Técnicas de linguagem corporal em entrevistas de emprego



Muita gente não faz ideia disso, mas cerca de 70% da comunicação humana se dá exatamente em seu nível subconsciente. Ou seja, por meio de pequenos gestos e algumas atitudes que podem passar quase despercebidas.

Até aí não tem nenhum problema, a não ser que a pessoa esteja em uma entrevista de emprego. Aí, sim, ela deverá se policiar para não “dar um tiro no próprio pé”.



Alguns desses sinais que geralmente não são percebidos podem dar algumas dicas sobre o candidato para o seu recrutador. Por isso, que não é apenas importante conhecer a própria linguagem corporal, mas também aprender fazer uso dela ao seu próprio favor.

Recrutadores geralmente são treinados para observar e identificar certas atitudes que a própria pessoa nem percebe, até porque é um hábito seu e ela sempre faz aquilo meio que automaticamente.

Veja também:  Empregos em Porto Feliz SP 2018 - Vagas na WestRock

Em uma entrevista de emprego é fundamental que o candidato saiba que tão importante quanto o que está falando é que seu corpo está dizendo.



Confira abaixo algumas atitudes e o que elas podem significar para o recrutador:

Braços cruzados: É comum, todos cruzam os braços. Entretanto, isso está relacionado a uma atitude defensiva. Quando se cruza os braços na frente de um recrutador ele provavelmente vai saber que o candidato está nervoso ou não muito confiante.

Gestos (mãos e braços): Usar os movimentos das mãos e braços pode ajudar em uma conversa já que passa a sensação de que a pessoa sabe do que está falando. Mas é bom tomar cuidado, se mexer demais é apenas esconder o nervosismo de outra forma. Naturalidade é a dica para não ir muito para nenhum lado.

Veja também:  Empregos na TIM - Vagas Abertas em Setembro 2018

Inclinação corporal: Ao conversar com alguém e se inclina o corpo em sua direção é um sinal de que se está interessado no que a pessoa está falando. Essa uma boa postura não apenas quando o recrutador está falando, mas também quando o candidato vai responder.

De novo, é preciso prestar atenção no que se está fazendo. Afinal, o que o recrutador pode pensar de alguém que quase subiu em sua mesa.

De qualquer forma é impossível que alguém consiga controlar 100% de sua linguagem corporal. Por isso, é fundamental que o candidato seja o mais natural possível. Desta forma, o que o corpo diz vai condizer com o que a boca está dizendo.

Veja também:  Vagas de Emprego na ART IT 2018 - São Paulo, Campinas, Barueri

Por Denisson A. Soares



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *