Conheça aqui o Portal Mais Emprego MTE.

O portal Mais Emprego MTE (Ministério do Trabalho e Emprego) surgiu com recursos do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) visando a necessidade de informatizar questões voltadas aos trabalhadores e às empresas brasileiras, proporcionando maior agilidade e modernidade aos serviços das Agências de Atendimento do TEM e tornando transparente e independente as ações do serviço.

Entre as propostas do Portal estão:

  • Tornar padrão, nas redes de atendimento, o atendimento aos trabalhadores e empregados nas unidade que realizam o serviço voltado ao público alvo;
  • Formar um banco de dados com informações sobre vagas e trabalhadores disponíveis nas agências nacionais da SINE;
  • Tornar mais ágil o encaminhamento de trabalhadores às vagas de emprego cadastradas no portal, de forma que os trabalhadores possam interagir diretamente com o anúncio;
  • Trazer facilidade e agilidade nos pedidos voltados a qualificação profissional, como cursos do Pronatec;
  • Agilizar o encaminhamento às vagas de emprego dos trabalhadores desempregados que solicitaram o Seguro-Desemprego.

Ao trabalhador:

Políticas públicas foram disponibilizadas para ajudar na busca ou preservação de trabalho decente, que o contemple com garantias trabalhistas e previdenciárias com qualidade adequada.

Foram disponibilizados serviços como:

  • Consulta da situação do requerimento de Seguro-Desemprego;
  • Informações sobre o benefício do Seguro-Desemprego e Abono Salarial;
  • Busca de vagas de emprego de acordo com perfil profissional, estipulado através do cadastro realizado no portal;
  • Busca de cursos voltados a qualificação profissional;
  • Verificar a CBO (Classificação Brasileira de Ocupações).

Para ter acesso ao serviço, é necessário se cadastrar no Portal Mais Emprego.

A Empresa:

As empresas poderão encontrar, com maior facilidade, trabalhadores com o perfil solicitado através do anúncio e perfil desejado. Além de receberem auxílio no trato com o funcionário e seus direitos, enquanto empregado.

Foram disponibilizados serviços como:

  • Envio de requerimento de Seguro-Desemprego;
  • Poder disponibilizar vagas em anúncios específicos;
  • Acesso ao currículo de candidatos trabalhadores;
  • Envio de declaração do CAGED;
  • Envio de demandas de qualificação profissional;
  • Consulta através de CBO (Classificação Brasileira de Ocupações).

Contudo, o Portal Mais Emprego visa tornar único o acesso e comunicação entre empresas e trabalhadores brasileiros. Informatizando processos já realizados nos postos de atendimento dos órgãos conveniados.

Faça seu cadastro no portal e tenha acesso a vagas de emprego ou perfil de candidatos, contando com informações importantes ao contratante e ao contratado.

Carol de Castro

Houve uma forte redução na criação de empregos formais no país em setembro de 2012, informou os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). A instituição é responsável pelo cadastro de empregos com carteira assinada, e segundo ela o saldo do mês passado é de 150.334 empregos criados. Isso representa o pior resultado na criação de empregos formais no Brasil para esse mês desde setembro de 2001.

Segundo o Ministério do Trabalho apesar de ser o pior setembro em criação de empregos em 11 anos, o resultado deve ser visto como positivo, se compararmos com o cenário internacional.

Ainda, segundo o MTE, a desaceleração da criação de empregos formais no mercado de trabalho nacional é apenas o reflexo do conjunto da atividade econômica do país. Considerando que o PIB também está apresentando resultados inferiores do que as primeiras expectativas do governo.

De acordo com as séries históricas do Caged, setembro de 2012 ficou entre os piores resultados nos últimos onze anos para o mesmo período. Em 2003, o segundo pior resultado para setembro em onze anos, a criação de empregos ficou em 167.312, 17.022 empregos melhor do que esse ano. Em 2001, o pior resultado em onze anos, a criação de empregos ficou em 80.028 vagas.

Por Matheus Camargo

Fonte: Estadão

O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), através do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), anunciou os resultados para o mês de maio.

Com 139.679 novas contratações, tal mês foi considerado o pior desde 2009, com uma significativa queda de 45%. O número também foi inferior ao mês de abril, quando foram assinadas 216.974 carteiras de trabalho.

Com 46.261 vagas (33% do total), o setor agropecuário liderou as contratações para o quinto mês do ano, seguido pelo setor de serviços, com 44.587 (32%), indústria (20.299 – 14,5%) e construção civil (14.886 – 10,7%).

A redução na oferta de vagas pode ser explicada por fatores como a crise europeia, a forte desvalorização do Real (que, apesar de beneficiar as importações, inibe os investimentos através da aquisição de produtos importados) e o momento de desaceleração da economia, apesar das tentativas do governo em aquecê-la através da redução da taxa Selic, por exemplo.

O enfraquecimento do número de postos de trabalho vem acontecendo desde 2010. No ano passado, foram gerados 1.944.560 postos de trabalho, frente aos 2,52 milhões do ano anterior. Vale ressaltar que os números apresentados apenas levam em conta os empregos formais.

Por Rodrigo Alves de Oliveira

Uma medida tomada pelo governo pretende afastar a possibilidade de ações fraudulentas contra o trabalhador. Nesta semana, o ponto eletrônico foi regulamentado pelo Ministério do Trabalho.

A portaria nº 1.510 estabelecida pelo ministro do trabalho Carlos Lupi enumera diversas regras que deverão ser obedecidas pelos empregadores e funcionários. As novas definições têm o objetivo de proteger ambas as partes, regularizando a jornada de trabalho e facilitando a fiscalização realizada pelo Estado.

Do ponto de vista do empregador, o ponto apresenta vantagens em relação aos métodos de ponto manual, pois reduz as chances de alteração dos dados e agiliza o processo de transmissão de informações para a folha de pagamento.

Uma excelente notícia em meio à crise. O Sine – Sistema Nacional do Emprego -, órgão ligado ao MTE – Ministério do Trabalho e Emprego, revelou ao G1 que está com nada menos que 28 mil vagas disponíveis em todas as capitais brasileiras.

Os candidatos interessados podem se candidatar em um dos postos do MTE disponíveis neste link, ou ainda obter informações através do fone 0800 2850101 (Regiões Sudeste, Nordeste e Norte, exceto AC, RO e TO) ou 0800 610101 (Regiões Sul e Centro-Oeste e estados do AC, RO e TO), das 7:00 às 19:35 de segunda a sexta.

A lista dos cargos com mais vagas por capital está aqui. Para ler a matéria completa do G1, clique aqui.