Desemprego entre os jovens aumentou em maio



  

IBGE registrou uma alta no número de desempregados entre pessoas com idade de 18 a 24 anos. Índice chegou a 16,4%.

Segundo uma pesquisa realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o mês de maio registrou um aumento do número de desempregados entre os mais jovens. Segundo o instituto, em um ano o desemprego entre as pessoas com idade entre 18 e 24 anos passou de 12,3% para o índice de 16,4%. Em comparação com o mês anterior – abril – a alta foi de 0,2 ponto percentual. O instituto realiza pesquisas semelhantes mensalmente no país.

O instituto afirma que o desemprego entre os jovens é historicamente sempre maior, quando comparado com as outras faixas etárias em idade de trabalho, mas essa variação registrada no intervalo de apenas um ano, demonstra o quanto as dificuldades enfrentadas pelo mercado de trabalho durante a crise econômica do Brasil estão sendo sentidas de forma mais intensa por essa faixa da população.

Veja também:  Dicas para conquista de um novo emprego

O aumento do desemprego também atingiu outras faixas etárias, mas a alta foi menor:

Para os trabalhadores na faixa etária entre 25 e 49 anos, a variação do desemprego foi de 3,9% no ano passado para os atuais 5,6%.





Já a população com mais de 50 anos sofreu aumento do desemprego de 1,8% para os atuais 2,5%.

A pesquisa foi divulgada pelo instituto na última quinta feira, dia 25. O índice total de desemprego registrado pela pesquisa mensal no mês de maio foi de 6,7%, o que é a maior taxa para o mesmo mês desde o ano de 2010.

Não há explicações certas quanto aos reais motivos que levam ao número elevados de jovens desempregados em épocas de crise, mas se analisarmos o cenário econômico brasileiro, vemos que o período não é dos melhores para novas contratações, e quando o candidato não possui experiência, como é o caso dos jovens, a situação de agrava ainda mais.

Veja também:  Agência Abound abre vagas de emprego no Rio de Janeiro

A boa notícia é que os jovens que já estão empregados têm a possibilidade de manter seus trabalhos diante essa crise se a situação de sua empresa estiver estável,  pois as empresas não vão querer gastos com demissões e contratações de novos funcionários. Se a economia da empresa não estiver das melhores, o risco de demissão aumenta, e infelizmente os funcionários menos experientes sempre são as primeiras opções para reduzir a folha de pagamento.

Por Patrícia Generoso



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *