A função de orientar o corpo docente, discente e a dinâmica escolar não é simples, por isso a capacitação do Coordenador Pedagógico deve ser continuada, visando melhorar o aproveitamento do cargo. Mesmo que abram concursos para a vaga de Coordenador, muitas instituições ainda preferem selecionar professores experientes, mesmo de outras disciplinas, para assumir a ocupação.  

O Coordenador Pedagógico deve estar preparado para executar sua função, tendo em vista a necessidade de estar atualizado e informado a respeito do meio educacional ao qual pertence. Para isso, não basta apenas esperar que a Secretaria de Educação ou a Instituição de Ensino ofereça a formação continuada, pois um bom profissional sempre está buscando o aperfeiçoamento para se destacar no mercado de trabalho. Mesmo os coordenadores com carreira estável não devem se acomodar, pois o desenvolvimento educacional depende da sua boa atuação.   

É essencial enfatizar, no dia a dia, a necessidade do comprometimento e envolvimento de todos, pois o trabalho em equipe possibilita elaborar projetos que auxiliam na evolução da qualidade de ensino. Neste sentido, a formação continuada do Coordenador pode voltar-se na melhoria da comunicação com todos os setores da Instituição de Ensino. A capacidade de ouvir, motivar e compreender as necessidades dos professores, colaboradores e alunos também é fundamental para resolver os conflitos, melhorar a distribuição do conteúdo e rendimento das turmas.

Muito além de apenas coordenar professores e alunos, esse profissional está envolvido em todos os setores da Instituição de ensino: organização, administração, gestão financeira, planejamento pedagógico entre outros, além de participar e incentivar a execução das ações constantes no PPP (Projeto Político Pedagógico).

A profissão exige que haja formação adequada a fim de se atualizar e acompanhar as novidades da área, dessa forma, ao aprimorar seus conhecimentos, o Coordenador enriquece a sua atuação, pois a formação continuada é muito significativa na busca constante do crescimento profissional no ambiente pedagógico.

Você sabe o que é o PPP? Conhece suas ramificações? Se você atua na área Pedagógica e não ouviu falar, ou ainda tem dúvidas. Este artigo é para você. Desde 1996, a LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional) instituiu que toda escola precisaria desenvolver um PPP, ou o Projeto Político Pedagógico. Muito mais do que desenhar os métodos de ensino que o professor ira desenvolver em sala de aula, o Projeto Pedagógico requer o envolvimento das esferas sociais em torno do assunto.

Para isso torna-se necessário o envolvimento de gestores educacionais, pais, alunos, professores e demais funcionários da escola participem do processo de elaboração do documento. Para coordenar e garantir o envolvimento dos envolvidos, O Diretor Escolar desempenha um papel de muita importância, assim com outros que citaremos adiante. A necessidade da criação de um plano pedagógico surgiu no período pós-ditatura, as escolas publicas passarem a receber indivíduos que antes eram excluídos do processo educacional publico do país, com o aumento da diversidade social dentro das escolas tornou-se necessário a adequação dos modelos existentes para colaboração do novo cenário.

Muitos profissionais da área ainda encontram certa dificuldade em compreender as ramificações do PPP e como ele influenciar nas praticas de ensino, tornando-as mais eficientes. A seguir esclareceremos as dúvidas mais comuns:

1. Como iniciar um Projeto Político Pedagógico eficaz O Projeto Pedagógico é pautado em três pilares, independente do perfil da escola ao qual o mesmo será aplicado, são eles:

· Proposta curricular: Nesta etapa deve-se levar em consideração o que será ensinado e quais os meios de transmissão do conhecimento, bem como a gestão do tempo e o espaço (ambiente) onde o ocorrerão as atividades.

· Formação dos educadores: abrange a organização do corpo docente, a fim do cumprimento da proposta curricular

· Gestão Administrativa: Responsável pelo fornecimento de insumos (físicos ou não) para realização as atividades bem como os demais setores funcionem bem dentro da escola.

2. De quem é a responsabilidade e elaboração do projeto? O projeto deve ser originalmente elaborado pelas esferas sociais que citamos acima: pais, alunos, professores e alunos, entretanto a condução desta elaboração é papel do Diretor que deve estar bem atento e habituado à realidade da comunidade para conseguir transitar pelo projeto.

3. Quais as maiores dificuldades encontradas durante a Elaboração? Por se tratar de projeto colaborativo, é comum que exista distorção do que é de interesse coletivo e individual, portanto há de se ter em mente sempre os motivos aos qual a equipe envolvida está se reunindo.

Um bom exercício para gestão deste conflito é buscar sempre a resposta que façam refletir sobre o porquê da existência do espaço educativo, bem como qual a sua funcionalidade social.

Profissionais recém-formados nos cursos de pedagogia, psicologia e fisioterapia podem concorrer a vagas de trainee através de um intercâmbio realizado pela Escola Internacional YMCA. As oportunidades são para atuar nos Estados Unidos em um projeto direcionado para jovens e crianças portadoras de deficiência.

O programa dura até um ano e meio e oferece bolsa-auxílio no valor de US$ 865, além de moradia, serviços, seguro-saúde e outros benefícios. Para concorrer, o candidato deve pagar uma taxa de US$ 2.500 referente a custos de intercâmbio, testes de língua inglesa e entrevistas.

Interessados devem realizar inscrição até o dia 9 de outubro. Mais informações através do email jh.comunica@gmail.com ou pelos telefones (11) 3536-6358 e 7350-4794.

Fonte: http://jcconcursos.uol.com.br