Algumas pessoas na ânsia de conseguirem um emprego acabam usando de desonestidade ao tentarem expor suas habilidades e qualificações. Elas acreditam que podem enganar aqueles que irão selecioná-las e muitas vezes até tem sucesso nisso num primeiro momento. O problema é que a verdade sempre aparece depois.

Num mercado tão competitivo como o atual, quanto mais competências um indivíduo possuir, melhor. Mas essas competências precisam ser reais e você precisa estar preparado para demonstrá-las se necessário.

É muito desagradável mentir numa entrevista de emprego. Ficar elencando qualificações mirabolantes que depois não podem ser comprovadas. Depois de descoberta a tentativa da pessoa de querer parecer quem não é, ela perde toda a sua credibilidade e o resultado pode ser novamente o temido desemprego.

Só mencione em seu currículo qualificações e informações reais e verificáveis. Seja honesto com você mesmo e com a empresa, pois a mentira “tem pernas curtas”.

Você provavelmente já deve ter entrado em alguma empresa e lhe pediram que você fizesse um exame médico, certo?

Mas você sabe o porquê dessa exigência?

No caso da admissão, os exames são realizados antes de o funcionário ser contratado, de modo que o mesmo não alegue futuramente doenças pré-existentes.

No momento da demissão, o mesmo acontece, e nesse instante visa resguardar a empresa de responsabilidades ocorridas após a saída do funcionário.

Além desses dois exames básicos, as empresas comumente realizam exames periódicos e também exames de troca de função, a fim de verificar se o funcionário está apto a realizar com destreza a sua nova atividade.