Interessante vídeo do SPTV demonstrando alguns “atalhos” para encontrar as vagas de emprego que estão por aí.

Existem dezenas de milhares de vagas sempre disponíveis nos Centros de Solidariedade ao Trabalhador, CATs (estes usam o mesmo sistema), PATs, sindicatos e outras agências de emprego. Fora de São Paulo existem os Sine, SIMM e outros postos governamentais, que sempre tem vagas disponíveis. Cadastrar o currículo nesses sistemas é fundamental.

Suas chances aumentam muito se você procurar emprego na quinta ou sexta-feira, já que a maior procura é no começo da semana, e se tiver disponibilidade para trabalhar aos sábados e domingos.

Confira no vídeo:

Agora há pouco passou, no Jornal da Globo, uma reportagem muito boa sobre vagas disponíveis (milhares delas, na verdade, mais de 3 mil) em cruzeiros marítimos. Reportagem muito oportuna, já que a temporada de cruzeiros está chegando e há previsão de aumento de 22% no movimento em relação ao ano passado. E que a equipe da Globo, com muita competência, já disponibilizou no site.

Os cruzeiros internacionais são os que oferecem melhores salários, que podem chegar, e até passar facilmente, dos R$ 3 mil mensais. No entanto, os contratos são longos, em geral de 6 meses, e não é incomum que cheguem a quase 1 ano. Você também tem que ter inglês fluente. E há alguns aspectos burocráticos que devem ser observados, como o visto de trânsito ou de marinheiro (tipos C e D nos EUA, respectivamente) nos países em que for aportar. Isso, claro, é providenciado pela contratante, mas convém você ir já atrás do emprego porque a burocracia pode te tomar algumas semanas.

Para se candidatar, o ideal é procurar diretamente empresas que fazem recrutamento de pessoal para trabalhar em navios. Aí vão os sites de algumas delas:

Está bom para começar? Fica atento, siga-nos por e-mail, RSS ou Twitter que, em breve, você verá mais vagas em cruzeiros aqui no Agencia Empregos.

Confira a reportagem do Jornal da Globo

O emprego industrial parece finalmente estar reagindo. O aumento de 0,79% na Grande São Paulo e de 0,63% no interior paulista pode não parecer tão espetacular, mas representa o maior avanço em 17 meses.

O número é animador, já que até agosto o crescimento era tímido, de 0,4% de junho para julho e de 0,3% de julho para agosto. Ainda assim, é provável que estejamos abaixo do mesmo período do ano passado, já que em agosto o deficit era de 6,7%.

Ou seja, se você é trabalhador da indústria e perdeu emprego durante a crise, a hora é de ânimo. Continue enviando seu currículo.

Confira o vídeo, com comentários de José Pastore, professor da USP

Segundo o Ministério do Trabalho, cerca de 120 mil empregos por ano serão criados até 2016, em todo o Brasil, fruto da escolha do país para sediar a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. E não é só. Ainda teremos os Jogos Mundiais Militares em 2011 e a Copa das Confederações em 2013.

Claro que a cidade que mais vai se beneficiar da criação de novos empregos é o Rio de Janeiro. Afinal, a cidade, além de ser uma das principais sedes da Copa do Mundo, também sediará as Olimpíadas. Portanto, fique atento: áreas como turismo, hotelaria e construção civil devem ter um crescimento bastante acentuado e prometem a abertura de muitos novos empregos.

No dia 4 de outubro foi ao ar a mini série Norma, da Globo.

Nela, o ex-marido da protagonista, Claudio, está desempregado e tem dificuldade até mesmo em arrumar bicos. Confira o relato dramático dele aí:

Vamos ver o que acontece durante a novela, mas desde já ele revela dois hábitos que podem dificultar sua busca pelo emprego:

