Quando se está em busca de uma colocação no mercado de trabalho a principal ferramenta que o cidadão tem é o seu currículo. Naquele simples pedaço de papel está o mais importante sobre sua vida profissional. E também naquele simples pedaço de papel pode estar sua sorte ou seu azar na conquista de uma tão sonhada vaga de emprego.

O problema é que a maioria dos currículos não é aproveitada pelas empresas. As informações são da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH). De acordo com as estimativas de cada dez currículos recebidos, apenas dois têm chances de serem aproveitados.

O principal motivo apontado para esse enorme descarte de currículos é o fato de que o candidato que deseja concorrer para a vaga mal conhece os requisitos que são exigidos para ela. E isso quando seu perfil profissional não se enquadra na mesma.

Já o segundo ponto que mais contribui para a dispensa de currículos são os erros cometidos no mesmo e informações desnecessárias ou necessárias, mas incompletas.

Como se sabe o cartão de visitas do candidato é o currículo. Alguns aspectos que a primeira vista são sem importância podem contribuir e muito para que o candidato seja desclassificado logo de cara. Entre os principais erros apontados estão aqueles candidatos que insistem em colocar fotos no documento quando a mesma não é pedida. Já quando se solicita a imagem o candidato deve escolher bem qual colocar. Imagine uma foto para uma vaga em uma grande empresa com um cachorro no colo. Ou ainda uma imagem com várias pessoas. Quem o recrutador vai pensar que é o interessado na vaga?

Outro ponto que pode ser fulminante para o descarte do currículo é a forma como o candidato expõe o texto no mesmo. Tem gente que faz um “sermão da montanha” citando coisas que nada tem com a vaga.

Além desses pontos que foram citados, uma boa ideia é o candidato se colocar na posição da empresa. Ou seja, se ele fosse o dono o que queria ver no currículo de um provável futuro funcionário.

Confira mais dicas sobre o assunto acompanhado diariamente nossas atualizações.

Por Denisson Soares

Está preparando o currículo? Então fique atento e inclua nele aquelas habilidades que não são tangíveis, mas que são verdadeiramente importantes na hora em que os empregadores decidem quais candidatos podem estar na lista de novos contratados.

No meio empresarial elas são conhecidas como “soft skills”, nada mais são que habilidades relacionadas às características de personalidade do candidato e são consideradas por grande parte dos empregadores como habilidades fundamentais no momento de decidir qual profissional escolher. Em muitos casos, elas são reconhecidas como requisitos tão importantes quanto às competências técnicas e por vezes são entendidas como mais importantes que esse conhecimento técnico. Estas conclusões foram retiradas de uma pesquisa realizada pelo site CareerBuilder, página web dedicada ao recrutamento, nesta investigação foram pesquisados gestores e profissionais especialistas em gestão de pessoas.

A procura pelo “candidato ideal” é feita verificando que as habilidades intangíveis sejam tão boas quanto os conhecimentos técnicos. Por vezes fica um pouco difícil saber de que tratam essas habilidades de personalidade, assim nem sempre as pessoas quando procuram um posto de trabalho reconhecem em si determinadas características comportamentais e de atitude que podem ser decisivas no momento de desempenhar sua função.

Algumas dessas habilidades tidas em conta são: a habilidade para resolver problemas, assumir desafios, ser confiável, entregar no prazo o que promete, capacidade de motivar, proatividade, doação para o trabalho, enfim, estas são apenas umas das mais importantes e mais solicitadas pelos recrutadores.

Na pesquisa mencionada acima fez-se uma lista das dez habilidades mais consideradas pelas empresas, em primeiro lugar ficou a ética no trabalho e no desempenho das atividades relativas a ele e em último ser confiante e seguro de si.

Quando for montar o seu currículo não cite habilidades que você não possui, pois caso contratado você deverá demonstrá-las e ficará chato se o seu novo chefe descubra que mentiu tão logo no seu primeiro contato com a empresa.

Por Melina Menezes