Ainda é preciso aprender a tabuada?


A aprendizagem da tabuada é e sempre será importante, pois esse é um conhecimento tão essencial que nos ajudará até mesmo na resolução dos problemas do dia a dia.


A origem da tabuada remonta aos tempos antigos, quando os gregos passaram a usar tábuas de argila ou pedras para anotar contas e resultados, que eram consultados para realizar os cálculos maiores. Esses registros eram feitos em formato de tabela, e ficaram conhecidos como tabuadas. A praticidade em usá-las é tanta que até os dias atuais as usamos.


A aprendizagem da tabuada


Desde pequenos, somos inseridos no universo dos números e vamos, gradualmente, aprendendo a calcular. Primeiro por meio das brincadeiras e atividades concretas (na Educação Infantil) e, depois, de forma mais abstrata (no ensino fundamental em diante).


Como os ensinamentos matemáticos se dão do mais simples para o mais complexo, a aprendizagem da tabuada se torna fundamental para a aquisição dos próximos conteúdos a serem estudados, pois, ela é considerada uma maneira simples de chegar aos resultados e a sua memorização facilitará e agilizará operações mais complexas.

Como já falamos anteriormente, a tabuada é a representação de uma operação matemática em formato de tabela, onde anotamos, em cada linha, o algarismo escolhido e em cada coluna colocamos os números de 1 a 10. Exemplificando, para fazer a tabuada do número 4, ele é escrito em todas as linhas, numeramos as colunas começando do 1 até chegar ao 10 e, após a realização da operação, acrescentamos o resultado depois do sinal de igualdade (4 x 1 = 4).

Categorias de tabuadas

Apesar de a tabuada da multiplicação ser a mais conhecida, as outras operações matemáticas (adição, a subtração e a divisão) também podem ser representadas em formato de tabuada.

Não existe uma regra para o estudo das tabuadas, mas alguns cuidados precisam ser tomados. Sendo assim, é preciso que as crianças compreendam a finalidade de cada operação estudada, o que significa cada um dos sinais e as regras básicas, antes de realizá-la em forma de tabuada.

O educando precisa compreender que, ao adicionarmos um número ao outro, obteremos a soma dessas parcelas (4 + 2 = 6). Assim como se subtrairmos um número de outro, obteremos a diferença entre eles (4 – 2 = 2) e assim por diante. Após esse entendimento, o aluno conseguirá fazer a representação das operações em forma de tabuada para facilitar a memorização dos seus resultados.

Benefícios da aprendizagem das tabuadas

A aprendizagem da tabuada ajuda a melhorar o nosso raciocínio lógico, pois, ao adicionar, subtrair, multiplicar e dividir, estamos criando estratégias de resolução de problemas que vão nos acompanhar por toda a vida, não só no campo acadêmico, como também nos campos pessoal e profissional. Sem contar que ao realizarmos as operações matemáticas, melhoramos a nossa capacidade de concentração.

É preciso memorizar a tabuada?

Embora a memorização não seja obrigatória, ela ajuda muito a deixar os cálculos mais rápidos e isso acaba aliviando a tensão sobre a memória do aluno, tornando a aprendizagem mais leve e agradável.

Atualmente existem metodologias mais dinâmicas para ensinar as tabuadas, de uma maneira lúdica e prazerosa, utilizando jogos (virtuais ou não), campeonatos (onde ao falar a resposta correta o aluno vai ganhando pontos) além de materiais concretos (palitos ou tampinhas para representar as quantidades, ábacos, entre outros). Além disso, o professor pode usar a sua criatividade para deixar o estudo da tabuada mais divertido, usando, por exemplo, as atividades interativas.


Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.