O setor bancário é responsável por bom número de postos de trabalho no país, tanto destacada a iniciativa privada como a pública. Dados divulgados pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), com base na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), revelam que de janeiro a dezembro do ano passado pouco mais de 54 mil trabalhadores foram admitidos, ao mesmo tempo em que aproximadamente 33,4 mil sofreram demissão. O saldo positivo constatado chegou a 24.032.

Em relação à remuneração média mensal, os admitidos responderam com um montante, em dados individuais, de R$ 2.188,43, bem abaixo, porém, dos funcionários demitidos, de R$ 3.506,88 (disparidade de 37,6%). Segregado por regiões, o Norte do país registrou o menor número de novos funcionários, exatamente 981. No Sudeste, por outro lado, foram geradas 16.065 vagas.

O Dieese assinala que em todos os meses do ano passado o saldo de emprego no setor, pelo país, apresentou-se positivo. O melhor resultado foi constatado entre outubro e dezembro, com quase sete mil vagas. Março, que representou um dos melhores períodos para o segmento de veículos automotores em termos de vendas, foi o mais brando em 2010 na criação de postos nas instituições bancárias, com 667 oportunidades.

Outro dado muito bom para o ramo bancário decorreu do nível de escolaridade dos novos funcionários. De acordo com o Dieese, 98,92% do total possuem Ensino Médio, Superior completo ou incompleto.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Numa sociedade altamente competitiva, baseada justamente no poder atrelado ao dinheiro, não é baixo o número de pessoas com altos ganhos, assim como não é nada amena a quantidade de cidadãos que ganham apenas um salário mínimo. Entretanto, o problema é ainda mais grave quando a palavra ‘desemprego’ é citada, mal que ainda aflige o país com severidade.

De acordo com um levantamento realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 55% das pessoas sem ocupação nas seis principais regiões metropolitanas brasileiras são da classe social mais desfavorecida. Embora alto, o índice é bem mais baixo em relação ao registrado em 2005, de 66,9%.

O Ipea assinala que embora exista essa desigualdade no quesito desemprego, a desocupação pelo país continua em baixa e o rendimento real do pessoal ocupado em alta. Outra tendência constatada, até certo ponto positiva aos mais pobres, é o tempo em que se dedicam a procurar uma vaga de trabalho. Em 2005, o sofrimento a essa casta era maior; em 2010, são os de renda mais elevada que encontram dificuldades em se recolocar no mercado de trabalho.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Ipea

Enfocada em salientar para a sociedade uma série de dados, desde os mais simplórios a outros mais complexos, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou que após um quadrimestre de estabilidade, o número de trabalhadores com ocupação no setor industrial baixou 0,1% em dezembro sobre novembro do ano passado, já com ajuste sazonal.

Ao longo de sete meses, afiança o IBGE, o pessoal ocupado no segmento cresceu 3,3%, e em relação a dezembro de 2009 o emprego na indústria aumentou 3,4%, nível pouco mais robusto em relação ao comparativo anual de novembro (3,1%).

De acordo com o IBGE, todas as regiões sondadas contribuíram positivamente para os números, com destaque para Rio de Janeiro, onde o índice saltou 4,4%, em seguida por Santa Catarina e Minas Gerais, cada qual com alta de 3,9%, e São Paulo, com progresso de 3,0%.

Especificamente à indústria paulista, as atividades de meios de transporte registraram variação de 8,7%, acompanhadas pelo crescimento de 7,5% do ramo de máquinas e equipamentos.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: IBGE

Uma notícia positiva foi o resultado divulgado pelo Governo Brasileiro sobre a taxa de desemprego de 2010, considerada a mais baixa já registrada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) desde 2002.

A taxa foi de 6,7% em 2010, e no ano de 2009 registrou-se a taxa de 8,1%. De acordo com o IBGE, o número médio de pessoas sem emprego em 2010 foi de 1,6 milhão e o número de pessoas empregadas somou cerca de 22 milhões. O Sudeste foi a região do Brasil que obteve a maior quantidade de vagas novas, enquanto que a região Norte foi a que teve o menor crescimento em termos de empregos.

O ministro do trabalho e emprego, Carlos Lupi, afirmou que não houve “maquiagem” nos números quanto à geração de novas vagas estabelecidas pelo governo federal em 2010.

Por Andrea Gomes

Fonte: Agência Brasil

Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – Caged – divulgado pelo Ministério do Trabalho, o Brasil apresentou significativa elevação no número de postos de trabalho criados em 2010. O crescimento foi observado em todas as Unidades da Federação, tendo alguns municípios se destacado na criação de empregos formais, por apresentarem estatísticas bastante significativas.

Para se ter uma idéia desse fenômeno, somente em São Paulo, que lidera o ranking, foram abertas mais de 262,4 mil oportunidades de trabalho, seguido por Rio de Janeiro (119,3 mil), Belo Horizonte (79,5 mil), Fortaleza (54,6 mil), Recife (46,9 mil), Curitiba (41,3 mil) e Salvador (37,7 mil). Em contrapartida, três municípios apresentaram dados nem tanto animadores: a cidade cearense de Quixerê (2.035 empregos) e as cidades paulistas de Monte Azul Paulista (2.790) e Pirassununga, com pouco mais de 2.300 empregos criados.

Entre as regiões do país como um todo, mereceu destaque a região Sudeste, que gerou 1.276.903 novos empregos formais, tendo o Nordeste ficado em segundo lugar, com mais de 488,5 mil novos postos de trabalho, seguido pelo Sul (444,7 mil), Centro-Oeste (179,2 mil) e Norte (136,2 mil).

Por Alberto Vicente

A crise financeira mundial ainda é sentida em muitos lugares do planeta. Enquanto algumas nações já conseguem enxergar bons caminhos, outras, inclusive desenvolvidas, tropeçam mês a mês para manter a economia nos eixos e assegurar planos futuros concretos, sem especulação.

Iniciado nos Estados Unidos, o colapso ainda ocasiona efeitos diversos, atingindo, por exemplo, o próprio presidente do país, Barack Obama, criticado por muitos por não ter conseguido suprir algumas e atuais carências. Dados divulgados pelo Departamento de Trabalho estadunidense indicam que a taxa de desemprego avançou para 9,8% no mês passado, o maior nível em sete meses.

Apesar desse patamar nada agradável, dados sobre emprego geral de setembro e outubro foram revisados e indicaram geração de 38 mil postos de trabalho a mais em relação ao prognosticado anteriormente. Segundo o UOL, economistas previam criação de 140 mil empregos em novembro e percentual de desemprego em 9,6%.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Informações divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) reportaram queda no índice de desemprego em todo o país. Em outubro, o percentual constatado chegou a 6,2%, ante 6,1% em setembro, a menor taxa desde 2002, ano em que a série foi iniciada.

Para Cimar Azeredo, gerente de Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE, os dados levantados no mês passado apontam que o desemprego deste ano ficará abaixo do índice de 2009 em virtude dos postos de trabalho temporários entre novembro e dezembro. Em sua visão, possivelmente o nível de emprego voltará ao patamar abalizado antes da crise financeira mundial.

Além desse fato, fora diagnosticado ser esse o terceiro recorde seguido. De acordo com a agência de notícias Reuters, o número de cidadãos ocupados perfez 22,3 milhões no mês passado, índice estável em comparação a setembro, o que indica, portanto, crescimento de 3,9% no confronto anual.

Caso semelhante relacionou-se à população desocupada, que também apresentou estabilidade no confronto mensal, totalizando 1,4 milhão de pessoas, arrefecimento de 17,6% contra outubro de 2009.

Com base nos dados do IBGE, Azeredo atesta que o aumento do emprego na região metropolitana de São Paulo tem puxado o crescimento do país, mesmo o colapso financeiro ter atingido fortemente todo o Estado.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Os dados sobre a criação de emprego em todo o país têm correspondido aos diagnósticos mensurados por Carlos Lupi, ministro do Trabalho e Emprego, e Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil, embora o número de postos de trabalho criados no primeiro semestre tenha ficado pouco abaixo das expectativas. Ambos acreditam, porém, na geração de 2,5 milhões de vagas até o final deste ano.

Um segmento, em especial, merece atenção. Segundo Walter Sacca, diretor-adjunto do Departamento de Economia da Federação das Indústrias do Estadão de São Paulo (Fiesp), a indústria paulista deverá criar entre 110 mil e 120 mil empregos em 2010, correspondendo, portanto, a um número 4% maior em comparação ao ano passado.

Em outubro, segundo o portal R7, foram criados 1,5 mil postos, algo que para Sacca deve ser observado simplesmente como uma reserva, pois a base comparativa de 2009 é fraca. Informações da Fiesp revelam que no mês passado 13 dos 22 setores examinados ilustraram dados positivos, o menor volume constatado desde dezembro do ano passado, quando somente quatro setores apresentaram boa atuação.

Aludindo a menção feita por Paulo Francini, diretor da entidade, Sacca acredita que a criação de novas companhias está em baixa em todo o Brasil, algo que sinaliza, portanto, processo de desindustrialização, situação tida pela Fiesp como diminuição da participação relativa do segmento de transformação no Produto Interno Bruto (PIB).

Por Luiz Felipe T. Erdei

As notícias sobre a esfera empregatícia têm se configurado positivas em termos gerais, mesmo empresários alegando aos quatro ventos falta de mão de obra qualificada para determinadas funções. Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Brasil, comemora tanto a geração de empregos nos últimos anos quanto a escolha, por meio do voto popular, de Dilma Rousseff (PT) como sua sucessora.

Somente no Estado do Rio de Janeiro, segundo a Federação das Indústrias do Estado do RJ (Firjan), o número de postos formais criados entre janeiro e setembro deste ano quase triplicou em relação aos mesmos noves meses de 2009. Pelas contas foram mais de 149 mil vagas contra aproximadamente 55,3 mil do período anterior. Do montante conjeturado, 30.542 foram constatados na indústria.

De acordo com a Firjan, a geração de postos de trabalho no Rio de Janeiro acompanhou o patamar nacional. Para Guilherme Mercês, chefe da Divisão de Estudos Econômicos da federação, o final deste ano poderá comportar um menor ritmo nas contratações, algo típico da época. Mesmo assim, prevê que os índices atuais venham a ser os melhores da história, confirmando, portanto, a recuperação do nível de atividade após a crise financeira global.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: G1

A queda do número de desempregados no Brasil reflete o poderio atual da atividade econômica em vários segmentos. De acordo com pesquisa conjetura pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o índice de desemprego passou de 12,4% em julho para 11,9% em agosto.

O estudo, realizado em sete regiões metropolitanas, revela que o índice é consideravelmente inferior e positivo ante agosto de 2009, quando foi diagnosticado 14,4%. Segundo reportagem da Folha UOL, em São Paulo o percentual também caiu, abarcando 12,3%, a menor taxa constatada para agosto desde 1992.

Outros locais do Brasil também apresentaram tal tendência. Em Belo Horizonte, por exemplo, o índice deixou de abraçar 8,3% para atingir 7,5%. Em Porto Alegre e Distrito Federal, a queda possibilitou a constatação respectiva de 8,7% e 13,4%.

O Dieese aponta que o contingente de desempregos nas sete regiões sopesadas abarcou mais de 2,6 milhões de pessoas em agosto, 104 mil abaixo do mês imediatamente anterior.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Pelo visto, parece ser comum ao Brasil, atualmente, ter diagnosticado a si o crescimento de empregos ao longo deste ano e aos próximos meses. Carlos Lupi, ministro do Trabalho e Emprego, avalia que 2,5 milhões de vagas com carteira de trabalho assinada serão computadas, algo que terá de ser observado somente quando os dados forem conjeturados, provavelmente no inicio de 2011.

Diversos setores têm previsto alta no quesito empregatício. O Sindicato Paulista das Empresas de Telemarketing, Marketing Direto e Conexos (Sintelmak) estima que mais de 90 mil oportunidades de trabalho serão criadas até o final deste ano somente em São Paulo. Caso vigore, o segmento encerrará dezembro com 400 mil profissionais.

Outro dado significativo, de acordo com o Canal Executivo UOL, é a projeção de crescimento do faturamento em 2010, que deverá abarcar o índice de 9%, ou em reais, R$ 5,9 bilhões. As empresas terceirizadas de Call Center, singularmente, poderão responder por R$ 10 bilhões.

Por Luiz Felipe T. Erdei

A geração de empregos pelo Brasil continua acentuada. Após um primeiro semestre positivo, com a criação de quase 1,5 milhão de postos de trabalho por todo o país, o mês de agosto voltou a registrar recorde, desta vez por meio da criação de 299.415 oportunidades formais, isto é, com carteira de trabalho assinada.

Informações divulgadas pelo Ministério do Trabalho identificam alta de 0,86% no mês passado em comparação a julho, e segundo Carlos Lupi, ministro da pasta, em setembro, outubro e novembro a tendência continuará a ser observada devido ao aumento da renda do trabalhador brasileiro e do ritmo de desenvolvimento da economia.

Todos os setores economicamente analisáveis contabilizaram elevação, com destaque para a construção civil, cuja qual obteve crescimento de 1,59% na base comparativa em questão. A única exceção, porém, ficou por conta da agricultura, mas justificável: entressafra no Centro-Sul do Brasil.

Dados levantados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) assinalam 1.740.659 admissões em agosto contra 1.441.244 demissões. A região Nordeste foi a que melhor respondeu, com elevação de 1,32% no número de empregos criados.

Mais uma vez, segundo a agência de notícias Reuters, Lupi ressaltou: até o final deste ano 2,5 milhões de postos formais serão criados.

Por Luiz Felipe T. Erdei

A agência especializada na seleção de pessoas para trabalhar em cruzeiros marítimos pela América Latina, Infinity Brasil, está recebendo inscrições para o último processo seletivo para a temporada 2010/2011.

A empresa trabalha com muitas companhias, entre elas Costa Cruzeiros, MSC Cruzeiros, Island Cruises, Regent Seven Seas, Disney Cruise Line e outros. Atualmente, reunindo todas, a Inifinity dispõe de um total de 1.060 oportunidades dirigidas a interessados que possuam inglês fluente, experiência de no mínimo dois anos no cargo pretendido e formação superior de acordo com a função.

Entre os cargos estão assistente de garçom, cozinheiro, técnico de palco, de áudio e iluminação, recreador infantil, recreador esportivo, fotógrafo, vendedor e outros. Para cadastrar-se em uma dessas vagas é preciso ter os requisitos necessários que ela exige e em seguida efetuar a inscrição através do site www.infinitybrazil.com.br.

Por Rafaela Ometto

Fonte: JC Online

Uma das operadoras de telefonia e banda larga que mais cresce no país está investindo pesado em pessoal. A GVT pretende contratar até o fim do ano 500 novos funcionários e mais mil até o fim do ano que vem.

As vagas são para vários estados e abrangem as mais diversas áreas. Há cargos para estudantes e para quem já possui experiência em áreas como marketing e comunicação, tecnologia da informação, administração, gestores, diretores, analistas e etc.

Os interessados podem cadastrar currículo no site www.trabalhenagvt.com.br para concorrer aos cargos. A novidade é a possibilidade de enviar um vídeo currículo, onde o candidato pode se apresentar aos recrutadores por meio de um vídeo pessoal. Pode ser um diferencial, especialmente para quem busca uma vaga nas áreas de comunicação e marketing.

Por Camila Porto de Camargo 

Fonte: IDGNow!

O governo de Luiz Inácio Lula da Silva tem exaltado o número de empregos criados pelo Brasil neste ano, que somente em seu primeiro trimestre contabilizou a geração de quase 1,5 milhão de postos de trabalho com carteira assinada. Carlos Lupi, ministro do Trabalho e Emprego, talvez seja um dos mais otimistas políticos da atualidade (juntamente ao ex-sindicalista), fato constatado por meio de seus últimos discursos.

Mais uma vez com pensamentos altamente positivos, Lupi relacionou a geração de empregos. Segundo artigo enunciado pelo portal de Economia UOL, o ministro estimou nesta sexta-feira, 27 de agosto, que 2,5 milhões de vagas formais, isto é, com carteira de trabalho assinada, serão instituídas, principalmente por parte da construção civil, embora admita que o setor de serviços deverá ser aquele que melhor trará resultados quantitativos.

Para Lupi, a taxa média no número de desempregados pelo Brasil, calculada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), alcançará índice recorde em 2010, inferior a 7%. Em julho, por exemplo, o percentual ficou em 6,9%, a segunda menor percentagem da série iniciada em 2002.

Por Luiz Felipe T. Erdei

A Scala Mundi em parceria com a Escola Rennert oferece cursos de Inglês e ainda curso especialmente desenvolvido para profissionais do Marketing, com linguagem específica da área, em Nova Iorque, a metrópole mais agitada do mundo.

Escola Rennert

1. Curso de Inglês

– programa de vinte aulas semanais (uma aula = 50 minutos)

– duas semanas: USD 630,00

– três semanas: USD 945,00

– quatro semanas: USD 1260,00

* Taxa de matrícula: USD 145,00

* Taxa adm.: USD 120,00

Inícios em 2010: toda a primeira segunda-feira de cada mês.

2. Curso de Inglês para profissionais da área de Marketing

– Programa com quinze horas semanais (máx. cinco alunos por classe). Compreende a linguagem das áreas de vendas e marketing.

– Requisito: nível intermediário-avançado de Inglês.

– uma semana: USD 725,00

* Taxa de matrícula: USD 145,00

* Taxa adm.: USD 120,00

Aulas começam no dia 20 de setembro de 2010.

Informações adicionais: www.scalamundi.com.br –  (11) 3266-3047.

As Lojas Americanas está com inscrições abertas para seu Programa de Estágios. As oportunidades são para as cidades de  João Pessoa,  Feira de Santana, Recife, Curitiba, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Salvador, Fortaleza, Aracaju.

Poderão participar estudantes de diversos cursos, entre eles Administração, Comunicação Social, Ciências da Computação, entre outros. Os estudantes deverão ter previsão de formatura entre dezembro de 2010 e julho de 2012. Os selecionados irão atuar nas seguintes áreas da empresa: comercial, operações, corporativa e logística.

Para participar da seleção os interessados devem se inscrever pelo site http://www.pagepersonnel.com.br no link “Programa de Estágios Lojas Americanas”.

Por R.D.

O Programa Jovens Profissionais 2010 do Grupo Bimbo, empresa que atua no setor de produção de alimentos, está com inscrições abertas para pessoas que tenham concluído seus cursos de ensino superior entre dezembro de 2008 e julho de 2010.

As vagas são para o cargo de trainee e o salário ainda não foi divulgado pela empresa. Os candidatos, slém de possuir ensino superior, também devem ter conhecimentos em espanhol, inglês e informática, e estarem disponíveis para viagens e mudanças de cidade.

As atividades terão início no dia 3 de novembro de 2010 e a duração prevista é entre um ano e um ano e meio. Interessados podem se inscrever no site www.vagas.com.br/bimbo, até o dia 9 de setembro de 2010. Mais informações aqui.

Por Thiago Martins

Estão sendo oferecidos em Guarulhos-SP cursos de capacitação e profissionalização visando o carnaval do próximo ano. A iniciativa é da Prefeitura local, que tem parceria com o Ministério do Trabalho e com a Liga Guarulhense das Escolas de Samba e Blocos Carnavalescos (Liesg).

Dentre as áreas disponibilizadas estão confecção de instrumentos, costura, marcenaria, cenografia entre outras. As inscrições deverão ser feitas até o dia 03 de setembro deste ano, na Secretaria de Cultura ou na Associação dos Servidores Municipais de Guarulhos, de segunda a sexta, das 08h às 17h.

Os cursos terão aulas práticas e teóricas, com diversas opções de horários, e as aulas tem início previsto para o próximo dia 08 de setembro. Além do certificado, os participantes também receberão auxílio-transporte e lanche.

Por Elizabeth Preático

Fontes: G1, Guarulhos Agora

A empresa Minerva S.A., do ramo de comercialização e produção de carne bovina e seus derivados, está com processo seletivo aberto para o Programa de Trainee. Os candidatos devem ter formação nas seguintes áreas: Administração, Veterinária, Engenharia de Alimentos, Zootecnia, Agronomia, Automação Mecânica, Industrial e de Produção.

A seleção será composta pela fase de análise curricular, provas, dinâmicas de grupo e entrevistas. As duas últimas etapas serão aplicadas na modalidade presencial nas seguintes cidades: Barretos, Curitiba, Campo Grande, Goiânia e Campinas. Primeiramente os candidatos selecionados devem trabalhar na unidade de Barretos, onde fica a sede da empresa. Depois poderão se realocados em outras unidades do Brasil.

Para participar os candidatos devem se cadastrar pelo site da empresa: www.minerva.ind.br, no link “saiba mais”. As inscrições podem ser feitas até dia 03 de setembro

Por R.D.