomas causados pelo mal do estresse, em consequência de uma vida profissional, financeira ou emocional mal sucedida. A única saída que esse estresse te leva é pensar em umas férias antecipadas, urgentemente. Esse pode ser o melhor momento para se refletir a respeito de suas necessidades.

Você pode deixar as férias para depois que conseguir cuidar de cada coisa à parte, e com muita calma. Comece com atitudes bem simples, mas que por um lado, pode trazer benefícios grandiosos e fazer uma enorme diferença. Faça planejamentos diários do que precisa mudar ou acrescentar, acorde cedo, faça aulas com exercícios para exercitar o corpo e o cérebro e outras coisas que você considera importantes para sua evolução, de forma progressiva.

Por Daniela Almeida da Silva


Você já reparou que temos milhares de profissionais de diversas áreas, porém, apenas uma ínfima quantidade consegue realmente ter sucesso naquilo que faz? É por isso que vou te dar algumas dicas a você que pretende ser bem sucedido na área em que exerce e fazer a diferença no seu setor. Continue lendo e confira as dicas.

A primeira coisa que você precisa fazer é um planejamento daquilo que deseja seguir e cumprir a risca o seu objetivo. Atualize-se constantemente e faça todo tipo de curso que a sua área exigir. Não deixe que outro profissional passe a sua frente se atualizando. Você precisa ter conhecimento, pois é essa bagagem que vai fazer de você um grande profissional.

Em seguida atente-se para o seu bem-estar, seja físico, seja emocional, você precisa estar bem e motivado para aquilo que deseja seguir. Cuide do seu condicionamento físico e de sua alimentação. Outro fator de suma importância é o psicológico. Os seus pensamentos o levarão onde você deseja e por isso, tome bastante cuidado com aqueles pensamentos negativos que tentam afastar você da sua meta. Livre-se também de pessoas negativas, pois a convivência com tais pessoas também fará com que você tenha alguns hábitos destrutíveis.

Diariamente alimente o seu sonho, imagine-se no topo. Tenha uns poucos minutos só para você e faça uma autoavaliação. Diga mentalmente que vai conseguir, que você está batalhando pelo seu progresso, que você já é um vencedor.

Essas etapas são muito importantes, pois muitas pessoas que conheço trabalham arduamente e sequer tiram um tempo diário para ficar só e avaliar como está sendo o dia. Aprenda a trabalhar em equipe e a motivar outras pessoas. Isso nos trará novas amizades e nos sentiremos amados ao perceber que pudemos ajudar outra pessoa a conseguir o que queria. A caridade é um dom fantástico que nos coloca para cima.

Aproveite o dia!

Por Luciana Viturino


A natação é um esporte olímpico de bastante importância que vem ganhando cada vez mais um maior espaço na mídia e em campeonato. O nadador é o atleta de natação que tem como objetivo se deslocar no meio aquático, usando técnicas variadas e diversos estilos de nados. As técnicas usadas pelos nadadores são variadas e podem se dividir basicamente como o crawl (nado livre), peito, borboleta, costas e clássico.

A natação pode ser praticada em plataformas naturais como rios e mares, mas também em meios artificiais como a piscina que é dividida em raias individuais, o ambiente escolhido para a prova depende da competição que ela é executada, geralmente o fator mediador para a escolha do melhor atleta da competição é o tempo, o nadador que cumprir a prova no menor tempo é consagrado campeão.

Geralmente, os nadadores são formados desde sua infância para se tornarem atletas realmente competitivos, mas se você tem algum interesse profissional em entrar na carreira é preciso ficar atento a algumas características mínimas de um atleta de natação, como ter um bom fôlego, disponibilidade de tempo, garra, força física, paciência, determinação, habilidade com esportes em geral, capacidade de concentração, disciplina e principalmente responsabilidade.

Se você se enquadrou na maioria desses adjetivos você pode sim experimentar ser um nadador profissional. Não existe nenhuma formação acadêmica para ser um profissional de natação, a maior escola de qualquer esporte são realmente os treinamentos que trazem aprendizado e condições mínimas para se ter sucesso no esporte, o nadador geralmente participa de diversos campeonatos que juntamente com os treinos podem ser aproveitados para se ter uma maior experiência de nado.

