Novas Regras de Aposentadoria Provocam Aumento dos Pedidos

Insegurança está fazendo trabalhadores antecipar os pedidos de aposentadoria.

A possibilidade de uma reforma na Previdência tem gerado muita preocupação entre os trabalhadores e contribuintes do INSS. Tanta insegurança tem levado muita gente a antecipar o pedido de aposentadoria, ainda que para isso seja preciso sacrificar uma parte do valor do benefício.

Para falar a verdade, essa movimentação de trabalhadores requerendo a aposentadoria mais cedo teve início já no final de 2015, quando foi adotada pela Previdência Social a Fórmula 85/95, que considera a soma entre idade e tempo de contribuição. Para assim definir quando os trabalhadores podem se aposentar sem sofrer com o novo fator previdenciário.

A questão passou a ser mais discutida quando o governo do presidente Michel Temer anunciou que a reforma da previdência é uma de suas prioridades. Diante disso, o medo de grandes mudanças despertou nos trabalhadores a ânsia de assegurar o benefício, garantindo a aposentadoria.

Dessa forma, observou-se que nos primeiros oito meses de 2016 as solicitações de aposentadoria no INSS tiveram uma relevante alta, considerando o mesmo período do ano passado. Além disso, os benefícios concedidos também tiveram alta neste ano, principalmente nos casos de aposentadoria por contribuição, que correm o risco de sofrer mudanças. Ou seja, o trabalhador brasileiro não quer “pagar para ver”.

Não se sabe ao certo o que vai mudar, mas a proposta que vem sendo discutida é a de estabelecer como idade mínima 65 anos para aposentadoria. Se a proposta passar a valer, os trabalhadores de até 50 anos serão atingidos e teriam que pagar um pedágio de 50% (adicional sobre o tempo que falta para solicitar o benefício), exceto professores e mulheres ( que serão atingidos até os 45 anos).

Segundo o INSS, 90% dos pedidos de aposentadoria são feitos por trabalhadores que atendem aos requisitos exigidos. E ainda assegura que aqueles que cumpriram todos os requisitos para a aposentadoria, terão o benefício garantido por lei.

O que se nota é que as pessoas estão apressadas por temer as mudanças que por ventura virão e também para não caírem no pedágio. Mas cada caso deve ser analisado, pois uma aposentadoria adiantada pode resultar na perda de uma considerável parte do benefício. Somente quando a proposta chegar ao Congresso Nacional é que haverá mais conhecimento sobre a questão e as possíveis soluções.

Sirlene Montes