Como ser produtivo no trabalho

Vários aspectos podem contribuir para um dinamismo melhor no trabalho e aumentar a produtividade

O futuro do profissional depende da dinâmica, comunicação e mais ainda da produtividade. É importante que o funcionário saiba usar o tempo a seu favor para lidar com múltiplas tarefas e prazos curtos, prezando ainda pela qualidade.

A distração é o principal inimigo da produtividade e não significa que trabalhar o dia todo sem parar irá resolver. Alguns métodos podem te ajudar a ter um dia mais tranquilo, organizado produtivo.

Primeiro comece montando um cronograma organize suas tarefas diárias, seja em um caderno, numa planilha do computador ou até mesmo em aplicativos para celular. Priorize as atividades com prazos mais curtos. Não esqueça de separar uns 10 ou 15 minutos para fazer pausas, afinal relaxar também é essencial.

Não adianta mentalizar é preciso agir! Siga seu cronograma e mantenha o foco.

Evite pesquisas desnecessárias durante o trabalho, a internet pode muitas vezes auxiliar, mas pode prejudicar muito a sua produtividade. Algumas empresas liberam o uso das redes sociais, mas é importante deixar para acessá-las apenas nas pausas. Além disso, não fique o tempo inteiro atualizando a sua caixa de e-mails, separe um tempo exclusivo apenas para lê-los e respondê-los.

Aliás, é importante que sejam feitas algumas pausas durante o dia, trabalhar durante muito tempo seguido gera muito estresse e desânimo. Tome um ar, converse com os colegas. Aproveite para comer um lanche e beber bastante liquido, afinal a alimentação é fundamental para que se mantenha ativo durante o dia.

Outra dica importante é se desprender do perfeccionismo. Faça um trabalho com qualidade e empenho, mas não dedique tempo demais a uma tarefa apenas para deixá-la perfeita. Isso pode trazer problemas relacionados a prazos e ainda tomar tempo de outras atividades.

No final de cada dia revise seu cronograma e veja se conseguiu cumprir todas as suas tarefas, se necessário ajuste alguns detalhes e já se organize para o dia seguinte. Não vá embora correndo e estressado, procure deixar seu local de trabalho organizado. Isso te deixará mais motivado no dia seguinte.

De tempos em tempos avalie seu desempenho e destaque os pontos em que precisa melhorar, busque aprimorar seus conhecimentos sempre que puder, faça alguns cursos, leia e estude bastante sobre a sua área e suas atividades.

 Por Tom Vitor de Freitas

Muitas pessoas estão com a expectativa de conseguir um trabalho novo em 2015 e, de acordo com uma pesquisa que foi realizada pelo site G1, nesse ano, muitas movimentações vão acontecer no mercado.

De acordo com os dados, algumas profissões estarão em alta, e se você deseja saber quais profissões são essas, veja abaixo a descrição e confira se alguma delas é a que deseja atuar.

Lista de profissões em alta em 2015:

Gestor de RH

 Para você que deseja atuar nessa área, saiba que as principais empresas desejam encontrar profissionais formados na área de recursos humanos, com experiência em gestão de pessoas.

O profissional que atua nessa função fica responsável por atender às necessidades de cada setor da empresa, com o objetivo de manter boas práticas de gestão e evitar grandes reversões ou insatisfação dos colaboradores.

Gerente de tecnologia da informação

A área de TI é muito ampla e, de acordo com os dados levantados, o número de vagas é grande, e a tendência é aumentar a cada ano. Aquele que atuar na função de Gerente de Tecnologia da Informação deverá ser formado e ter experiência em desenvolvimento de sistemas.

É fundamental ter uma visão inovadora para atender às necessidades da empresa, como criar sistemas mais ágeis e baratos.

– Advogado

Essa é uma profissão que nunca vai estar em baixa no mercado, pois, a cada dia que passa, novos processos são criados, tanto para a área civil, como familiar, criminal entre outros.

Para se dar bem nessa carreira é preciso ser formado e ter o registro ativo na OAB. Além disso, o profissional deve entender de leis e regulamentações, assim como suas atualizações. É fundamental estar conectado ao negócio e ter boas relações com os demais.

Outras profissões que estarão em alta nesse ano de 2015 são: Arquiteto Corporativo, Gerente de Novos Negócios, também conhecido por Business Development Manager, Cientista de dados, Desenvolvedor Móbile, Diretor de Operações, Engenheiro de instalação e etc.

Por Yasmin Fernandes Robles

Ficarei desempregado em 2015? Essa pergunta tem sido recorrente nos corredores de qualquer empresa. Em rodas de amigos e até reuniões familiares de final de semana, o temor de ficar desempregado em 2015 é grande. E os motivos tem fundamento. 

Vivemos um 2014 atípico, onde muitas coisas aconteceram no nosso país e, por mais que você não goste de política, ela afeta sim sua vida cotidiana. Tivemos uma Copa do Mundo tensa, não só pelo resultado em campo, mas por tudo que envolveu o evento.

Todos esperavam que ela fosse um fracasso. Ainda bem que não foi, senão seria mais uma vergonha que nós, brasileiros, passaríamos diante do mundo.

Além da Copa e do desgaste político com ela, tivemos a eleição mais apertada e discutida desde a redemocratização do país. Muitos dizem que o Brasil está quebrado, somente estão esperando para dar a notícia no ano que vem para não estragar o natal dos brasileiros.

Quebrado, de fato, muitos economistas acreditam que não, mas que pode chegar perto, se muitas medidas severas na economia não forem tomadas. Medidas essas que podem afetar o setor de empregos. Por isso, goste você ou não de política, ela interfere na sua vida.

Em 2015 ficará mais difícil arrumar emprego. Mas nem por isso você será despedido. Com medo dos rumos que o país vai tomar na economia, muitos empresários devem temer expandir seus negócios, mas manterão o que já tem, por isso será difícil entrar no mercado de trabalho, mas a maioria acredita que não haverão ondas de demissão.

Alguns setores serão diretamente prejudicados, como a construção civil, que deve ter mais dificuldade em conseguir contratos com o governo, depois da enxurrada de denúncias envolvendo a Petrobras e empreiteiras.

Porém, outros setores devem aquecer, como a prestação de serviços, que já mostrou ser uma das alavancas da economia brasileira.

Seja qual for sua área de atuação, mantenha-se sempre bem informado, analise sempre o que o mercado está buscando e quais as novidades, pois, caso fique disponível no mercado de trabalho, facilmente encontrará uma recolocação.

Por Luciana Viturino

Você pode ser um novato na busca por um emprego, ou pode ser um veterano que já enfrentou muitos processos seletivos. O fato de ser entrevistado e avaliado por outra pessoa nunca será uma situação agradável ou confortável. Ninguém gosta de ser avaliado nos mínimos detalhes.

É claro que as pessoas são diferentes e se comportam de maneira diferente, mas o fato é que ninguém enfrenta com indiferença esse momento.

Tudo pode pesar contra ou a favor. Tudo mesmo. O ambiente que estava na sua casa quando você saiu para a entrevista; o tipo de transporte que você utilizou para se locomover até o endereço indicado; a roupa e os sapatos que escolheu para ir; o tempo que você tem até o local da entrevista. Todos esses fatores pesarão em como você se comportará diante do entrevistador.

Você será mal avaliado, sim, se chegar atrasado, independente da desculpa que arranjar, mesmo que verdadeira. Programe-se. Jamais chegue atrasado.

O entrevistador vai pensar da seguinte forma: se esse sujeito não consegue se programar para chegar aqui dentro do horário, como conseguirá se programar para executar suas tarefas? Programe-se. Saia cedo. Mas não chegue tão cedo, 20 minutos antes são suficientes.

Caso chegue muito cedo, de uma volta no quarteirão, leia alguma coisa, tome uma água. Só entre no local da entrevista 20 minutos antes.

Também evite chegar eufórico e suado. Mostra que está fazendo as pressas as coisas, que estava fazendo algo mais importante do que se preparar adequadamente para a entrevista.

Sim, o tema de hoje é tempo. Pode ter certeza que é um dos fatores mais avaliados no início de qualquer processo seletivo: como você faz a gestão do seu tempo.

Muitas pessoas se dão mal na gestão e uso do tempo por hábitos ruins que se tornaram parte da rotina, exemplo: minha entrevista é as 8:00 da manhã. Deixe roupas e sapatos prontos na véspera, não vá organizar isso de manhã. Acorde cedo e se preocupe apenas em se arrumar e chegar arrasando. E 20 minutos antes.

Por Luciana Viturino

Você sabe cuidar bem do seu ambiente? E sabe também que nosso ambiente, seja ele de trabalho, residencial, enfim, qualquer que seja, sempre terá uma influência direta sobre nós, principalmente em nossa personalidade?

Nosso ambiente possui uma influência considerada importante em nossa vida, pois sentimos e vivemos de acordo com o que ele passa para nós e sobrevivemos a partir disso. Portanto, nossa capacidade de adaptação está atrelada mais à fatores externos do que internos.

Um dos fatores internos que podem nos influenciar é poluição, barulhos, trânsito, temperaturas, fumaças, entre outros. Para que possamos levar uma vida mais saudável, é preciso controlar ou tirar de vez essas influências, pois podem prejudicar nossa saúde de forma excessiva.

A seguir, você poderá contar com algumas sugestões para tornar seu meio ambiente mais agradável e saudável para você viver com mais qualidade de vida:

– Planejamento

Tenha sempre consciência da importância do planejamento. Priorize a funcionalidade e a estética quando você for planejar a sua casa ou mesmo o seu espaço de trabalho. Arrume toda a bagunça, controle o barulho e deixe o quarto aconchegante e convidativo para uma boa noite de sono e repouso.

– Segurança

Preze pela segurança. Quando você estiver dirigindo, principalmente quando estiver pegando estrada, mantenha-se seguro. Caso não esteja se sentindo muito bem, tanto fisicamente como psicologicamente, peça para que alguém dirija para você.

Uma outra sugestão de segurança é equipar sua casa com móveis ergonômicos, é seguro, confortável, evita acidentes e ainda não ocupa nenhum espaço.

– Tecnologia

Tenha controle sob a tecnologia senão ela controla você, assim, você evita sobrecarga de informações.

– Racionamento

Contribua com o meio ambiente evitando o desperdício de energia elétrica e água. Priorize também o consumo de materiais que são recicláveis e contribua com isso.

– Cuidados pessoais

Evite a exposição ao sol quando não estiver sob a proteção de um bloqueador solar. Isso pode evitar consequências à longo prazo.

