Atualmente, é cada vez mais difícil achar pessoas que fiquem por um bom tempo na mesma empresa. O que antes era corriqueiro, hoje é algo extremamente difícil de acontecer, visto que as prioridades tem mudado e as pessoas também estão mais abertas à mudanças.

A busca por desafios e novidades tem feito os profissionais migrarem várias vezes durante o seu trajeto laboral em prol da realização no trabalho.

Outra questão relevante e que assola os profissionais é que o número de pessoas que investem na carreira, propriamente dita, é uma minoria. Muito poucos profissionais preocupam-se com o desenvolvimento profissional, enxergando as necessidades de complementação e reciclagem somente quando se deparam com a necessidade de construir um currículo.

Construir um plano de carreira deveria ser o principal objetivo dos profissionais, não obstante, a busca pela construção da carreira não está tão presente assim na vida dos trabalhadores, principalmente pelas dificuldades advertidas nesse planejamento.

Eis aqui algumas dicas que ajudarão você a montar o plano de carreira e, assim, traçar um caminho para a realização do seu sonho profissional.

O planejamento tem basicamente três partes, sendo elas: o ponto de partida (onde você se encontra), objetivos a curto, médio e longo prazo, e a terceira é como deverá ser a trajetória até chegar ao ponto mais alto na profissão.

Quando for formular os objetivos, seja coerente e tenha bom senso, verifique que eles sejam factíveis, senão, a única coisa que você vai conseguir é mais uma decepção.

Durante a execução do plano, atualize-se. Nada melhor que uma pessoa informada, “antenada” com as novidades na carreira e que esteja aberta para novas experiências. Quando for em busca de emprego, procure em empresas que tenham valores alinhados aos seus.

Outra coisa que deverão compartilhar serão os objetivos, afinal, nada mais frustrante que você tentar colocar sua criatividade em prática e a empresa não aceitar as suas ideias (típico de uma empresa centralizadora).

Uma dica importante é cuidar da sua rede de contatos, conheça pessoas, seja cordial. Um bom network não significa que seja enorme, ou que você adicione todo mundo nas suas redes sociais e sim que as pessoas que estão nele sejam prestativas quando você precisa delas, no caso de uma recolocação no mercado, por exemplo.

A última e estratégica dica é, revise o seu plano ano à ano. Veja se apareceram novos objetivos ou se aqueles que você tinha definido podem ser complementados. Perceba se o plano está dando certo e se você está conseguindo cumprir os passos.

Seguindo essas dicas ficará mais fácil você entender o que você quer e identificar onde quer chegar.

Por Melina Mariel Menezes Pereda