Foi lançado na terça-feira (10/04), pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e Agência Brasileira de Cooperação (ABC) uma campanha com o objetivo de erradicar o trabalho infantil no Mercosul. O alvo principal da campanha é a conscientização.

O trabalho infantil é realizado principalmente nas áreas rurais, no meio doméstico ou para a exploração sexual.

O nome da campanha é “O Mercosul unido contra o trabalho infantil”. A iniciativa integra o programa de suporte ao Plano Regional para a Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil, que foi assinado no mês de novembro de 2010 pelos ministros do Trabalho e Emprego do Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai. A ideia é fazer com que o Mercosul adote normas internacionais quanto aos direitos das crianças, além de prever a realização de estudos sobre o trabalho infantil e parcerias entre os países para evitar a continuação deste problema social.

As propagandas da campanha do Mercosul são compostas por três peças gráficas, sendo que elas abordam tanto o trabalho doméstico, quanto à exploração sexual e o trabalho no meio rural. A campanha será feita principalmente nos municípios de fronteira.

Por Matheus Camargo

Fonte: MTE

O governo pegou pesado contra o “trabalho infantil”. Publicou, no último dia 12 de setembro, um decreto proibindo que várias atividades sejam executadas por menores de idade. Agora empresas não podem empregar menores em atividades como levar dinheiro de um lugar a outro, atividade comum para office boys, por exemplo.

Não há um pouco de exagero não?

Leia a íntegra do decreto aqui. Abaixo, uma reportagem do G1.