Por Daniela Almeida da Silva

Você já parou para pensar que quando não temos a possibilidade de escolher o que queremos estamos praticamente jogando nossa alma ao vento? Já dizia o velho ditado "cabeça vazia é oficina do diabo". Talvez isso se remete à ter que deixar de fazer o essencial para se vender por pouco. Seria como vender a alma ao diabo, como em alguns romances renomados.

Quando as empresas começam a quebrar e o desemprego aumentar, por exemplo, é natural que as pessoas se sintam inseguras e deprimidas, pois essa situação exerce uma pressão imensa sobre a mente, além do mais, a sociedade também coloca uma pressão psicológica em pessoas que não têm uma situação financeira definida.

Nessa situação constrangedora, muitas pessoas até pensam em abrir mão de seus próprios princípios na luta por uma sobrevivência. Por isso que seus princípios devem alimentar cada decisão que você toma durante a sua vida, pois cada vez mais as coisas estão mudando e crescendo em ritmo acelerado e, logo, isso se encaixará em seus valores.

Em tempos difíceis, pode ser que seja difícil vencer sendo honesto, mas por outro lado você ganhará um orgulho de si mesmo e sua vitória será a longo prazo, pois os melhores aplausos virão de sua consciência. Uma vitória sem esforço não vale a pena, pois querendo ou não, nossa consciência cobra um preço alto quando precisamos contrariá-la. 

Geralmente, o resultado disso são insônias, tristezas, mau humor, entre outros sintomas. Na vida, algumas vitórias só têm sentido se conquistada dentro das regras do jogo da vida, ou seja, devemos lutar para sempre vencer, mas nunca de qualquer jeito, passando por cima das outras pessoas e deixando elas infelizes por isso.

Caso contrário, você pode até vencer, mas perderá o respeito e a confiança em si mesmo. Por isso, tenha consciência de que tudo está sendo feito dentro de um padrão ético, pois a vida cobra.

Por Daniela Almeida da Silva

Os conflitos em ambientes profissionais infelizmente são mais normais do que imaginamos. Em alguns casos, são tão graves que podem ocasionar na demissão de um ou mais funcionários. No entanto, é necessário que cada colaborador da empresa saiba se posicionar nesse tipo de situação.

O profissional que melhor consegue resolver conflitos no trabalho são aqueles que fazem isso de maneira pacífica. Para ajudá-lo neste aspecto, separamos cinco passos que lhe ajudarão e muito:

1- Paciência

Não tente ser o dono da razão nos conflitos. Tenha calma e escute o que o outro lado tem a dizer. Expresse sua opinião sem ferir a moral ou dignidade de seu colega de trabalho. Seja paciente e aguarde, que a verdade sobre determinado problema será revelada mais cedo ou mais tarde.  

2- Melhor momento

Quase sempre, o momento em que o conflito se inicia não é a melhor hora para resolver a situação. Decida qual é outra hora mais apropriada para confrontar a pessoas que está incomodada ou incomodando você. Faça isso de maneira discreta.

Se você tem problema com um funcionário, os outros não precisam saber. Seja direto e sutil, não distribua indiretas, visto que isso só deixará o ambiente ainda pior.  

3- Seja claro em seus argumentos

Expresse suas opiniões de maneira clara. Não deixe perguntas ao ar para mais de uma interpretação. Se você está com o objetivo de resolver a questão, o melhor que tem a fazer é ser claro e oferecer soluções.  

4- Seja educado

A educação é uma das características básicas para um bom profissional, mas, infelizmente, são poucos que a utilizam com regularidade, principalmente em conflitos. Se você quer ser um profissional diferenciado, deve ser assim, mesmo em situações tensas.

Fique calmo e procure manter o foco na situação e nos fatos de maneira pacífica e educada.  

5- Esteja interessado

Não converse com os envolvidos no conflito de maneira displicente. Esteja interessado no que cada um tem a dizer, e deixe claro que você também espera isso deles. Não há a necessidade de você concordar com tudo o que é dito, afinal, você tem suas próprias opiniões.

Mas deixe claro às pessoas envolvidas que você irá ouvir o que eles tem a dizer, mesmo que não concorde.

Por William Nascimento

Quando iniciamos em um novo emprego, a motivação é uma das melhores amigas. Afinal, tudo é novidade: novo endereço, nova sala, novos companheiros, novos projetos. Mas, e quando o tempo passa? Continuamos motivados? 

Infelizmente, em alguns casos, não. Para muitos profissionais, basta um curto espaço de tempo para que as tarefas do dia a dia tornem-se tediosas, estressantes e desestimulantes. Por que isso acontece? 

Segundo Luiz Pagnez, caça-talentos do site Recrutando.com, a desmotivação está aliada à insatisfação, ou seja, quando os objetivos e metas profissionais não são alcançados. E, para descobrir se isso está acontecendo com você, é simples:

– Falta de comprometimento: colaboradores desmotivados tendem a não apresentar comprometimento com as tarefas da rotina corporativa, como participação em reuniões, cumprimento de prazos e discussão de ideias. 

Negativismo: com relação ao entusiasmo, este também tende a diminuir. Em muitos casos, as energias positivas, que deveriam ser direcionadas à realização de tarefas e projetos, acabam sendo dirigidas à situações negativas, como intrigas com companheiros de trabalho.

Queda de qualidade na produção: naturalmente, funcionários desmotivados apresentam uma queda na qualidade de seus trabalhos. Estes precisam ficar atentos pois as consequentes avaliações negativas podem prejudicar, e até comprometer, sua carreira. 

Sair do atual emprego é a melhor solução? 

