Todas as organizações possuem ou, pelo menos, deveriam possuir, procedimentos internos sistematizados para a execução de atividades. Com o passar o tempo, é essencial rever esses procedimentos para adaptá-los às dificuldades encontradas em sua execução.

Muito poucas coisas no mundo permanecem imutáveis. A maneira de se trabalhar numa organização não é diferente. A prática ensina que é necessário acrescentar ou suprimir etapas no “modus operandi” de como as coisas são feitas no trabalho. Ter receio de fazer mudanças é condenar um procedimento a se tornar obsoleto e ineficaz. E essas mudanças precisam ser discutidas e aprovadas por todos aqueles diretamente envolvidos.

Repensar normas internas, regulamentos e procedimentos operacionais padrão é demonstração de pró-atividade e inteligência. É o modo mais sensato de reagir às alterações que ocorrem no mundo que o rodeia.

Toda empresa tem um código de conduta quanto ao vestuário de seus colaboradores, seja ele formal ou informal. Algumas estabelecem o uso de uniformes, outras exigem traje social, em algumas o casual já serve. O  importante é perceber qual é o costume e tentar se enquadrar nele.

É muito desagradável quando alguém se traja de maneira inadequada num ambiente de trabalho. Em geral, para os homens, mesmo nos dias de maior calor, bermudas e camisetas do tipo regata não são aceitáveis. Para as mulheres, o abuso de decotes, transparências ou saias e vestidos muito curtos também podem gerar desconforto. É preciso encontrar um equilíbrio e tentar seguir mais ou menos o que os demais estão usando.

Vestir-se de maneira sóbria no trabalho é uma questão de bom senso. Adapta-se ao padrão do lugar onde você trabalha e evite situações desconfortáveis.