  • o primeiro, mais óbvio, chegar meia hora atrasado na entrevista, seja qual for a razão. Quem está querendo trabalhar para alguém tem que ter em mente de que está vendendo seus serviços para outra pessoa ou organização. Você gosta quando você marca médico ou dentista e este profissional chega meia hora atrasado? Imagine agora uma empresa que recebe dezenas ou centenas de currículos e entrevistará dezenas de candidatos. Se você tivesse dez médicos para escolher, você escolheria aquele que chegou atrasado? Se nove chegaram no horário, você daria ouvidos às justificativas sobre o trânsito deste que se atrasou? Pois é, por isso é importante passar uma impressão forte de pontualidade e responsabilidade, principalmente na entrevista.
  • o segundo, menos óbvio: ele está justificando que vai atrás de emprego por causa de uma seleção de que ele participou e chegou atrasado. Talvez ele tenha enviado mais currículos, mas quem está procurando emprego tem que encarar isso com seriedade, ir atrás de várias vagas. As entrevistas são consequência. Mas se você está enviando muitos currículos e não está sendo chamado, você pode estar fazendo errado. Tem que enviar para aqueles que podem recrutar e fazer algo caprichado, que se encaixe nas necessidades da empresa que vai te contratar.

Excelente reportagem completíssima do Jornal Hoje, do dia 28 de setembro, que mostra onde estão as melhoras vagas de emprego do país. Isso é muito importante para você que está estudando ou querendo começar agora, pois isso mostra quais as melhores áreas para você estudar e se formar.

Rio de Janeiro e São Paulo, claro, concentram o maior número de oportunidades em todo tipo de área, com os melhores salários; em Vitória, existem excelentes vagas no setor de siderurgia; no Nordeste, comércio e serviços são a melhor opção; no Sul do país, área de tecnologia, principalmente no setor de informática; no Centro-Oeste, as melhores carreiras estão nas grandes cidades, em áreas como agronegócios, comércio e serviços e construção civil.

Existem muito mais, no vídeo.

Assista a reportagem, na íntegra

Vídeo do DFTV mostra que o número de vagas temporárias crescerá, no Distrito Federal, neste final do ano, em relação ao ano passado.

A maior oferta de vagas temporárias demonstra que a crise está passando e que temos um aumento expressivo na atividade econômica. Em Brasília o crescimento parece ser mais acentuado que no restante do país, mas os efeitos deste crescimento de ofertas de trabalho podem ser visto no Brasil todo.

Como nós temos dito nos últimos posts, a falta de experiência pode ser sua aliada para conquistar seu primeiro emprego. Basta você procurar a vaga nos lugares certos e não esconder que você nunca trabalhou. Existem até certos tipos de empregos onde os contratantes colocam como pré requisito que o candidato não tenha experiência anterior!

Exemplo desse tipo de emprego são as vagas temporárias para o Natal (comece já a procurar e mandar currículo). Serão mais de 120 mil abertas até o fim do ano, 30 mil para pessoas sem experiência. Principalmente no comércio, há muitos empregadores que preferem pessoas com disposição, bom trato pessoal e com afinidade com o negócio. Por exemplo, se você gosta de sapatos e está enviando currículo para uma loja de calçados, mencione seu interesse em trabalhar com esse tipo de produto no currículo. Se você gosta de eletrônicos e está enviando currículo para um loja deste ramo, mencione seu interesse.

O negócio é correr atrás das oportunidades e demonstrar algum conhecimento e interesse na área de atuação da loja.

Veja o vídeo:

Estágio não tem muito segredo, em geral o pessoal já sabe, desde que começa o curso técnico ou a faculdade, que se trata de uma ocupação temporária para aprender a profissão. Mas e o trainee? Você sabe o que é trainee?

Se você não sabe, não está sozinho. Muita gente dos últimos anos não tem uma noção clara. Parece um tipo de emprego onde você está lá para aprender, mas não é estágio. Parece um emprego definitivo, mas você ainda está aprendendo. Mas fique calmo, vamos explicar para você.

Do ponto de vista legal, o trainee é um empregado normal, com carteira assinada e tudo. Em boa parte dos casos, faz-se um contrato temporário pelos primeiros 45 dias, prorroga-se por mais 45, mas a partir do 90° dia a pessoa é empregada da empresa, com vínculo empregatício e tudo. O que muda é a maneira como a empresa encara esse tipo de profissional.

