Como ser produtivo no trabalho

Vários aspectos podem contribuir para um dinamismo melhor no trabalho e aumentar a produtividade

O futuro do profissional depende da dinâmica, comunicação e mais ainda da produtividade. É importante que o funcionário saiba usar o tempo a seu favor para lidar com múltiplas tarefas e prazos curtos, prezando ainda pela qualidade.

A distração é o principal inimigo da produtividade e não significa que trabalhar o dia todo sem parar irá resolver. Alguns métodos podem te ajudar a ter um dia mais tranquilo, organizado produtivo.

Primeiro comece montando um cronograma organize suas tarefas diárias, seja em um caderno, numa planilha do computador ou até mesmo em aplicativos para celular. Priorize as atividades com prazos mais curtos. Não esqueça de separar uns 10 ou 15 minutos para fazer pausas, afinal relaxar também é essencial.

Não adianta mentalizar é preciso agir! Siga seu cronograma e mantenha o foco.

Evite pesquisas desnecessárias durante o trabalho, a internet pode muitas vezes auxiliar, mas pode prejudicar muito a sua produtividade. Algumas empresas liberam o uso das redes sociais, mas é importante deixar para acessá-las apenas nas pausas. Além disso, não fique o tempo inteiro atualizando a sua caixa de e-mails, separe um tempo exclusivo apenas para lê-los e respondê-los.

Aliás, é importante que sejam feitas algumas pausas durante o dia, trabalhar durante muito tempo seguido gera muito estresse e desânimo. Tome um ar, converse com os colegas. Aproveite para comer um lanche e beber bastante liquido, afinal a alimentação é fundamental para que se mantenha ativo durante o dia.

Outra dica importante é se desprender do perfeccionismo. Faça um trabalho com qualidade e empenho, mas não dedique tempo demais a uma tarefa apenas para deixá-la perfeita. Isso pode trazer problemas relacionados a prazos e ainda tomar tempo de outras atividades.

No final de cada dia revise seu cronograma e veja se conseguiu cumprir todas as suas tarefas, se necessário ajuste alguns detalhes e já se organize para o dia seguinte. Não vá embora correndo e estressado, procure deixar seu local de trabalho organizado. Isso te deixará mais motivado no dia seguinte.

De tempos em tempos avalie seu desempenho e destaque os pontos em que precisa melhorar, busque aprimorar seus conhecimentos sempre que puder, faça alguns cursos, leia e estude bastante sobre a sua área e suas atividades.

 Por Tom Vitor de Freitas

Intervalos de Descanso podem Melhorar Produtividade no Trabalho

Pesquisa revela que profissionais que intervalos de descanso têm melhor produtividade do que aqueles que trabalham direto.

Se você pensa que para ser produtivo e cumprir bem as tarefas do dia é passar oito horas diárias sentado numa cadeira de escritório, engana-se. De acordo com o coautor do livro “Emotional Intelligence 2.0” (Inteligência Emocional 2.0), Travis Bradberry, trabalhar oito horas por dia sem intervalos está ultrapassado. Agora o correto é fazer pequenos intervalos e descansar a cada hora.

A ideia de Travis baseia-se em um estudo do "Draugiem", grupo de tecnologia da informática, que mediu a quantidade de tempo que funcionários gastavam cumprindo várias atividades e também mediu o grau de produtividade, tudo através de um programa de computador.

Eles chegaram a conclusão que não tinha grande importância o tempo total da jornada, mas o que importava é como era estruturada. Foi identificado que os profissionais que paravam as atividades por curtos períodos para descansar apresentavam mais produtividade do que aqueles que passavam longos períodos trabalhando.

Estimou-se que o ideal seriam 52 minutos de trabalho com intervalos curtos de 17 minutos para descansar. Os funcionários que cumpriam essa rotina conseguiam um nível alto de concentração no trabalho, eles focavam 100% nas tarefas pelo período de uma hora, sem distrações.

O autor, que também é psicólogo e presidente da Consultoria Empresarial "TalentSmart", garante que o cérebro humano precisa alternar períodos de muita energia, por volta de uma hora, para em seguida relaxar de quinze a vinte minutos.

