Jovens estão mais seletivos e críticos no momento de escolher as empresas onde desejam trabalhar. Empresas que apresentam a possibilidade de um desenvolvimento acelerado são as mais interessantes aos jovens profissionais.

Cada vez mais os jovens estão seletivos quanto às empresas em que querem trabalhar e essa estratégia vem dando certo para que sejam aprovados nos processos seletivos das empresas em que desejam trabalhar. Os jovens têm diminuído as inscrições em processos seletivos, para focar melhor naquelas que realmente desejam, e assim, sem a chance de ser generalizado durante as etapas do processo seletivo, aumentam suas chances de contratação. Se antes os jovens se inscreviam em 10 ou 15 processos seletivos atualmente focam em dois ou três específicos.

Os jovens também estão mais críticos: dentre as principais reclamações dos candidatos em processos seletivos, está a falta de feedback das empresas. Eles desejam mais informações sobre si mesmos, sobre a empresa em que desejam trabalhar e como é o cotidiano de trabalho nesta empresa. Com tanta demanda por informação, as empresas estão investindo cada vez mais em comunicação para mostrar a esses jovens de forma mais transparente o ambiente interno da empresa.

Algumas empresas estimulam os jovens que já são seus funcionários a postarem fotos em redes sociais sobre seu cotidiano de trabalho. Dessa forma, deixam bem claro para os possíveis candidatos, como é o ambiente de trabalho. Ao invés de só utilizar propagandas publicitárias, as empresas têm investido em mostrar a realidade de trabalho, para atrair cada vez mais candidatos certos.

Outra característica muito valorizada pelos jovens são os programas criativos, que deixem claro que a empresa tem um caráter inovador. O jovem de hoje em dia quer um ambiente de trabalho que valorize suas ideias e seu potencial criativo.

Mas definitivamente, o que atrai os candidatos mais jovens é a possibilidade de um desenvolvimento acelerado.  Numa pesquisa realizada pela empresa Seja Trainee, 68% dos jovens indicaram essa opção como a mais valorizada quando pensam em se inscrever para um processo seletivo em uma empresa. Em seguida aparece a possibilidade de passar em diferentes áreas da empresa, que alcançou 41% das respostas dos jovens. A remuneração aparece no oitavo lugar, dentre as respostas, com 17%. O que mostra que o jovem atual busca muito mais que dinheiro, mas uma realização, reconhecimento e crescimento no ambiente de trabalho.

Fazer história também pode ser citado como um interesse dos jovens. Boa parte deles pretende, a médio prazo, chegar a um cargo de liderança para que sua marca pessoal esteja aliada à história da empresa.

Por Patrícia Generoso

IBGE registrou uma alta no número de desempregados entre pessoas com idade de 18 a 24 anos. Índice chegou a 16,4%.

Segundo uma pesquisa realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o mês de maio registrou um aumento do número de desempregados entre os mais jovens. Segundo o instituto, em um ano o desemprego entre as pessoas com idade entre 18 e 24 anos passou de 12,3% para o índice de 16,4%. Em comparação com o mês anterior – abril – a alta foi de 0,2 ponto percentual. O instituto realiza pesquisas semelhantes mensalmente no país.

O instituto afirma que o desemprego entre os jovens é historicamente sempre maior, quando comparado com as outras faixas etárias em idade de trabalho, mas essa variação registrada no intervalo de apenas um ano, demonstra o quanto as dificuldades enfrentadas pelo mercado de trabalho durante a crise econômica do Brasil estão sendo sentidas de forma mais intensa por essa faixa da população.

O aumento do desemprego também atingiu outras faixas etárias, mas a alta foi menor:

Para os trabalhadores na faixa etária entre 25 e 49 anos, a variação do desemprego foi de 3,9% no ano passado para os atuais 5,6%.

Já a população com mais de 50 anos sofreu aumento do desemprego de 1,8% para os atuais 2,5%.

A pesquisa foi divulgada pelo instituto na última quinta feira, dia 25. O índice total de desemprego registrado pela pesquisa mensal no mês de maio foi de 6,7%, o que é a maior taxa para o mesmo mês desde o ano de 2010.

Não há explicações certas quanto aos reais motivos que levam ao número elevados de jovens desempregados em épocas de crise, mas se analisarmos o cenário econômico brasileiro, vemos que o período não é dos melhores para novas contratações, e quando o candidato não possui experiência, como é o caso dos jovens, a situação de agrava ainda mais.

A boa notícia é que os jovens que já estão empregados têm a possibilidade de manter seus trabalhos diante essa crise se a situação de sua empresa estiver estável,  pois as empresas não vão querer gastos com demissões e contratações de novos funcionários. Se a economia da empresa não estiver das melhores, o risco de demissão aumenta, e infelizmente os funcionários menos experientes sempre são as primeiras opções para reduzir a folha de pagamento.

Por Patrícia Generoso

A vida não é fácil e nunca será. Acostume-se com isso. Ganhar dinheiro o suficiente para dizer: estou rico! – não é tarefa fácil. Você certamente se deparará com cenários que mais farão você se conformar em ser pobre do que continuar a buscar a riqueza.

Conheço alguns exemplos interessantes de fracasso – que com certeza são muito maiores do que os casos de sucesso – embora conheça também. Um dos casos de fracasso (embora essa história não tenha terminado, pois a pessoa em questão ainda pode encontrar o sucesso, pois ela está viva e na ativa, mas até o momento o sucesso não chegou) é de um rapaz, hoje, com 32 anos. Muito inteligente e sonhador. Desde os 13 anos a gana de ganhar dinheiro era grande. Largava a escola com frequência para lavar um carro, fazer uma entrega, ou qualquer coisa que lhe rendesse algum trocado. Fez 4 vezes a 5º série por causa disso. Com 17 anos arriscou abrir seu primeiro negócio. Fazer excursões – isso mesmo, excursões. Ele procurou igrejas católicas e ofereceu pacotes de viagens para Aparecida do Norte. Eram 50 lugares e todos foram vendidos. Sucesso! Infelizmente não. Quando ele decidiu procurar o ônibus para locar – isso mesmo, ele vendeu as passagens primeiro, depois foi atrás do ônibus – não locavam para menores de idade. Quando conseguiu encontrar um “sócio” maior de idade para o projeto, o valor que todas as companhias queriam praticamente invalidava a viagem, visto que o pacote incluía almoço. Fora que as empresas de ônibus queriam um calção para realizar a locação. Resumindo, devolveu aos poucos o dinheiro pois já havia gasto uma parte. Depois disso, fez um supletivo e concluiu o ensino médio, aos 25 anos, depois de outras e outras tentativas frustradas de ficar rico.

O caso desse rapaz, hoje trabalhando e ganhando pouco, é o caso de um típico empreendedor mal orientado.

Hoje em dia jovens com impulso empreendedor têm alternativa de estudar e apoio para isso. Não arrisque nada à revelia. Ficar rico demanda esforço, como tudo na vida.

Por Luciana Viturino

A OAS, empresa do ramo de construção pesada, está aceitando inscrições para o Programa OAS JOVENS.

Os requisitos para participar do processo seletivo são os seguintes: ter formação superior completa (a partir de dezembro de 2007) ou em andamento (com conclusão prevista para julho de 2011), nos cursos de Administração de Empresas, Engenharia Civil, Engenharia Química, Ciências Contábeis, Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica ou Ciências Econômicas; total disponibilidade para residir em outras cidades e para realizar viagens pela empresa; e ter nível avançado ou fluente em língua inglesa. Outra exigência solicitada é possuir registro na classe (CRA, CREA, CORECON ou CRC).

O processo seletivo está estruturado nas etapas de Testes online (Inglês e Raciocínio Lógico), Triagem curricular, Laboratório de competências, Testes específicos (Engenharia e Matemática Financeira) e Entrevistas.

As vagas são para as seguintes cidades: Porto Alegre, Natal, Salvador, Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre e Recife.

A remuneração não foi informada e os benefícios oferecidos são vale refeição, seguro de vida, assistência médica e PLR.

Quem quiser aproveitar essa oportunidade, deve acessar o site www.oas.com.br e se inscrever.

Por Andrea Gomes