A partir desse mês, qualquer documento como recibos, emails, gravações ou fotos obtidas de forma lícita poderão ser aceitos pela Justiça como provas em processos trabalhistas – provas obtidas de forma ilegal continuam vetadas.

Entre as novas permissões do Supremo Tribunal Federal está a possibilidade de o trabalhador implantar câmeras na sua estação de trabalho ou gravar conversas participadas por ele sem que o interlocutor tome conhecimento.

Os processos trabalhistas chegam a quase 200 mil no Tribunal Superior do Trabalho, em geral solicitando equiparações salariais, indenização por acidente de trabalho, pagamentos de hora extra e reconhecimento do vínculo empregatício. Apesar dessa abertura, juízes e advogados continuam afirmando que a prova mais eficaz ainda é a testemunha.