O Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego) iniciou a divulgação de 220 opções de cursos técnicos propagadas em 13 áreas tecnológicas, dentre as quais são evidenciadas categorias no eixo “Militar”. São designados aos alunos que obtenham interesse em se formar nessa classificação, e adquirir maior conhecimento em relação à área especificada.

Interligado a progressão de tecnologias de interesse da Marinha do Brasil e da Aeronáutica, os cursos que estão direcionados a essa classe é agregado por atividades desenvolvidas designadamente ao desempenho de atuação dos participantes, que irão contribuir com o apoio, preparo e emprego concernente as Forças Armadas.

A estrutura curricular dos 34 cursos destinados a este eixo compreende-se pelos saberes e tecnologias conectados a aspectos de segurança e defesa, exaltando primordialmente a ética, raciocínio lógico que advém da agilidade, inteligência e persuasão, além de normas técnicas e de segurança e escrita de documentos técnicos.

O intuito é construir o fortalecimento em relação à missão constitucional atribuída as Forças Armadas, implicada na proteção e defesa da Pátria, aquisição dos poderes constitucionais e cumprimento integral da lei e da ordem.

O estudante que se propor a partilhar do contexto informado terá participação direta com atividades que englobam operações, logística, manutenção, suprimento, armazenamento, informações, controle do espaço aéreo, domínio aéreo de operações navais e terrestres, imprescindíveis ao direcionamento das atividades militares.

Os cursos técnicos serão oferecidos apenas a aqueles que se classificarem, e integrarem a equipe das Forças Armadas através de concurso público.

É evidente que as capacitações ofertadas aos alunos pertinentes ao programa são impostas de acordo com as regras que foram atribuídas ao catálogo nacional de cursos técnicos. Desta maneira, cada nomenclatura, carga horária e perfil apresentado são padronizados, com o objetivo de aplicar uma melhor qualificação no âmbito de ensino e propiciar aos interessados maior probabilidade de aceitação no mercado de trabalho.

Alguns cursos integrados a conjunção militar são especificados, sendo eles descritos abaixo.

Técnico em comunicações navais, onde os mesmos irão aprender como ativar equipamentos e conduzi-los em relação à transmissão e recepção navais. Após o recebimento de certificado, explicitando sua aptidão para executar as tarefas propostas poderão manipular e usar procedimentos de instalação, operação e manutenção de equipamentos que são respectivamente associados à área.

Técnico em controle de tráfego aéreo: A formação propiciará suporte teórico adquirido de acordo com aulas ministradas e interesse do aluno, e prático para melhor desempenho na defesa aeroespacial do Brasil. Serão apresentadas técnicas de controle do tráfego de aeronaves civis e militares, em pouso e decolagem, além de concretizarem manobras na pista.

E por fim técnico em mergulho, que deixará o profissional apto em mergulho e desempenhar técnicas de inspeção de obras vivas de navios, e manutenção orientada concernente aos equipamentos utilizados para atuação da tarefa estabelecida, e, por conseguinte a operação de equipamentos de fotografia e filmagem submarina.

Por Lorena de Oliveira

De acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, 4 mil pessoas estão participando todas as semanas dos cursos oferecidos pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) Brasil sem Miséria. A informação é relativa a todo o território nacional e os cursos são uma forma de capacitar os jovens para o mercado de trabalho.

No Brasil, há 18.972 alunos participando das aulas do Pronatec. A expectativa, no entanto, é que 230 mil pessoas sejam contempladas com os cursos até o final deste ano.

O Estado que atualmente tem o maior número de alunos participando do programa, que faz parte das ações do Brasil sem Miséria, é a Bahia, com 5.077 confirmações de matrícula. O mesmo Estado foi uma das unidades da federação que mais pactuou vagas para os cursos do Pronatec na etapa realizada no ano passado.

Pode participar do programa qualquer pessoa que esteja registrada no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). Os beneficiários do Bolsa Família e do Benefício de Prestação Continuada (BPC) não deixam de receber o benefício caso se matriculem em um dos cursos. Além disso, os estudantes ganham auxílio-alimentação e transporte e material didático.

Por Matheus Camargo