Saiba aqui como funciona o Crédito Consignado FGTS.

Nelson de Souza, o presidente da Caixa, já detalhou recentemente quais as regras para utilização do crédito consignado, o qual desconta diretamente na folha de pagamento dos funcionários que atuam na iniciativa privada e usarão, como garantia, o FGTS, o Fundo de Garantia.

Esta linha nova de financiamento passou a ser oferecida a partir do 26 de setembro desse ano. Aconteceu uma cerimônia, para que fosse realizado o lançamento, no Palácio do Planalto, juntamente com o presidente da república, Michel Temer.

Logo após, o presidente do órgão foi entrevistado pela imprensa com o objetivo de apresentar os critérios necessários para que os cidadãos possam realizar o pedido do novo modelo de empréstimo.

A Caixa Econômica Federal é a primeira instituição bancária a oferecer esse modo de empréstimo, o qual poderá também ser operado por meio de outras instituições bancárias. Para tanto, essas instituições terão de firmar convênios, realizados com as diversas empresas do Brasil para que os seus colaboradores consigam contratar este tipo de empréstimo.

Hoje, no Brasil, aproximadamente 37 milhões de profissionais possuem contas que são vinculadas ao FGTS, tendo um total de R$ 190 bilhões. A Caixa, por meio de seus cálculos, informa que se 50% destes trabalhadores solicitam esse modelo de crédito pessoal, estima-se que seja injetada cerca de R$ 37 bilhões na economia do país.

Michel Temer, durante seu discurso na referida cerimônia, deu destaque à medida, que juntamente com outras tomadas por meio do governo federal, bem como a realização de saques das contas que se encontravam inativas do Fundo de Garantia e também do saldo presente no fundo PIS/Pasep, possui uma vertente econômica e outra social.

Souza ainda disse que este trabalho realizado pela Caixa Federal a favor do cidadão trabalhador possui de fato essa vertente econômica, o que significa uma maior circulação do dinheiro na economia.

Conheça as taxas para adquirir o crédito

De acordo com a própria Caixa, é determinado por lei que a taxa máxima nesta modalidade de crédito, onde se tem a garantia do FGTS, seja de até 3,5% ao mês.

Já na instituição pública Caixa, estas taxas irão partir em 2,63%, isto levando em consideração o perfil do cliente como pessoa física e também do empregador.

Saiba sobre os requisitos exigidos pela Caixa Ecoômica Federal para a contratação do empréstimo

Os cidadãos que possuem interesse na obtenção do crédito da Caixa terão de preencher, entre diversos outros, os critérios apresentados abaixo:

  • O empregador deve ter convênio de consignação ativo com a Caixa Econômica Federal;
  • O empregado precisa possuir margem consignável disponível a qual irá averbar a parcela do empréstimo diretamente na folha de pagamento;
  • O profissional precisa ter um vínculo empregatício com pelo menos 12 meses junto à organizações do setor privado;
  • O cliente precisa receber se salário em alguma conta corrente na referida instituição bancária;
  • É preciso que o contratante do empréstimo tenha saldo de FGTS com o valor compatível ao qual deseja emprestar;
  • Assim como outros tipos de crédito, margem de consignação é de no máximo 30% do salário do cidadão.

Como funciona a garantia dos valores

Os valores que são reservados como garantia se limitam a soma dos seguintes:

  • 10% do saldo que se encontra disponível na conta do Fundo de Garantia do requerente.
  • E 100% do valor da multa rescisória, a qual está prevista no caso do profissional ser demitido por algum motivo que não seja justa causa.

Solução de dúvidas

Os cidadãos que possuem dúvidas sobre este crédito, podem entrar em contato com a Caixa. O banco disponibiliza o SAC, o Serviço de Atendimento ao Consumidor, para tal finalidade, para entrar em contato deve-se ligar para 0800-726-0101. Lembrando que a ligação é gratuita.

FILIPE R SILVA


Saiba aqui o que é crédito consignado e como ele funciona.

Criado no ano de 2003, o empréstimo consignado é uma das diversas opções de crédito disponíveis no mercado. Voltado para aqueles que possuem algum benefício ou recebem provimentos em folha de pagamento, este é oferecido por bancos, ou empresas especializadas na oferta deste produto. O cálculo para liberação do valor é feito através da “margem” do beneficiário. Este é, basicamente, trinta e cinco por cento do recebimento de proventos, valor máximo permitido para liberação de credito.

Este se torna atrativo pelos juros menores e a facilidade de obtenção, já que as parcelas são descontadas automaticamente. A imensa maioria dos beneficiados são idosos, já aposentados, que recebem seus benefícios através do INSS – Instituto Nacional de Seguridade Social – ou pelos estados. Para conceder este produto, as empresas devem firmar convênios, seja com o INSS ou com os governos estaduais. O empréstimo consignado também se mostra uma boa opção, pois não consulta os órgãos de proteção ao crédito, como o SPC ou SERASA. Isto porque os bancos e financeiras tem a garantia de recebimento das parcelas, pelo motivo citado anteriormente, pois as parcelas são debitadas automaticamente.

Porém, não é apenas os idosos que podem tomar este crédito. Funcionários de empresas que recebe em folha de pagamento, por carteira assinada, também pode receber. Os bancos oferecem parcelas fixas e não exigem que o tomador do empréstimo justifique a sua finalidade. O prazo para pagamento é menor que aqueles que possuem um benefício, porém, se mantém uma taxa de juros menor, e a rapidez na liberação do dinheiro. Muitas das empresas que oferecem o empréstimo consignado, também possibilitam que, após quitar uma parte do valor devido, o tomador refinancie este valor: volte a pagar do início e receba uma parte do valor novamente, para gastar da forma que necessita, se tornando interessante aos que já não possuem mais “margem consignável” para negociar.

