Em todas as organizações, existem pessoas com os mais variados níveis de escolaridade. Trabalhe-se lado a lado com aqueles que chegaram aos mais altos níveis educionais e também com os que tiveram menos oportunidades e por isso, instruíram-se menos. Estar atento à maneira de se comunicar com os colegas de trabalho menos instruídos é fundamental dentro de uma empresa.

Tudo começa pela adequação do nível de linguagem. Muitas vezes, termos técnicos ou jargões profissionais tornam difícil o entendimento dos menos letrados, o que pode resultar em deficiências de compreensão de instruções ou procedimentos importantes. Adaptar as palavras ou usar sinônimos sempre que possível é um modo de contornar essa dificuldade, e sempre dar espaço para que esses indivíduos esclareçam completamente as dúvidas que surjam em todas as situações.

Sintonize-se com a forma de linguagem de todas as pessoas que trabalham com você e assim torne sua comunicação mais eficaz com todas elas.

O preconceito é uma das piores maneiras que existem de se reagir às diferenças entre as pessoas. No ambiente de trabalho, ele é uma atitude que mina relacionamentos, gera desunião nas equipes e compromete a produção.

Discriminação por sexo, raça, orientação sexual, religião. Qualquer tipo de preconceito representa o extremo da intolerância.

No ambiente corporativo, ele dificulta, e muito, a interação entre os indivíduos, o que reflete em prejuízo para o bom andamento das atividades laborativas. Além disso, podem passar a existir até mesmo problemas legais pois aqueles que são vítimas de preconceito tem direito de recorrer à Justiça, e com toda razão.

Aceitar o diferente demonstra maturidade e boa vontade. É saber conviver com a diversidade que está em todo lugar.

Não somos todos iguais. Ainda bem que não. Aprender a conviver com isso é a marca distintiva entre um profissional consciente e aquele que ainda tem muito a experimentar.