Quatro dicas para alcançar o ritmo ideal de trabalho:

Dividir seu dia em curtos intervalos: Bradberry diz que conseguimos planejar com naturalidade todas as tarefas diárias, semanais e mensais, porém, é mais positivo se focarmos no que conseguimos realizar neste momento.

Respeitar seu momento: Durante o trabalho usamos um pico de energia para manter um alto nível de concentração, a tarefa não deve ser interrompida para fazer coisas sem importância com olhar o celular ou entrar nas redes sociais.

Descanse o corpo e a mente: Se deseja aumentar sua produtividade descanse de fato durante o intervalo de trabalho, esqueça suas tarefas.

Não espere ficar cansado: Se esperar seu corpo dar sinais de cansaço, pode ser tarde. Lembre-se que é melhor descansar por curtos períodos, do que trabalhar cansado e com a mente distraída.

Por Ruth Galvão

Você sabe cuidar bem do seu ambiente? E sabe também que nosso ambiente, seja ele de trabalho, residencial, enfim, qualquer que seja, sempre terá uma influência direta sobre nós, principalmente em nossa personalidade?

Nosso ambiente possui uma influência considerada importante em nossa vida, pois sentimos e vivemos de acordo com o que ele passa para nós e sobrevivemos a partir disso. Portanto, nossa capacidade de adaptação está atrelada mais à fatores externos do que internos.

Um dos fatores internos que podem nos influenciar é poluição, barulhos, trânsito, temperaturas, fumaças, entre outros. Para que possamos levar uma vida mais saudável, é preciso controlar ou tirar de vez essas influências, pois podem prejudicar nossa saúde de forma excessiva.

A seguir, você poderá contar com algumas sugestões para tornar seu meio ambiente mais agradável e saudável para você viver com mais qualidade de vida:

– Planejamento

Tenha sempre consciência da importância do planejamento. Priorize a funcionalidade e a estética quando você for planejar a sua casa ou mesmo o seu espaço de trabalho. Arrume toda a bagunça, controle o barulho e deixe o quarto aconchegante e convidativo para uma boa noite de sono e repouso.

– Segurança

Preze pela segurança. Quando você estiver dirigindo, principalmente quando estiver pegando estrada, mantenha-se seguro. Caso não esteja se sentindo muito bem, tanto fisicamente como psicologicamente, peça para que alguém dirija para você.

Uma outra sugestão de segurança é equipar sua casa com móveis ergonômicos, é seguro, confortável, evita acidentes e ainda não ocupa nenhum espaço.

– Tecnologia

Tenha controle sob a tecnologia senão ela controla você, assim, você evita sobrecarga de informações.

– Racionamento

Contribua com o meio ambiente evitando o desperdício de energia elétrica e água. Priorize também o consumo de materiais que são recicláveis e contribua com isso.

– Cuidados pessoais

Evite a exposição ao sol quando não estiver sob a proteção de um bloqueador solar. Isso pode evitar consequências à longo prazo.

Por Daniela Almeida da Silva

Além do prazer da reflexão, distração e divertimento que os filmes trazem, alguns permitem e transmitem valores que auxiliam a guiar a vida profissional, e nos agregam valores indispensáveis para a convivência social, inclusive no ambiente de trabalho. Segue abaixo algumas indicações de longas metragens:

  • A Firma (The Firm – 1993)  – O filme pretende mostrar que é possível conviver com todos os tipos de pessoas durante a carreira profissional, já que não é possível selecionar com quem se trabalha, e também mostra o jogo de sobrevivência, através da sabedoria e do discernimento, necessário para “ganhar” de profissionais de má índole;
  • Coração Valente (Braveheart – 1995) – O filme enfoca no quesito liderança. Mostra que líderes se identificam facilmente com seus liderados. O enredo mostra também os bons resultados que uma boa gestão de um chefe pode trazer;
  • A Procura da Felicidade (The Pursuit of Happyness – 2006) – O filme traz lições como resistência, persistência, vitória, determinação, indispensáveis para sucesso em uma carreira;
  • O Segredo (The Secret – 2006) – O Segredo revela o mistério de usufruir do poder da mente. Promove reflexões sobre mudanças em hábitos e maneiras de pensar que podem influenciar positivamente no viver. O filme auxilia no autoconhecimento, no favorecimento da vida pessoal e profissional;
  • Uma secretária de futuro (Working Girl – 1988) –  O filme mostra da importância da persistência para o sucesso profissional. Sabedoria para lidar com quedas e continuar a desempenhar suas tarefas. Saber ter boa convivência em grupo e aproveitar todas as oportunidades que possam eventualmente surgir;
  • O Mensageiro (The Postman – 1997) – O Filme, voltado para liderança, enfoca a presença e o exemplo do bom líder. O longa apresenta figuras de líderes que auxiliaram na reconstituição do governo norte-americano e apresenta características, principalmente de persuasão, importantes para inspirar, seduzir e delimitar metas coletivas e individuais;
  • O Discurso do Rei (The King's Speech – 2010) – O filme desenvolve o pensamento que, para se obter sucesso profissional é preciso estar sempre em treinamento, e sempre estar apto a submeter-se a orientações dos mais experientes;
  • O Diabo Veste Prada (The Devil Wears Prada – 2006) – O filme representa a relação clara entre uma chefe exigente e uma funcionária determinada, que a princípio não entendia nem valorizava nada do segmento da empresa em que trabalhava e que em pouco tempo evoluiu e tornou-se destaque na empresa;
  • Gladiador (Gladiator – 2000) – O longa mostra que determinação e convicção encaminham sempre à vitória, sem outra opção.

Dicas instigantes para unir o agradável ao profissional!

Por Marina Lara

Márcia era secretária da diretoria de uma multinacional. Tinha quase dez anos de firma mas um dia o chefe a fez trabalhar até tarde e, cansada e desolada, abriu o seu Twitter e desabafou com a frase “meu chefe é um saco, queria mesmo não trabalhar aqui”. No dia seguinte, foi demitida da empresa porque um colega de trabalho viu a frase e comentou com o patrão.

A personagem pode ser fictícia, mas a história está ficando cada vez mais comum, então é muito importante ter cuidado com o uso de redes sociais. A principal dica desse texto é quanto à exposição. Você tem rede social, seus colegas de trabalho, bem como os gerentes e diretores da empresa também, então melhor evitar constrangimento como fotos ousadas, comentários sobre festas mais descontroladas e sua vida pessoal em geral.

Com tais ações, podem comprometer uma visão de trabalho entre chefe e empregado e até mesmo gerar comentários inadequados em ambiente de trabalho quanto a sua vida particular, causando um mal estar totalmente desnecessário. Então, evitemos.

Frases degradantes sobre a empresa ou colegas de trabalho também devem ser regras na sua etiqueta social. Saiba que muitas empresas contratam ‘gerentes de redes sociais’ com o único intuito de monitorar tudo o que é falado sobre a logomarca, bem como a vida virtual dos funcionários e as informações antes escondidas podem chegar fácil a uma diretoria, causando demissão por justa causa.

O uso de redes sociais em excesso no trabalho também é de péssimo gosto. Muitas empresas já bloqueiam o acesso a tais sites através de redes internas mas, mesmo que não o tenham feito, evite. Afinal, você é pago para trabalhar e nem todo chefe verá seu ‘relax’ em horário e ambiente de trabalho como algo ‘normal’ ou ‘natural’.

Por Lidianne Andrade

Dificilmente uma pessoa que trabalha na frente do computador apenas digita, ou atende ao telefone. Múltiplas tarefas são realizadas durante o dia e ao mesmo tempo isso significa falta de foco.

As pessoas que geralmente adotam esse método apostam nele como uma forma de recuperar tempo perdido ou fazer o “serviço render”. Mas as pessoas se enganam com relação ao tempo gasto trabalhando dessa forma, mesmo porque se o individuo conseguir focar e cumprir uma atividade de cada vez o seu dia será muito mais produtivo.

Pesquisas afirmam que as distrações no ambiente de trabalho geram 53% de improdutividade entre os funcionários.

Entre as principais causas apontadas pela distração no ambiente de trabalho estão as redes sociais, caixas de emails, as mensagens instantâneas são o que mais fazem com que as pessoas percam o foco.

Busque a concentração e seja mais produtivo, o seu chefe irá agradecer.

Por Milena Evelyn

O que é realmente a felicidade no trabalho?

Há alguns anos atrás poderíamos dizer que ter estabilidade, salário dentro da média e registro em carteira seriam os principais fatores.

Atualmente quando esse assunto é abordado, notamos algumas mudanças, o crescimento profissional, ambiente de trabalho com boas condições de desenvolvimento e reconhecimento, são os mais citados na categoria emprego desejado.

Definir felicidade não é nada fácil, nem mesmo os motivos que deixam uma pessoa feliz, pois, cada individuo tem uma visão diferente sobre esse conceito, além do mais, a felicidade é um sentimento subjetivo.

Portanto, precisamos identificar em nós o que nos traz felicidade, e aprender a diferenciar ser feliz no trabalho e ser feliz com o trabalho. Isso irá depender de cada um, se auto conhecer irá influenciar muito e também ajudará nesse processo.

Por Milena Evelyn

Uma das grandes dificuldades enfrentadas por profissionais iniciantes em uma empresa é a insegurança. Dúvidas quanto à realização do serviço, aceitação do pessoal, período de adaptação, “feedback” positivo do chefe, entre outros. Estas avalanches de pensamentos são, na sua grande maioria, negativos. Estar atento para o surgimento de consequências em função destes pensamentos é primordial.

Sentimentos de raiva ou medo surgem durante a vida e, saber administrá-los para que não se tornem uma constante, faz-se necessário para lidar com situações cotidianas. Observe que ignorar os fatos acarretará na dominação da insegurança. Nem sempre uma característica de atitude de pessoas que trabalham num mesmo ambiente significa algo negativo. A insegurança poderá distorcer a visão perante uma situação.

Por Patricia Gujev

 

O termo empregabilidade foi criado no fim dos anos 90 e remete à capacidade de um profissional estar empregado, mas muito mais do que isso, a capacidade do profissional  de ter a sua carreira protegida dos riscos inerentes ao mercado de trabalho, criando novas oportunidades, transformando a qualificação em atitudes como iniciativa, criatividade e bom relacionamento. E para isso é necessário autoestima, a confiança em nosso modo de pensar, enfrentar os problemas e principalmente o direito de ser feliz.

Para melhorar a autoestima vai algumas dicas, listadas a baixo :

  • Preocupe-se positivamente, não deixe que a ansiedade seja sua amiga;
  • Confiança é uma atitude que se expande com  a experiência  e reduz a ansiedade;
  • Sua vida é digna de um motivo nobre;
  • Junte-se a uma equipe, vença a timidez, vá à luta e comemore as vitórias e aprenda com os seus erros. Só quem não faz nada não comete erros;
  • Pratique a tolerância, você gostará muito de si mesmo;
  • Coragem é agir com medo e não sem ele. Se o desafio for grande pra você, é natural que fique nervoso;
  • Deixe de se irritar por pouca coisa, convertendo a atitude de ódio, tão corrosiva, pela de amor, que é expansiva;
  • Para termos confiança nas pessoas, primeiro temos que confiar em nós mesmos.

Acredito que com essas dicas você conseguirá ter sua autoestima em alta e pra você que está aí um pouco caído, levanta a cabeça  olha pra frente e comece agora mesmo a praticar. Perceba que um vencedor, aquele que está em destaque,  possui sempre um sorriso no rosto ( autoestima – sentir a vida, estando de bem com ela. )

Por Edilson R. dos Santos

As relações interpessoais num ambiente de trabalho são um dos fatores determinantes para que as atividades desempenhadas, por um setor ou departamento, sejam eficientes, competentes e criativas. A relação individual entre patrão e funcionário torna-se, então, ponto crucial numa perspectiva de harmonia entre todos os envolvidos.

A reciprocidade, no sentido de dar e receber na medida certa, é uma característica do profissionalismo que mais se destaca, sendo até essencial, tanto para o empregado, na busca de manter e crescer dentro de sua área de atuação, como para o patrão, seja este o próprio empresário ou aquele que ocupa um cargo de confiança e assim, deve apresentar resultados.

A aplicabilidade desta característica determina tempo, observação, autoavaliação e predisposição para estabelecer prioridades que, em alguns momentos, significa abster-se de convicções e certezas, bem como reconhecer os próprios erros.

Por Patricia Gujev

Quando o funcionário está motivado e cheio de idéias é difícil algo tirar esse interesse. Porém, as conversas paralelas têm o poder de tirar a concentração, atrapalhar o pensamento e a linha de raciocínio do colaborador.

As conversas ao redor do funcionário empolgado podem interferir no rendimento e no seu resultado final.

Nem sempre é fácil lidar com essa questão, principalmente, se as pessoas que estão causando esse incômodo forem colegas.

Mas o ambiente de trabalho deve ser respeitado e lembre-se ali sempre será o ambiente de trabalho.

Sendo assim, manter o foco é primordial.

Por José Alberi Fortes Junior

Falam e cansam-se de falar, contudo a maioria das pesoas insiste em comportamentos inadequados, isso no dia-a-dia e no Ambiente de Trabalho, principalmente.

Nunca devemos levar as pessoas a sério, é verdade, principalmente em se tratando de nós mesmos.

Estou falando que você não deve se levar muito a sério, pois você não é a pessoa mais importante!

É primordial levar em consideração o pensamento das pessoas, não exatamente as suas opiniões. Deve-se ter em grande estima aquilo que as pessoas próximas  pensam (e às vezes, sentem). A partir de uma visão reflexiva, a gente pode tirar conclusões quase acertadas sobre tudo o que ouvimos e, entendemos, não cabendo juízos temerários sobre as coisas e as pessoas, somos seres humanos e, por isso, responsáveis.

Temos, realmente, um grande papel a desempenhar diante daqueles que se acercam de nós e com os quais nos propusemos a conviver. Comportar-se bem, exige mais que mera postura, exige a quebra da mesma e um pouco de coragem para aveturar-se além das conveniências e das aparentes imposições do cotidiano.

Por Lindomar Vieira

Existe um ditado que todas as pessoas deveriam ter em mente em todos os setores de suas vidas: “O que não tem solução, solucionado está”. Na empresa essa máxima também é verdade. Certos problemas e situações irremediáveis precisam ser esquecidos e as atenções voltadas para eles não se repitam.

Seu concorrente apresentou um preço ou proposta que você não pode cobrir? As exigências do cliente simplesmente não são realizáveis pela companhia? Seu departamento foi extinto e você, realocado para um outro? Aceite a situação ou a dificuldade e se adapte a eles, já que há como resolvê-los. Não adianta ficar remoendo essas coisas. O melhor mesmo é seguir em frente e se focar naquilo que você é capaz de solucionar.

Uma certa dose de resignação às vezes poupa sofrimentos no mundo corporativo. Tome a sua no momento certo e comece a acumular menos frustrações.

Você muito provavelmente já deve ter convivido com pessoas com um gênio terrível no seu local de trabalho. Tolerância e paciência são palavras inexistentes para elas e tudo é motivo para discussões, brigas e mal-entendidos. Esse tipo de postura tumultua qualquer empresa, tornando o ambiente um barril de pólvora sempre prestes a explodir.

Um indivíduo destemperado é alguém que tem sérias dificuldades em lidar com frustrações. Se as coisas não acontecem como ele imagina, sua defesa é esbravejar, gritar, xingar e ofender. Mal sabe ele que isso só piora ainda mais a situação, pois ninguém está disposto a suportar essa espécie de comportamento. Ele só acaba gerando mais e mais inimizades, até que se atinja um ponto em que o trabalho em grupo e a convivência se tornem insustentáveis. Ele precisa ter a consciência de que se essa atitude não mudar, sua sobrevivência no mercado de trabalho moderno será de curto prazo.

Colaboradores brigões aí vai uma dica: reflitam sempre se vale a pena iniciar um conflito. Em 99% dos casos, vocês verão que isso é perda de tempo e que quase sempre tudo pode ser resolvido de modo pacífico e sem traumas para todos os envolvidos.

Quem não conhece indivíduos que se consideram os donos da verdade? Eles estão sempre a par de tudo e parecem não estar sujeitos a uma das condições inerentes a um ser humano: o erro. Essa postura costuma afastar as pessoas em volta tanto na vida pessoal como no trabalho.