A primeira decisão que vem a cabeça quando estamos desmotivados no emprego é, automaticamente, mudar de empresa. Entretanto, é possível deixar a desmotivação de lado e dar uma reviravolta na rotina:

– Analise sempre as soluções, focando-se nelas ao invés dos problemas;

– Esteja disposto à aceitar os novos desafios propostos pela empresa; 

– Mantenha um bom relacionamento interpessoal com sua equipe, sempre deixando claras as suas ideias, pensamentos e objeções; 

– Envolva-se com os projetos e objetivos da empresa; 

– Seja proativo, a fim de reduzir o surgimento de problemas;

Se você tentou de todas as formas recuperar a motivação e não obteve êxito, as melhor decisão pode ser a troca de emprego. Porém, especialistas afirmam que uma saída triunfal, sempre deixando as portas abertas para um futuro (próximo ou não), é o desejado!

Por Tatiane de Andrade Matos

Todas as pessoas nascem com alguma habilidade ou algum talento inato para algo ou para diversas coisas, porém, por conta de algumas crenças adquiridas durante a nossa vida, algumas coisas tendem a ficar incubadas.

Isso tende a piorar numa certa fase da vida, na chamada 'crise dos 30', ou seja, quando já estamos formados e em uma carreira definida. Mesmo assim, a lógica é termos a vida inteira pela frente para praticarmos nossas ações.

Muitos especialistas dizem que pessoas que têm diversas habilidades desenvolvidas possuem mais chances de se darem melhor nas atividades realizadas no cotidiano. Por isso, caso você seja bom com números, por exemplo, tente então fazer uma aula de pintura. Quem for bom na escrita e gostar de escrever, pode ser bom em resolver questões de matemática, ou praticar suas habilidades jogando Sudoku.

Quem quer ser criativo, deve tentar desenvolver diversas habilidades, pois, quanto maior o número de habilidades desenvolvidas, maior a capacidade do indivíduo em ter criatividade.

Quanto mais atividades você experimentar, mais informações seu cérebro processa, e essa lógica vale também para experiências vividas na nossa vida, além de acúmulos de conhecimentos e outras práticas. Ter criatividade nunca é demais e sempre nos ajuda, seja lá qual for o tipo de profissão.

O cérebro possui dois lados para processar informações. O lado direito é considerado o lado que processa a criatividade, ou seja, é onde mais usamos para criar coisas e desenvolver atividades. O lado esquerdo é mais sistemático e dinâmico, pois ele interpreta tudo o que vemos, sentimos, etc.

Todo ser humano tem um dos lados mais desenvolvido que o outro, mas isso não impede ele de treinar os dois lados para tirar mais proveito, afinal, utilizamos somente 10% do nosso cérebro, logo, temos muito o que aprender ainda e a melhor forma de desenvolvê-lo é acumulando conhecimento.

Enfim, procure ler no seu dia a dia, enfrente novos desafios e prefira aprender na prática, assim, você sentirá toda a diferença.

Por Daniela Almeida da Silva

Cooperar ou competir, o que você prefere? Ou melhor, o que você acharia correto? Na maioria das vezes, o universo corporativo é visto mais como um campo de batalha do que como um ambiente empresarial. E, normalmente, a lógica disso tudo é: matar ou morrer, ganhar ou perder. E nesse jogo vale tudo.

Até as empresas competem entre si pra ver quem acumula mais dinheiro e clientes. De certa forma, cooperar é algo não muito comum aos olhos do mundo corporativo. É claro que funcionários e empresas podem cooperar uns com os outros, mas isso só é válido mesmo para continuarem competindo no mercado.

De acordo com os escritores Fábio Zugman e Michel Turtchin do livro "Criatividade sem Segredos", mesmo a competitividade estando enraizada no pensamento corporativo, a cooperação vem ganhando força cada vez mais entre os profissionais.

Segundo os autores, quem sabe competir da melhor forma pode adquirir um bom desempenho na conquista de objetivos, pois a competição traz efeitos positivos, principalmente se as empresas premiarem seus funcionários quando algum resultado é atingido.

No caso da cooperação, as empresas podem ter muito a ganhar se mudarem as visões de negócios, pois, normalmente, há um costume de ver o universo corporativo como uma grande competição, que pode ser usada apenas como uma questão negativa.

Hoje em dia, diversas iniciativas fizeram muitas empresas mudarem suas formas de cooperar. Grandes empresas como a Apple, o Google, entre outras, fizeram excelentes parcerias para desenvolver novas interações em que todas elas possam lucrar juntas. Como é o caso de desenvolvimento de aplicativos para celulares.

Essas grandes empresas começaram com um projeto simples e hoje continuam juntas, e são as principais no mercado neste segmento. Ainda há espaço para mais empresas interagirem e crescerem juntas, afinal, no mercado existem diversas oportunidades e as chances são infinitas.

Infelizmente, dar mais importância à competição do que à cooperação se tornou algo muito comum, mas ninguém se lembra que, em ambos os casos, há seu lado bom e ruim. As pessoas não usam o bom senso e por isso acabam indo longe demais.

Mas se cada um fizer seu dever como profissional, podemos tornar o mundo dos negócios, um mundo agradável e melhor.

Por Daniela Almeida da Silva

Você está super feliz em seu trabalho, quando, no final do expediente, seu chefe o chama na sala dele. Sua primeira reação é um frio na barriga. Logo quando você entra na sala, ele já vai te dando a notícia: "você está demitido". Neste momento, a coisa mais correta a fazer é aceitar e sair da sala tranquilamente.

Mas quando você chega em casa a coisa pega. Parece que seu mundo caiu depois dessa notícia. Você se lembra que tem contas para pagar, despesas para fazer todos os meses, e é aí que bate aquele desespero.

Não é assim que as pessoas se sentem? Bom, existem algumas pessoas que encaram isso de uma forma diferente, como se fosse um processo natural que passará e que logo depois virá outro emprego, outra oportunidade. Mas, infelizmente a maioria das pessoas ainda não pensam assim. 

Parece que toda uma vida girava em torno daquele emprego e se entregam ao sofrimento. Isso é muito conhecido como "síndrome pós-demissão", que nada mais é do que um sofrimento psíquico causado pela perda. O que fazer nessa hora?

1- Primeiramente, você deverá absorver essa notícia de qualquer forma e tentar fazer uma reflexão sobre os verdadeiros motivos que o levaram até essa situação;

2- Em seguida, você pode tentar tirar uns dias de férias para descansar, desestressar e colocar suas ideias em dia. Dessa forma, você não transparecerá nas próximas entrevistas que esteve frustrado.

3- Tire um dia para organizar seu currículo e analisá-lo. Você pode acrescentar mais informações e cadastrá-lo em sites de emprego na internet.

4- Se desejar, faça mais cursos para aprimorar seu currículo. Um bom curso de idiomas será muito bem-vindo.

5- Pesquise novas vagas de emprego e peça referências de empresas com vagas abertas.

6- Nunca desamine e confie sempre nas suas competências e no seu potencial. Saiba que todos estão sujeitos a uma demissão e isso não precisa ser uma consequência ruim.

Por Daniela Almeida da Silva

De certa forma, quando falamos de nós mesmos estamos, na verdade, vendendo o nosso peixe. Por isso, de vendedor todo mundo tem um pouco. De acordo com Marcelo Cherto, autor do livro "Somos todos vendedores", todos nós em algum momento de nossas vidas trabalhamos com vendas, no sentido de vender uma ideia, um assunto, um conceito, um produto, uma teoria, e todo mundo argumenta e defende para isso, dessa forma somos verdadeiros vendedores.

O talento de convencer e barganhar estão totalmente ligados à profissão de vendas. O que você acha de usar esses princípios para aprender a vender a si mesmo? Basta apenas algumas técnicas de vendas para passar uma boa imagem numa entrevista de emprego e conseguir aquela vaga que você tanto almeja.

Confira algumas dicas da Revista Venda Mais para você não errar na hora de fazer seu marketing pessoal:

– Seja positivo, criativo e tenha autoestima, pois essas são as qualidades principais para o desenvolvimento de um grande vendedor. Afinal, todos adoram uma figura alegre e otimista;

Seja organizado e tenha profissionalismo. Pessoas organizadas chamam mais atenção e são diferenciais. Saiba organizar um discurso e sua fala, e sentirá toda a diferença na sua "venda";

Seja educado e cordial com todas as pessoas ao seu redor, pois você conquistará a confiança delas com mais facilidade. E lembre-se de não ficar insistindo muito em ser simpático, as coisas tem que fluir de forma natural;

Conhecer seu produto é fundamental. Para fazer uma boa venda é necessário, mais do que nunca, ter domínio do produto que está vendendo, e isso inclui as vantagens e as desvantagens sobre ele. É claro que isso tem que dizer à respeito de você. Se conheça muito;

– Se você for indicado por alguém de sua rede de contatos, melhor ainda, pois sua persuasão pode ter um efeito cem por cento. Para isso, invista constantemente em seu networking, pois isso o ajudará bastante quando você for se apresentar.

Por Daniela Almeida da Silva

Sabemos que, conforme o tempo, a forma de interação entre as pessoas nas empresas mudam muito. Aos poucos, aquele ambiente pesado, de formalidade, vai sumindo e se tornando descontraído, claro, dentro de um certo limite, possivelmente.

Algumas pessoas não se dão conta e se sentem tão à vontade no ambiente de trabalho que começam a se comportar como se estivessem em uma festa ou num bar com amigos. Veja agora alguns dos principais comportamentos exagerados nas empresas que devem ser evitados:

– Atrasos

Tem gente que acha que, só porque tem amigos na empresa, pode chegar atrasado quando quiser. De um modo geral, o atraso é considerado um desrespeito não só com seus amigos, mas também com a empresa que confia em você, pois todos têm horários e obrigações para serem cumpridas. Por isso, cumpra-os sempre.

– Reuniões

Tem gente que está na reunião só de corpo e a cabeça no mundo da lua, ou em outras coisas. As reuniões são uma oportunidade para você mostrar todo o seu potencial, por isso, seja participativo e tenha foco. 

Evite mexer no celular ou conversar com algum colega no momento. Caso tenha alguma urgência, peça licença, com educação, para sair da sala por um instante.

– Brincadeiras

Respeito é bom e todo mundo gosta. Por isso, mantenha sempre o respeito para que a convivência seja harmoniosa dentro da empresa. Piadas, tiração de sarro e brincadeiras têm um limite e ultrapassá-lo pode ter consequências sérias.

– Broncas

A menos que você tenha autorização para fazer isso, não o faça. E se o fizer, evite que seja na frente de outras pessoas. Se tiver que chamar a atenção de alguém, chame a pessoa em sua sala e tenha uma conversa particular com ela. Aqui vale mais uma vez o respeito.

– Pressão

As regras anteriores se aplica a essa também. Se você tem autoridade para fazer isso, tenha bom senso e empatia. Se precisar cobrar algo de alguém, saiba que cada ser humano tem suas limitações e seu tempo certo para fazer as coisas da melhor forma possível.

Evite ficar muito no pé para não parecer um carrasco. Seja calmo e educado, senão você poderá sair prejudicado.

– Discrição

Seja sempre discreto quando for se referir à alguém, senão, as pessoas poderão se sentir desrespeitadas e incomodadas. Afinal, você está no seu trabalho!

Por Daniela Almeida da Silva

Atualmente, conseguir alcançar os objetivos é algo que depende, na maioria dos casos, de um fator psicológico, uma vez que acreditar que é possível chegar onde almeja é um fator preponderante frente ao sucesso que almeja.

Sendo assim, vamos abordar alguns fatores de fundamental importância para aquelas pessoas que precisam de algumas dicas e atitudes para chegar aos seus objetivos.

O primeiro passo para subir um degrau na vida é ter consciência de como estamos hoje e ter em mente o que é necessário para chegar ao nosso principal objetivo, isto é, o que nós realmente queremos na vida.

Todavia, é importante destacar que o que muitas vezes tem impedido as pessoas de chegarem onde querem está na própria mente, em características como “pensar em desistir”, “pensar que não vai conseguir” ou não saber onde se quer chegar. Em seguida, defina o que te faz completamente feliz, pois isso pode revelar o seu talento e te fazer um expert no que você gosta.

Faça uma autoavaliação a respeito do que você faz hoje. Isso é o que te faz feliz e é um passo que te possibilita chegar ao seu objetivo? Perguntas como essas devem ser feitas com certa constância, pois um passo errado pode nos fazer demorar mais tempo na busca de nossos sonhos.

Ressalte-se que para trabalhar motivado temos de estar em algo que somos apaixonados. E para que isso ocorra é necessário disposição, disciplina e sabedoria para agarrar as oportunidades que surgirem no meio do caminho.

Por fim, você precisa ter consciência, isto é, projetar sua vida com o pé no chão, decidindo quem é você, onde pretende chegar e o que você realmente quer realizar. Tudo o que fizer, faça da melhor maneira possível, com o máximo de competência, e fuja de toda e qualquer distração que surgir no meio do caminho.

Caso necessário, peça feedback e orientações de alguns profissionais. 

Por Luciana Viturino

Sabemos que quem se encontra na terceira idade, ou está beirando ela, tem dificuldade de encontrar um emprego fixo pela falta de preparo do mercado para contratar esse público.

As pessoas que estão há muito tempo sem trabalhar e desejam se recolocar no mercado de trabalho precisam estar preparadas para lidar com um grande desafio pela frente: como conseguir um emprego estando perto da época de se aposentar.

O bom nisso tudo é que as empresas mais modernas do mercado estão aposentando seus funcionários na terceira idade cada vez mais, e sabe porque isso acontece? Pela experiência que eles adquiriram.

Funcionários mais velhos normalmente são mais comprometidos com o trabalho e levam a carreira mais a sério. Hoje em dia, algumas empresas estão sendo mais receptivas à este público. Algumas redes de fastfood, e até mesmo grandes indústrias, contratam mais pessoas na terceira idade do que pessoas mais jovens.

Existem ainda diversos programas e planejamentos específicos voltados exclusivamente para contratação de idosos nas empresas, e isso vem ganhando espaço cada vez mais no mercado.

Se você encontra-se nessa fase e está a procura de um emprego, saiba que sua idade não é o que mais importa, mas sim sua experiência, e a empresa pode ganhar muito com isso. Nesse caso, entenda qual é o seu espaço no mercado e procure onde você mais se encaixa nesse quesito.

Use a experiência que você tem e explore suas competências em novas oportunidades de emprego. Inove sempre. Se você tem mais de 50 anos, por exemplo, demonstre todo seu conhecimento já na entrevista de emprego. Pode parecer desafiador, mas é uma excelente oportunidade de você mostrar sua forma de trabalho.

Fale muito de suas habilidades, vivências pessoais e profissionais, qualidades, e exale muita disposição e garra para aprender coisas novas. Atualize-se sempre, fazendo cursos, workshops, palestras, entre outros.

Com sua persistência, foco e força de vontade você conseguirá conquistar não só um bom emprego, mas o emprego dos sonhos. Você pode usar a sua idade a seu favor e tirar muito proveito disso.

Tenha sempre bom humor e transmita alegria e autoconfiança. Faça valer a pena e prove à todos que essa é "a melhor idade".

Por Daniela Almeida da Silva

Sabe quando bate aquele tédio de domingo à noite, às vezes muito pior do que segunda-feira de manhã? Saiba que isso são sintomas da famosa "síndrome da segunda-feira". Mas tenha calma, pois isso não é nenhuma doença a qual você deve se preocupar.Saiba que esse mal estar pode sim ser reversível.

Há várias coisas que você pode fazer para diminuir o peso da "síndrome de segunda-feira". Veja algumas delas:

1- Nunca leve problemas mal resolvidos para a semana seguinte. Esse pode ser um grande passo para fazer sua semana ser mais tranquila. Faça um planejamento logo no início dela, assim você não se sentirá perdido e verá que as coisas ficam bem mais fáceis de se lidar.

2- Ainda no domingo, faça exercícios e atividades leves e relaxantes, como, por exemplo, ir a um parque dar uma volta, correr, pegar uma piscina para tomar um sol, etc. Você se sentirá com muito mais pique para enfrentar a próxima semana.

3- Quando acordar para trabalhar tome um café da manhã bastante reforçado, com cafeína e carboidratos, assim você se sentirá com mais energia e disposição para enfrentar o dia. Durante o percurso para o trabalho escute uma música relaxante. Você pode fazer isso até no café da manhã, se quiser.

4- É normal que algumas pessoas se sintam cansadas e devagar na segunda-feira, por isso não exija muito de você no início do dia. Comece fazendo as coisas no seu tempo certo, para não atropelar o seu ritmo ou a sua rotina.Acorde um pouco mais cedo para evitar atrasos logo na segunda-feira, isso evitará que o dia se torne tedioso. Não dê mole para a preguiça, pois você precisa de bastante energia para a semana inteira. 

5- Estabeleça uma relação com as coisas boas do seu emprego, como, por exemplo, seus colegas de trabalho que você tem afinidade para contar seus dias bons, além de suas tarefas que, mesmo sendo estressantes, fazem as horas passarem mais rápido.

6- Pense em coisas que te motivam.

Depois que você colocar essas dicas em prática, perceberá que a segunda-feira não é tão apavorante como pensa. Além disso, você verá também que até seu domingo pode ser mais tranquilo, só de imaginar que tudo começará bem novamente no dia seguinte e de uma forma menos estressante.

Por Daniela Almeida da Silva

Se você é aquele tipo de profissional que gosta de ficar pulando de emprego em emprego, saiba que essa constante inquietação pode manchar o seu currículo no mercado de trabalho.

Ficar de olho em novas possibilidades e em novos horizontes é algo normal e proveitoso, desde que você tenha cautela quanto ao abandono de um emprego logo após de tê-lo conseguido.

Se você ingressou a pouco tempo em uma organização, tente se adaptar a ela e as oportunidades concedidas pelo seu gestor. Procure identificar na sua empresa as oportunidades de crescimento, faça as suas escolhas e invista na sua carreira dentro dela.

Claro, nada impede que você fique atento às novas possibilidades que o mercado oferece, no entanto, o ruim é sair das empresas sem ter concluído algum projeto. A interrupção das atividades gera a impressão de descompromisso perante os gestores.

Os profissionais devem ter ambições, entretanto, não pode ter tanta ambição ao ponto de ficar ansioso e focado somente nas promoções e cargos mais altos. Caso tal situação aconteça, o profissional poderá tomar decisões precipitadas e, assim, comprometer o seu futuro profissional.

Esse desejo de crescimento rápido faz que os trabalhadores acabem cumprindo ciclos muito curtos em cada lugar, isso é prejudicial tanto para a empresa que contrata, quanto para os profissionais, visto que estes últimos não terão tempo para fixar novos aprendizados.

Outro risco dessa troca de emprego constante é que o profissional até pode conseguir empregos em outras companhias, entretanto, dificilmente captarão um posto de maior responsabilidade. Nesse caso, a pessoa estará cumprindo uma carreira horizontal, ou seja, começando as atividades na empresa X como engenheiro elétrico junior e logo passando a trabalhar como engenheiro elétrico junior na empresa Y, o profissional não estará crescendo e, sim, mantendo o cargo.

Vale mais a pena investir um tempo na empresa que você já está e conseguir avançar para engenheiro elétrico sênior do que passar para outra empresa e manter o mesmo cargo indefinidamente.

Mas calma, se você é um dos profissionais que não aguenta muito tempo numa mesma organização, saiba que há vantagens nas mudanças. Muitas empresas sentem atração por estes trabalhadores, principalmente pelo fato que eles tem maior facilidade em derrubar paradigmas e inovar no ambiente de trabalho.

Sendo assim, há certo interesse em profissionais que buscam melhorar na vida, no entanto, essa atratividade acaba quando os profissionais agem por impulso e sucumbem à ansiedade.

Por Melina Mariel Menezes Pereda

O sonho de qualquer profissional é encontrar um trabalho que lhe satisfaça, que tenha uma boa remuneração e que o ambiente de trabalho seja muito bom. Entretanto, para conseguir o emprego ideal é preciso trilhar um longo caminho.

Quando você está num processo seletivo para uma vaga, pode ser que, no meio da trajetória, apareça outra empresa atrás do seu trabalho, ou também pode ocorrer de estar trabalhando numa organização e aparecer outra que ofereça uma oportunidade com melhor remuneração, então, você se pergunta o que fazer.

Além dessas situações mencionadas, há outra que gera bastante tensão por parte do solicitante e também por parte da empresa: pedido de aumento.

Essas hipóteses seguidamente se cumprem e, muitas vezes, os profissionais tem de enfrentar a essas difíceis situações. Para facilitar um pouco a sua vida, há algumas dicas que podem fazer esse processo bem menos constrangedor ou complicado.

Quando você optar por uma vaga em detrimento de outra, seja amável, não subestime as oportunidades que lhe são apresentadas, afinal, nunca se sabe o dia de amanhã.  Busque deixar claro que a oferta que você recusou é ótima, mas que no momento não satisfaz por completo suas necessidades.

Caso tenha solicitado um aumento, busque não parecer ganancioso e expresse que haja o que houver continuará disponível e colaborador. Faça as pessoas entenderem o motivo pelo qual está pedindo esse aumento, mostre razões.

Antes de correr atrás da sua promoção, aumento, mudança de emprego ou qualquer outra mudança no âmbito laboral, procure entender com quem está lidando, ou seja, verifique a melhor forma de falar com a pessoa para que o rumo da conversa não siga o curso errado.

Esteja preparado para responder questões difíceis. Diga sempre a verdade, seja honesto com as pessoas. Entenda que, quando surgem perguntas inesperadas, sua atenção deverá estar voltada para a intenção do empregador, provavelmente ele queira descobrir algo sobre você.

Como foi dito anteriormente, seja amável, evite fazer ultimatos, isso pode estragar toda a negociação. Se a conversa não fluir da forma que você estava planejando, não seja ríspido e permaneça paciente, mudanças poderão acontecer ao longo da negociação.

Com essas dicas, certamente você terá maior facilidade para lidar com essas diversas situações mencionadas e com algumas outras que possam fazer parte do seu trajeto profissional.

Por Melina Mariel Menezes Pereda

Muitas podem ser as causas para que uma pessoa não consiga uma promoção no trabalho, mas, nunca nada foi tão importante como a comunicação. Cada vez mais as empresas estão prestando atenção em como as pessoas falam ou escrevem. Com o excesso de atenção para esse ponto, fez-se muito mais evidente que os trabalhadores possuem déficits no que diz respeito à norma culta do português, tanto para a fala quanto para a escrita.

Dentro de uma empresa, a comunicação é algo importante e não pode passar desapercebido. Caso um gestor não possua essa habilidade, essa dificuldade em se comunicar pode prejudicar todo um processo, afetar a convivência dos colaboradores ou ainda ser fonte de intrigas e mau entendidos.

Comunicar-se não é apenas abrir a boca e falar. O processo de comunicação envolve um emissor, um receptor, uma mensagem, um código, enfim, é algo bem mais complicado do que se imagina. Atualmente, com as diversas formas de comunicação e com a tecnologia avançando de forma exponencial, há necessidade de potencializar essa comunicação e fazê-la mais eficiente. 

A comunicação é o ato de compartilhar ideias desde que elas sejam claras, objetivas e bem colocadas para o receptor, caso contrário, a mensagem poderá ser decodificada de forma totalmente equivocada e a intenção da comunicação se perderá no processo.

Na situação atual do mercado, as pessoas precisam bem mais do que um curso de graduação completo para serem bons profissionais, sendo assim, cada vez mais trabalhadores estão recorrendo a cursos de reciclagem no idioma, a fim de melhorarem a fala e a escrita do português.

Isso não é em vão. Como foi dito anteriormente, as empresas estão prestando mais atenção na forma de comunicação dos seus colaboradores, precisando ter a certeza que os profissionais não sejam ridicularizados numa apresentação de negócios para outra firma ou numa mensagem enviada para outra empresa.

Nunca a comunicação foi tão importante, com empresas e profissionais se conscientizando de que o português bem falado ou escrito é imprescindível para o sucesso nos negócios e na carreira.

Por Melina Mariel Menezes Pereda

Em uma pesquisa realizada pela Lee Hecht Harrison, empresa do ramo de consultoria de mobilidade de talentos, foram levantadas informações sobre as coisas que mais perturbam os profissionais durante o horário de trabalho.

De acordo com o estudo, aqueles profissionais que conversam demais durante o período de trabalho são os tidos como “maiores incômodos” pelos outros colegas de trabalho. Os conversadores de plantão ficaram na frente de outros pontos que muita gente reclama, como os e-mails e os telefonemas, clássicos por interferirem na produtividade do funcionário.

A pesquisa feita pela Lee Hecht Harrison levou em consideração a opinião de 848 trabalhos norte-americanos entrevistados. As votações aconteceram no mês de abril deste ano.

Esses profissionais na pesquisa tinham apenas que responder sobre o que achavam mais incômodo ou o que mais o distraia no trabalho. Como dito, os colegas conversadores ficaram em primeiro lugar, com um percentual de 45%.

Na sequência dos problemas apontados pela lista, temos os seguintes pontos com seus respectivos percentuais:

1- E-mails com 18%;

2- Odores com 9%;

3- Chamadas Telefônicas com 8%;

4- O barulho do ambiente com 6%;

5- O design do escritório com 5%;

6- Nada (isso mesmo, nada) com 5%;

7- Tecnologia com 4%.

Jim Greenway, vice-presidente executivo do setor de marketing e vendas de eficácia da empresa que fez a pesquisa afirma que conversas no corredor ou ainda uma breve conversinha no escritório, uma parada para um bate-papo rápido, pode acabar contribuindo em benefícios para os funcionários, tendo em vista a geração de novas ideias e a colaboração.

Isso, consequentemente, aumenta a produtividade e a confiança entre os colegas. Já quando a conversa é demais, pode acabar virando distração, provocando baixo rendimento e falta de competência.

Para Greenaway é importante que cada profissional tenham consciência de si mesmo. Ou seja, que saiba assumir a responsabilidade por seu jeito de se comportar no trabalho e reconhecer quando está perturbando alguém.

Na dúvida é só reparar se a pessoa com quem está conversando fica batendo os dedos na mesa, mostra uma cara angustiada ou fica olhando para o relógio. Se coisas do tipo acontecer, é melhor repensar as conversas, o conteúdo delas e a duração.

Por Denisson Soares