Como pensa um empregador?




É bastante comum, principalmente entre o pessoal mais jovem, recém-saído da faculdade, a noção de que se tem um direito a um emprego, que se vai chegar numa empresa, fazer estritamente aquele trabalho que está no contrato e que, depois disso, a empresa vai cuidar e se preocupar com todos os demais aspectos da vida pessoal e profissional do candidato, uma noção que é bastante perigosa. Na verdade, a empresa não tem a obrigação de te contratar nem de te manter empregado. É você que vai ter que provar seu valor.

É verdade sim, que as melhores empresas dedicam uma quantidade considerável de recursos e pessoal para tornar a vida de seus trabalhadores mais amena, cuidando de vários aspectos de suas vidas pessoais para que possam se concentrar no trabalho. Mas é importante ressaltar que isso só acontece quando o retorno do trabalho do profissional é maior que o incômodo ou a despesa de cuidar de sua vida pessoal, do contrário as empresas não estariam fazendo isso. Por isso, é normal que empregados com níveis de qualificação mais baixos não tenham acesso às tantas vantagens que os de maior qualificação têm, simplesmente porque produzem menos resultados para a empresa. Cruel? Talvez seja, mas há de se ver a ótica do empregador também.

Veja também:  Erros Comuns em Entrevistas de Emprego - O que não fazer

Bom, vivemos em um país capitalista, ainda que muitas e muitas empresas tenham contratos com o governo e que o setor público seja tão grande. E não, isso não é ruim, pois os sistemas alternativos se revelaram muito piores. E um fato da vida num sistema capitalista é que as pessoas têm liberdade para escolher onde querem fazer suas compras e gastar seu dinheiro, e têm liberdade também em começar novos negócios. Isso tudo leva a algo que chamamos de concorrência, que normalmente pesa mais para o lado da empresa, que precisa oferecer melhores produtos, preços e serviços para seus clientes não irem comprar de seus competidores. Não há nada garantido aí, ainda que algumas empresas passem a impressão de terem o monopólio do mercado, quando o que de fato têm é simplesmente uma posição bastante confortável, conquistada através do oferecimento de serviços e produtos superiores aos da concorrência, seja em preço, seja em qualidade.

Veja também:  Erros Comuns em Entrevistas de Emprego - O que não fazer

Na parte 2, falaremos de como você deve defender seus interesses dentro da empresa. Aqui!


Empregos relacionados



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *