Estão abertas as inscrições para trabalhar na Associação Desportiva para Deficientes. A carga horária é de 20 horas semanais. São vagas de funcionários, estagiários e voluntários com o objetivo de completar a equipe. As vagas são para fotógrafo voluntário, técnico de basquetebol em cadeira de rodas e estagiário de educação física.

O salário inicial não foi informado.

Para concorrer às vagas de estagiário, o candidato deve cursar o último ano da faculdade em 2010. Para todas as vagas o candidato deve ter interesse em trabalhar no terceiro setor, gostar de esportes e ter disponibilidade de horário.

Os candidatos devem entrar no site da ADD www.add.org.br e acessar os links Contato, Trabalhe conosco e preencher a ficha de inscrição.

Com as constantes mudanças de paradigma no mercado de trabalho, as organizações, de tempos em tempos, passam a exigir novos tipos de experiências dos candidatos a uma vaga. Um desses tipos de vivência é o trabalho voluntário.

O voluntariado é uma demonstração de desprendimento por parte do indivíduo. Sua prática mostra que a pessoa é capaz de fazer alguma coisa por alguém sem receber nada em troca. Ele torna clara também a disposição do candidato em colocar-se a serviço e em trabalhar em equipe, além de evidenciar capacidade de comprometimento.

Se você faz trabalho voluntário,continue. Se ainda não faz, pense na possibilidade. Além de praticar o bem, você ainda aumenta sua empregabilidade.

O trabalho voluntário faz parte do currículo de muitas faculdades, hoje em dia, para que se obtenha créditos para a formatura. Isso faz com que esse tipo de trabalho seja feito, às vezes, em ambientes não muito úteis, nem com tão boa vontade, o que acaba por desvirtuar e colocar uma certa desconfiança nesse tipo de prática.

Por outro lado, é claro que seria utópico dizer que a pessoa deve deixar suas ambições pessoais de lado ao procurar um trabalho voluntário. Quase ninguém faz isso. O importante, na verdade, é engajar-se em trabalhos realmente relevantes. Trabalhos que ajudem pessoas em situação de necessidade, ajudem na educação de gente que está tendo dificuldades em acompanhar a escola, ajude doentes em hospitais, esse tipo de coisa. Nada de grande alcance, mas efetivo.

O que um empregador normalmente olha é isso. Se o projeto realmente existiu, se realmente foi relevante, se realmente ajudou, se não foi algo apenas para constar do currículo. Experimente fazer algo diferente. Não precisa ser algo grandioso, apenas relevante. Envolva-se na comunidade, mexa-se para arrecadar roupas para famílias carentes, corra atrás de empresas para obter insumos, para conseguir que se engajem nos projetos. Todo mundo ganha. Você, que tem uma experiência real em ajudar os outros, pode conseguir excelentes contatos e pode passar a boa impressão de pessoa responsável e engajada, a empresa, que ganha divulgação e, óbvio, a pessoa que estava passando necessidades, que vai ter uma vida melhor.

Você não precisa começar um grupo de voluntariado ou fazer sozinho. Pode procurar um grupo que já exista, ou se associar a pessoas que tenham o mesmo interesse. Combinando habilidades e divindo o trabalho, a coisa pode ficar muito mais fácil. Um exemplo é desse pessoal abaixo, que passou no Jornal Nacional:

Faça trabalho voluntário de boa vontade, especialmente se estiver difícil obter estágio ou emprego. Consiga um diferencial. Você vai ver que o voluntariado não é tão diferente do que seria sua vida profissional, afinal, por definição, você só ganha dinheiro de verdade se estiver ajudando a outras pessoas.

Se você está cursando Direito, Ciências Contábeis, Psicologia, Biologia, Assistência Social, Administração ou Pedagogia, no estado do Paraná, e está tendo dificuldade em arrumar estágio ou atividades extra-curriculares, uma dica: o Ministério Público paranaense regulamentou a Lei Federal nº 9.608/1998, a Lei do Voluntariado, abrindo espaço para que alunos destes cursos contribuam com a instituição.

Portanto, quem quiser ajudar a sociedade neste ambiente, ou mesmo quiser agregar ao currículo e marcar pontos em atividades extra-curriculares na faculdade, é uma boa procurar o Ministério Público do Paraná.

Leia mais no Bem Paraná.