Todo e qualquer tipo de discriminação seja ele por motivo de raça, cor, religião, posição política ou social deveria ser banido de todos os ambientes onde os seres humanos convivem. No trabalho, o preconceito afasta pessoas, dificulta o contato profissional e “contamina” a empresa.

Segregar colegas simplesmente porque eles são diferentes em algum aspecto é um comportamento que demonstra extrema intolerância. Cada um tem o direito de viver à sua maneira, se essa maneira estiver dentro das leis que regem a sociedade. Discriminar, especialmente numa empresa, que é um local onde as pessoas precisam trabalhar em equipe, só traz prejuízos a todos os envolvidos.

Seja consciente e tire proveito da coexistência entre as diferenças no ambiente corporativo. A diversidade só tem a contribuir para tornar a empresa mais forte e melhor.

A Serasa possui um programa específico de empregabilidade para pessoas com deficiência. O objetivo é oferecer qualificação profissional aos deficientes físicos, intelectuais, visuais e auditivos, além de buscar sua colocação no mercado dentro da própria Serasa ou empresas parceiras.

A empresa visa a inclusão do deficiente no mercado e oferece oportunidades de crescimento profissional. Para integrar o Programa Serasa de Empregabilidade de Pessoas com Deficiência, basta inscrever seu currículo no site e concorrer às vagas profissionais ou de estágio.

A Serasa disponibiliza, ainda, o período da manhã de todas as quintas-feiras para receber empresas e demais interessados em reuniões livres de apresentação, basta entrar em contato através do telefone (11) 6847-9927 ou programaempregabilidade@serasa.com.br para marcar.

O preconceito é uma das piores maneiras que existem de se reagir às diferenças entre as pessoas. No ambiente de trabalho, ele é uma atitude que mina relacionamentos, gera desunião nas equipes e compromete a produção.

Discriminação por sexo, raça, orientação sexual, religião. Qualquer tipo de preconceito representa o extremo da intolerância.

No ambiente corporativo, ele dificulta, e muito, a interação entre os indivíduos, o que reflete em prejuízo para o bom andamento das atividades laborativas. Além disso, podem passar a existir até mesmo problemas legais pois aqueles que são vítimas de preconceito tem direito de recorrer à Justiça, e com toda razão.

Aceitar o diferente demonstra maturidade e boa vontade. É saber conviver com a diversidade que está em todo lugar.

Não somos todos iguais. Ainda bem que não. Aprender a conviver com isso é a marca distintiva entre um profissional consciente e aquele que ainda tem muito a experimentar.