Recentemente, venho reparando e parando para trazer à tona um tema que sempre é discutido: o que conta mais no quesito profissional, uma formação acadêmica de ponta, com louvores e notas acima de 9,0 com diversas formações e cursos posteriores? Ou o que vai fazer o seu diferencial será um currículo extenso, com diversas experiências profissionais, em diversos ramos, todos com bons respaldos e conhecimentos práticos adquiridos?

A resposta, meus caros, é a segunda alternativa. Óbvio que ter um currículo acadêmico impecável é de extrema valia para o mundo profissional. Quem apresenta notas altas durante as graduações, louvores em cursos e diversas formações sempre terá seus pontos positivos ressaltados, entretanto, se você não obtiver tantas formações, notas “não espetaculares”, entre outras coisas, mas possuir um currículo de se admirar, com trabalhos desenvolvidos para grandes empresas, somente respaldos positivos por onde passou, permanência durante bom tempo em cada lugar onde trabalhou, isto contará muito mais na sua contratação.

Os "chefes" gostam de pessoas que possuem um currículo acadêmico excelente, mas, muitas vezes, essas pessoas se preocuparam demais com a parte acadêmica e se esqueceram de que, na hora da prática, o que conta mesmo é o seu modo de operar e resolver as diligências que lhe serão encaminhadas.

Isso você só demonstra através de um currículo experiente, onde você pode comprovar que desenvolveu tarefas em grandes empresas, que de fato requereram todos recursos de persuasão, conhecimentos técnicos, boa comunicação, entre outras características, que são de suma importância no quesito relação de trabalho. 

Portanto, para você, estudante, fica a recomendação: a sua formação é de extrema importância, conclua com êxito e, claro, sempre tente conseguir se sair o melhor possível nas suas notas das avaliações. Entretanto, não dê tanta importância para suas notas, desde que você esteja apto para finalizar o curso, já é suficiente.

A não ser que você queira seguir uma carreira acadêmica, aí é claro que cada nota terá sua importância elevada. No mais, para um ambiente profissional, procure ter o máximo de experiência possível, isto contará muito. 

Por Matheus Noronha Sturari

A empresa Curitibana AMC Brasil está em busca de novos profissionais para integrar sua equipe na cidade de São Paulo. As vagas disponíveis são para auxiliares de recuperação de crédito que vão trabalhar no setor de cobrança da empresa. Os candidatos devem possuir ensino médio completo e também experiência comprovada em cobrança de produtos bancários e financeiros.

O número de vagas não foi divulgado, mas a empresa oferece salário de R$669,00 mais gratificações. A empresa também oferece, como benefícios, vale-transporte, vale-refeição de R$ 9,95 ao dia, seguro de vida, assistência médica, além de participação nos lucros e resultados.

Os interessados devem residir na cidade de São Paulo e enviar currículo completo para o e-mail patricia.ribeiro@amc-brasil.com.br.

Por R.D.

Pode-se dizer que muitas vezes a negociação é mais do que um ato, e sim uma arte. Sinalizar a intenção certa no momento exato pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso. Mas como ser um bom negociador?

As empresas são palco de negociações desde que surgiram na face da Terra. Negociam-se preços, prazos, condições, suprimentos e muitas outras coisas.

O importante nesse momento crucial é manter o sangue frio e procurar demonstrar o menos possível as emoções. Perceba o ponto fraco da outra parte e se aproveite dele. É geralmente nessas horas que você consegue obter as vantagens que deseja.

Negociação é uma questão de habilidade e prática. Quanto mais você treinar e se observar nesses momentos, melhor você ficará com o passar do tempo.

Um analista de RH tem dois currículos diante de si: um bem volumoso e outro sintético e objetivo. Sinceramente, se você fosse, qual dos dois você leria primeiro? Obviamente o mais curto. Vamos analisar o porquê dessa decisão.

Mesmo no departamento de RH, o que se precisa no dias atuais é agilidade. Currículos com detalhes demais, em geral, são descartados porque quem seleciona simplesmente não tem tempo de lê-los.

Um currículo simples e objetivo, que ressalte as reais qualificações e experiências de trabalho do candidato tem mais chances de ir longe nos processos de seleção. Não coloque dados irrelevantes, nem excesso de dados pessoais.

Cursos que não digam respeito à área para a qual você está buscando uma vaga podem ficar de fora. Destaque seus empregos anteriores e o que de útil você fazia lá. Cursos de informática e línguas também devem ser citados.

Seja perspicaz para elaborar seu currículo, ele pode ser a diferença entre ser contratado ou ficar aguardando um longo tempo na fila de espera.