Em geral, um Programa de Trainee é uma espécie de “seleção de luxo”. A empresa que lança um programa desses está querendo formar profissionais para assumir áreas chave na organização, pessoas com ótimas perspectivas profissionais, com capacidade de liderar e gerar resultados, com potencial para cargos de gerência. Assim, é comum que as empresas que tenham programas de trainee realizem este processo seletivo com métodos e perspectivas diferentes daqueles usados numa seleção normal de profissionais para nível operacional.

Claro que as empresas não vão destinar cargos de chefia a quem acabou de chegar, principalmente a quem não tem experiência. E essa é uma vantagem do trainee (lembra-se do que falamos sobre a falta de experiência?). O trainee não traz vícios de outras organizações. Por ser recém formado e ter de construir um nome e uma carreira, está com vontade de trabalhar e gerar resultados. Por já ter terminado ou estar no último ano da faculdade, já tem mais conhecimentos, maturidade e tempo que um aluno da graduação. Portanto, está ali, prontinho para ser treinado exatamente do jeito que a empresa quer.

Por essas características, é normal que o trainee trabalhe em várias áreas da companhia, participando de projetos diferentes, se envolvendo com equipes diferentes e realizando tanto tarefas mais operacionais quanto algumas tarefas onde tem maior autonomia para liderar algum projeto. Em geral, os programas de trainee duram 2 anos, período suficiente para que a empresa tenha uma boa noção do desempenho do funcionário, a área em que ele se sai melhor, se tem capacidade de se adequar às exigências da empresa e do mercado, se tem capacidade de entender o negócio e os processos de sua área de atuação, etc.

Vídeos

Para adicionar, temos estes quatro vídeos da Veja.com, que explicam bem direitinho todos os processos, desde como se candidatar, se comportar na entrevista até como agir depois de contratado. Confira:

Não é pouca gente sem experiência que nos escreve relatando que tem medo de fazer currículo, medo de entrevistas, medo de mostrar despreparo. Chegam até a protestar contra as exigências “injustas” das empresas.

Infelizmente nossas escolas e universidades não tem um preparo para mostrar a real situação do mercado de trabalho para quem está entrando. Num ambiente assustador como este, o jovem precisa, no mínimo, estar bem informado de como são feitos os processos de recrutamento e o que cada empresa precisa.

Nosso ensino não costuma revelar, por exemplo, que o mercado busca gente sem experiência. Isso mesmo, gente que nunca trabalhou na vida. Pessoas novas no mercado tendem a querer crescer na carreira, aprender, fazer acontecer. Tem energia para realizar e mudar, coisa que muitos veteranos não tem. “Ah, mas o recrutador reclamou da falta de experiência”. Nunca ouviu dizer que quem desdenha quer comprar? Inexperiência pode ser uma grande vantagem, é só você achar a empresa certa.

Pois então, o conselho é:

  • no currículo: demonstre suas qualidades, aquilo que mais te interessa, que você saiba fazer melhor e que esteja de acordo com o perfil da empresa. Não invente experiências.
  • na entrevista: aja de forma segura, reforce suas qualidades e, se te perguntarem ou desafiarem, tente relatar aquilo que leu ou que já fez na faculdade. Mostrar interesse ou ter leituras na área pretendida são uma grande vantagem. Não precisa ficar falando aos sete ventos que você não tem experiência mas, se te perguntarem, seja franco, não omita.
  • na hora de pedir salário: o problema de pessoas sem experiência é que elas não costumam ter diferenciais para os demais. Sendo assim, é fácil o recrutador escolher outro candidato. Portanto, pedir um valor muito alto te coloca em desvantagem.
  • não deu certo? Procurar emprego é difícil. Prepare-se para a rejeição, é normal que na maioria dos casos você não seja o profissional contratado. Lembre-se, assim como você tem liberdade de procurar o emprego que quiser, a empresa também tem liberdade em procurar o profissional que desejar. Encare isso como fato da vida, não encare isso como fraqueza de sua parte e bola pra frente. Não desista até conseguir.

Enfim, a busca do emprego envolve também um pouco de conhecimento de vendas e negociação. Algumas dessas dicas vão diretamente de encontro àquilo ensinado nas escolas e faculdades, mas entenda que ficar na turma dos revoltados reclamões e se recusar a se preparar para conseguir o primeiro emprego só vai dificultar sua entrada no mercado de trabalho. Prepare-se e mantenha a calma e o bom humor. E lembre-se: você vai ouvir muito mais não que sim na sua vida. Sucesso!

