A discriminação racial não é algo dos dias atuais. Muitos estudiosos e pessoas com conhecimentos empíricos conhecem que a causa da divergência subentendida entre brancos e negros, num contexto geral, ocorre em inúmeros campos sociais. Em relação à posição empregatícia, isto é muito mais evidente.

Um estudo feito pelo economista Marcelo Paixão, com fundamentação na Pesquisa Mensal de Emprego do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aponta que a remuneração média de trabalhadores brancos foi 90% acima que a de pretos e pardos no mês de setembro. Antes do auge da crise econômica, a renda das pessoas brancas era 102% superior.

De acordo com Paixão, essa queda se deve à participação dos negros nos setores informais, bem como a retomada de investimentos na construção civil, com estímulos do governo. De qualquer maneira, essa queda não deve perdurar por muito tempo. A sociedade é, sim, racista – infelizmente! Isso é um problema congênito, entrelaçado ao longo da história brasileira e advinda, principalmente, daqueles “conquistadores” do século XV e XVI. Para quê feriado de 20 de novembro? Para viajar? É melhor haver um consenso mútuo da sociedade; enganar é fácil, compreender é o complicado!

Por Luiz Felipe T. Erdei