Há vagas de trabalho abertas em diversos cargos na cidade de Caçapava, em São Paulo.

Para as pessoas que residem na região de Caçapava, no estado de São Paulo, e estão procurando por novas oportunidades de trabalho, os interessados podem procurar o PAT (Posto de Atendimento ao Trabalhador), pois este local recebe inscrições para o cadastro de emprego em diversas áreas.

O PAT de Caçapava está localizado na Rua Ladeira São José, número 90, no Centro da cidade. O horário de atendimento é das 8h30 às 16h, de segunda a sexta-feira. Os candidatos às vagas devem levar os seguintes documentos para inscrever: Carteira de Trabalho, PIS ou Cartão do Cidadão, RG e o CPF.

As vagas disponíveis segundo as últimas atualizações do PAT de Caçapava são: Atendente de Bar com seis meses de experiência e Ensino Médio Completo; Auxiliar Administrativo para pessoas com necessidades especiais e ensino fundamental completo; Auxiliar de Enfermagem para trabalhar em hospital e não exige experiência; Cabeleireiro Unissex para atuar em clínica de estética; Mãe Social; Manicure; Mecânico; Supervisor de Vendas Comercial; Professor para ministrar cursos de AutoCAD e com seis meses de experiência; Tapeceiro com ensino fundamental completo e seis meses de experiência; Técnico de Enfermagem para trabalhar na área hospitalar e exige seis meses de experiência; Vendedor Externo e outras oportunidades.

Caso tenha experiência em algumas das oportunidades acima, procure o PAT para participar do processo seletivo. Nesta agência disponibiliza muitas outras ofertas em diversos níveis de escolaridade, por isso as pessoas que estão necessitando de trabalhar, que possui ou não experiência profissional, devem fazer dirigir ao endereço e cadastrar o currículo.

Portanto, o PAT de Caçapava aguarda todos os interessados em realizar o cadastro para conseguir uma nova oportunidade na carreira. As vagas podem surgir diariamente, e caso elas estiverem de acordo com o perfil do candidato, a agência poderá convocar o candidato para participar do processo de entrevista.

Por Jaqueline Mendes Rodrigues