Vídeo

Veja neste vídeo do Jornal da Globo como a inexperiência pode ser sua aliada:

O trabalho voluntário faz parte do currículo de muitas faculdades, hoje em dia, para que se obtenha créditos para a formatura. Isso faz com que esse tipo de trabalho seja feito, às vezes, em ambientes não muito úteis, nem com tão boa vontade, o que acaba por desvirtuar e colocar uma certa desconfiança nesse tipo de prática.

Por outro lado, é claro que seria utópico dizer que a pessoa deve deixar suas ambições pessoais de lado ao procurar um trabalho voluntário. Quase ninguém faz isso. O importante, na verdade, é engajar-se em trabalhos realmente relevantes. Trabalhos que ajudem pessoas em situação de necessidade, ajudem na educação de gente que está tendo dificuldades em acompanhar a escola, ajude doentes em hospitais, esse tipo de coisa. Nada de grande alcance, mas efetivo.

O que um empregador normalmente olha é isso. Se o projeto realmente existiu, se realmente foi relevante, se realmente ajudou, se não foi algo apenas para constar do currículo. Experimente fazer algo diferente. Não precisa ser algo grandioso, apenas relevante. Envolva-se na comunidade, mexa-se para arrecadar roupas para famílias carentes, corra atrás de empresas para obter insumos, para conseguir que se engajem nos projetos. Todo mundo ganha. Você, que tem uma experiência real em ajudar os outros, pode conseguir excelentes contatos e pode passar a boa impressão de pessoa responsável e engajada, a empresa, que ganha divulgação e, óbvio, a pessoa que estava passando necessidades, que vai ter uma vida melhor.

Você não precisa começar um grupo de voluntariado ou fazer sozinho. Pode procurar um grupo que já exista, ou se associar a pessoas que tenham o mesmo interesse. Combinando habilidades e divindo o trabalho, a coisa pode ficar muito mais fácil. Um exemplo é desse pessoal abaixo, que passou no Jornal Nacional:

Faça trabalho voluntário de boa vontade, especialmente se estiver difícil obter estágio ou emprego. Consiga um diferencial. Você vai ver que o voluntariado não é tão diferente do que seria sua vida profissional, afinal, por definição, você só ganha dinheiro de verdade se estiver ajudando a outras pessoas.

Não é de hoje que o domínio de uma língua estrangeira é um fator seletivo para muitas vagas de trabalho em todo o país. Mas você sabia que quem possui bom domínio de inglês pode ter um salário até 20% superior?

Quanto mais elevado é o cargo de uma pessoa em uma empresa, a necessidade de que exista um nível de inglês superior é iminente.

Em algumas áreas, contudo, é preciso ter bem mais que um inglês fluente. Nas áreas de engenharia, tecnologia e mercado financeiro, por exemplo, é interessante que se possua um bom nível de inglês técnico.

Como estudar inglês em casa?

Existe à disposição das pessoas uma grande variedade de conteúdo na Internet, e até mesmo assistindo a filmes. Alie o que você gosta, com a possibilidade de ver filmes várias vezes.

Outra dica é ligar a TV em um canal com conteúdo da língua que deseja aprender. Por exemplo: para inglês (CNN, BBC), para alemão (Deutsche Welle), para italiano (RAI), e assim por diante.

Veja abaixo um vídeo interessante exibido no Jornal Hoje:

Segundo Leyla Nascimento, presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos, oportunidades existem sim (embora seja mesmo mais difícil). E pessoas com 39 ou 40 anos tem um diferencial: a experiência.

As áreas que tem mais vagas para pessoas mais velhas são as áreas de serviços e comércio, principalmente, tecnologia, informática, serviços de suporte e franquias.

Veja a entrevista com dicas

Quadro do SPTV mostra como é a rotina do pessoal que trabalha como manobrista, uma profissão comum nas grandes cidades brasileiras. Eles têm que estacionar os carros cuidadosamente, em vagas apertadas, sem poder mexer nos espelhos, bancos, volante, etc. E não podem fazer um risco nos carros!