Outro produto bastante popular neste mercado é o cartão de crédito consignável. Basicamente é um cartão, na função crédito, que possibilita o parcelamento das contas, com um limite baseado no seu benefício. Ele é internacional, podendo ser usado no Brasil ou em outros países. Neste, também é oferecido um valor para empréstimo – cerca de cinco por cento da “margem” – porcentagem que complementa os trinta por cento (limite máximo exigido por lei). Aos que já possuem conta em banco, a liberação fica ainda mais fácil, podendo ser realizada pelo celular, através do internet banking, ou pela agência, conversando diretamente com o gerente. O relacionamento com a instituição financeira pode ser primordial para a liberação ainda mais rápida do montante desejado.

Ao consultar uma empresa para contratação deste produto, é importante verificar se a mesma possui CNPJ – Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica – e endereço comercial fixo. Se a mesma está autorizada a prestar este serviço e possui parceria com o seu órgão de pagamento, ou empresa. Nenhuma destas solicita depósito antecipado, pois os encargos já são embutidos no empréstimo. Desconfie se, neste, é exigido algum “fiador”. Nenhum empréstimo consignado se exige uma pessoa para avalizar, já que o banco ou financeira faz o desconto direto na folha salarial, evitando imprevistos no pagamento das parcelas.

Apesar da facilidade, é importante analisar se este dinheiro é realmente necessário, já que isto se torna uma dívida, que pode ser de curto prazo, em parcelas menores, ou a longo prazo, em parcelas maiores. Apesar do valor menor, optar por pagar por mais tempo, pode apertar seu orçamento. Mesmo com a oferta de bancos e outras empresas, o empréstimo consignado pode se tornar um vilão, já que em certo momento sua “margem” pode estar comprometida, e você impossibilitado de tomar um “novo crédito”, deixando de receber parte de seu salário no pagamento desta conta.

Por Leandrinho de Souza


Pagamento do benefício deve ter início em outubro de 2017.

De acordo com a Medida Provisória nº707 deste ano de 2017, os beneficiados do programa PIS/Pasep irão receber seu dinheiro, diretamente em contas bancárias. Os depósitos automáticos terão início a partir do próximo mês de outubro.

De acordo com uma resolução que foi publicada no Diário Oficial da União, nesta última terça-feira, dia 12 de setembro, aqueles que estiverem com seus respectivos cadastros atualizados em instituições financeiras, devem receber seus saldos diretamente em suas contas.

Para manter os beneficiados informados, até a próxima sexta-feira, dia 15 de setembro, um calendário com todas as datas será publicado.

Segunda essa resolução, os saques estão previstos para começarem no mês de outubro deste ano, terminando no mês de março do ano de 2018.

Em um pronunciamento de Dyogo Oliveira, atual ministro do Planejamento, serão liberados o equivalente a R$15,9 bilhões em recursos a serem distribuídos para cerca de 8 milhões de pessoas. O cronograma foi planejado beneficiando primeiramente aqueles cotistas mais idosos.

Esse recurso já era um direito de quem possui mais de 70 anos. Contudo, a partir da Medida Provisória criada pelo governo de Michel Temer, poderão realizar o saque, mulheres com idade superior a 62 anos e homens com idade superior a 65 anos.

De acordo com informações que foram publicadas pelo MPDG, o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, a estimativa é de que o fluxo de retiradas por mês do benefício PIS/Pasep passe de R$ 104 milhões para R$ 2,6 bilhões.

Como esse volume de retiradas tende a aumentar consideravelmente, foi necessária a criação do calendário. Além disso, será realizada uma campanha visando informar aos cotistas, em como proceder para realizarem seus saques.

Não só o volume de dinheiro retirado vai aumentar, mas também o número de atendimentos e solicitações para realização de saques. A estimativa é de que 56 mil atendimentos passe para 1,3 milhão em cada mês. Fato que fará com que as agências bancárias se preparem para esse aumento da demanda de atendimentos.

Dessa forma, o depósito realizado automaticamente na conta do beneficiado deve ajudar um pouco nessa movimentação. Aqueles que desejarem realizar a transferência de seus saldos para contas de outros bancos, poderão fazê-lo sem nenhum impedimento e sem pagar nada pela transferência.

Além do calendário, o governo pretende ainda desenvolver ferramentas para consulta eletrônica ou por meio de telefone, para quem assim o cotista possa tirar dúvidas sobre se possui ou não algum saldo a ser sacado.

Segundo informou o ministro, a maior parte dos cotistas deve realizar o saque no valor médio de R$750.

Quem poderá realizar o saque do PIS/Pasep Inativo?

Possuem esse direito, mulheres acima de 62 anos de idade e homens acima de 65 anos de idade e aposentados, que possuam cadastro no Fundo PIS/Pasep até a data de 04/10/88 e que ainda não tenham realizado o saque do saldo pertencente a conta individual de participação.

Caso a pessoa tenha sido servidor público, o Banco do Brasil se encarregará de esclarecer eventuais dúvidas sobre o saque.

O Ministério do Planejamento junto ao governo federal informa que cada trabalhador tem direito somente em referência a uma cota.

Nesse sentido, se você corresponde aos requisitos descritos acima, quando chegar a data para a realização do saque, basta comparecer a uma agência da Caixa Econômica Federal, levando um documento oficial com foto e o número de inscrição no NIS.

Se você acredita que possui o direito de receber o benefício do PIS/ Pasep Inativo, aguarde a publicação do calendário e demais informações sobre como realizar o saque. Não deixe de retirar o saldo que lhe é de direito, fique atento ao lançamento do calendário e verifique a sua data de saque.

Sirlene Montes


Confira aqui quem tem direito e como calcular o valor que você terá direito para saque dos Lucros do FGTS.

A situação econômica de determinado país leva à realização de medidas variadas para a manutenção do bem-estar não apenas dos serviços públicos, mas também de sua população, com foco na qualidade de vida e presença de recursos para o pagamento das contas básicas.

Com relação a este tema, uma das mudanças realizadas pelo governo federal neste ano de 2017 consistiu na liberação para retirada de contas ativas e inativas dos valores relacionados com o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), com a posterior liberação dos seus lucros.

No entanto, existem muitas dúvidas com relação a como calcular lucro do FGTS no mês para a identificação do valor referente a esta operação que será recebido as quais serão esclarecidas em seguida neste artigo.

Informações básicas sobre FGTS

O FGTS é o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, que consiste em um depósito que deve ser feito mensalmente pelo empregador em uma conta bancária determinada na proporção de 8% do salário pago ao trabalhador.

O objetivo do FGTS consiste em ser utilizado pelo trabalhador quando se encontrar desempregado, seja porque foi dispensado pelo empregador, em virtude de doenças graves ou por outra ocorrência específica.

De maneira geral, os lucros obtidos com os depósitos feitos no FGTS são distribuídos entre os trabalhadores que possuem este benefício trabalhista o qual para o ano de 2017 foi disciplinado pela Lei 13.446/2017 publicada em maio e que aumentou o índice de lucro a ser alcançado com ele.

No ano de 2016 houve um rendimento líquido no FGTS que chegou a mais de R$14 bilhões, dos quais haverá o depósito de aproximadamente R$7,2 bilhões nas contas de 88 milhões de brasileiros com uma média de recebimento de R$29,62 reais para cada um.

Forma para calcular lucro FGTS no mês

A maneira para que se possa calcular o lucro do FGTS no mês para determinado trabalhador tem uma dinâmica simples que iremos detalhar a seguir por meio da realização de algumas etapas:

1) Verificação do saldo existente na conta do FGTS de certo trabalhador em 31 de dezembro de 2016: esta informação pode ser obtida no banco ao qual a conta do FGTS está vinculada ou ainda pela internet, no site https://sisgr.caixa.gov.br/internet.do?segmento=CIDADAO01&produto-FGTS e pelo aplicativo do FGTS http://www.caixa.gov.br/atendimento/aplicativos/fgts/Paginas/default.aspx.

2) O valor existente na conta vinculada ao FGTS deverá ser multiplicado por 0,0193, que se refere ao percentual de 1,93% de rentabilidade determinado pela lei em vigor para quem possui cotas relacionadas a este fundo específico.

Para que esta situação possa ficar mais clara veja o seguinte exemplo:

“Uma pessoa que possuía um saldo de R$1.000,00 em sua conta do FGTS na data de 31/12/2016 irá multiplicar este valor por 0,0193, obtendo assim um lucro de R$19,30 a ser recebido”.

Informações gerais para uso do lucro do FGTS por mês

As ponderações relacionadas a como calcular lucro do FGTS no mês tem validade apenas para as pessoas que possuíam saldo positivo na conta a ele vinculada no último dia de 2016 e aquelas pessoas que durante o ano retiraram os valores existentes nesta conta não receberão lucros proporcionais.

Com relação aos trabalhadores que possuíam contas inativas do FGTS e que retiraram no ano de 2017 os valores existentes, haverá a distribuição também para eles do montante relacionado ao recurso financeiro que existia em suas contas vinculadas a este benefício no dia 31/12/2016.

De acordo com informações da Caixa Econômica Federal, os valores referentes aos lucros do FGTS serão creditados nas contas dos trabalhadores que tem este direito entre os dias 28 e 31 de agosto de 2017.

Conclusão

Por meio das considerações apresentadas a seguir relacionadas a como calcular lucro do FGTS no mês, é possível para qualquer pessoa que tem este tipo de opção saber os montantes financeiros que serão adquiridos com a presença dele em determinada conta bancária vinculada.

Ana Camila Neves Morais


Saiba aqui quem tem direito e como sacar o PIS 2018.

O calendário do PIS ano-base 2017/2018 deve ser liberado em breve. No ano anterior, isso aconteceu durante o mês de julho, período em que os pagamentos também começaram a ser disponibilizados. Na época, a estimativa era de que 22,3 milhões de trabalhadores brasileiros fossem beneficiados.

O que é PIS?

O Programa de Integração Social (PIS) foi desenvolvido por meio da Lei Complementar nº 7/1970. Seu foco é o de integrar funcionários do setor privado ao crescimento das empresas. O pagamento, nesse caso, é feito pela Caixa Econômica Federal

Quem tem direito ao benefício?

Para poder sacar o PIS, o trabalhador deve se encaixar nestas regras:

· Estar cadastrado no PIS há pelo menos cinco anos.

· Ter recebido salário mensal médio equivalente a no máximo dois salários mínimos durante o ano-base.

· Ter trabalhado para pessoa jurídica por pelo menos 30 dias, consecutivos ou não, durante o ano-base.

· Ter seus dados informados de maneira correta pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Quais serão os valores disponíveis para saque?

A Lei 13.134/15 estabeleceu que o PIS, ou abono salarial, terá valor proporcional aos meses trabalhados no ano-base. Por essa razão, só poderá sacar o valor de um salário mínimo (R$937) quem realizou suas atividades profissionais por 12 meses no ano/base.

O cálculo do pagamento será feito da seguinte forma: multiplica-se o número de meses trabalhados no período por 1/12 do valor do salário mínimo em vigência na data de liberação. O período igual ou superior a 15 dias será considerado como um mês completo.

Veja a seguir como ficará a distribuição de pagamentos:

  • 1 mês ou de 30 a 44 dias – R$79
  • 2 meses ou de 45 a 74 dias – R$157
  • 3 meses ou de 75 a 104 dias – R$235
  • 4 meses ou de 105 a 134 dias – R$313
  • 5 meses ou de 135 a 164 dias – R$391
  • 6 meses ou de 165 a 194 dias – R$469
  • 7 meses ou de 195 a 224 dias – R$547
  • 8 meses ou de 225 a 254 dias – R$625
  • 9 meses ou de 255 a 284 dias – R$703
  • 10 meses ou de 285 a 314 dias – R$781
  • 11 meses ou de 315 a 344 dias – R$859
  • 12 meses ou de 345 a 365 dias – R$937

Como consultar o valor PIS?

Para consultar o valor ou calendário do PIS, basta acessar o site da Caixa Econômica Federal: http://www.caixa.gov.br.

Nesse endereço, é possível ainda baixar um aplicativo do banco, que contém informações sobre os pagamentos e período de saque. Em hipótese alguma utilize outros canais online para fazer isso, pois podem se tratar de cybercrime.

Também é possível acessar essas informações por meio de caixas eletrônicos da Caixa ou pelo telefone: 0800 726 0101.

Camilla Silva


Trabalhadores agora poderão utilizar o FGTS como garantia para realizar Empréstimos.

Para quem está com a corda no pescoço e não sabe mais o que fazer mediante o aperto financeiro em que se encontra, esse artigo traz uma excelente notícia para todos que se encaixam nessa situação. A Caixa Econômica Federal divulgou nessa terça-feira (4) todas as regras para quem deseja usar o Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS) como garantia para os famosos empréstimos consignados. As parcelas dos pagamentos vão ser descontadas diretamente no contra cheque do trabalhador, com a taxa de juros a 3,5% ao mês. O trabalhador terá o prazo máximo de 48 meses para honrar a dívida com a Caixa e caso perca o emprego sem quitar a dívida, o FGTS vai assegurar que pelo menos parte do montante seja quitado para cobrir o valor emprestado ao trabalhador.

Segundo a assessoria da Caixa Econômica Federal, o valor que será emprestado vai depender do valor do FGTS que está depositado na conta vinculada do trabalhador. As regras dizem que o trabalhador pode dar como garantia o valor de até 10% do saldo total da conta e todo o valor da multa de 40% quando o mesmo é demitido sem justa causa. Tais valores podem ser retidos pela instiuição, caso o trabalhador perca o emprego e como consequência, o vínculo com a empresa em que prestava serviço quando pegou o empréstimo consignado.

O uso do Fundo de Garantia para fins de empréstimo para crédito consignado está prevista na lei que foi aprovada no Congresso no mês de julho do ano passado. Todo o processo de início das transações que envolvem o saldo do FGTS estava pendente de uma aprovação e regulamentação da Caixa Econômica Federal. Recomenda-se que o trabalhador ponha na ponta do lápis se realmente precisa de um empréstimo que sempre deve ser a última opção, pois caso ele faça o empréstimo consignado e perca o emprego, o mesmo deverá ter uma boa reserva como saldo de FGTS, para quitar o empréstimo perante o banco e se sustentar por um período até conseguir outro emprego.

Por isso, todo cuidado é pouco na hora de contratar esse tipo de serviço. A taxa de juros também deve ser levada em consideração e um planejamento prévio é o melhor caminho para não se enrolar com dívidas e apertar ainda mais o orçamento.

Rodrigo Souza de Jesus


O valor do tão esperado abono salarial 2017 varia de acordo com o salário mínimo, que esse ano ficou fixado em R$ 946,00.

Não há nenhuma dúvida que um dinheiro extra é muito bem-vindo, principalmente em época de crise financeira. Chegou a vez do abono salarial ser pago para milhões de brasileiros em todo o país pela Caixa Econômica Federal e muitos poderão realizar o sonho de uma viagem ou da reforma da casa.

Vale lembrar que nem todo mundo tem direito ao abono salarial e, por isso, as pessoas devem ficar bastante atentas ao recebimento do benefício bem como as datas para não correr o risco do dinheiro ficar retido. Caso isso aconteça, o mesmo só poderá retirar ano que vem.

O valor do tão esperado abono salarial 2017 varia de acordo com o salário mínimo, que esse ano ficou fixado em R$ 946,00. Segundo alguns especialistas, a correção do valor do abono para 2018 sofrerá ajustes, pois o salário mínimo também vai aumentar um pouco. Para uma melhor orientação dos interessados, a Caixa divulga anualmente um calendário informando as datas limite para saque e os requisitos para sacar o benefício do PIS.

Os interessados já podem verificar no link http://calendariopis2016.net/calendario-pis-2017/ se tem direito ao abono bem como as datas de saque. O calendário de saque do abono é feito de acordo com a data de nascimento do trabalhador, já que seria impossível todas as pessoas receberem em um só dia, o que poderia afetar diretamente os sistemas de dados da Caixa, além de uma tremenda sobrecarga de informações.

As exigências para se receber o abono do PIS são as seguintes: o trabalhador deverá ter trabalhado por um período de, no mínimo, trinta dias com carteira assinada em 2016, a empresa deverá ter entregue a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) no Ministério do Trabalho, o trabalhador não pode ter recebido mais que dois salários mínimos referentes ao ano-base, ou seja, R$ 1.760,00 e precisa ter cadastro ativo no PIS por mais de cinco anos.

Vale reforçar que empregadas domésticas não tem direito ao benefício, pois o trabalhador precisa estar vinculado a uma pessoa jurídica com CNPJ ativo no sistema de informações do governo.

Para sacar o PIS, basta se dirigir a qualquer agência da Caixa com o cartão cidadão, senha e documento de identidade.

Por Rodrigo Souza de Jesus

Dinheiro


Tire aqui as suas dúvidas sobre o FGTS Inativo. Saiba o que é, quem tem direito e como sacar o dinheiro.

O que é O FGTS?

É o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, que foi criado como uma forma de proteção ao trabalhador que presta serviços com carteira registrada, para ser usado quando ele for demitido sem justa causa.

Esse dinheiro que o trabalhador tem direito ao ser demitido é a soma de depósitos mensais realizados pelos empregadores em contas na Caixa que são abertas nos nomes dos trabalhadores contratados. Os valores dos depósitos mensais significam 8% do salário atual do trabalhador.

O que é uma Conta Inativa do FGTS?

Ao longo da vida o trabalhador pode ser contratado por muitas empresas e nelas devidamente registrado. Quando o contrato é cancelado por justa causa, o funcionário não pode contar com o FGTS , ficando esse dinheiro parado em sua conta que passa a ser inativa, pois não recebe mais os depósitos mensais. Dessa forma, esse saldo fica parado sendo chamado de FGTS Inativo.

Quem tem direito ao saque de FGTS Inativo?

Têm direito aqueles cidadãos que até o dia 31 de dezembro de 2015 trabalharam com carteira assinada e foram demitidos por justa causa. Além de pessoas desempregadas há mais de 3 anos.

Quando o saque pode ser feito?

Para quem tem direito, os saques podem ser feitos a partir do dia 10 de março. Contudo, existe um calendário com os vencimentos. Nesse sentido, no mês de março poderão sacar somente as pessoas nascidas nos meses de janeiro, fevereiro e março.

Para conferir o calendário completo para saque clique aqui.

Que documentos levar para sacar o saldo do FGTS Inativo?

Será necessário a apresentação de um documento com foto para identificação, a Carteira de Trabalho e o cartão cidadão.

Onde pode ser feito o saque?

Podem ser feitos nas agências da Caixa Econômica Federal, em casas lotéricas ou Caixas eletrônicos da Caixa.

É possível obter informações via Celular?

Sim. Por meio do aplicativo é possível acompanhar o FGTS, pois são enviadas mensagens de SMS que informam sobre qualquer modificação na conta.

Para baixar o aplicativo acesse http://www.caixa.gov.br/atendimento/aplicativos/fgts/.

Como manter o Cadastro e Endereço Atualizados?

Para qualquer modificação de endereço acesse https://servicossociais.caixa.gov.br/, informe o número da inscrição no PIS/PASEP e a senha já cadastrada.

Se você possui o direito de sacar o FGTS de contas inativas, informe-se no calendário e saiba quando realizar o saque.

Sirlene Montes


Caixa Econômica estuda a possibilidade de transferir automaticamente saldo das contas inativas para as contas correntes de seus correntistas.

Agências abertas durante o final de semana. Parece sonho, mas é a CEF já cogita está possibilidade, não que seja para atender melhor os seus clientes e sim, como uma jogada para que nos meses de março até julho possam ser mais suaves para as agências . O motivo? Filas quilométricas formadas por pessoas que possuem o direito de sacar valores de contas inativas. Espera-se até agora, que tal procedimento sirva para que 10 milhões a menos de brasileiros, ocupem as filas pela espera do dinheiro. A Caixa já planeja executar o plano transferindo de forma direta o saldo do correntista para a conta inativa pertencente ao FGTS.

O governo deve divulgar o cronograma das datas em que os saldos serão liberados do FGTS até a próxima terça-feira, dia 14.

Até agora, o governo está planejando liberar apenas aos clientes que possuem conta registrada na Caixa Econômica Federal, a possibilidade de escolher transferir de forma automática o valor do FGTS Inativo para as contas correntes de seus correntistas.

Para ter acesso ao seu saldo, basta consultar o saldo que possui as contas inativas.

Todos estão à espera do próximo dia 14, terça-feira do mês de fevereiro. Isso porque o governo deve anunciar as datas para as pessoas poderem sacar suas contas inativas do FGTS. O objetivo principal disso é fazer com que os trabalhadores que não receberam os depósitos após a quebra de contrato com empregador, estejam com a dívida quitada. Traduzindo: dinheiro no bolso para conseguir impulsionar o motor econômico que, nos últimos meses, andou estaganado.

É importante ressaltar que a data que o trabalhador poderá receber o determinado valor irá depender também do seu mês de aniversário.

Depois dessa etapa, o trabalhador recebe dinheiro e pode gastar, tendo em vista as suas maiores prioridades.

O órgão que está fazendo a administração dessas contas do FGTS é a Caixa e dessa forma, a instituição pode realizar a transferência dos saldos das contas que estão inativas diretamente para as contas-correntes dos clientes, atendendo assim o pedido dos mesmos. Contudo, o correntista tem o direito de atualizar a Caixa com informações se pretende ou não permanecer utilizando os recursos como conta não ativa.

Sirlene Montes


Governo Federal divulga calendário oficial do saque do FGTS Inativo.

O Governo Federal publicou nesta terça-feira, dia 14 de fevereiro, o calendário para realizar o saque do saldo das contas inativas do FGTS – o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. Mais de 30 milhões de cidadãos, a partir de março, já terão direito a fazer a retirada do dinheiro.

De acordo com algumas informações prestadas, os saques já iniciam no dia 10 do próximo mês, para os trabalhadores que nasceram nos meses de janeiro e fevereiro. Cidadãos nascidos no mês de março, abril e maio terão direito a sacar no mês de abril. Já quem faz aniversário nos meses de junho, julho e agosto, conseguirá retirar em maio. Os nascidos nos meses de setembro, outubro e novembro irão sacar o saldo em junho. E por fim, no mês de julho, será sacado o saldo dos nascidos em dezembro.

Confira abaixo as datas para saque:

  • Nascidos nos meses de janeiro e fevereiro: retiram em março (saques a partir do dia 10)
  • Os nascidos nos meses de março, abril e maio: retiram em abril (dia 10 em diante)
  • Os nascidos nos meses de junho, julho e agosto: retiram em maio (dia 12)
  • Os nascidos nos meses de setembro, outubro e novembro: retiram em junho (dia 10)
  • Os nascidos em dezembro: retiram em julho (de 14 a 31)

Conforme informações do governo, ao todo são cerca de R$ 43 bilhões que estão parados nessas respectivas contas e a União calcula que aproximadamente R$ 34 bilhões serão retirados pelos trabalhadores.

Os saques poderão ser realizados até o meio deste ano.

Um pouco mais de 50% dos cidadãos possuem até R$ 500 para retirar, de acordo com o governo. Os outros 24% possuem um valor que varia entre R$ 500 e R$ 1.500. Estes dois grupos significam 80% do total de trabalhadores que possuem direito a fazer a retirada do dinheiro. Os outros possuem um saldo de mais de R$ 1.500.

Anteriormente, só poderia fazer o saque do Fundo de Garantia de uma conta que se encontrasse inativa quem não tivesse empregado por, pelo menos, três anos ininterruptos. A partir dessa medida, os cidadãos que pediram a conta ou foram demitidos por justa causa antes do dia 31 de dezembro de 2015, poderão sacar o benefício.

FILIPE R SILVA


Saiba aqui como consultar o saldo, tirar o extrato e tirar a certidão negativa do INSS.

A Certidão Negativa do INSS via internet tornou mais fácil a vida dos contribuintes da previdência. Oficialmente ela é chamada de Certidão Negativa de Débitos (CDN). Esse instrumento foi criado com o objetivo de tornar mais prático e ágil o processo burocrático ajudando consequentemente o trabalhador e também o empregador a ter uma maior segurança e controle sobre os aspectos que envolvem questões junto a Previdência Social. Ela auxilia inclusive na questão de haver débitos ou não do contribuinte junto a Previdência. No caso de existir alguma pendência, o nome aplicado é Certidão Positiva de Débito.

É importante lembrar que a CDN pode ser usada tanto no caso das contribuições que são feitas para o INSS quanto para os tributos pagos ao governo federal.

Como emitir a certidão

Se você tem a necessidade de emitir a certidão negativa de débitos do INSS veja abaixo o passo a passo:

1 O primeiro passo é entrar no site do Dataprev. O endereço eletrônico é o seguinte: http://www.dataprev.gov.br/servicos/cnd1.htm..

2 Dentro do site procure pela opção “Pedido de CND” e clique sobre ela.

3 Na sequência é preciso informar o número do Cadastro Específico do INSS – CEI.

4 O Dataprev solicita nesse ponto que seja informado qual o motivo do pedido da CND. Entre as opções listadas no site vamos ter averbação de imóvel, registro de alteração contratual e arquivamento.

5 O site exige que seja digitado o código que é informado pelo anti-robô. Isso é apenas uma medida que a maioria dos sites estão adotando para garantir uma maior segurança aos usuários.

6 Ao clicar em “Cadastrar” você será redirecionado para outra página. Aqui verifique se todas as informações listadas por você estão de fato corretas.

Depois é só clicar em “Confirmar”.

Uma outra maneira de se obter a certidão negativa de débitos é fazendo o pedido pessoalmente em alguma Unidade da Receita Federal ou ainda na Procuradoria Geral da Fazenda Nacional.

Em que caso a Certidão Negativa de Débitos é usada?

A exigência da CNH pode ocorrer em diversas situação. Ela pode ser pedida, por exemplo, no caso de tributos que sejam administrados pela Receita Federal ou Procuradoria da Fazenda Nacional. Ela pode ser usada também em diversas situações tratadas pelo INSS que dizem respeito as contribuições que são feitas a Seguridade. Ela também pode ser pedida para o contribuinte de pessoa jurídica ou pessoas físicas que estejam representando uma empresa.

Para fazer o pedido da CND ou obter maiores informações clique aqui.

Por Denisson Soares


Confira aqui mais informações sobre o Crédito Consignado nos principais bancos do Brasil.

O Empréstimo Consignado é uma boa opção para aposentados, pensionistas, servidores públicos e de empresas privadas que estejam precisando de dinheiro. Muitos bancos e financeiras oferecem esse serviço, inclusive a Caixa, o Banco do Brasil e BMG.

– Empréstimo Consignado na Caixa: Oferece os melhores prazos e as menores taxas de juros e não exige avalista. Para fazer um empréstimo consignado na Caixa é necessário ter vínculos com as empresas conveniadas com a Caixa ou ser pensionista ou aposentado. Procure uma agência da Caixa Econômica com documentação completa e assine o contrato. Antes, leia as cláusulas em http://www.caixa.gov.br/Downloads/Credito-Consignado-Clausulas-gerais/Credito_Consignado_Caixa.pdf. Rapidamente o crédito é liberado e as parcelas serão descontadas mensalmente na folha de pagamento ou benefício.

– Empréstimo Consignado Banco do Brasil: O BB também oferece ótimas taxas de juros e prazos favoráveis. O crédito pode ser parcelado em até 96 mensalidades e o desconto da primeira parcela é programado para 180 dias depois da concessão do crédito. Porém, o EC do BB é somente para clientes que possuem conta e crédito no banco. Além de possuir limite de crédito na agência, é preciso estar contratado e remunerado por alguma empresa que esteja conveniada ao BB, para que seja possível o desconto em folha de pagamento. Para saber mais sobre o Crédito Consignado BB, acesse o site http://www.bb.com.br.

– Empréstimo Consignado BMG: Agência BMG também oferece aos seus clientes a facilidade do empréstimo consignado. A princípio é necessário que o cliente que requer o empréstimo possui conta no banco e vínculo empregatício com alguma empresa do setor privado que seja conveniada do BMG. Além disso, é realizada uma pesquisa de limite de crédito. O BMG não disponibiliza mais informações sobre essa modalidade de empréstimos em seu site, mas deixa disponível o número de telefone 0800 724 2102 para esclarecer todas as dúvidas sobre a oferta do crédito.

Assim como os bancos citados, vários outros oferecem esse tipo de serviço a seus clientes. Inclusive pequenas financeiras que possuem convênios com a Caixa e com outras agências bancárias. O recomendado é que quem busca por um Empréstimo Consignado procure uma agência séria, que possua boas referências no mercado. O importante é que antes de qualquer operação o interessado se informe.

Sirlene Montes


Saiba aqui o que é e como funciona o crédito consignado.

Quando o orçamento chega no limite e não se consegue quitar com os compromissos financeiros ou surge a necessidade de um dinheiro extra, muitas pessoas resolvem esse tipo de problema recorrendo aos empréstimos. Um dos empréstimos mais realizados no Brasil é o Empréstimo Consignado, mas afinal o que vem a ser esse empréstimo?

O Empréstimo Consignado também chamado Crédito Consignado é um tipo de empréstimo cujo pagamento é de forma indireta e as suas parcelas são calculadas e deduzidas com base no valor que consta na folha de pagamento da pessoa que o está realizando. Dessa forma, as parcelas são descontadas diretamente da folha de pagamento da pessoa ou do benefício da previdência do contratante.

Pode-se conseguir este empréstimo em várias instituições financeiras, mas o número de parcelas a ser descontadas mensalmente não pode exceder a 72.

Como todo empréstimo, quando se retira um determinado valor, no parcelamento são acrescentados muitos encargos e juros, o que pode variar de acordo com o valor e instituição financeira. Porém, para que não haja taxas abusivas, o Ministério da Previdência Social tem a disposição uma lista em que constam os valores que os bancos podem cobrar como taxas de juros. Segundo esta lista, atualmente as taxas mais altas são em torno de 2,14% por mês em caso de empréstimo. Já para o cartão consignado, que é para pensionistas e aposentados, as taxas vão até 3,06% por mês. Mas as taxas podem variar também de acordo com os clientes. Fora essas taxas de juros já cobradas, o contratante também paga o IOF, que é o imposto sobre Operações Financeiras.

Essa modalidade de empréstimo é uma das mais aprovadas pelas instituições financeiras e bancos, pois ela oferece a quem está emprestando a segurança do recebimento das parcelas, pois todos os meses a cobrança das parcelas é feita de forma automática, de forma que o contratante não mais possui a autonomia de pagar ou não pagar, pois a responsabilidade do pagamento passa a ser da previdência (casos de aposentados e pensionistas), empresas e outros órgãos.

Assim como quem faz o empréstimo possui a vantagem de recebimento garantido, quem pede o empréstimo também recebe algumas vantagens. Por exemplo, como o desconto é diretamente na folha, ele não precisa se preocupar com a data para pagar a sua parcela, nem pagar juros em caso de atraso e nem esquecimento. Além disso, esse tipo de crédito não possui a chamada restrição, relacionada a registros no Serasa ou SPC. E no que se relaciona aos juros, estes chegam a ser menores que os juros do cheque especial.

É claro que na soma geral das parcelas, o valor é muito maior que o valor do empréstimo, mas se um empréstimo for a última opção em caso de necessidade, o empréstimo consignado é em relação aos outros a melhor forma de empréstimos da praça.

Sirlene Montes


A vida não é fácil e nunca será. Acostume-se com isso. Ganhar dinheiro o suficiente para dizer: estou rico! – não é tarefa fácil. Você certamente se deparará com cenários que mais farão você se conformar em ser pobre do que continuar a buscar a riqueza.

Conheço alguns exemplos interessantes de fracasso – que com certeza são muito maiores do que os casos de sucesso – embora conheça também. Um dos casos de fracasso (embora essa história não tenha terminado, pois a pessoa em questão ainda pode encontrar o sucesso, pois ela está viva e na ativa, mas até o momento o sucesso não chegou) é de um rapaz, hoje, com 32 anos. Muito inteligente e sonhador. Desde os 13 anos a gana de ganhar dinheiro era grande. Largava a escola com frequência para lavar um carro, fazer uma entrega, ou qualquer coisa que lhe rendesse algum trocado. Fez 4 vezes a 5º série por causa disso. Com 17 anos arriscou abrir seu primeiro negócio. Fazer excursões – isso mesmo, excursões. Ele procurou igrejas católicas e ofereceu pacotes de viagens para Aparecida do Norte. Eram 50 lugares e todos foram vendidos. Sucesso! Infelizmente não. Quando ele decidiu procurar o ônibus para locar – isso mesmo, ele vendeu as passagens primeiro, depois foi atrás do ônibus – não locavam para menores de idade. Quando conseguiu encontrar um “sócio” maior de idade para o projeto, o valor que todas as companhias queriam praticamente invalidava a viagem, visto que o pacote incluía almoço. Fora que as empresas de ônibus queriam um calção para realizar a locação. Resumindo, devolveu aos poucos o dinheiro pois já havia gasto uma parte. Depois disso, fez um supletivo e concluiu o ensino médio, aos 25 anos, depois de outras e outras tentativas frustradas de ficar rico.

O caso desse rapaz, hoje trabalhando e ganhando pouco, é o caso de um típico empreendedor mal orientado.

Hoje em dia jovens com impulso empreendedor têm alternativa de estudar e apoio para isso. Não arrisque nada à revelia. Ficar rico demanda esforço, como tudo na vida.

Por Luciana Viturino


As pessoas nascem, crescem, estudam e trabalham. Essa é a lei da vida, só não trabalha aqueles que têm suas necessidades supridas por outras fontes. O trabalho é troca de esforços físicos e ou intelectuais em troca do salário, que é o resultado que pode financiar a garantia do sustento, moradia, educação, vestuário e lazer.  

Os Empregos mais desejados são aqueles com maiores salários, benefícios, condições de trabalho, de melhor posição hierárquica e que possibilita maior status na sociedade. A procura é por maiores salários, para assim ter o melhor bem estar.

Mas muitas vezes é possível ouvir que dinheiro não trás felicidade, e é o que diz uma recente pesquisa do Office of National Statistics (ONS, Escritório Nacional de Estatísticas) da Inglaterra – equivalente ao IBGE brasileiro – que afirma que o bem estar das famílias está associado ao quanto é gasto e não ao quanto se recebe (talvez é por isso que existe tantos pobre felizes, gastando mais do que recebe).

Não precisa ganhar muito para se ter bens estar, só o fato de poder gastar já proporciona uma alegria. Segundo o estudo, a sensação de felicidade em gastar pode ser porque o gasto é o meio pelo qual se adquire não só bens necessários, mas também extras com os quais da alegria á vida, enquanto a renda está mais relacionada a um sentimento se segurança financeira.

Em resumo, trabalhar e poupar o dinheiro é importante para diversos fins, como a compra da casa própria, troca de um carro, viagem, estudo, replanejamento familiar e entre outros objetivos que diversas pessoas levam em suas listas de prioridades, mas poder gastar enquanto pode, enquanto tem saúde e disposição também é bom.

Ir ao shopping e comprar roupas, sapatos, bolsas é extremamente gratificante e trocar o celular por uma versão mais atualizada também faz o individuo mais feliz, mas passar anos sem comprar nada é triste e causa enfermidades psicológicas.

Um exemplo de não poder gastar se reflete nas pessoas que passaram a vida poupando e hoje gastam com remédios reparando os danos que fez a sua saúde.

Por Vanessa Ribeiro


Para todos os setores de atividade empresarial existem exigências legais que precisam ser cumpridas de modo que a empresa possa funcionar de maneira regular. Alguns ramos são mais ou menos regulados, de acordo com a complexidade envolvida neles. Manter-se sempre dentro lei é essencial para prevenir dores de cabeça futuras.

Todo tipo de documento com prazo de validade precisa ter um acompanhamento sistemático. Alvarás, autorizações e licenças devem estar sempre atualizados. Isso vale também para os extintores de incêndio, livros de escrituração contábil, além de toda a documentação relativa ao quadro de colaboradores.

Passe longe de autuações, multas e processos administrativos conservando a parte legal de sua empresa sempre em dia. Ninguém gosta de ser advertido e acho que você também não.


Você já trabalha ou foi escalado para trabalhar no setor da empresa que trata da área financeira. É uma função que exige organização, seriedade e muito empenho. Qualquer deslize pode acarretar consequências sérias para você e às vezes para outras pessoas também.

Cuidar da gestão de numerários e recursos não é uma tarefa para qualquer um. Muitos indivíduos simplesmente tem verdadeiro pânico de cometerem algum e virem a ser responsabilizados por isso.

O bom profissional da área financeira geralmente já exibe as características adequadas para se lidar com dinheiro. É preciso atenção, comprometimento, e acima de tudo desenvolver mecanismos que permitam manter o controle mais preciso possível de todos “fatos financeiros” em tempo real.

Só aceite a incumbência de trabalhar com o dinheiro dos outros se realmente se sentir preparado para isso, do contrário é melhor dizer um “não” agora para não se arrepender depois.


Após uma longa trajetória de trabalho, muitas pessoas não veem a hora de se aposentar. Realmente é momento crucial, que é a recompensa merecida para aqueles que dedicaram sua vida a uma empresa, ao governo, a outras pessoas. Mas é preciso tomar providências com um tempo razoável de antecedência para que esse período possa ser vivido da melhor maneira possível.

É grande o número de pessoas que acham que aposentadoria é um evento muito distante para que elas tenham que se preocupar com ele. Mas isso não é verdade. O tempo passa muito rápido e é necessário fazer uma reserva financeira adequada, seja ela pelos meios oficiais ou de maneira privada. É fundamental manter também um sólido círculo de amizades para poder manter uma vida ocupada depois que se deixa o trabalho.

Comece a pensar em sua aposentadoria com a devida antecedência. Você verá que no futuro isso representa a diferença entre uma vida tranquila ou uma experiência por vezes traumática.


Você foi demitido? Então você pode ter direito ao seguro-desemprego.

Trata-se de um benefício que gera uma remuneração adicional de até R$ 870 para as pessoas que perderam os seus empregos. Essa “ajuda de custo” tem como objetivo fazer com que o desempregado tenha condições básicas financeiras de conseguir um novo emprego no meio-tempo em que procura por alguma oportunidade.

Mas você sabia que tem muita gente que sequer vai atrás do seguro-desemprego?

Pois é. Só em Belo Horizonte, mais de 10 mil trabalhadores demitidos em Dezembro de 2008, não correram atrás dos seus direitos.


Sua função na empresa está diretamente ligada ao manuseio de numerários (valores em dinheiro). É uma função estressante e que exige o máximo de cuidado. Qualquer deslize gera consequências sérias, pois você está mexendo com um dinheiro que não é seu.

Lidar com dinheiro exige uma disciplina acima da média daquela exigida em muitos outros setores. O caixa tem bater sempre, as contas da empresa tem que ter as entradas e saídas sempre justificadas, os valores no cofre devem corresponder aos das planilhas de controle.

Por isso, conte, reconte e conte ainda mais uma vez. Mantenha sistemas de acompanhamento à prova de falhas. Saiba sempre exatamente quem tem acesso aos numerários.

O cuidado com o dinheiro da empresa deve ser maior que o cuidado com dinheiro próprio. A área financeira é sempre considerada espinhosa, mas com disciplina e a eficiência adequadas, isso não precisa ser assim.





CONTINUE NAVEGANDO: