A empresa de consultoria na área de gestão de pessoal Right Management divulgou uma pesquisa indicando que em 2011 ainda teremos um volume efervescente de contratações e um cenário promissor no setor de prospecção de talentos. O resultado desse estudo é fruto de entrevistas realizadas com especialistas de mais de 50 países.

Segundo a Right Management, essa expansão será provocada por fatores como o desenvolvimento e aperfeiçoamento do trabalhador, o bem-estar proporcionado pelas novas tecnologias e as formas de trabalho virtual que essas inovações podem proporcionar às pessoas.

A pesquisa aponta, por exemplo, que hoje a maioria dos trabalhadores (84%) aceitaria trocar de emprego, se isto se configurasse em melhoras de qualidade de vida, favorecidas pela estabilização econômica. Por outro lado, foi constatado que o excesso de horas trabalhadas ainda tem causado insatisfação no ambiente de trabalho.

De acordo com uma das executivas da Right Management no Brasil, Márcia Palmeira, em nosso país esse quadro é ainda mais tenso, mas já existem ações de algumas empresas no sentido de buscar motivar seus funcionários, levando-os a se situarem quanto aos objetivos que têm em sua companhia e como podem contribuir para o sucesso das mesmas.

Outro fator apontado – a flexibilidade de trabalho proporcionada pelas novas tecnologias de comunicação, como a Internet – é visto com bons olhos pela agência e pelos profissionais entrevistados. Isso tem gerado redução de custos, mais satisfação profissional e pessoal.

Fonte: InfoMoney

Por Alberto Vicente

De acordo com Lílian Wizenberg – consultora da Right Management, empresa de consultoria organizacional – o aquecimento da economia e o aumento da oferta de emprego, profissionais que não estão satisfeitos tendem a não pensar duas vezes ao receber propostas para trocar de emprego. O salário, ao contrário do que muitos pensam, influencia muito pouco na escolha do profissional.

De acordo com o site G1, a relação do funcionário com o chefe é um dos principais fatores que prendem o profissional ao local de trabalho, sendo que os profissionais que afirmam estar satisfeitos com o ambiente de trabalho gozam de ótimas relações com seus superiores relacionados diretamente.

Ainda segundo especialistas, a maioria dos empregados que se demitem, não se demitem da empresa e sim, do empregador para quem estão trabalhando.

Por Rafael TOTP

Não é pequeno o número de pessoas que não trabalha satisfeita no ramo em que está. Muitas vezes por circunstâncias da vida, os indivíduos acabam caindo num setor que não corresponde às suas habilidades ou desejos. Mas é possível mudar, bastam coragem e esforço.

São inúmeras histórias de sucesso de pessoas que se sentiam frustradas nas atividades que desempenhavam e foram atrás de novos horizontes. O primeiro passo é sempre ter atitude. Aprender coisas novas, qualificar-se, olhar em volta e perceber do que o mercado necessita. Depois, definir um foco e perseguir o objetivo com o máximo de empenho possível. A única coisa que não pode faltar é vontade de vencer, de inovar, de fazer diferente.

Não deixe que o comodismo faça com que você leve uma vida profissional que não lhe traga satisfação pessoal. Se seu trabalho não lhe agrada, vá em busca de outro que seja capaz de preencher suas expectativas.