A disposição cada vez mais evidente das ofertas de emprego no país tem apresentado duas faces: oportunidades para a população brasileira e aumento da concorrência da mão de obra nacional contra ela própria ou contra a estrangeira. Muitas empresas têm procurado solucionar a falta de qualificação interna ao buscar profissionais de outras nações.

Essas duas faces geram inúmeras problemáticas. Falta de oportunidade aos brasileiros, tornando a diminuição contínua do desemprego mais lenta, e problemas de desenvolvimento e inovação da indústria nacional. Dados divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego revelaram que entre janeiro e setembro do ano passado 39 mil vistos de trabalho foram cedidos, praticamente o resultado total de 2009.

Apesar desse aumento, segmentos como o de construção e indústria necessitam de ao menos 60 mil engenheiros disponíveis por ano, entretanto só conta com 32 mil cidadãos brasileiros formados.

Matéria veiculada pela Folha UOL revela que os estrangeiros possuem dificuldades de interpretação da lei, que dá ou não aval para atuarem por aqui, e que acabam obstruindo o ingresso de bons profissionais. Um dos grandes entraves é a explanação de substituição da mão de obra tupiniquim pela de outro país.

Por Luiz Felipe T. Erdei