O dia a dia de um nadador profissional não é moleza e consiste em treinos constantes, musculação, hidroginástica, preparo físico diário, exames mensais, alimentação orientada e uma série de atividades que são fundamentais para que o nadador possa ter um sucesso profissional em sua carreira. Seja qual for o seu interesse, é extremamente importante a prática de esportes seja ela profissional ou não. 

Por Paulo Victor Bragança


Você já parou para pensar a respeito da sua autoimagem? A forma como você se vê é diferente de como as outras pessoas te veem, porque uma condiz com sua personalidade e o que você quer passar, e a outra condiz com que as pessoas acham sobre isso, fazendo elas atribuírem a algo ou alguma crença.

Por exemplo, você está acostumado a ser uma pessoa carinhosa porque você gosta de ser assim, ou transmitir a imagem de uma pessoa carinhosa aos outros, no entanto, sempre vai ter uma outra pessoa que vai interpretar isso como interesse em alguém ou em algo. Logo, ela está atribuindo sua autoimagem a uma experiência ruim que ela já teve antes.

Quando cuidamos de nossa autoimagem, automaticamente também cuidamos da impressão que é passada para os outros. Veja agora algumas dicas para você cuidar e melhorar mais a sua autoimagem para com os outros:

– Seja com as outras pessoas da mesma forma que você gostaria que elas fossem com você. Esse princípio consensual funciona se, na verdade, você colocar em prática antes do mais nada o respeito e a cordialidade, pois ambas transformam as relações, tornando-as mais fáceis de lidar.

– Se você não viu, então não fale. Esse é outro princípio consensual que também funciona na prática. Basta parar para observar as pessoas que têm muitos amigos ou é considerada popular. Normalmente as pessoas tendem a gostar de quem fala pouco e a não gostar de quem critica e fala mal dos outros. Portanto, fale menos e ouça mais. Jamais tente falar de quem você não conhece ou não tem afinidade, pois isso pode mudar a forma de como as pessoas te enxergam e te tratam.

Por fim, não apenas passe uma imagem aos outros, mas seja essa pessoa que você quer que os outros vejam. Comece por onde você achar mais conveniente, não importa se for pela aparência física, intelectual ou espiritual.

Por Daniela Almeida da Silva


Sabemos que, conforme o tempo, a forma de interação entre as pessoas nas empresas mudam muito. Aos poucos, aquele ambiente pesado, de formalidade, vai sumindo e se tornando descontraído, claro, dentro de um certo limite, possivelmente.

Algumas pessoas não se dão conta e se sentem tão à vontade no ambiente de trabalho que começam a se comportar como se estivessem em uma festa ou num bar com amigos. Veja agora alguns dos principais comportamentos exagerados nas empresas que devem ser evitados:

– Atrasos

Tem gente que acha que, só porque tem amigos na empresa, pode chegar atrasado quando quiser. De um modo geral, o atraso é considerado um desrespeito não só com seus amigos, mas também com a empresa que confia em você, pois todos têm horários e obrigações para serem cumpridas. Por isso, cumpra-os sempre.

– Reuniões

Tem gente que está na reunião só de corpo e a cabeça no mundo da lua, ou em outras coisas. As reuniões são uma oportunidade para você mostrar todo o seu potencial, por isso, seja participativo e tenha foco. 

Evite mexer no celular ou conversar com algum colega no momento. Caso tenha alguma urgência, peça licença, com educação, para sair da sala por um instante.

– Brincadeiras

Respeito é bom e todo mundo gosta. Por isso, mantenha sempre o respeito para que a convivência seja harmoniosa dentro da empresa. Piadas, tiração de sarro e brincadeiras têm um limite e ultrapassá-lo pode ter consequências sérias.

– Broncas

A menos que você tenha autorização para fazer isso, não o faça. E se o fizer, evite que seja na frente de outras pessoas. Se tiver que chamar a atenção de alguém, chame a pessoa em sua sala e tenha uma conversa particular com ela. Aqui vale mais uma vez o respeito.

– Pressão

As regras anteriores se aplica a essa também. Se você tem autoridade para fazer isso, tenha bom senso e empatia. Se precisar cobrar algo de alguém, saiba que cada ser humano tem suas limitações e seu tempo certo para fazer as coisas da melhor forma possível.