Num ambiente corporativo, cada pessoa tem uma maneira de ser e de agir. São as marcas registradas de cada indivíduo. Mas certos posicionamentos como o de “sabe-tudo” sempre acabam trazendo problemas. Esses sujeitos inibem a participação dos demais, pois frequentemente tem resposta para tudo. O debate, então, é minimizado, o que pode empobrecer o dia a dia e os  planos a respeito daquilo que se deseja realizar.

Contribua com seu conhecimento e suas impressões sobre tudo que puder na empresa. Mas não queira estar acima de todos os demais, comece também a ouvir e tirar proveito do que seus colegas tem a dizer. Quem sabe você não descobre uma infinidade de coisas que ainda não sabia.

Em qualquer organização, as atividades de rotina, os projetos e as decisões estão baseados em informações-chave. As pessoas que detém essas informações algumas vezes as guardam para si mesmas, imaginando assim poder tirar algum proveito desse fato. Esse tipo de atitude só prejudica o andamento de tudo e ainda pode causar divisões em equipes.

É preciso lembrar que todos devem trabalhar em prol da companhia, e não apenas olhando para si próprios. Omitir, esconder e reter detalhes fundamentais para que as coisas fluam demonstra egoísmo e uma profunda falta de maturidade. Esses indivíduos tentam ser o centro das atenções de uma maneira forçada, só pelo fato de saberem o que os demais ainda desconhecem.

Compartilhe de forma ostensiva com a equipe toda e qualquer informação importante que você receber na empresa. Se todos estiverem cientes a respeito de tudo que for relevante, será mais fácil caminhar de mãos para que os objetivos finais sejam atingidos.

Seu colega cometeu um deslize no trabalho. O fato é que não é a primeira vez e ele é mal visto desde então. Desse modo, ele lhe pede para assumir o erro ou dividir a responsabilidade com você.

Mas será honesto ou ético “assumir a bronca” de alguém?

Todo ser humano adulto precisa estar consciente de seus direitos e deveres. E quando esses deveres são negligenciados e falhas são cometidas, é preciso estar preparado para suportar as consequências. Tomar para si o peso do erro de outra pessoa para ajudá-la só terá efeitos prejudiciais, pois irá incentivá-la a continuar não arcando com a responsabilidade de seus atos.

Só responda frente à empresa pelos seus próprios atos. Não tente defender os outros de enrascadas dividindo culpas, pois isso só torna as coisas piores para ambas as partes envolvidas.

Quantas pessoas você conhece que desempenham suas atividades de forma simplesmente automática? Elas simplesmente não se importam com o resultado que o trabalho delas está tendo. Dia após dia executam a mesma tarefa, muitas vezes sem saber o porquê disso.

Toda atividade laborativa tem uma razão de ser e visa a um resultado. Principalmente no mundo competitivo de hoje, nada é feito por acaso. O que muitas vezes torna a função de uma pessoa enfadonha é fato de ela executá-la sempre da mesma forma, sem perceber como isso pode refletir no objetivo final. Quando se enxerga claramente uma meta a atingir, qualquer trabalho parecerá mais desafiador.

Comece a focar seu trabalho em objetivos práticos e concretos. Quem sabe então ele não passará a fazer mais sentido para você.

Pessoas que trabalham juntas diariamente precisam estar afinadas umas com as outras. Afinal, elas passam boa parte de suas vidas interagindo e trocando informações e experiências. Existem modos inteligentes de fazer com que esses indivíduos se integrem sem que eles mesmos percebam.

Organizar uma escala alternada para que todos tragam um doce uma vez por semana, estimular que cada um conte o que fez no final de semana, promover um amigo secreto na época de Natal na empresa, instituir a prática de cada aniversariante oferecer um bolo aos demais. Todas essas ações contribuem para que as pessoas se conheçam melhor e se sintam mais à vontade umas com as outras.

Indivíduos que sabem mais a respeito uns dos outros se sentem mais confortáveis para trabalharem juntos. Incentivar isso pode ser um grande trunfo para construir uma equipe vencedora.