Um funcionário que fuma pode ter seu rendimento reduzido em 20%. O cálculo foi sugerido pelo diretor executivo do Grupo PAR, Marcelo Maron, que é especialista na área de finanças corporativas.

Depois dos fumódromos terem sido eliminados das empresas, os empregados têm que sair do local de trabalho e procurar locais arejados. Essa movimentação, incluindo fumar um cigarro, não dura menos que 15 minutos.

Maron demonstra como chegou a essa estimativa. Se um fumante consome seis cigarros durante o expediente de oito horas diárias, levando em conta o tempo citado acima, serão 90 minutos a menos de um dia de trabalho, ou seja, 20% do horário total.

Com isso, o empresário perde R$ 1.080,00, supondo que o funcionário ganhe R$ 3.000,00, mais os encargos trabalhistas.

“Se o funcionário custa para o empresário R$ 5.400,00, somando os R$ 3.000,00 de salários mais os encargos, e perde 20% do seu tempo para fumar, o seu vício está custando R$ 1.080,00 para a empresa”, explica Maron.

Outro dado que pode diminuir a contratação de fumantes são os custos com plano de saúde, afinal problemas cardíacos, circulatórios ou mesmo de câncer elevam os valores. 

Por Natali Alencar