É preciso ter motivação para fazer um bom trabalho sempre e buscar ter objetivos para alcançar.

A falta de motivação é capaz de acabar com a carreira de um profissional ou tirar-lhe toda a expectativa de um futuro melhor. Diante de tantas cobranças, da grande pressão por parte das empresas, o que encontramos são profissionais desmotivados que aos poucos vão perdendo a vontade de estarem sempre aprendendo mais, perdendo a capacidade criativa e assim vão se tornando profissionais dispensáveis para o mercado de trabalho.

Não deixe isso acontecer com você, saiba como conquistar a automotivação com dicas simples, que podem ser usadas facilmente no dia a dia e a primeira delas é a mais óbvia: acreditar em você mesmo!
Como você pode querer que a empresa acredite na sua capacidade, em seus projetos, se nem você mesmo está se dando o devido valor? É preciso valorizar suas qualidades e conhecer suas virtudes, pois assim irá começar a se valorizar mais.

O mercado está repleto de desafios e se formos nos apegar às notícias ruins, nem saímos de casa, por isso, a dica é focar no que há de positivo, por menor que ele seja. Se um projeto seu não conseguiu êxito, mas serviu para você aprender algo, é melhor focar-se neste aprendizado e utilizá-lo para um novo e melhor projeto.

Se um produto não conseguiu atingir a meta de venda esperada, é melhor se focar nas vendas que foram conseguidas, ainda que tenham sido baixas, para analisar o que deu certo e trabalhar em cima disso para criar novas campanhas! Não deixe o negativismo tomar conta de você, em nenhum momento.

Procure sonhar mais, porque viver só de realidade é muito duro! Sonhar não significa viver alheio ao mundo, pelo contrário, sonhar é querer coisas boas para sua vida e isso é um combustível muito importante para alimentar nossa automotivação! Então sonhe muito, mantendo um pé na realidade, no trabalho do dia a dia e o outro o pé no caminho que vai te levar a realizar seus sonhos.

Procure ser uma pessoa bem-humorada, de bem com a vida, pois isso vai lhe agregar confiança, um círculo maior de amigos, fazendo-lhe sentir mais motivado para atingir suas metas.

Por Russel

Algumas vezes o líder pode perder a motivação, mas, caso isso acontecer, é preciso saber sair dessa situação.

A figura do líder é uma das que merece maior destaque nas empresas, pois ele é o responsável por conduzir e motivar a equipe. Mas e quando a motivação do líder não está tão boa? Você sabe como sair dessa situação? Confira:

Trabalhe para a harmonia do ambiente de trabalho: Nada mais desmotivador do que um ambiente de trabalho em que existam conflitos não é mesmo? Não deixe que esse fator atrapalhe sua motivação. Exerça sua liderança e seu poder de influência para resolver os conflitos entre os membros de sua equipe da melhor forma possível.

Reconheça um bom resultado: Uma equipe motivada ajudará o líder a se manter motivado. O clima de otimismo irá contagiar a todos, incluindo você. Elogie, incentive, você mesmo colherá os frutos.

Participe de palestras para líderes: Estar em contato com outros líderes e com os problemas que eles enfrentam talvez seja uma boa ideia para fugir do desânimo. Além de aumentar seus horizontes e melhorar seu círculo profissional, você aprenderá muitas coisas novas com as palestras e cursos que participar.

Reavalie suas prioridades: Talvez o desânimo chegue depois de um resultado negativo, ou de uma grande decepção no ambiente de trabalho. Nesse momento, é preciso reavaliar seus objetivos e ver as causas que estão lhe afastando dos bons resultados. Talvez o que você traçou como prioridade no momento não seja alcançável a curto prazo. É preciso ter visão para perceber o momento de mudar os rumos.

A motivação é importante para o líder, e a partir do momento em que ela faltar, toda a sua equipe pode ser penalizada. Nessas horas, além de seguir as dicas acima, é válido até mesmo a ajuda de um profissional. Quando estamos em uma posição de liderança nos condicionamos a avaliar os outros e às vezes deixamos de nos avaliar pessoalmente. Se você tiver dificuldades em reconhecer o motivo da queda de sua motivação, o melhor a fazer é procurar ajuda especializada.

Por Patrícia Generoso

Vamos supor que nesse momento você é um gerente de uma empresa, ou mesmo ou empresário que acaba de criar uma empresa. Agora, você sente que a responsabilidade está inteiramente em suas mãos, pois não há ninguém que esteja acima de você para te motivar.

Nesse caso, só cabe a você começar seu time e se automotivar, buscar uma energia que deverá vir de dentro de você. Ficar esperando alguém aparecer para te dar todo o suporte que você precisa não vai adiantar nada. É preciso criar o que precisa ser feito, ou as coisas não acontecerão para você. Reclamar de alguém também não é o melhor caminho. 

Nesse momento, a chance é sua, de mostrar para as pessoas que não acreditavam em você, que você é capaz. Agora, mais do que nunca, você precisa de um aliado importantíssimo de um empreendedor: a automotivação.

A pessoa que consegue ter motivação própria não espera o despertador para acordar de manhã. Quem tem automotivação também não sente falta de um chefe. Seu próprio líder interior terá paixão por ver as coisas feitas do seu jeito.

Um verdadeiro empreendedor tem pavor de ver uma tarefa inacabada, por isso fica acordado até mais tarde para terminá-la, do que deixar ser cobrado no dia seguinte. Portanto, se esse é o seu caminho, não desista.

Prefira ficar acordado até mais tarde, e faça aquilo que lhe for necessário. Saiba também, acima de tudo, que o dinheiro é só uma consequência boa daqueles que trabalham bem, e não deve ser apenas o objetivo do trabalho.

Um empreendedor profissional está sempre querendo mais, quer sempre aprender mais para colocar novas criações no mercado e reciclar sua carreira e suas possibilidades, pois ele não mede esforços para aperfeiçoar cada vez mais seu trabalho.

Por isso, seja autêntico, audacioso e ambicioso, no bom sentido, e com as suas ações sempre voltadas para o bem.

Por Daniela Almeida da Silva

Foto: divulgação

Quando iniciamos em um novo emprego, a motivação é uma das melhores amigas. Afinal, tudo é novidade: novo endereço, nova sala, novos companheiros, novos projetos. Mas, e quando o tempo passa? Continuamos motivados? 

Infelizmente, em alguns casos, não. Para muitos profissionais, basta um curto espaço de tempo para que as tarefas do dia a dia tornem-se tediosas, estressantes e desestimulantes. Por que isso acontece? 

Segundo Luiz Pagnez, caça-talentos do site Recrutando.com, a desmotivação está aliada à insatisfação, ou seja, quando os objetivos e metas profissionais não são alcançados. E, para descobrir se isso está acontecendo com você, é simples:

– Falta de comprometimento: colaboradores desmotivados tendem a não apresentar comprometimento com as tarefas da rotina corporativa, como participação em reuniões, cumprimento de prazos e discussão de ideias. 

Negativismo: com relação ao entusiasmo, este também tende a diminuir. Em muitos casos, as energias positivas, que deveriam ser direcionadas à realização de tarefas e projetos, acabam sendo dirigidas à situações negativas, como intrigas com companheiros de trabalho.

Queda de qualidade na produção: naturalmente, funcionários desmotivados apresentam uma queda na qualidade de seus trabalhos. Estes precisam ficar atentos pois as consequentes avaliações negativas podem prejudicar, e até comprometer, sua carreira. 

Sair do atual emprego é a melhor solução? 

A primeira decisão que vem a cabeça quando estamos desmotivados no emprego é, automaticamente, mudar de empresa. Entretanto, é possível deixar a desmotivação de lado e dar uma reviravolta na rotina:

– Analise sempre as soluções, focando-se nelas ao invés dos problemas;

– Esteja disposto à aceitar os novos desafios propostos pela empresa; 

– Mantenha um bom relacionamento interpessoal com sua equipe, sempre deixando claras as suas ideias, pensamentos e objeções; 

– Envolva-se com os projetos e objetivos da empresa; 

– Seja proativo, a fim de reduzir o surgimento de problemas;

Se você tentou de todas as formas recuperar a motivação e não obteve êxito, as melhor decisão pode ser a troca de emprego. Porém, especialistas afirmam que uma saída triunfal, sempre deixando as portas abertas para um futuro (próximo ou não), é o desejado!

Por Tatiane de Andrade Matos

Uma das grandes dificuldades enfrentadas por profissionais iniciantes em uma empresa é a insegurança. Dúvidas quanto à realização do serviço, aceitação do pessoal, período de adaptação, “feedback” positivo do chefe, entre outros. Estas avalanches de pensamentos são, na sua grande maioria, negativos. Estar atento para o surgimento de consequências em função destes pensamentos é primordial.

Sentimentos de raiva ou medo surgem durante a vida e, saber administrá-los para que não se tornem uma constante, faz-se necessário para lidar com situações cotidianas. Observe que ignorar os fatos acarretará na dominação da insegurança. Nem sempre uma característica de atitude de pessoas que trabalham num mesmo ambiente significa algo negativo. A insegurança poderá distorcer a visão perante uma situação.

