Toda empresa está sujeita ao regime jurídico do país no qual está instalada. Esse regime pode ser mais ou menos burocrático, ágil e eficiente em decorrência de uma série de fatores. No Brasil, o sistema é na maioria das vezes lento e ineficiente, e por uma questão cultural, parece que isso está longe de mudar.

A cultura da esfera administrativa pública brasileira é a da ineficiência. Procedimentos essenciais necessários à total regularização das organizações junto ao Poder Público geralmente levam mais tempo do que o esperado para serem concluídos. As empresas, então, precisam se adaptar a essa dinâmica, organizando-se para conseguirem conviver de uma maneira menos conturbada com as infindáveis exigências dos órgãos do governo.

Toda vez que for dar entrada em papéis numa repartição pública, revista-se de toda a calma possível. Isso o ajudará a evitar um estresse desnecessário que certamente não ajudaria em nada a mudar essa situação, pelo menos no curto e médio prazo.