É muito comum nos dias de hoje encontrarmos pessoas que sempre dão uma desculpa para não fazer o que tem de ser feito e adiar os compromissos. No entanto, se isso não for tratado, pode se tornar um fracasso na vida do indivíduo.

Tanto em casa quanto no trabalho há pessoas com esse tipo de hábito e ele é um dos principais fatores que levam as pessoas ao insucesso. Pesquisas mostram que milhares de brasileiros (97,4%) possuem esse tipo de hábito e costumam deixar para fazer a tarefa sempre na última hora, ainda que sejam as mais importantes.

No início do dia já é possível notar o indivíduo com esse hábito ao apertarmos o modo soneca do despertador, quando ficamos com preguiça de acordar. O ser humano é propenso a deixar quase tudo para depois, e entre os que mais adiamos estão os assuntos pessoais. Todavia, existem alguns fatores que fazem com que muitos procrastinem seus deveres. São eles: falta de tempo, impulsividade (quando deixamos algo de lado para fazer outra atividade), falta de energia, medo, autossabotagem e preguiça.

Em muitos casos essa característica ameaçadora está relacionada à busca da perfeição, já que muitas pessoas optam por tarefas desafiadoras e evitam as mais simples. No entanto, muitos especialistas afirmam que esse comportamento é prejudicial, uma vez que quando um indivíduo tem essa mania, ele o faz com frequência. Sem contar o sentimento de culpa, a ansiedade, baixa autoestima e a insegurança que surgem, podendo levá-lo até uma depressão.

O fato de adiar vez ou outra não tem problema nenhum. Contudo, quando se faz isso a toda hora, isso pode ser uma característica de atraso de vida sem resultados e equilíbrio. Geralmente quem possui esse hábito procrastina desde atividades mais simples as mais complexas e junto com ela vem um forte medo do fracasso. Desta forma, a primeira coisa a se fazer é reconhecer o problema e projetar soluções.

Por Luciana Viturino

Todo e qualquer tipo de discriminação seja ele por motivo de raça, cor, religião, posição política ou social deveria ser banido de todos os ambientes onde os seres humanos convivem. No trabalho, o preconceito afasta pessoas, dificulta o contato profissional e “contamina” a empresa.

Segregar colegas simplesmente porque eles são diferentes em algum aspecto é um comportamento que demonstra extrema intolerância. Cada um tem o direito de viver à sua maneira, se essa maneira estiver dentro das leis que regem a sociedade. Discriminar, especialmente numa empresa, que é um local onde as pessoas precisam trabalhar em equipe, só traz prejuízos a todos os envolvidos.

Seja consciente e tire proveito da coexistência entre as diferenças no ambiente corporativo. A diversidade só tem a contribuir para tornar a empresa mais forte e melhor.

Num mundo cada vez mais individualista, as palavras de cortesia como “obrigado”, “por favor” e “com licença” tem perdido seu espaço. Nas corporações ocorre o mesmo. Muitas pessoas estão se esquecendo de usá-las, o que tem dificultado as boas relações interpessoais.

A boa educação e a gentileza são coisas que se traz como bagagem de vida. Palavras corteses usadas nos momentos adequados abrem portas, ganham a colaboração das pessoas e melhoram o ambiente.

Tratar os outros de maneira seca e ríspida é o pior modo de querer obter resultados satisfatórios numa organização. Ao manter contatos de forma abrupta você gera uma postura de recolhimento e revolta nos outros, o que influi diretamente em sua disposição para cooperarem.

Acostume-se em usar de cortesia no trabalho. Você verá que os resultados em termos de relacionamentos e produção podem ser muito compensadores.

Seu chefe ou um colega seu estão furiosos com alguma coisa. Você precisa tratar de um assunto importante com eles. Mas será que esse é o melhor momento? Muitas vezes é preciso ter sensibilidade para perceber que em certos o melhor a fazer é ficar calado e deixar a poeira baixar.

Todos podem ter seus momentos ruins. Nessas ocasiões, não é produtivo querer tratar de assuntos que exijam a concentração das outras pessoas. Elas estarão, pelo menos momentaneamente, focadas naquilo em que acabou de ocorrer e mesmo que involuntariamente não terão cabeça para falar sobre nenhuma outra coisa. Algumas vezes adiar certas questões pode ser estratégico.

Sempre avalie o momento certo para tratar sobre os assuntos no trabalho. Adiamentos bem pensados podem contribuir para que tudo seja resolvido de uma maneira muito mais satisfatória depois.

O preconceito é uma das piores maneiras que existem de se reagir às diferenças entre as pessoas. No ambiente de trabalho, ele é uma atitude que mina relacionamentos, gera desunião nas equipes e compromete a produção.

Discriminação por sexo, raça, orientação sexual, religião. Qualquer tipo de preconceito representa o extremo da intolerância.

No ambiente corporativo, ele dificulta, e muito, a interação entre os indivíduos, o que reflete em prejuízo para o bom andamento das atividades laborativas. Além disso, podem passar a existir até mesmo problemas legais pois aqueles que são vítimas de preconceito tem direito de recorrer à Justiça, e com toda razão.

Aceitar o diferente demonstra maturidade e boa vontade. É saber conviver com a diversidade que está em todo lugar.

Não somos todos iguais. Ainda bem que não. Aprender a conviver com isso é a marca distintiva entre um profissional consciente e aquele que ainda tem muito a experimentar.

Nas organizações de uma forma geral, existem maneiras padronizadas de executar cada tipo de atividade. A padronização uniformiza o tratamento que é dado as coisas e quase sempre facilita a rotina. Mas há momentos em que é preciso ter jogo de cintura para se adaptar àquilo que escapa ao previsível.

A flexibilidade tornou-se uma característica fundamental para toda empresa moderna. O mercado, os clientes e os parceiros de negócio tem as exigências o mais diversas possíveis. Estar preparado para atender a essas exigências exige uma enorme capacidade de acomodação. É preciso conciliar necessidades e interesses.

Ceder aqui, flexibilizar ali.

Às vezes, fugir de um procedimento convencional pode ser a diferença entre conquistar um novo cliente, fechar um contrato interessante ou estabelecer uma parceria de sucesso ou não.

Esteja preparado para ceder, mudar, adaptar. Só assim você será capaz responder a todas as situações com que você vai se defrontar no dia a dia corporativo moderno.

Mal-entendidos e coisas incompreendidas: eis duas coisas capazes de gerar conflitos na rotina corporativa.

Alguns indivíduos acham que os demais precisam captar as informações no ar. Definitivamente, no trabalho, não deve valer a máxima “para bom entendedor, meia palavra basta.”

Definir claramente responsabilidades, determinar a maneira padrão de executar procedimentos, delimitar como deve ser a comunicação entre o meio interno e com o meio externo; tudo isso evita que erros sejam cometidos por falta de clareza.

Um chefe não pode chamar um colaborador à responsabilidade, por exemplo, se não deixa claro tudo que se espera dele. Esclarecer todos os pontos importantes torna tudo transparente para todos os envolvidos.

Num ambiente em que as pessoas estão conscientes de seus papéis e responsabilidades, o trabalho flui muito melhor e a gestão também pode ocorrer de maneira mais eficiente.

Algumas pessoas tem o hábito de transformar pequenos contratempos corriqueiros em sua rotina de trabalho em verdadeiras “tragédias”. Uma cadeira deixada fora do lugar, uma folha de papel fora de alinhamento perfeito e tantas outras picuinhas que não fazem diferença nenhuma para ninguém.

Todos devem se esforçar para executar suas funções da melhor maneira possível, mas reagir muito acima do normal a pequenos deslizes seus ou dos colegas o torna uma pessoa indesejável, perante a qual todos tem que estar se policiando para não cometer uma mínima falha sequer.

Não é aquele lápis fora do lugar sobre a mesa que irá compremeter a qualidade final do projeto ou o sucesso daquela venda estratégica.

Dê um tempo a você mesmo e a seus colegas e pare dar às pequenas coisas mais importância do que elas realmente merecem.

Toda vez que surge uma tarefa nova para ser realizada no trabalho, é normal que num primeiro momento, as pessoas se sintam perdidas em maior ou menor grau. Algumas delas irão assimilar de maneira mais rápida, outras, um pouco mais devagar. Mas não há problema algum em pedir ajuda caso você não se sinta confiante no início.

Sabe-se a cultura nos últimos tempos tem exigido que os indivíduos internalizem novas informações de uma maneira cada vez mais rápida. Isso começa desde a escola, onde demonstrar desconhecimento na classe, é visto de modo desforável pelas pessoas em volta, desestimulando os questionamentos.

No trabalho, não precisa ser assim. Se você não se sentir confortável com uma nova informação ou com um novo procedimento, pergunte, busque esclarecimentos. Procure identificar quem possa ajudá-lo e não hesite em elucidar todas as suas dúvidas.

Vergonha é fazer algo de maneira errada ou incompleta por não ter se informado devidamente, e não o fato de querer esclarecer seus questionamentos para ser capaz de fazer certo.

Na vida de todas as pessoas, há momentos bons e momentos ruins. A diferença está na maneira com que cada um encara esses momentos. Colocar-se no papel de vítima no trabalho não é uma postura saudável e em nada contribui para superar as dificuldades.

Reclamar, lamentar-se, chorar pela própria sorte. Num ambiente de trabalho esses tipos de comportamentos comprometem a produção do próprio indivíduo e muitas vezes daqueles que estão à sua volta.

O clima pesado e desestimulante contamina toda a equipe e torna ainda mais difícil a extenuante rotina que todos precisam enfrentar. Problemas todos tem. A melhor maneira de enfrentá-los é permanecer de cabeça erguida e não ficar se vitimizando.

Deixe o clima de derrotismo de lado. Todos somos capazes de vencer as adversidades; e isso só depende de como se lida com elas.

Em todas as empresas sempre existem pequenas e grandes questões a serem enfrentadas. Nota-se que, algumas vezes, problemas que não são resolvidos durante anos são solucionados com a ajuda de uma sugestão de um colaborador.

Sobretudo em empresas maiores, existem políticas de coletas de sugestões dos funcionários. Mas, muitas pessoas nem se arriscam a participar delas pois acreditam que suas ideias são fora de propósito. Isso é um engano muito grande.

Idéias e conceitos simples já resolveram problemas crônicos de algumas corporações. Detalhes pequenos que só uma pessoa percebeu podem representar ganho em eficiência e redução de custos. Se a empresa dá abertura para esse tipo de prática, é porque quer que você colabore.

Adquira o hábito de dar sugestões no trabalho. Você pode acabar surpreendendo a sua empresa e até a você mesmo.

Num ambiente de trabalho, as pessoas devem estar focadas nas atividades relativas apenas a assuntos profissionais. É claro que a empresa não é um mosteiro, onde a disciplina é quase militar. Mas resolver conflitos pessoais durante o expediente perturba o bom andamento do serviço e causa desconforto aos colegas de trabalho.

Discussões com cônjuge, namorado(a), filhos ou parentes devem ser conduzidas fora do horário de trabalho. Se a pessoa insistir, ligando para o seu celular ou para o telefone da empresa, não atenda ou diga que não está.

Além de interromper suas atividades, esse tipo de incidente depõe contra sua reputação, e o qualifica como uma pessoa que talvez não tenha um controle adequado da própria vida. Cada coisa tem hora e lugar apropriados para ser resolvida.

As pessoas nunca conseguirão separar de maneira absoluta suas vidas pessoal e profissional, mas sempre é uma boa ideia conseguir manter um limite o mais conveniente possível.

Já é possivel fazer uma previsão das tendências do mercado de trabalho para daqui a cinco anos. As áreas mais promissoras e que devem abril muitas vagas de emprego são as voltadas para tecnologia, saúde, energia e turismo

A área da Computação e da Tecnologia da Informação possui um grande potencial de crescimento no Brasil, o que irá gerar muitas vagas de emprego para programadores, webdesigners e engenheiros de sistemas.

Outra área muito promissora é a da saúde, como a expectativa de vida da população aumentou, aumentam-se os
gastos com assistência médica, remédios e as pesquisas para cura e combate das doenças estão cada vez mais fortes.

Outra área que tende a crescer cada vez mais são as tecnologias voltadas para o petróleo, conservação do meio ambiente e a melhora da qualidade de vida. O que irá gerar muito emprego para agrônomos, biólogos, engenheiros de petróleo e agrícolas.

O Brasil possui um forte potencial turístico, atraindo pessoas de diferentes regiões, que se encantam com o nosso clima, nossas praias e a nossa diversidade natural, o que gera muitas vagas de emprego para profissionais de turismo e gastronomia.

Confira a reportagem do Jornal Hoje sobre o assunto:

Vivemos em uma aldeia global. O processo de integração do comércio e das telecomunicações não para. Pessoas e mercadorias se locomovem rapidamente pelo mundo todo. As distâncias parecem ter diminuído. Nesse contexto, dominar uma língua estrangeira deixou de ser um diferencial competitivo e passou a ser uma necessidade.

Mesmo que o ramo em que você trabalhe não exija de imediato que você fale uma língua estrangeira, ela será sempre um investimento que vale a pena. Ela enriquece seu currículo, te dá oportunidade de estabelecer novos contatos e conhecer pessoas. Indivíduos que falam línguas estrangeiras são bem vistos pelo mercado, pois demonstram interesse na aquisição de novas competências.

Pense seriamente em começar a aprender uma língua estrangeira. Seu mundo vai se abrir e quem sabe de quebra você não consegue um emprego melhor.

Procurar emprego é sempre uma situação de ansiedade. Distribuir currículos, preencher cadastros, conversar com pessoas. Muitas vezes é um processo que se prolonga por um tempo maior do que desejaríamos. Mas será que talvez você não esteja batendo nas portas erradas?

O mundo do trabalho no século XXI é muito dinâmico. A instabilidade reina e os setores que mais empregam mudam rapidamente. Quem sabe o setor em que você trabalhou até o último emprego não esteja em crise agora? Talvez seja improdutivo “gastar munição” batendo sempre nas mesmas portas. A coragem de mudar de ramo de atividade é fundamental para abreviar longos períodos na busca de emprego.

Tenha ousadia para bater em portas diferentes. Pode ser que uma delas se abra e você acabe tendo uma história de sucesso.

Profissionais de diversas áreas têm se voltado nos últimos ramos para um segmento em plena expansão: a consultoria. Ela consiste em vender “conhecimento” para pessoas ou empresas e cobrar por isso. Conforme a complexidade da consultoria prestada, ela pode ser bastante lucrativa.

Para dar consultoria a uma empresa ou a uma pessoa é preciso antes de tudo realmente ter uma larga experiência no ramo. O conhecimento sobre tudo aquilo que envolve aquele setor deve ser amplo. Também é preciso ter vivido na prática todas as situações que venham a aparecer dentro das empresas para as quais se vai prestar o serviço. Não adianta inventar estratégias mirabolantes que não tragam resultados. Quem contrata os serviços quer ver retorno.

Consultorias bem prestadas trazem resultados duplos: o cliente fica satisfeito porque a empresa melhorou e o consultor fica contente porque recebe um bom dinheiro em troca. É o tipo de relação na qual todos ganham.

Você sabe como ser reconhecido pela sua competência?

Você precisa saber quais seus objetivos, aonde quer chegar, o quanto deseja ganhar, e saber como construir a sua vida. Para isso, invista em você!

Você sabia que quem possui Nível Superior pode ganhar até 2x mais do que quem só tem o Nível Médio? Sabia que profissionais com pós-graduação tem 86% a mais de chances de serem contratados?

Não ache que ser puxa-saco (ou amigo) do chefe, você terá êxito profissional.

Churrasco da empresa no sábado: você não vai. Confraternização de fim ano: você usa a desculpa da tia-avó que faleceu pela terceira vez. Festa na casa de um colega: você prefere alugar um vídeo e ver sozinho. É… você está achando que é uma ilha em si mesmo.

O homem é um animal social por natureza. Ninguém é capaz de viver sozinho.

Da mesma forma, dificilmente alguém trabalha sozinho. Todo mundo precisa de alguém, em casa, no trabalho, em todos os lugares. Então, por que não se intregar? Dê uma chance a você mesmo. Saia da defensiva. Converse, interaja.

Experimente começar a se relacionar com seus colegas de trabalho. Você pode descobrir mais que companheiros de empresa, talvez até grandes amigos.

Sua equipe tem tido uma ótima performance. Tudo está andando como esperado, metas sendo atingidas, elogios têm vindo da diretoria. Mas você está reconhecendo o valor dela? Você a elogia? Se a resposta é não é melhor começar a pensar nisso.

O elogio é um verdadeiro bálsamo para o ser humano. Ele supre uma das necessidades ditas secundárias para a vida, que é o desejo de ser aceito e reconhecido. Elogiar apontando um motivo concreto e na medida certa funciona como um combustível para a equipe. Ela aprende que se trabalhar duro e com eficiência, seu trabalho será reconhecido.

Elogie, premie, parabenize.

Você verá que com o tempo sua equipe estará indo cada vez mais para o alto e avante!

Você é daqueles que costuma falar mal da empresa em que trabalha? Está o tempo todo reclamando e apontando defeitos. Pare e reflita um pouco: será que isto não é autosabotagem?

É do conhecimento de todos que a propaganda boca-boca é intrumento valioso de divulgação para uma empresa. Essa comunicação verbal é ainda mais eficiente se é feita pelos próprios colaboradores, que como conhecedores profundos da realidade da empresa, podem melhor do que ninguém, ressaltar as qualidades dela.

Funcionários que fica denigrindo sua própria organização só prejudicam a si mesmos, pois é dela que depende uma parcela enorme de suas vidas.

Aprenda a ser o maior defensor da sua empresa: você e ela irão agradecer por essa atitude no futuro.