Por Patricia Gujev

 

Com crise sempre ocorrem demissões. E esta não foi diferente. Tristeza e angústia para quem perde o emprego e muita preocupação para quem fica. Afinal de contas, quem é que não fica com medo de perder o trabalho quando vê seus colegas indo para a rua? Não dá para manter o ânimo, não é mesmo? E para quem foi mandado embora, a situação pode ser ainda pior. Mesmo que consiga um novo emprego, a pessoa certamente passou por um período de muito sofrimento e incertezas, algo que pode minar sua autoconfiança e comprometer seus resultados no trabalho.

Tudo isso faz com que o ambiente nas organizações brasileiras não esteja lá essas coisas. O que pode ser muito ruim para a produtividade e para o trabalho em equipe. Em situações como essa, as pessoas podem ficar mais retraídas e competitivas, menos colaborativas.

Preocupadas com este fato, muitas organizações tem apelado para dinâmicas motivacionais. Existem vários tipos de dinâmicas, cada uma focando em um ou mais aspectos diferentes, mas em geral, existem dois aspectos principais:

  • lúdico: é a dinâmica que envolve brincadeira. Serve para fortalecer os laços entre o grupo, gerar uma amizade entre os membros. Pode ser uma rodinha de samba na equipe, um jogo ou qualquer tipo de brincadeira que foque em cumprir uma determinada tarefa em equipe. Mas fique atento: a tarefa aqui deve ser prazerosa, livre de pressão e com espaço para erros. Numa equipe desmotivada, desfalcada por antigos funcionários e desentrosada com os novos colaboradores contratados após a crise, o objetivo é aliviar a tensão, o estresse. A paz e a confiança mútua devem ser incentivados entre os membros;
  • encorajador: assustar alguém que acabou de perder o emprego ou está com esse medo só vai piorar as coisas. O objetivo desse aspecto é incentivar a pessoa. Passar por uma situação de perigo ou medo sem referências é algo tenebroso para o ser humano, que tende a procurar exemplos em outras pessoas. Mostrar situações de pessoas que superaram dificuldades apesar do medo, especialmente em casos parecidos com os quais os colaboradores estão passando, aumenta a determinação do indivíduo. E, é claro, o mais importante: a dinâmica deve enfatizar os objetivos da empresa e do profissional, para direcionar esforços.

Claro que esses são aspectos gerais. Dependendo da empresa, o aspecto encorajador ou o lúdico podem não funcionar tão bem. Pode ser que a equipe esteja com mau hábito e tenha criado uma cultura, de certa forma, digamos, negligente com o trabalho. Ou pode ser que a equipe tenha sido deixada relaxada demais e tenha que ser exposta às agruras pela qual a empresa está passando para se motivar. Tudo depende do caso e da situação anterior do ambiente de trabalho.

Veja vídeos com alguns exemplos que podem ser usados em dinâmicas de motivação

Essa dinâmica é tipicamente lúdica. O pessoal se juntou para fazer as vezes de uma bateria de escola de samba. Deixar o pessoal conversar após a atividade certamente ajuda.

Este vídeo abaixo, uma palestra de Daniel Godri, não é uma dinâmica. Mas é um exemplo de palestra que pode ser aplicada em uma dinâmica motivacional, que pode ser reforçada com uma atividade de grupo que promova aquilo que está sendo discutido. Veja o tom:

Para completar, o Esotherika.com tem uma boa coleção de vídeos motivacionais, com palestras e dinâmicas. Embora o foco seja educacional, muitos dos exemplos podem ser adaptados ao ambiente corporativo.

Muitas pessoas perdem oportunidades preciosas em suas vidas por não possuírem auto-confiança. São chances em relacionamentos, na família, no emprego, e que podem impactar fortemente no seu futuro.

Motive-se a tentar realizar cada um dos seus sonhos. Você é capaz! É só querer…

Uma atitude sua hoje, pode mudar todo o rumo de sua história. Faça acontecer. Seja você mesmo. E, principalmente, acredite em você e em seu potencial.

No trabalho, as cobranças são inevitáveis. Todos estão sempre exigindo algo uns dos outros. Isso é bastante normal, mas muitas vezes demandar demais dos semelhantes pode ser falta de se colocar no lugar deles.

Tentar vivenciar o que as outras pessoas passam é importante não só na empresa como na vida. Todos tem seus fardos para carregar. Muitas vezes exigências excessivas nascem da incapacidade de perceber as coisas pelas quais as outras pessoas passam. A compreensão das mazelas alheias é parte daquilo que torna os seres humanos diferentes. É necessário ter sensibilidade para não cobrar dos outros mais do que a si próprio, pois isso na maior parte dos casos acaba sobrecarregando as pessoas.

Aprenda a vivenciar aquilo que seus colegas de trabalho sofrem. Assim você demonstrará que não é feito de “ferro” e que não é melhor nem pior do que eles.

