Ser prestativo e procurar ajudar quando puder são dicas para manter uma boa relação com sua networking.

Quando vamos criar ou ampliar nossa networking sabemos que entre outras coisas, teremos que ter um sorriso no rosto, ser simpáticos e até elogiar se for preciso, para conseguirmos nos aproximar de colegas de trabalho, superiores, fornecedores e outros profissionais de um modo geral.

Querendo ou não, a construção de nossa networking é feita com segundas intenções, afinal, é para isso que funciona uma networking, para nos socorrer quando precisarmos.

Acontece que este conceito não é 100% correto, porque de fato, a networking é uma ótima forma de obtermos ajuda quando precisamos, mas também é um excelente meio de ajudarmos, por isso, a principal dica para se fazer uma networking sem culpa é procurar ajudar, sempre que possível, a sua rede de contatos.
E mesmo que, no momento, ninguém esteja precisando de uma ajuda específica, você deve manter sua networking viva, com informações constantes. Isso não significa que você tenha que enviar dicas e sugestões o tempo todo, isso não é o certo e pode até incomodar seus contatos, mas se você ficou sabendo de um bom emprego que possa interessar alguém de sua rede de contatos, divulgue esta oportunidade em sua networking informando tudo a respeito do cargo.

Desta forma, você será visto por todos como um profissional prestativo, atencioso, que está sempre buscando ajudar e compartilhar informações, assim, quando precisar, você poderá recorrer sem culpa à sua networking.

A networking funciona como uma troca de gentilezas, de informações, de oportunidades. Quem fica “enchendo” sua networking de contatos na esperança de ter uma garantia quando o pior acontecer em sua carreira, certamente vai ter este sentimento de “culpa” quando recorrer aos contatos em busca de um auxílio.
Mas o profissional que está sempre doando um pouco de si para ajudar os membros de networking, mesmo que seja com informações sobre cursos profissionalizantes ou palestras, sabe que no momento que mais precisar, sua networking estará pronta para lhe ajudar e com imenso prazer, pois ele já  é visto há um bom tempo por todos, como um profissional digno que se lembra dos colegas não apenas nos momentos de dificuldade.

Por Russel

Assunto bastante falado em cursos e empresas, quem já iniciou um negócio promissor por causa de alguém da lista de Networking, dá a dica: não deixe o nome dos colegas de faculdade apenas na agenda.

Estamos findando o segundo mês de 2010, já tem pessoas que não faz contato há mais de dois meses? E aqueles colegas da última empresa que trabalhou? E aquele cliente que você atendia lá? Se olharmos para trás, veremos quantas pessoas passam por nós e simplesmente esquecemos delas.

Pode apostar: pessoas bem sucedidas em suas carreiras e as que estão satisfeitas em seus empregos, apontam o sucesso como 70% vindo de alguém que deu uma informação valiosa – o networking.

Batizado por Max Gehringer como “aquele que tem a chave que abre a porta”, o networking pode estar onde menos imaginamos.  Não anule pessoas de seus contatos só porque não trabalha mais com elas, não menospreze funcionários de cargos menores de outras empresas. O networking pode ser desde um executivo a um porteiro do prédio da empresa.

Por Zilmara Filibelo

Você trabalha há anos na mesma empresa, mas a situação é sempre a mesma: o mesmo tipo de trabalho, o mesmo salário, o mesmo chefe que não enxerga o que você realiza. Você pode se conformar com a situação ou iniciar um processo de busca por uma nova vaga. Veja como.

O primeiro passo é distribuir currículos. Selecione empresas que interessam a você e elabore um currículo inteligente. Faça contatos, converse com pessoas da sua área que trabalhem em empresas do mesmo ramo.

O networking (círculo de contatos pessoais e profissionais de uma pessoa) é muito importante nos tempos atuais. Esteja atento às vagas que estão sendo abertas e não perca oportunidades. Mas seja prudente também: não se atire de cabeça na primeira oferta, pondere; avalie os prós e contras e só então decida.

Buscar uma nova vaga estando empregado pode ser uma experiência gratificante, mesmo porque você não perde nada, ou melhor, só tem a ganhar.