Profissão de designer de interiores foi reconhecida



O Senado aprovou o projeto de lei da Câmara, onde a profissão de Designer de Interiores é reconhecida. Conforme o projeto, esta profissão poderá ser exercida para quem possuir diploma de nível superior em alguns cursos.

São mais de 80 mil designers de interiores que atuam no Brasil segundo a presidente da ABDI – Associação Brasileira de Designer de Interiores, Sra. Renata Amaral, é um passo importante que reconhece o setor.

Esta profissão já é reconhecida pela sociedade como um todo, o que estava faltando era a regulamentação – disse quando citou o exemplo de uma nova regra da ABNT ou concurso quando é feita tem espaço e deve ser cumprida, no caso da falta da regulamentação isso não ocorre.



Nesta quinta-feira (16) de Novembro, o Senado aprovou o projeto de lei da Câmara, onde a profissão de Designer de Interiores é reconhecida. Conforme o projeto, esta profissão poderá ser exercida para quem possuir diploma de nível superior dos seguintes cursos:

– Arquitetura e Urbanismo;

– Design de Interiores;



– Composição de Interior;

– Design de Ambiente.

No texto do projeto propõe que os projetos executados por designers de interiores serão considerados obras intelectuais, ou seja, é dado o direito autoral aos projetos e seus responsáveis.

A certificação técnica para design dado por cursos técnicos em design de interiores, que seja oficialmente reconhecida, pela proposta do projeto de lei, o exercício da atividade é autorizado. Portanto, não são apenas cursos de nível superior que pode exercer a atividade, cursos técnicos também permitem o acesso a esta profissão.

A responsabilidade do profissional designer de interiores é transformar os ambientes das mais variadas formas fazendo com que eles se tornem mais confortáveis, seguros e proporcionem o prazer em estar no ambiente decorado.

Conforme dito, o projeto de Lei nº 97 de 2015, declara em seu texto: “A disposição da regulamentação do exercício da profissão de designer de interiores e ambientes e dá outras providências.”

Observando o texto da lei, é decretado o reconhecimento em todo o país. O designer de interiores tem a competência do estudo, planejamento e elaboração de projetos internos já existentes ou pré-projetados, visando à necessidade de cada cliente ou usuário.

Estar de acordo com normas técnicas de acessibilidade, ergonomia e de conforto. A ocupação dos espaços quanto ao seu uso o designer projeta a otimização do conforto e segurança, bem como a estética dos ambientes. O conforto está relacionado a luminosidade, acústica e térmica dos locais.

Após a aprovação, o texto está em tramitação para que seja sancionado pelo presidente Michel Temer.

Por Marcio Ferraz



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *