Em uma organização, espera-se que cada colaborador cumpra seu papel e gere resultados práticos. Mas essas pessoas não podem corresponder às expectativas se não estiverem cientes daquilo que se espera delas. Uma definição clara de responsabilidades e de metas individuais torna essa situação muito mais clara.

O ditado “para bom entendedor, meia palavra basta” não corresponde à realidade das relações humanas em uma empresa. Os indivíduos sempre precisam de princípios que norteiem sua conduta e seu trabalho. Não é razoável esperar que metas sejam atingidas, se os funcionários não tem noção de onde a companhia quer chegar e de quais os passos para isso. Reuniões periódicas para discussão do andamento das atividades ajudam muito a solucionar dúvidas e ajustar rotas.

Seja explícito a respeito de tudo o que você espera dos colegas que trabalham com você. Não espere que eles “sintam no ar” o que precisa ser feito ou você pode ficar aguardando mais tempo do que desejaria.

No mundo do trabalho, a reputação de um colaborador é como se fosse seu cartão de visitas. Essa espécie de “diário” profissional conta muita coisa sobre seu modo de agir, pensar e muitas vezes é levada em conta em decisões como uma promoção a um cargo de nível mais alto. Assim, mantê-la inatacável sempre é uma atitude sensata.

O mundo de hoje está repleto de pessoas desonestas, trapaceiras, com falta de princípios. Numa completa inversão de valores, muitos indivíduos perderam a noção do limite entre o certo e o errado, entre o ético e o anti-ético. Quem ainda se mantém íntegro e com uma conduta correta, acaba tendo um diferencial competitivo em relação aos demais. E não é muito difícil ter a imagem arranhada por um pequeno deslize.

As pessoas são lentas para enxergar o que se faz de bom e rápidas para ver o que se faz de mau.

Construa uma reputação de que você possa se orgulhar dentro da empresa e faça o máximo para conservá-la. Isso sempre vale a pena não só de ponto de vista profissional, como também para ter uma consciência sempre limpa.

Num mundo cada vez mais individualista, as palavras de cortesia como “obrigado”, “por favor” e “com licença” tem perdido seu espaço. Nas corporações ocorre o mesmo. Muitas pessoas estão se esquecendo de usá-las, o que tem dificultado as boas relações interpessoais.

A boa educação e a gentileza são coisas que se traz como bagagem de vida. Palavras corteses usadas nos momentos adequados abrem portas, ganham a colaboração das pessoas e melhoram o ambiente.

Tratar os outros de maneira seca e ríspida é o pior modo de querer obter resultados satisfatórios numa organização. Ao manter contatos de forma abrupta você gera uma postura de recolhimento e revolta nos outros, o que influi diretamente em sua disposição para cooperarem.

Acostume-se em usar de cortesia no trabalho. Você verá que os resultados em termos de relacionamentos e produção podem ser muito compensadores.

Em qualquer ambiente onde as pessoas precisem conviver, é necessário que haja regras mínimas para uma convivência harmoniosa. Nas organizações, o respeito a essas regras tem um caráter fundamental.

Usar os sanitários de forma apropriada, fumar apenas em áreas permitidas, zelar pela limpeza e organização do setor do “cafezinho”, atentar para aparelhos que devem ser ligados e desligados ao final de cada dia. Todas essas atitudes demonstram o respeito dos colegas uns pelos outros, e ajudam a manter os espaços em condições adequadas de utilização durante a maior parte do tempo.

É preciso lembrar também que as pessoas responsáveis pela limpeza não são “escravas”, e certamente não terão tempo de deixar ambientes em péssimas condições impecáveis novamente.

Se todos contribuírem para a manutenção dos ambientes da empresa,os espaços estarão sempre em condições de serem usados, o que também demonstra comprometimento com a organização.

No local de trabalho, você encontra pessoas de todos os tipos. Tímidas, extrovertidas, comunicativas, alegres, sérias, sisudas, etc. Pessoas de riso fácil e pessoas que não riem da piada mais engraçada do mundo.

Saber respeitar essas diferenças essenciais entre as pessoas é essencial para manter um ambiente de trabalho harmonioso.

“Forçar a barra” para que pessoas mais reservadas se enquadrem totalmente no ritmo de um departamento mais descolado pode não ser uma boa atitude. Algumas pessoas gostam de ter seu espaço totalmente preservado, o que não significa que elas devam ser isoladas dos demais. É preciso observar as pessoas e saber até onde se pode chegar com brincadeiras, piadas e outros tipos de liberdade. Ninguém é obrigado a proceder como a maioria.

A beleza do ser humano está nas diferenças entre os indivíduos. Respeitar os limites de cada um é fundamental para que as coisas fluam bem, não só no trabalho, mas em qualquer outro lugar.

É sempre a mesma coisa: seu colega chega e se pendura no telefone a manhã toda. Você percebe que não são assuntos de trabalho e sim pessoais ou até mesmo meras futilidades. Ele é um exemplo a seguir? Obviamente que não.

O patrimônio e os bens da empresa pertencem a ela e a mais ninguém. Cada empresa tem regras internas para o uso do seu patrimônio e dos equipamentos pelos colaboradores.

Evite usar o telefone para assuntos pessoais, fazer “freelances” no horário de expediente ou se aproveitar de coisas dentro da empresa para resolver seus problemas.

Quem age assim é mal visto e pode vir a ter aborrecimentos no futuro. Tenha bom senso! A empresa não foi feita para você usufruir dela sem controle, e sim para que você e ela possam ganhar juntos.

Você chega à empresa e a copeira está entrando junto com você. Qual sua atitude? Vira a cara e faz ar de superior ou a cumprimenta gentilmente como se ela fosse qualquer outra pessoa? Se sua resposta for a primeira opção, você precisa começar a olhar não só para cima no trabalho.

Em qualquer organização, o relacionamento humano e o tratamento entre as pessoas devem ser igualitários. Não é porque você é um de setor com pessoas mais qualificadas que vai poder desprezar as pessoas da limpeza e manutenção, por exemplo.

Nem se restringir a cumprimentar e bajular aqueles em posições hierárquicas superiores a você. Tomadas como seres humanos as pessoas são todas iguais e merecem sempre o mesmo respeito e consideração, independente do cargo que ocupam.

Se você não age assim, comece a tratar todas as pessoas do trabalho da mesma forma. Você vai ver quantas pessoas maravilhosas existem por lá, e em todos os setores.

Vivemos num mundo cada vez mais individualista. Cada um pensa só em si mesmo e no próprio bem-estar. Isso não é diferente também no mundo do trabalho. A boa educação e a cortesia estão deixando de existir. O por favor, o com licença e o obrigado estão ficando cada dia mais raros.

Quando nossas mães nos educam, ensinam-nos desde pequenos que devemos ser educados e gentis com todos, não é mesmo? Mas à medida que crescemos vamos nos esquecendo desses sábios ensinamentos. Como é bom ser tratado comgentileza e boas maneiras, isso deixa as pessoas satisfeitas e muitas vezes abre portas.

Não economize nas palavras amáveis e educadas. Ninguém achará ruim se você mostrar que tem consideração pelo outros, tratando-os com o respeito que merecem. Respeito sempre foi bom e todo mundo gosta.