Evite ficar muito no pé para não parecer um carrasco. Seja calmo e educado, senão você poderá sair prejudicado.

– Discrição

Seja sempre discreto quando for se referir à alguém, senão, as pessoas poderão se sentir desrespeitadas e incomodadas. Afinal, você está no seu trabalho!

Por Daniela Almeida da Silva


Nas mais diversas circunstâncias da vida somos obrigados a experimentar diferentes situações e, por mais angustiante que seja a experiência, sempre nos agarramos à ideia de que o futuro será promissor e que as "boas novas" mais cedo ou tarde nos favorecerão.

E manter esse tipo de pensamento é bom. Mais encorajador e determinante ao sucesso, quando temos a sensibilidade de olhar na direção de diferentes ângulos e abstraímos desses contextos pontos chaves a serem trabalhados e nos comprometemos com a mudança.

Não é de hoje, por exemplo, que se ouve "para toda ação, há uma reação". Obviamente, o nosso sucesso depende da forma como nos posicionamos perante os desafios da vida.

Todavia, você pode estar se perguntando: O que acontece comigo? Tenho bons cursos, experiência profissional, estou sempre à disposição da empresa, fazendo horas extras e etc. Porém, não me sinto plenamente realizado, falta reconhecimento, autonomia, salário compatível e, em outras palavras, pareço estar parado no tempo.

Pode estar acontecendo com você o que Fernando Cunha (Portal RH), chama de empregado ou líder "Arroz com Feijão". O que isso quer dizer? Que não basta ter uma graduação, agregar duas ou três pós-graduações, doutorado ou ir para o exterior. Isso faz parte. Mas, o essencial é saber o que você precisa fazer para melhorar seu desempenho.

Para exemplificar, Fernando usa um exemplo típico do funcionário "Arroz com Feijão": imagine que são 12h e você enfim parou para ler e-mails, ao conferir a caixa de entrada você visualiza uma mensagem do seu diretor enviada às 8h solicitando um gráfico de controle orçamentário do seu setor para que ele possa tomar uma decisão importante.

O gráfico precisa ser enviado até as 13h, mas isso não será possivel. Pois, o funcionário "Arroz com Feijão", mesmo tendo conhecimento de todas as informações, não tem ideia de como consolidá-las em um gráfico, depende de terceiros para tal feito.

Tomando como base o exemplo, Fernando aconselha: se você é um Arquiteto, aprenda a utilizar um programa de desenho digital, se é Administrador  saiba utilizar bem um gerenciador de planilhas eletrônicas, se é Advogado ou Psicólogo aprenda a utilizar um editor de textos, ou seja, domine as ferramentas que contribuam para sua efetividade enquanto profissional.

É bom lembrarmos sempre de que nossas atividades estão relacionadas a prazos e o tempo não pára por nossa causa. Daí a necessidade de se ter esse conhecimento.

Por Kesianne Ferreira


A Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 já são eventos responsáveis por drásticas mudanças no Brasil, entre elas, a modificação da cultura de atendimento aos clientes. Isto porque, em razão da dimensão dos citados eventos, que envolvem todos os povos do mundo, há uma maior necessidade de pessoas cada vez mais capacitadas, aptas para atender aos mais variados anseios de pessoas de diferentes culturas.

Assim, desde já estão sendo realizados grandes investimentos ligados à formação daqueles que estarão em contato direto com os clientes dos dois grandes eventos mundiais. São treinamentos específicos, aprendizagem de idiomas estrangeiros, aperfeiçoamento em atendimento e vendas, entre outros. Tudo com o objetivo de garantir que a Copa do Mundo e as Olimpíadas sejam um marco para o Brasil, não apenas como referência positiva mundial, mas também como meio de obtenção de muito lucro.

O maior ponto favorável com relação a todas as alterações são os benefícios posteriores para toda a sociedade brasileira: a capacitação no atendimento, realizada especificamente para os dois grandes eventos esportivos mundiais, tornará milhares de pessoas aptas a prestar um melhor atendimento – e de forma contínua – aos clientes nacionais. Teremos o aperfeiçoamento da profissionalização dos serviços prestados e a tão desejada excelência.

Por Leni do Vale





CONTINUE NAVEGANDO: