Cadastre gratuitamente o seu currículo em nosso site. Clique aqui




  


Tabela do Fator Previdenciário 2017

Veja aqui a tabela do Fator Previdenciário 2017.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) já divulgou a Tabela de Mortalidade sobre o ano de 2015. A tábua é usada para se fazer a atualização do fator previdenciário. Conforme informado, a expectativa de vida se encontra em 75,5 anos. Em relação ao ano de 2014 temos um aumento de três meses e duas semanas. Com isso, os segurados que pretendem se aposentar por tempo de contribuição (INSS) terão que trabalhar cerca de 55 dias a mais para que seja possível compensar o desconto da tabela atualizada.

Segundo Newton Conde, especialista em previdência (Fipecafi –FEA/USP), a diferença apresentada em 2016 aponta para uma redução na faixa de 0,70% em relação a última tabela, sendo que ficou bem perto da redução de 2015. Na época a média para os benefícios ficou em 0,65%.

Em outras palavras isso quer dizer basicamente que se, por exemplo, o segurado fizer o pedido do benefício agora em dezembro, o valor do mesmo será menor do que o apontado na tabela antiga. Se ele quiser chegar ao mesmo valor do benefício que receberia em novembro (tabela antiga) ele deveria aguardar até o mês de fevereiro de 2017. Ou seja, contabilizando dois meses a mais de contribuição.

O Fator Previdenciário

O uso do chamado fator previdenciário é aplicado somente naquelas aposentarias que respeitam o tempo de contribuição. Nessa modalidade é requerido 30 anos de contribuição para as mulheres e 35 anos de contribuição para os homens. Para se chegar ao valor do benefício, o INSS obtém uma média. Ela é composta com os 80% maiores salários de contribuição contabilizados desde o mês de julho de 1994. Dessa data até hoje ele é composto por 269 recolhimentos. Isso quer dizer que para se chegar a média, os 215 maiores salários são usados enquanto que os 54 menores são desconsiderados.

Só depois de fazer essa conta é que o INSS de fato aplica o fator. Este por sua vez varia de acordo com a idade e também com o tempo de contribuição do segurado. Em tese, quanto mais novo for o contribuinte, maior será o desconto no benefício.

A aposentadoria por tempo de contribuição e o fator previdenciário atualmente passam por uma fase de incertezas devido a Reforma Previdenciária. Caso a proposta para a criação de uma idade mínima seja ratificada, automaticamente manter esse tipo de benefício perderá o sentido. O mesmo se aplica a chamada fórmula 85/95, que permite ao segurado o recebimento do benefício integral. Nesse ponto ainda se aguarda a proposta oficial por parte do governo.

Por Denisson Soares

Novas Regras de Aposentadoria Provocam Aumento dos Pedidos

Insegurança está fazendo trabalhadores antecipar os pedidos de aposentadoria.

A possibilidade de uma reforma na Previdência tem gerado muita preocupação entre os trabalhadores e contribuintes do INSS. Tanta insegurança tem levado muita gente a antecipar o pedido de aposentadoria, ainda que para isso seja preciso sacrificar uma parte do valor do benefício.

Para falar a verdade, essa movimentação de trabalhadores requerendo a aposentadoria mais cedo teve início já no final de 2015, quando foi adotada pela Previdência Social a Fórmula 85/95, que considera a soma entre idade e tempo de contribuição. Para assim definir quando os trabalhadores podem se aposentar sem sofrer com o novo fator previdenciário.

A questão passou a ser mais discutida quando o governo do presidente Michel Temer anunciou que a reforma da previdência é uma de suas prioridades. Diante disso, o medo de grandes mudanças despertou nos trabalhadores a ânsia de assegurar o benefício, garantindo a aposentadoria.

Dessa forma, observou-se que nos primeiros oito meses de 2016 as solicitações de aposentadoria no INSS tiveram uma relevante alta, considerando o mesmo período do ano passado. Além disso, os benefícios concedidos também tiveram alta neste ano, principalmente nos casos de aposentadoria por contribuição, que correm o risco de sofrer mudanças. Ou seja, o trabalhador brasileiro não quer “pagar para ver”.

Não se sabe ao certo o que vai mudar, mas a proposta que vem sendo discutida é a de estabelecer como idade mínima 65 anos para aposentadoria. Se a proposta passar a valer, os trabalhadores de até 50 anos serão atingidos e teriam que pagar um pedágio de 50% (adicional sobre o tempo que falta para solicitar o benefício), exceto professores e mulheres ( que serão atingidos até os 45 anos).

Segundo o INSS, 90% dos pedidos de aposentadoria são feitos por trabalhadores que atendem aos requisitos exigidos. E ainda assegura que aqueles que cumpriram todos os requisitos para a aposentadoria, terão o benefício garantido por lei.

O que se nota é que as pessoas estão apressadas por temer as mudanças que por ventura virão e também para não caírem no pedágio. Mas cada caso deve ser analisado, pois uma aposentadoria adiantada pode resultar na perda de uma considerável parte do benefício. Somente quando a proposta chegar ao Congresso Nacional é que haverá mais conhecimento sobre a questão e as possíveis soluções.

Sirlene Montes

Ninguém tem vida eterna dentro de uma empresa. Especialmente as pessoas que ocupam cargos de direção, uma hora ou outra, podem deixar suas posições ou porque são promovidas, ou recebem propostas mais interessantes de outras organizaçãos ou mesmo porque se aposentam. Identificar talentos que possam substituí-lo dentro de sua equipe é sempre uma boa pedida.

Em todos os grupos de trabalho existem pessoas que se destacam. São aquelas mais pró-ativas, compremetidas, que estão sempre fazendo a diferença. Determinar quem são esses indivíduos é um exercício constante de observação.

Prepará-los para assumir sua posição mais para frente significa repassar conhecimentos, informações e principalmente, experiência para o enfrentamento de problemas.

Faça a seleção dos “prodígios” de sua equipe e invista neles. O legado deixado por você através dessa pessoa será com certeza lembrado por muito tempo.

Após uma longa trajetória de trabalho, muitas pessoas não veem a hora de se aposentar. Realmente é momento crucial, que é a recompensa merecida para aqueles que dedicaram sua vida a uma empresa, ao governo, a outras pessoas. Mas é preciso tomar providências com um tempo razoável de antecedência para que esse período possa ser vivido da melhor maneira possível.

É grande o número de pessoas que acham que aposentadoria é um evento muito distante para que elas tenham que se preocupar com ele. Mas isso não é verdade. O tempo passa muito rápido e é necessário fazer uma reserva financeira adequada, seja ela pelos meios oficiais ou de maneira privada. É fundamental manter também um sólido círculo de amizades para poder manter uma vida ocupada depois que se deixa o trabalho.

Comece a pensar em sua aposentadoria com a devida antecedência. Você verá que no futuro isso representa a diferença entre uma vida tranquila ou uma experiência por vezes traumática.