Confira:

Você trabalha em casa? Conhece alguém que optou pelo home office? Você sabe quais as vantagens e desvantagens de se trabalhar em casa?

Quase cinco milhões de brasileiros trabalham em casa atualmente. Você é o seu chefe, e você determina quando começará a trabalhar e quando vai parar. Como você está distante de hierarquias, às vezes é difícil de definir essas particularidades. Então planeje-se!

Se quiser montar seu negócio em casa, faça isso em um ambiente que você goste muito e que se sinta bem.

É necessária muita organização e tranquilidade… Os resultados são visíveis… Diminui-se o stress, ganha-se tempo, aumenta-se a produtividade e também a qualidade de vida.

No programa “Mais Você”, da Rede Globo, da segunda-feira, dia 26 de Janeiro de 2009, passou uma matéria interessante sobre o convívio de casais no mesmo ambiente de trabalho, seja pela mesma profissão, ou por estarem em uma mesma empresa.

A matéria abaixo retrata uma história de um casal de bombeiros, em que ambos são tenentes, uma história de um técnico e uma jogadora de futebol de campo, e outros casos onde isso ocorre.

Afinal, é bom ou ruim trabalhar com seu companheiro?

Se você, como eu, gosta de assistir e considera extremamente válidas as dicas do Programa Emprego de A a Z, de Max Gehringer, no Fantástico, saiba que você pode assistir aos vídeos do programa de graça, sem pagar nada e de uma maneira 100% legal e sem risco de vírus.

É só visitar esta página de vídeos do Portal Globo.com. No momento, há 11 episódios diferentes lá, com dicas para todo tipo de profissional, do iniciante ao experiente.

Você também pode visitar o site do programa ou ainda procurar no Youtube.

E, já que demos dicas para conseguir o primeiro emprego, vamos colocar alguns vídeos para este público aqui:

A importância do estágio

 

As vantagens do curso de tecnólogo

E, para quem já é experiente (ou não), uma discussão sobre o medo de tirar férias:

O primeiro emprego é sempre o mais difícil de se conseguir. A falta de experiência do jovem, recém-formado ou não, não se limita apenas à parte prática de sua profissão, mas também de outras habilidades, como negociação, entendimento das motivações das pessoas no mercado e outras habilidades que só se adquirem através da experiência.

Por isso, conseguir um emprego é sempre mais difícil para essas pessoas. Mas não é impossível, claro. A pressão por preparar pessoal, cortar custos e baratear processos faz com que empregadores estejam sempre à procura de gente nova no mercado, com muita energia, sem maus hábitos e que – sim, infelizmente é assim – concordam em trabalhar por menos que profissionais experientes.

Basicamente, o que você precisa saber é quais são suas habilidades e o que é que você mais gosta. Equilíbrio emocional também é extremamente importante, pois a pressão do trabalho existirá. A exigência é alta e as pessoas, chefes, clientes e colegas, normalmente tentarão obter os melhores negócios para si mesmos.

Para ajudar, selecionamos três vídeos. E uma dica importante, presente no segundo vídeo, de Max Gehringer, é tentar fazer uma boa faculdade, pois você vai ser encarado pelo mercado como um “produto” da mesma. Ou seja, você leva a grife da faculdade junto de si, o que faz com que suas chances no mercado de trabalho aumentem. Uma vez no mercado e podendo escolher, prefira também empresas sólidas, grandes e lucrativas, com marca forte. Normalmente você vai ganhar mais e, como na faculdade, você vai levar a grife da empresa junto de si.

No entanto, uma dica forte de Max Gehringer e que reforço aqui é: procure sempre montar seu próprio negócio. Isso não significa que você deva negligenciar sua sobrevivência ou seu futuro profissional, deixando de procurar emprego. Mas significa, sim, que você deve procurar oportunidades como empresário, já que há boas possibilidades de que, em algum tempo, a renda dessa atividade supere aquela do emprego. E com mais estabilidade. Só não vá gastar suas economias se não tiver uma boa previsão de retorno.

Vamos aos vídeos:

A luta pelo primeiro emprego

Dicas de Max Gehringer em “Emprego de A a Z”

Um pouco de realidade: algumas dicas para quem quer trabalhar como vendedor

Boa sorte!