Ser um empreendedor é algo que muita gente deseja, mas por falta de coragem acaba deixando a ideia para trás. Em algumas situações o emprego não agrada, mas mesmo assim algo não dá ânimo para largá-lo, afinal é por meio dele que pagamos as contas. Os incentivos também são atraentes, principalmente com a criação do MEI – Micro empreendedor Individual.

Conheça quatro sinais que é hora de abrir o próprio negócio.

– Falta de propósito:

Vencer desafios é algo necessário para tornar o emprego interessante. É claro que não haverá situações de cinema, mas algo que ajudará a se animar com o trabalho. Por isso é importante ter um motivo para acordar cedo e encarar a rotina. Caso não haja esse estímulo o funcionário perde o interesse, principalmente se não notar que causou um impacto positivo no cotidiano das pessoas. Se começar a achar que o tempo na empresa é um grande desperdício e não há crescimento pessoal ou profissional, o ideal é já buscar uma alternativa.

– Valorização das ideias:

Mesmo aquelas ideias inovadoras, que irão contribuir muito e com pouco esforço não são aceitas? Lembre-se que inovação é o que dá base a muitos negócios, contudo algumas ideias podem não ser bem aceitas pelos superiores e os demais colegas de trabalho. A situação pode desestimular o colaborador, mas há uma alternativa: empreenda.

– Duras criticas:

Se você passa por críticas, muitas vezes negativas e não construtivas, o ideal é saber o motivo delas. Se a pessoa não sabe ou não quer te dizer o porquê, talvez você não é mais querido naquele ambiente. O pior é se as críticas forem feitas em público, acabando com a autoestima do funcionário. Nesses casos o melhor é sair, afinal a vida é curta para sermos criticados ou humilhados publicamente.

– Gratidão:

Elogios são fundamentais para motivar uma equipe. Um simples obrigado já é suficiente para demonstrar a gratidão aos empregados, mas se até isso está faltando pode ser que os superiores acreditem que você não faz nada mais do que a obrigação. E da mesma forma que era com os nossos pais por conta das boas notas, esse comportamento não estimula ninguém. Mostre que pode fazer melhor fora desse ambiente. 

Por Ana Rosa Martins Rocha

Os jovens preenchem cada vez mais as funções disponíveis em micros, pequenas, médias e grandes empresas de todo o país. A quantidade de empreendedores com pouca idade também tem crescido, situação que pode ser constatada com base no levantamento realizado pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM), divulgado no Brasil, por sua vez, pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Um bom exemplo disso é a franquia brasileira da Salad Creations, que teve início nos Estados Unidos em 2004 e chegou ao Brasil três anos depois por meio das mentes criativas de quatro empresários com idades entre 26 e 29 anos.

Leia mais: Salad Creations visa aumentar a quantidade de unidades no Brasil

Embora com carreiras já encaminhadas, os recém-formados decidiram apostar no ramo de Alimentação, um dos que mais cresce e que apresenta grandes oportunidades em todo o mundo. Atualmente, a rede de franquias está em expansão e para 2011 os números devem ser ainda mais positivos.

Outro exemplo de sucesso é a Minds English School, rede de franquias de idiomas com foco nos jovens empreendedores. A franqueadora dá prioridade a pessoas com idade entre 18 e 24 que querem iniciar como franqueados. De acordo com Leiza Oliveira, sua fundadora, os mais novos possuem muita garra e habilidade para lidar com os negócios e com os alunos, contribuindo, inclusive, para os cursandos aprenderem uma segunda língua com mais determinação.

Situações como essas duas refletem o novo espírito do jovem que não quer apenas ser mais um no mercado de trabalho. Com novas ideias para um mundo cada vez mais competitivo, os empreendedores com pouca idade olham o passado com foco no futuro, sem receios de arriscar novas empreitadas.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Assessoria de Imprensa

Gerir o negócio próprio não abrange estritamente possuir um capital inicial. Novidades, mesmo principiadas discretamente, podem dar muito certo. Existem milhares de histórias de pessoas que abandonaram uma carreira sólida para se dedicar exclusivamente às idealizações pessoais em função de algo profissional.

Tatiana Castaldello, por exemplo, atuou por mais de uma década numa rede de bancos. Atualmente, dedica-se à confecção de lembranças e doces. Como já mensurado, o fator novidade foi o estopim para o sucesso, além, é claro, da criatividade. Para melhorar o negócio, fez cursos de marketing e gestão no Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Para tornar o empreendimento ainda mais robusto, contou com o ingresso de um sócio especificamente para cuidar da área administrativa.

Outra situação similar é o de Adriana Morais. Após longos anos como arquiteta, eis que a maternidade ocupou a pauta de seus dias. Com maior tempo em casa, começou a produzir doces, que viraram, portanto, seu sustento. Nos dias atuais, distribui produtos para o Hotel Mercure e para a Danone. Em sua visão, o custo despendido foi baixo e houve, devido ao Sebrae, a necessária formalização.

Histórias como essas são comuns todos os dias. Às vezes basta apenas uma pequena iniciativa, uma vontade de crescimento profissional. Ferramentas existem e estão sempre à espera de novos candidatos.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Sebrae

Foram prorrogadas até a data de 13 de fevereiro de 2011 as inscrições para o Programa Shell Iniciativa Jovem 2011. O intuito é fazer com que os jovens, futuros homens de negócios, sintam-se incentivados em prosperar no mercado de trabalho.

Para ser um dos concorrentes a empresa exige que os participantes tenham entre 20 e 34 anos, tenham concluído o nível fundamental e possuam vontade de abrir um próprio negócio.

O processo contará com várias etapas, como laboratório de ideias, oficinas de projeto, e por fim, os selecionados passarão por banca examinadora.

Para obter maiores informações acesse o site – iniciativajovem.org.br. Aqui também é o local onde as inscrições são efetuadas.

O programa é feito no estado do Rio de Janeiro , no Centro e Zona Oeste. Boa sorte!

Por Oscar Ariel

Que tal participar de um curso de Empreendedorismo e ainda concorrer a um estágio sem sair de casa? O programa Escola Net de Qualificação Profissional está com inscrições abertas para o curso de ensino à distância Jovem Empreendedor. O objetivo do programa é capacitar 2.750 alunos do ensino superior dos cursos de Administração, Economia, Contabilidade e integrantes das Associações Comerciais do Distrito Federal (DF).

A iniciativa da Secretaria de Trabalho do Distrito Federal (Setrab) é gratuita e possui em duas etapas, a duração de seis meses. A primeira é a realização do curso e a segunda a possibilidade para os 136 melhores estudantes de um estágio nas Agências do Trabalhador. O certificado de conclusão valerá como atividades complementares nas universidades.

Para realizar a sua inscrição, basta acessar o site

O processo de abertura de empresas não é simples e exige investimento para estar em condições legais de funcionamento. Mas existe a pouco tempo e pouco conhecida uma nova categoria que facilitará muitas pessoas a abrirem seu próprio negócio com facilidades e principalmente, na legalidade com baixos custos de investimento quanto a abertura de empresa.

O Microempreendedor Individual tem todos os direitos e acesso aos registros de uma empresa com custos baixos de tributos. Possui número de CNPJ, Inscrição Estadual e registro nos órgãos de competência. Com fácil acesso aos direitos e benefícios que facilitam sua inclusão ao mercado de trabalho e aumenta a credibilidade de seu negócio e, consequentemente, de clientes. Observando os critérios para o enquadramento nesta categoria facilitará ao empresário seu sucesso.

Mais informações no Portal do Empreendedor e no SEBRAE.

Por Patricia Gujev