Nada como chegar à empresa pela manhã e ser recebido pelas pessoas com um sorriso. Parece a que a rotina tão extenuante torna-se um pouco mais fácil quando as pessoas são recebidas umas pelas outras com alegria para mais um dia de batente.

Todas as pessoas tem problemas. A vida não é feita apenas de facilidades. No entanto, reagir aos problemas com mau humor e cara fechada simplesmente não ajuda a resolvê-los. O que faz a diferença é encará-los de maneira positiva, rir de si mesmo. Distribuir sorrisos pode mudar o dia de alguém. Se o indivíduo estava desanimado e ia produzir pouco naquele dia, quem sabe uma demonstração de positividade o ajude a ficar melhor.

Espalhe demonstrações de energia positiva no seu trabalho. Você vai perceber que o ambiente se tornará melhor para todos e com certeza as pessoas irão estar motivadas a render muito mais.

Um dos maiores problemas que se enfrenta nas empresas desde sempre são as relações interpessoais. Elas são fundamentais para que as coisas tenham um bom andamento. Para obter cooperação por parte das pessoas, elas se tornam ainda mais essenciais.

Ninguém gosta de se sentir dominado ou subjugado. Assim, tentar obter cooperação dessas duas maneiras, com palavras duras e ríspidas, geralmente não funciona. A cooperação de qualidade não só no trabalho, como na vida, é conseguida com boa educação, bom senso; mostrando de modo equilibrado aos indivíduos que vantagens eles obterão se colocarem-se a serviço.

Coações, ameaças e outros tipos de intimidação não tem mais lugar no mundo corporativo moderno.

Encontre estratégias inteligentes de conseguir cooperação no trabalho; se obtida de maneira voluntária ela traz resultados muito melhores do que quando obtida sob o regime da “chibata”.

Você sabia que as pessoas mais criativas são mais valorizadas? Nós já nascemos criativos?

O estímulo dos pais é fundamental para que as crianças possam aguçar desde cedo a sua criatividade.

E nas empresas?! De igual forma! Pessoas criativas costumam ser mais atentas ao que as cercam, tendo uma visão mais ampla do ambiente, podendo trazer idéias que outras pessoas jamais observariam.

Seu expediente começa todo dia às 8:00 h. Você mora longe e coloca o despertador para as 07:15h. Ele toca e você põe no soneca. Resultado: atrasos todos os dias.

O tempo foi inventado para organizar a vida do homem. Não devemos ser escravos dele, mas também não podemos agir como ele se não existisse. Horário de trabalho se cumpre e ponto.

Imagine você se todo mundo decidisse chegar atrasado por conta própria, o quanto as empresas deixariam de produzir ao final de um ano. Seria um verdadeiro caos.

Tenha um pouco de disciplina e aprenda que seguir corretamente o horário de trabalho não beneficia só à empresa, mas sim a você mesmo.

A Crise Econômica Mundial ocasionou demissões, e muitas delas foram de profissionais experientes.

Há quem trabalhou por anos em uma mesma empresa, e agora sentem dificuldades em voltar a procurar empregos.

Você está preparado para ser reintegrado ao mercado de trabalho? Qual a postura de um profissional mais experiente?

A resposta é: acredite em você e, principalmente, indique suas competências e mostre tudo aquilo de importante que você obteve em sua carreira profissional.

Pode até parecer um clichê mas o trabalho em equipe foi, é e sempre será valorizado em toda empresa moderna. Mais do que uma qualidade, saber trabalhar em equipe tornou-se uma necessidade na conjuntura atual.

Equipes bem coordenadas e com sintonia entre os membros produzem mais. Cada componente manifesta plenamente suas potencialidades e supre as eventuais deficiências de outros membros.

As tarefas ou os projetos são melhor executados e com isso, ganham os indivíduos e a empresa ao mesmo tempo.

Coopere, seja pró-ativo, oriente, estenda a mão. Um grupo bem afinado torna o trabalho mais fácil e mais prazeroso, além de abrir a possibilidade de fazer sugir excelentes amizades.

Numa idade em que a maioria das pessoas está aposentada, Edméa Íris Murta, artista plástica de Belo Horizonte, foi à luta. Antes dona-de-casa e autônoma, Edméa priorizou a família e os filhos por toda a sua vida. Então, com os filhos já crescidos, ela foi atrás de emprego e, graças às suas habilidades para desenhar, conseguiu seu primeiro emprego com carteira assinada!

Nossos parabéns à Edméa, um exemplo de luta para todos aqueles que ainda buscam seu primeiro emprego. Que ela sirva de exemplo.

Leia mais aqui.