Uma funcionária de um grande banco estatal chega em casa e se depara com uma cena tocante: sua filha pequena já balbucia a palavra “mamãe”. Só que essa palavra tão terna está sendo dirigida à babá, que toma conta da menininha diariamente. O trabalho é uma parte fundamental da vida de qualquer pessoa, mas quando ele passa a interferir em relações familiares fundamentais, é preciso ligar o sinal de alerta.

É na família que se nasce, cresce-se, amadurece-se e se aprende o essencial para ter uma vida feliz. Nada pode compensar a convivência familiar, nem o dinheiro e nem um cargo de prestígio. Se você está perdendo momentos inesquecíveis da vida de sua esposa ou de seus filhos por causa da carga de trabalho que é obrigado a suportar, talvez seja a hora de rever conceitos. Os empregos podem ser passageiros, mas família é para sempre.

Não renuncie à dádiva de estar presente ativamente na vida de seus filhos por causa do trabalho. Aprenda a conciliar suas atividades com os momentos em família, e não sofra depois o triste arrependimento de não ter dado atenção a essas questões na hora certa.

Não é verdade que quem tem uma rotina de trabalho agitada não pode se exercitar. Mesmo que a atividade não seja como aquelas consideradas “formais”, é possível sair da inércia total.

Se você não tem condições de praticar um esporte ou de frequentar uma academia, opte por medidas simples que certamente o ajudarão a se mexer mais. Se você vai ao trabalho de ônibus, desça um ou dois pontos antes do habitual. Se a empresa tem elevador, escolha de vez em quando a escada. Se você costuma sair com frequência, vá a pé aos lugares mais próximos. Se tomadas em conjunto, todas essas ações irão contribuir para que você não fique totalmente sedentário.

Use a criatividade e drible sua falta de tempo para atividades físicas. Com o tempo você perceberá que não é tão difícil assim cuidar um pouco mais da saúde.

Certas atividades profissionais podem envolver movimentos repetitivos ou exigir que os indivíduos mantenham uma mesma posição por tempo prolongado.

Nesses casos, as empresas são obrigadas por lei a fornecer orientações de saúde ocupacional aos colaboradores. E seguir essas orientações pode ser a diferença entre saúde e doença no médio e longo prazos.

As principais consequências de não se observar as orientações de saúde ocupacional são o aparecimento de doenças crônicas como LER (lesão por esforço repetitivo), problemas de coluna (cervical, dorsal, lombar), dores crônicas nas pernas, aparecimento e agravamento de varizes, etc. Os alongamentos e a ginástica laboral ensinados na empresa devem ser executados de maneira correta, pois caso contrário, o maior prejudicado será você mesmo.

Pense bem: não é preferível dedicar alguns momentos hoje para garantir a própria saúde no futuro?

Seu trabalho é daqueles que exige que você trabalhe o dia todo em pé ou sentado? Horas a fio parado na mesma posição ou realizando movimentos repetitivos? Se esse é o seu caso, comece a prestar atenção, pois sua saúde pode estar sendo prejudicada.

No passado, a saúde ocupacional era um tema negligenciado tanto por patrões como por empregados. Mas com o passar dos anos, e com o surgimento de inúmeros casos de doenças provenientes de atividades produtivas, muitos começaram a se preocupar. Colaboradores afastados por doenças ocupacionais geram prejuízos às empresas e a si mesmos.

Se sua empresa não tem um programa de saúde ocupacional, informe-se por conta própria sobre medidas preventivas como ginástica laboral e exercícios nos intervalos da jornada. Fazendo isso você só terá a ganhar.

Chega a sexta-feira e você não vê a hora de acabar o expediente, pois o tão esperado fim de semana está chegando. Mas fica uma pergunta: você sabe realmente relaxar em seus momentos de folga?

Algumas pessoas parecem ter uma síndrome de “utilidade total”, mesmo nos momentos de folga estão procurando coisas úteis e bem vistas para fazer. Consertar móveis, arrumar o quarto já impecável, tirar o pó do canto da prateleira da cristaleira. Não estamos falando da manutenção normal da casa, que muitas vezes só pode ser feita nos finais de semana, mas dos exageros trazidos por mania de limpeza ou organização.

Saiba dosar as atividades durante o seu fim de semana, para depois não chegar novamente à segunda-feira com a sensação de ter “perdido” seus momentos de descanso.